CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 80 - Conspiração

Legado dos Deuses (LDD)

Capítulo 80 - Conspiração

Autor: Yuri Cavalier | Revisão: Paragon

Macoto parou sua visão diretamente para onde uma árvore estava. Ele que estava com sua espada na mão não fez barulho e nem mesmo alertou seus inimigos.

Havia uma aura pesada rodeando aquele lugar, era como um aglomerado de energias sendo pulsadas ao mesmo tempo, e a sensação de que Nitório estava se escondendo ali.

Os pelos da espinha de Fukai gelaram de uma hora para outra e sua perna esquerda tremeu como se algo tivesse sido pressionado contra ela.

- É melhor correr, garoto. - Razam desapareceu rapidamente.

Fukai abaixou em uma velocidade muito rápida esquivando de um golpe que jogou a árvore para muito longe. O garoto saltou para frente quando um segundo golpe colidiu contra o solo e arremessou as raízes e todo o caule em uma cratera no solo.

Os soldados em volta logo olharam para Macoto e a destruição que causou contra a natureza. Prestes a falar xingamentos, porém, avistaram o garoto no chão que rapidamente se levantou e começou a correr.

Hack apontou o dedo rapidamente entrando em um desespero cheio de tremedeiras.

- É ele, a pessoa que lutou contra Nitório.

Trinyti apontou sua lâmina para Fukai aumentado sua voz para os homens.

- Todos vocês, matem ele!

O grupo de seis pessoas partiu da inércia para frente com todas as suas espadas levantadas. Macoto ficou parado trocando olhares com Fukai que indiferente sacou Lingot para fora e mostrou sua lâmina meio curvada na ponta.

Macoto levantou sua cabeça um pouco surpreso.

- Então você era o alvo do Gerome. - Ele disse fazendo Fukai parar na mesma hora. - Foi dado como morto, mas vejo que ele mentiu para os Ferio.

Os demais que estavam correndo pararam, todos eles agora hesitaram um pouco.

- Foi ele quem conseguiu um empate contra o Caçador?

- Seus métodos são bem diferentes dos habituais, mas isso não quer dizer nada quando se está contra seis dos nossos e ainda por cima em nosso solo. - Outro respondeu segurando o cabo com as duas mãos e saiu correndo com uma coragem aumentada.

O mercenário mexeu seu braço e golpeou pela lateral com um golpe horizontal.

Fukai não entendia ainda muito bem, mas todos os seus sentidos estavam aguçados, sua visão eclodia da direita para a esquerda e podia ver cada fissura da lâmina da espada inimiga, cada reação que o oponente tinha dentro de sua mente, como também sentia cada Energia o circulando.

As cores amarelas e vermelhas fluindo do mercenário e a cor azul fluindo do seu corpo, ele conseguia ver cada movimento das flores que balançavam atrás dele por causa do movimento que a Energia que fluía dela faziam.

Seu braço direito reagia as Energias a sua volta, cada Profunda Energia de cada matéria a sua volta.

Seu corpo no Reino Terrestre e seu braço no Reino Elementar, era a junção de dois Reinos, mas que por algum motivo não se fundiam e lhe davam maneiras diferentes de ver.

O olho direito de Fukai analisava os movimentos de cada parte, o Reino Terrestre era para esse propósito, analisar e se reunir com o solo.

O olho esquerdo aglomerava a Energia Elementar a sua volta, e reunia mais Profunda Energia para ele enquanto parado.

Seu corpo unido era como duas máquinas de guerra.

A espada do mercenário veio da esquerda, Fukai abaixou deixando o golpe passar direto. Fechou o punho esquerdo e socou a costela do homem o lançando para trás.

- Sato... - Ramon gritou se levantando rapidamente.

Seu amigo foi socado e caiu quase que 10 metros para longe, ele largou a espada e levou a mão a costela onde uma profunda marca de punho marcava sua pele. Estava dobrada para dentro como se fosse acertada por um leve canhão destruidor.

Macoto segurou sua espada mais forte depois de ter visto aquilo, ele se colocou à frente.

- Todos comigo, ele não está no Reino Verminiano, no mínimo está no Terceiro Nível do Reino Terrestre.

Trinyti bufou ainda com sua espada para baixo, e colocou a mão na cintura com um sorriso fino.

- Ele é só um garoto, não vamos superestimar tanto, Macoto.

O mercenário forte olhou para trás deixando sua aura assassina crescer fazendo as gramas abaixo dele serem reduzidas a cinzas.

- Ele derrotou Hack e Nitório está desaparecido, mas eu consigo sentir a sua Profunda Energia. - Macoto virou de volta para Fukai. - Eu sinto a Profunda Energia de Nitório dentro dele, está me chamando.

Fukai levantou Lingot para um pouco a frente do seu rosto e permaneceu calado, mas sua mente conversava com Razam e Reynold.

- Como eu posso ativar os Elementos que possuo? - Ele perguntou encarando cada um dos homens a sua frente que se aproximavam com cautela na sua direção.

- É mais fácil do que parece. - Razam falou. - O seu Elemento condiz muito com a pessoa que é, então seu temperamento e sua personalidade é a personificação do seu próprio Elemento.

Fukai ouviu Razam e ficou calado, ele não falava nada com nada.

- Está o confundindo, seu idiota. - Reynold apareceu rapidamente na mente do garoto. - Deixe que eu explico. Os Elementos são uma junção de todas as suas memórias, canalizar essa energia e transformá-la, alguém que entrou agora no Reino Elementar não pode simplesmente ativá-la, mas pode agrupar sua Energia.

- E como faço isso? Eles estão chegando, vai mais rápido.

Dois mercenários atacaram de frente enquanto Macoto saltou no ar para pegá-lo, os três urraram com força e golpearam o solo na direção de Fukai.

O garoto tinha a vantagem, seu olho decifrou cada golpe com rapidez o fazendo criar um caminho de fuga.

Ele bloqueou o golpe da direita, e deixou o da esquerda passar, rolou para frente e deu um impulso na direção onde Trinyti estava fugindo de Macoto que perfurou o chão e abriu uma cratera com sua força.

Os três olharam com surpresa e choque para o garoto, foi algo que demorou apenas um segundo, mas ele reagiu parecendo ter todo o tempo do mundo consigo.

- Isso é possível?

Fukai ficou de lado onde podia olhar o lado onde os três mercenários de um lado o observavam com cautela e onde Trinyti se preparava para um ataque.

- Isso vai ficar complicado. - Fukai disse para si mesmo.

Razam riu dele e se sentou flutuando dentro da cabeça de Fukai.

- Isso vai ser um ótimo treino, não acha?

- Treino? - Rey indagou levantando sua sobrancelha. - São um grupo de mercenários todos equiparados contra um único garoto que acabou de entrar no Reino Terrestre.

Razam tirou o sorriso da cara pelo comentário e deu de ombros.

- Deveria saber que esse garoto é muito mais do que uma simples pessoa. - E seu olho se mexeu para Reynold com um certo mistério. - Adaptação e sobrevivência são o forte dele.

Fukai bloqueou dois golpes de Trinyti e desviou do chute de Macoto curvando seu corpo para frente deixando que o Mercenário golpeasse a sua companheira no rosto.

Rolando para fora do círculo, as duas lâminas vieram com destreza e se arremessaram contra o pescoço de Fukai. O jovem bloqueou a primeira espada com um simples movimento enquanto seu braço livre parou o movimento do segundo.

Com um pisar no chão, Fukai criou duas listras brancas no seu antebraço e usou para selar os dois mercenários.

Macoto e Trinyti correram e golpearam juntos em sequência cada ponto vital do garoto. Seus rostos estavam molhados pelo suor, suas forças pareciam ser drenadas ao pouco, o ar parecia cada vez mais rarefeito, seus músculos berravam para parar.

Ambos não sabiam o que isso significava, mas continuaram fazendo suas espadas rolarem pelo ar.

Fukai se manteve quieto, suas respirações estavam controladas, suas emoções refinadas, a cada segundo de batalha sua melhora era significativa.

Ele estava admirado, os brilhos nos seus olhos aumentavam a cada movimento que ele conseguia analisar, pareciam ser cada vez mais concentrados.

A sua força aumentava a cada segundo de batalha.

Reynold observava aquilo com uma certa preocupação, a cada momento era um estágio quebrado, era como se alguém que tivesse estado hibernando em um estalar de dedos fosse acordado liberando chamas nervosas para todos os lados.

A calmaria antes da tempestade, era assim que eles chamavam.

Fukai bloqueou o golpe de Trinyti com sua mão, a espada não cortou a mão dele fora, isso fez até mesmo que Hack e Ramon, que estavam no chão, abrissem sua boca enquanto uma pequena gota de suor escorresse de suas testas.

Trinyti engoliu o seco, o rosto calmo e o olhar perfurador de Fukai.

- Quem diabos é você?

- Fukai Ferio. - o garoto respondeu apertando a lâmina e a quebrando com sua palma da mão. - Espero que lembrem disso.

Não muito longe, um grupo de pessoas estava caminhando silenciosamente pelos arbustos, o que liderava era uma mulher com um pouco de receio de caminhar por aquelas bandas.

- Isso aqui tudo é uma perda de tempo, nem mesmo Gallo poderia fazer esse trabalho mesmo com cem homens. - Um dos soldados disse.

Juno parou ao abrir a moita e ficou encarando o campo de batalha. Os acampamentos estavam montados com pessoas todos em volta de fogueiras.

A mulher virou para seus homens com o dedo nos lábios pedindo silêncio e todos eles responderam de imediato. Abriram a moita com cautela e olharam para os acampamentos montados.

- Eles não vão sair dai por nada. - disse um dos homens.

- Temos que bolar algum tipo de distração para que os comandantes sejam...

Juno foi silenciada quando dois homens entraram rapidamente no acampamento por uma rota diferente pelo meio das matas. Eles estavam cansados e com olhos pingando suor.

- Estamos em ataque, a Comandante Trinyti está agora procurando o responsável, mas escutamos sons de lutas. - gritou um dos mercenários arfando. - Ela nos mandou aqui para alertar, precisam de ajuda imediata.

Os mercenários se levantaram rapidamente cada um deles, mas não se mexeram, ao invés disso dirigiram seus olhares para uma tenda em específico.

A porta de lã da tenda foi puxada para o lado, e dois homens saíram de dentro com armaduras completas, todas feitas de ferro e com duas espadas em suas cinturas, cada.

O primeiro era mais baixo e tinha um corpo mais gordo, mantinham um bigode longo no rosto e suas bochechas eram bem rechonchudas.

- E vocês viram quantos são os inimigos?

- Senhor Miters. - o mercenário curvou a cabeça junto de seu colega ao lado. - Perdoe meus modos, não sabemos quantos são, mas pelo que houve, Nitório está desaparecido e um dos mercenários foi jogado no chão.

O segundo homem, alto e com uma capa que balançava sem vento tocou o braço de seu amigo e abaixou a cabeça sorrindo.

- Tomarei as rédeas dessa situação, continue o plano e acabe com o portão dos Thug.

- Irá fazer esse favor a mim, amigo? - Miters perguntou acuado. - Sabe que sua presença não pode ser revelada a ninguém, se acontecer alguma coisa...

- Eu estou um nível acima de você, cara amigo. - Ele sorriu despreocupado. - Não há ninguém dentro da Seita Thug que pode me ferir.

- Sim, compreendo isso, mas...

- Irá negar ajuda, Miters?

- Claro que não, como amigos, eu sei muito bem da sua força atual.

Juno engoliu o seco ao ver aquelas duas pessoas, sua respiração começou a acelerar e ela levou a mão ao peito a ver aquelas duas figuras.

Seus homens encararam aquela figura com uma certa dificuldade também, mas sentiram um pouco de pena da sua líder, parecia estar em um estado muito pior do que a dele.

- Esse é o Capitão Januário do Império Quilin. - Um dos homens comentou baixo. - O que ele faz aqui?

- Também gostaria de saber. - Juno respirou fundo se acalmando. - Façam o seguinte, voltem para dentro da Seita e avisem que esse ataque não é liderado pelos Thug, mas uma conspiração do Império Quilin.

 

Por Amnésia | 21/03/18 às 00:33 | Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Wuxia, Xianxia, Brasileira, Poder, Adulto, Elementos de Cultivo, Ação