CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 70 - Aposta

Legado dos Deuses (LDD)

Capítulo 70 - Aposta

Autor: Yuri Cavalier | Revisão: Paragon


Diante uma mesa cheia de papéis e mapas, Gallo e Juno conversavam atentamente sobre os planos propostos pelo Patriarca e os Anciões da Seita. A volta desses dois, alguns guerreiros designados e alguns médicos esperavam pelas ordens dos dois.

Essa tensão das ordens do Patriarca mudou no mesmo momento em que a porta foi aberta e uma senhora e o garoto entraram rapidamente.

Todos se curvaram em respeito quando a senhora com a bengala se aproximou.

- Senhora Avallon. - Eles disseram juntos com suas cabeças baixas.

Gallo e Juno se ergueram encarando a pessoa atrás dela que também era bem familiar, era Fukai Ferio observando cada canto da sala.

Armários e prateleiras erguidas do chão ao teto coberto por jades, pergaminhos e notas sobre tudo o que tinham conhecimento, mais parecia uma biblioteca do que uma sala de guerra.

- O que ele faz aqui, minha senhora? - Gallo logo elevou a voz meio irritado, era claro que seu confronto com Fukai demonstrou muito bem que o garoto tinha um nível superior a ele, e seu orgulho marcado por aquele duelo pediu uma revanche.

- Gallo, Fukai está aqui para colaborar com nossos comandos. - Avallon disse deixando todos, menos o próprio Gallo, contentes. - Diga a ele, Fukai.

Fukai encarou o homem negro com um brinco na orelha direita e respirou fundo.

- Eu darei a vocês os planos da casa Ferio, da casa Sá, da Casa Salto e da Seita Calto.

Os homens a sua volta engoliram o seco. Entregar a planta da família Ferio já era mais do que suficiente para que todos ficassem surpresos, mas entregar todas essas?

Esse garoto, quanto ódio ele tinha suprido de todas essas famílias enquanto esteve lá?

- Mas sei que tem um preço, qual é? - Gallo falou mais uma vez, ele não tinha mudado sua expressão por fora, mas suas emoções por dentro estavam queimando.

Essas seriam as informações que mudaria todo o ritmo da sua Seita, seria uma maneira de acabar completamente com todas as ameaças que vinham do Leste e da Seita Calto.

Fukai respirou fundo e relaxou.

- Eu só peço que me façam sair sem que os Ferio saibam que eu estava aqui.

Juno olhou para Gallo e o homem devolveu o olhar a ela, ambos trocaram olhares curiosos.

Gallo coçou a testa um pouco distraído e logo respondeu.

- Acho que não podemos fazer isso. - Ele disse dando as costas procurando um papel que estava perdido entre pelos mapas.

Fukai deu um passo à frente.

- O que? Por que não podem? - Ele disse em tom revoltado. - Eu darei tudo o que sei e nem sequer podem me tirar daqui, eu não ligo para guerras idiotas, quero apenas sair da visão dos que querem me matar.

Gallo o ignorou e continuou procurando o que queria sobre a mesa até achar o pergaminho jogado não muito longe da ponta esquerda da mesa.

- Achei!

Fukai ainda esperava a resposta do homem quando ele se virou com o pergaminho e esticou para o garoto que recebeu lendo cuidadosamente cada parte.

- Não é que não podemos fazer isso, é que seria ilógico criar uma escolta quando você foi dado como morto. - Ele disse simplesmente deixando o garoto acabar de ler. - Depois que você derrotou aquele assassino e caiu, dois dias depois foi dado que sua morte era certa, e que tudo foi arquitetado pelos próprios Naita para que a espada de lâmina curvada que você possui fosse roubada.

Juno de braços cruzados se sentou na mesa e riu.

- Eles usaram sua morte como contexto para atacar outros lugares, isso foi uma jogada muito boa dos Ferio. - Ela disse com um elogio barato. - Mas ainda acho que eles deixaram muitos locais abertos, como por exemplo, você ainda está vivo.

Fukai deu um riso fraco meio melancólico ao ler aquilo.

Avallon que encarava o garoto esperava uma reação mais firme e explosiva do garoto, mas nada veio além de um riso frio.

- No que está pensando? - Ela perguntou cuidadosa.

- Nada demais. - Ele respondeu e virou para Gallo entregando o pergaminho. - Eles querem usar a minha morte como forma de tomar toda as famílias a volta, e depois a própria Seita…

Tanto Gallo quanto Avallon ficaram meio assustados, ele disse aquilo do nada sem temer quem estava à sua volta.

- Essa é uma hipótese muito grande até mesmo para eles, Fukai. - Avallon disse preocupada. - Como sabe disso?

- Se esquecem de que eu vim de lá, espera mesmo que eu não saiba como eles pensam? - Fukai puxou a manga direita da roupa e mostrou suas veias verdes. - Eu nasci e vim daquela família, entendo eles melhores do que ninguém.

Os que estavam ao redor começaram a observar aquilo, eram todas veias que pareciam secas e verdes quase podres, todas elas expostas para fora como se estivessem a um fio de estar morta. Seus olhos foram para a palma da mão onde a situação era duas vezes pior.

Todos aqueles machucados e ferimentos deixavam os que observavam meios enjoados, seus estômagos embrulharam um pouco.

- Isso… foi feito por eles? - Juno perguntou um pouco atordoada.

- Por dois assassinos que eles mandaram. - Fukai respondeu puxando a manga de volta pra baixo. - Não quero decepcionar vocês, mas o que eles querem vai ser mais do que a Seita Calto, desde anos os registros estão indicando que os antigos Patriarcas querem dominar todo o lado Leste até a costa litoral.

Avallon nada disse e colocou a mão no queixo pensativa, ela caminhou até a mesa e tirou os demais papéis sobre o mapa que mostrava toda a parte leste do continente.

- Me conte os procedimentos que eles vão usar.

Fukai parou e concordou.

- Antes de tudo, os Naita. - Fukai levantou um dedo. - Eles vão usar os Naita como fonte de recursos já que estão na linha de frente, mas os Ferio nunca vão usar seus próprios membros para atacar uma Seita toda que abriga a Instituição Falcon Felix, devem usar terceiros que já tem algum tipo de relação negativa contra eles.

Juno que ouvia levantou a voz.

- Acho que os Gaufeng tiveram brigas com eles por conta de pedaços de terras favoráveis no passado, pode ser que eles sejam os peões dessa jogada.

- Faz sentido. - Gallo concordou. - O Patriarca dos Gaufeng até mesmo diz que se tivesse uma única oportunidade faria eles pagarem pelo que fizeram no passado.

- Então coloquemos que seja os Gaufeng. - Fukai concordou. - Se eles forem a frente em uma guerra contra os Naita, a Seita Calto certamente entrará junto das três famílias mais fortes, os Salto, Sá e Quito.

Avallon abaixou a cabeça observando o mapa e revelou um pouco de espanto.

- Eles são uma das poucas famílias que são suporte, não é? - Ela disse lentamente deixando os demais pensarem por si só. - Se todos forem a frente, a Seita Calto irá ficar desprotegida e assim, os Ferio entram em ação.

- Sim, esse é o plano inicial. - Fukai disse deixando a mulher ainda mais chocada, ela virou a cabeça encarnado o garoto. - Se eles tomarem a Seita Calto, o próximo plano é o Leste, e depois o Oeste, com todas as casas sendo comandadas por eles, o centro de combate fica explosivo, ele terá todos os pontos fortes nas mãos.

Fukai já imaginava o campo de batalha sendo comandado pelos Elders dos Ferio e uma expressão fria e amarga crescia nele.

- Se eles dominarem a parte Leste desse distrito, pouco a pouco unificarão as famílias a um só propósito. - O olhar de Fukai mudou para um muito mais sério e rígido. - Será a unificação para o controle total de todo o Império Quilin.

Quando as pessoas ficaram em silêncio depois de Fukai ter falado aquilo, Gallo foi o que balançou a cabeça com uma risada tosca. Ele não escondeu o seu desprezo pelo garoto e deixou até mesmo os demais meio assustados.

Gallo não era assim, nem parecia estar no seu estado normal.

- Você tem uma mente um pouco quanto fértil, não acha?

Fukai não respondeu, ele continuou olhando para o homem com uma expressão séria, ele tinha suas próprias desconfianças com as pessoas daqui, e isso estava se revelando pouco a pouco com esse homem.

Diferente de todos os outros, ele era o único que não parecia estar se preocupando com a situação atual da sua própria Seita ou da iminente guerra que estava por vir.

- Não é possível para uma única família dominar tantas outras apenas por causa da sua capacidade, isso está longe de ser verídico. - Ele disse ainda indignado com a suposição de Fukai. - Guerras não podem ser feitas com um único estalo de dedos, essa sua suposição está totalmente errada.

Fukai continuou em silêncio ouvindo o homem e guardou essas palavras para si.

- Mesmo que seja um Ferio, não parece pensar como um, eles podem ser ambiciosos, mas são bem mais calculistas do que isso, pensam muito antes de atacar, até mesmo décadas antes. - Gallo não poupou o garoto. - Se isso viesse até mesmo de alguém que está há dezenas de anos vivo, eu ainda não acreditaria sequer uma palavra, ainda por cima, você é um garoto.

Fukai concordou recebendo as demasiadas críticas sem argumentar em nada.

- Está correto. - Ele disse de volta deixando os demais receosos, os alertas de Fukai foram fortes o suficiente para alertar a todos, o garoto parecia dizer a verdade, mas Gallo também tinha sua própria opinião formada. - Por isso, então, os planos de todas as casas permanecem comigo, não terão nada além dos argumentos de seu grande líder Gallo.

Avallon não mexeu sua cabeça até que Fukai fizesse sua última fala, ela encarou o garoto com um pouco de respeito e também admiração. Suas conclusões estavam corretas, os mapas também estavam a favor dos Ferio e toda a situação nunca foi tão boa para uma revolta.

Eram ambiciosos e calculistas, mas a mulher também conhecia muito bem a cabeça dos mais brilhantes.

Quanto mais longe você achar que eles estão, mais perto estarão.

- Fukai, você partirá amanhã. - Ela disse deixando todos alarmados. - Sei que sua preocupação com as coisas à é volta são bem nítidas, mas os assuntos da nossa Seita serão resolvidos com as plantas das casas ou não.

- Exatamente. - Gallo cruzou os braços em vitória. - Um forasteiro não deve interferir no assunto que não é dele.

Fukai concordou com Avallon e nem sequer encarou Gallo.

- Entendo, senhora. - Ele disse em respeito. - Vou arrumar minhas coisas agora mesmo, espero que possa me doar uma pequena bolsa de cintura.

Gallo ia falar mais uma vez quando Avallon o parou.

- Sim, como forma de agradecimento por ter sido um hóspede agradável a mim, eu entregarei a você a bolsa de cintura e um Ganger de 100 anos.

Fukai agradeceu com a cabeça e deu as costas saindo da sala.

Avallon ficou encarando Fukai com perguntas, mas não as fez. Não era hora de fazer todas as pessoas a sua volta entrarem em desespero, no fundo, bem no fundo, Avallon acreditava que as palavras de Fukai eram verdadeiras.

Não era questão de acreditar no garoto ou em um Ancião, era que por muito tempo, tanto ela quanto os próprios Anciãos seguiram os passos dos Ferio e dos Gaufeng, sempre anotando os pontos fortes e fracos.

Com o tempo, as coisas começaram a ficar claras.

Desafiar uma família como os Ferio era como sentenciar uma guerra silenciosa, você não poderia saber onde seria atacado, então iria se retrair e ficar em guarda, quando uma fissura de brecha abria, todos os inimigos atacavam ali quebrando a formação quase perfeita.

Foi assim várias vezes durante a história da Seita Calto, seria assim agora.

Avallon deixou Fukai ir, mas não deixaria que os que estavam ao seu lado ficassem sem nada para fazer.

- Armem o cerco imediatamente e tragam todos os que estão em expedição para casa. - Ela disse com força olhando para Gallo. - Chame todos os Anciãos e dirijam eles para a sala de controle, vamos começar a armar os planos de ataque contra os Ferio hoje ainda.

Gallo ficou assustado e logo foi a sua senhora.

- Senhora Avallon, está pensando em fazer um ataque antes que tenhamos a situação entre os Naita e Gaufeng?

- Não será um ataque. - Ela disse meio pensativa. - Será uma aposta.

 

Por Amnésia | 08/03/18 às 19:00 | Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Wuxia, Xianxia, Brasileira, Poder, Adulto, Elementos de Cultivo, Ação