CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 67 - Planos orquestrados

Legado dos Deuses (LDD)

Capítulo 67 - Planos orquestrados

Autor: Yuri Cavalier | Revisão: Paragon

Família Ferio – Uma semana depois do combate entre Caçador e Fukai.

O homem estava parado sentado em uma ameia encarando as poucas centenas de metros fora dos muros que a família Ferio ainda tinha. Eram duas centenas ou três, ele não tinha razão, mas todos os dias de manhã, ele ficava observava as pessoas das casas de baixo se levantarem e saírem pelo portão principal com picaretas e pás nas mãos.

Trabalhadores que nada recebiam para irem trabalhar, eles ficavam quase que 12 horas por dia dentro das minas de carvão e na agricultura, tudo para que no final tivessem alimento na mesa. 

Não era do interesse do homem zelar pelas vidas das pessoas, mas isso era mais cruel do que muitas coisas que viu em sua vida.

Ele apertou a mão, faltava um dedo nessa, mas não ficou irritado, pelo contrário, parecia se divertir ao não sentir seu dedo ali, o membro que faltava lhe alertava que sua missão ainda não estava completa, mas que tudo o que passou foi mais do que suficiente para que a recompensa que ganhasse fosse aumentada.

Suspirando com um pouco de peso nos ombros por causa da armadura de ferro que levava agora, o homem deixou a leve brisa bater contra seu tapa-olho e deixou que os ventos lhe tirassem suas dúvidas.

Mas não demorou muito para que essa paz fosse perturbada.

- Hey, o Patriarca está te procurando. - Um homem disse de mau humor, só o fato de estar na presença de um Caçador já o deixava irritado. - E não se atrase, não tem o direito de escolher o horário com nosso Patriarca.

Caçador não o respondeu, continuou sentado deixando a brisa bater contra seu rosto, seus olhos fechados já não mais procuravam a discórdia da vida, não mais deixaria o caos se espalhar.

Ele se mexeu para trás saindo de cima da areia e começou a andar sem responder a pessoa que o chamou.

Passou por ela sem nem olhá-la e seguiu direto por uma ponte de pedra pela metade que dava direto a casa do Patriarca, ele passou pelas pessoas que encararam sua mão sem um dedo e riram.

Para aqueles que nunca estiveram em um confronto direto com Fukai nunca acharia que o garoto era habilidoso ao ponto de conseguir arrancar o dedo de um Assassino contratado, o que poucos sabiam é que o garoto realmente era forte.

Caçador depois de ter sido castigado por uma mão que segurava uma espada caiu no chão com toda a sua Profunda Energia dissipada.

O calor que ele tinha produzido era suficiente para dobrar Profundas Espadas de lâmina curvada, mas não foi possível parar uma espada lisa que estava sendo empunhado por uma mão sem corpo.

Se ele realmente tivesse contado isso para as pessoas, o que elas falariam? Era claro que ririam.

Mas Fukai Ferio também o impressionou, ele fez com que todos os seus ataques fossem fortes o suficiente para encurralar até mesmo alguém do Reino Elementar, quem diria, não é?

Caçador o via antes como um garoto que era para ser exterminado, agora era diferente, Fukai virou um certo amuleto, um no qual pegaria para si e mataria sem receio para que seu dedo fosse pago.

Um corte em um Assassino era algo normal, mas um que não tinha uma parte do corpo era chamado de inútil.

Com um pouco de esforço e dor, Caçador tocou a parte machucada da sua mão, onde seu dedo não estava mais presente.

Ele se forçou a engolir a dor passando por todas as pessoas até chegar aonde um grupo de homens se encontrava, estavam sentados em um semicírculo acima de escadas.

Os homens eram todos Elders da Família Ferio, todos eles presentes com sua aura superior revigorando cada parte do salão esperando pelo homem que disse ter assassinado Fukai Ferio.

O Patriarca estava no meio, seu sorriso era largo como se tivesse ganhado milhões de moedas de ouro, ele dava uma grande parte de seu sorriso devido ao trabalho do homem que começou a entrar.

Caçador olhava em volta como se nunca tivesse visto aquelas representações, o local era amplo, com todos os Elders sentados ao lado do Patriarca, tudo estava normal, mas o salão era enorme, capaz de suportar quase todos os habitantes dos Ferio dentro.

O Segundo Elder estava ao lado de Jinta, poucas eram as vezes que ele dava a cara para receber alguma visita, mas dessa vez era especial, ele estava no encontro daquele que tinha acabado com suas preocupações.

- Gerome… - Patriarca disse o nome do Assassino de bom grado. - Estamos aqui hoje porque queremos agradecer, você fez um excelente trabalho por conduzir a morte de algo que estava nos persistindo por vários anos.

O homem colocou sua mão atrás das costas e esperou.

- Eu só fiz o que me pediram, não é necessário elogios, gostaria do meu dinheiro e quero partir o quanto antes. - Gerome falou determinado, ele queria sair daquele lugar imundo o mais rápido possível.

Isso era porque na realidade, ele tinha falsificado a morte de Fukai.

- Sim, eu entendo. - O Patriarca falou rindo. - Como somos bons com aqueles que são fiéis a nós, lhe daremos uma quantia a mais, isso deve ser o suficiente para que não abra a boca se caso alguém lhe perguntar sobre o que aconteceu com Fukai Ferio, certo?

- Eu sou um Assassino de Aluguel, acha mesmo que eu diria às pessoas quem matei ou não matei? - Gerome foi frio nas palavras, ele não dava a mínima para as pessoas a sua volta, não tinha motivo para ser educado. - Por favor, o dinheiro.

Segundo Elder concordou sem dizer nada e levantou tirando um saco cheio de talhas de ouro, cada talha valia cerca de mil moedas de ouro. Lançou na direção do Caçador que a pegou e contou tudo sem demonstrar emoções.

Acabou de contar e olhou para os demais a sua volta.

- Foi um encontro memorável estar com vocês. - Gerome caminhou de costas para a porta e fingiu uma reverência. - Foi bom fazer negócios com os Ferio.

Ele estava prestes a sair em passos largos quando a voz do Segundo Elder claramente ecoou por todo o salão.

- Espere, ainda temos algo a resolver.

Gerome revirou os olhos e virou o corpo.

- Se não for outro contrato de assassinato, eu não quero ouvir.

O Segundo Elder riu dele e o jogou uma esfera marrom, era feita de madeira e tinha símbolos gravados no centro.

- Quando precisarmos do seu serviço, espero que possa nos responder o mais rápido possível.

Depois de olhar para aquele pedaço de madeira, Gerome enfiou em uma bolsa na sua cintura e concordou.

- Se precisarem. - E deu as costas indo embora com as mãos levantadas. - Não parecem que vão precisar.

E saiu deixando todos os demais avulsos. Foi rápido, sem complicações e nada demais, o coração de Fukai estava em suas mãos, todo o ramo do Antigo Protetor estava inativo agora, isso indicava que não precisavam mais de um título que trazia esperança a muitos dentro da sua família.

Um dos Elders sorriu se levantando e se curvou em direção ao Patriarca.

- Senhor, agora que tiramos as ervas ruins da boa colheita, qual o próximo passo?

Patriarca olhou para o Segundo Elder e concordaram com a cabeça.

- Espalhem a mensagem de que a família do Antigo Protetor desapareceu de dentro de nossos muros, isso vai mostrar que a esperança das famílias secundárias agora depende apenas de nós. - O Patriarca riu. - E avise os Gaufeng que foi feito, eles já podem incriminar os Naita pela morte de Fukai.

- Então vai começar uma guerra entre os Gaufeng e os Naita? - O homem disse com um gostinho doce na boca. - Isso é perfeito.

- Sim, agora que temos como dizer que Lucy Naita matou Fukai Ferio, eles nada podem fazer, pelo que parece não houve ninguém que descobriu do paradeiro depois que Fukai saiu dos Institutos. - Segundo Elder falou dessa vez. - Temos o controle dos Gaufeng e a luta contra os Naita, vamos fazer os Sá e Salto irem também para cima dos Naita já que Fukai era colega de Melina e Garp.

O homem concordou e disse mais algumas coisas.

- Meu senhor, espera que os Calto entrem na luta agora que vamos dizer que os Naita mataram um dos nossos?

- Eles vão entrar na luta com toda a certeza, e vai ser assim que vamos domar as linhas de vanguarda. - Patriarca respondeu cruzando suas mãos a frente do rosto. - Eles vão para as linhas de frentes e nós vamos dominar a Seita Calto.

O silêncio ao redor não era nada constrangedor, os homens todos riam como se aquilo já fosse esperado, comemoravam uma vitória.

- Usaremos o título do Antigo Protetor para jogar todos na guerra, e nós vamos subir para o título de Seita, esse era o desejo do antigo Patriarca. - Jinta falou com alegria na voz. - Agora que temos o elemento surpresa, temos todos nas nossas mãos, inclusive os Gaufeng.

O Segundo Elder concordou e se levantou.

- Agora que temos tudo em ordem, espalhem a mensagem. - Ele falou mirando todos ao redor. - Temos tempo para arquitetar os planos, mas pouco espaço para espalhar a mensagem, dirijam esse assunto diretamente ao Instituto Darey Mason para que o desejo de vingança contra os Naita reacenda.

Todos eles assentiram e saíram às pressas.

O único que permaneceu sentado foi o Patriarca Jinta que suspirou sorrindo, ao seu lado Segundo Elder o observava um pouco contente também.

- E então, meu senhor? - Segundo Elder falou. - Está satisfeito?

- Sim, agora que temos tudo nas nossas mãos, vamos retomar o que é nosso por direito. - Ele respondeu olhando para o Segundo Elder e sorriu. - Vamos, amigo, vamos acompanhar de perto o começo de uma guerra em que nós já ganhamos.

Segundo Elder esticou sua mão para seu senhor e os dois se cumprimentaram como irmãos, cada um segurando o antebraço do outro.

- Para o futuro da nossa família.

- Pelo futuro de nossos filhos. 

Por Amnésia | 05/03/18 às 00:54 | Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Wuxia, Xianxia, Brasileira, Poder, Adulto, Elementos de Cultivo, Ação