CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 73 - Ataque

Legado dos Deuses (LDD)

Capítulo 73 - Ataque

Autor: Yuri Cavalier | Revisão: Paragon

Senhora Avallon e os demais Anciãos estavam dialogando sobre o ataque que fariam a sede dos Ferio quando a explosão colidiu contra seu portão principal.

Antes mesmo da senhora Avallon se levantar, um dos soldados entrou na sala sem permissão e começou a falar rapidamente:

- Senhora, são os Calto, eles estão fazendo um ataque contra os nossos portões, estão atualmente divididos entre o Norte e Leste, o ataque do Oeste foi feito através dos Alojamentos, eles destruíram tudo o que estava lá.

Os Anciões se levantaram rapidamente e começaram a sumir um por um deixando apenas Senhora Avallon presente com o homem.

- E Fukai, ele estava de partida.

- Senhora, em um dos alojamentos, Tulio estava morto, parece que morreu pela explosão. – O homem falou rapidamente com total desespero. – O que devemos fazer?

Avallon que estava com sua bengala rapidamente flutuou no ar e saiu em disparada pela porta da frente.

- O cerco já estava armado, vamos conter todos os ataques que vieram do Norte, deixaremos que os Anciões cubram o lado Leste, e vá rapidamente procurar Gallo e Juno, digam que Tulio morreu e um deles deve assumir a responsabilidade de comandar as tropas para o Norte junto do General.

O homem viu a mulher passar e concordou com a cabeça.

Do lado de fora estava completamente um caos, Avallon chegou rapidamente vendo a quantidade de chamas flutuando do lado de fora do portão Norte, todos eles sendo arremessados contra as tropas que defendiam a localidade.

- Pelos Deuses, Fukai estava certo...

Do lado Oeste das casas, um grupo de três homens estavam a postos esperando a movimentação do homem que estava dentro da casa feita de pedra. Ele era o general que estaria na liderança da defesa contra o portão principal e também um dos pilares de vantagem de toda a Seita Thug.

Com ele caído, seria uma preocupação a menos.

- Ele vai sair que horas? – Um deles perguntou baixinho, estava ali já fazia mais de 20 minutos.

- Talvez esteja cagando. – O outro respondeu brincando e rindo.

Guter que estava mais a frente olhou para trás repreendendo todos eles.

- Se querem sobreviver depois de enfrentar esse cara, então não façam piadas, ele é um dos Generais, muito forte e também um dos poucos que deu dificuldade para os Ferio todos esses anos.

Os dois homens abaixaram suas cabeças um pouco envergonhados, seu líder era uma pessoa séria e pouco humorada, recebia ordens e as cumpriria até a morte.

- Ele está saindo. – Guter disse abaixando mais e ficando invisível aos olhos de quem estava prestes a sair pela porta. – No meu sinal, avancem.

O General saiu rapidamente de sua casa descendo os dois degraus arrumando seu traje de batalha, amarrava as presilhas ao lado esquerdo do seu traje observando as labaredas subirem para o céu em um grande alvoroço.

- Mais que raios…?

- Agora... - Guter gritou saindo de trás da parede lateral e correndo junto de seus homens para cima do General.

---

Avallon e Gallo se encontraram rapidamente no portão Norte, o negro segurava uma lança de batalha com um escudo do lado esquerdo, rangia os dentes e ansiava em sair atacando pelo portão da frente.

Os homens a sua volta estavam com medo, nenhum deles tinha sido atacados dessa maneira e não eram tão experientes.

Gallo agora era o Segundo Comando já que a notícia de que Tulio havia sido morto foi confirmada, entretanto não era dos homens zelarem pelas almas mortas, estavam na hora de começar um contra ataque mortal contra seus inimigos.

- Quero que lidere os homens pela esquerda do portão Norte, assim teremos como pegar um dos flancos deles e dividir suas tropas. - Gallo disse dando suas ordens a Juno que estava a escuta não muito longe com um aglomerado de homens.

- E se eles estiverem dominando aquela parte? - Ela perguntou um pouco receosa. - Nunca passamos por algo assim, Gallo, não sei se consigo comandar tantos homens.

Gallo olhou para a mulher que tinha um rosto meio triste e meio preocupado. Ele respirou fundo e abaixou a cabeça.

- Não vou deixar que nenhum dos meus amigos morra, Juno. - Ele ergueu os olhos, os que estavam cheios de ódio e desprezo por tudo e todos que estavam contra ele. - Não deixarei que eles esmaguem mais nenhum dos nossos homens.

Avallon observava calmamente a situação, o mapa de sua Seita dizia que estava começando um ataque pelo lado Leste e Norte, mas nada do Oeste, ainda assim, essa era a parte que poucos homens faziam ronda.

Ela era uma mulher ciente de tudo o que se passava dentro dos portões da Seita Thug, essa era uma informação que tinha que valer algo para seus inimigos.

- Gallo, algum sinal de Fukai? - Ela disse quando o homem deixou o segundo pelotão e estava prestes a sair em disparada para frente.

O negro negou com a cabeça e cuspiu um pouco.

- Ainda acho que ele tem algum sentido nesse ataque repentino, os inimigos estão agrupados em diversos campos do lado de fora e não podemos fazer nada para descobrir como conseguiram se aproximar sem que nenhum dos sentinelas pudessem vê-los.

- Essa acusação não é nada agora, Gallo. - Avallon disse com força fazendo o espirito inabalável de Gallo se afundar no nada. - Ele não arquitetou nada desse tipo.

- Como sabe? - O negro levantou sua voz, pela primeira desafiando a mulher que em tudo mandava. - Ele some no mesmo instante que todos os ataques são envolvidos, isso pra mim é mais do que suficiente para que eu possa acusá-lo.

Avallon apertou o maxilar em determinação a sua hipótese e Gallo fez o mesmo com seus punhos. Os dois não desistiriam de que o garoto estava ou não envolvido nesse ataque.

A senhora ao ver que Gallo não cederia por nada, rapidamente o tirou de sua frente.

- Vá logo a frente do campo e proteja nossa casa, só volte com a vitória.

Gallo lhe devolveu um sorriso virando de costas e erguendo seus braços para os que estavam assistindo a sua volta.

- Ouviram o que a Patriarca da Seita Thug disse, não ouviram? - Ele berrou. - Vamos esmagar os invasores com todas as nossas forças.

Observando aqueles bons homens irem a batalha, Avallon soou frio, estava na cara que era um plano arquitetado, mas em sua mente só havia uma pergunta:

- Quem está por trás disso?

----

O General Gum virou rapidamente para os agressores que estavam vindo em sua direção, ele deu um pequeno salto de susto para trás tentando levar sua mão até onde sua espada estava. Por algum motivo, seus dedos ficaram presos na fivela e isso lhe rendeu pelo menos dois segundos a mais para os atacantes se aproximarem.

Gum praguejou no momento que a espada do que havia gritado surgiu acima da sua cabeça pronto para abri-lo no meio.

De todos os tipos de pensamentos que rondavam a sua cabeça, Gum só se arrependeu de não ter comido carne e aproveitado sua vida com as mulheres a sua volta.

- Se eu sobreviver agora, vou usar todas as minhas forças para fazer do mundo um lugar bom para todos os meus filhos.

A espada desceu. Gum fechou os olhos. E o barulho de aço contra ferro ecoou com força a sua volta.

O homem abriu os olhos observando um garoto parado vestido de branco com sua espada levantada segurando o ataque de dois, e uma segunda espada protegendo o ataque vertical dado pelo líder que gritou.

O garoto foi muito mais rápido que os três, forçou seus braços ao máximo para frente e os fez se reagruparem enquanto respirou fundo.

- General… - O garoto disse sem se virar. - Esse era um ato de Assassinato contra o senhor.

Gum olhou para aquele garoto e suas vestes e logo o reconheceu.

- Você é o…

- Não diga nomes, senhor. - Ele rapidamente o interrompeu. - Isso não seria interessante para os que estão aqui.

O homem concordou e logo amarrou as fivelas soltas, se recompôs e pegou a espada da sua cintura, ele libertou seus ombros de uma tensão antiga e entrou em posição de combate.

- Te devo uma, garoto. - Gum falou ficando ao lado do garoto. - Mas não acha que essas roupas não são simples demais para batalha?

- Não tive tempo de me trocar, senhor. - Fukai devolveu com um sorriso amargo, sua roupa estava junto do quarto onde Tulio havia sido morto. - Tulio acabou morto por causa desses desgraçados, peço que esse homem que eles chamam de Guter seja meu, senhor.

Gum assentiu dando seu passo a frente e indo para cima dos dois subordinados que Guter tinha. A espada do General brilhou em tons bem escuros enquanto golpeava e levava os dois para longe.

Guter olhou para seus dois homens em um tom preocupado, ele tentou se virar para ir ajudar quando um golpe passou raspando seu nariz e arrancando uma pequena fissura de sua pele.

Ele encarou Fukai com um pouco de medo, esse ataque foi a resposta de que o garoto queria sua cabeça.

- É bom que essa armadura te proteja, Guter. - Fukai disse apertando suas duas espadas em mãos.

- Não preciso de armaduras para me proteger contra um ratinho!

Fukai riu dele, o sorriso maldoso que adorava distribuir para seus adversários.

- Espero que isso seja verdade!




 

Por Amnésia | 13/03/18 às 21:51 | Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Wuxia, Xianxia, Brasileira, Poder, Adulto, Elementos de Cultivo, Ação