CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 82 - Decaída de uma família

Legado dos Deuses (LDD)

Capítulo 82 - Decaída de uma família

Autor: Yuri Cavalier | Revisão: Paragon

Lucy Naita e Garp Sá se encararam ambos com suas armas em mãos. Os dois arfaram e a garota foi a primeira a baixar sua arma.

Ela relaxou o ombro e suspirou largando a espada lisa e se sentou cansada.

Garp levantou os braços em um urro vitorioso.

- Eu ganhei mais uma vez!

Lucy limpou a bochecha rindo e concordou com um pouco de tristeza em seus olhos.

- Já é a quinta vez? - Melina que estava de braços cruzados apoiada em um canto perguntou séria e com desgosto. - Perder para ele deve ser terrível.

- Mas você perdeu da última vez, Melina. - Pin falou do outro lado do pátio ajeitando seus óculos.

Melina desviou o olhar para um outro lado resmungando.

- Esse ogro tem uma resistência maior do que todos nós juntos. - Ela praguejou baixo a si mesmo.

Lucy deu um sorriso, ela estava rodeada de pessoas agora, isso era completamente diferente do passado onde tinha apenas algumas pessoas para treinar e conversar.

- Eu sou o mais forte entre todos, só Fukai pode me derrotar. - Garp gargalhou alto, mas não percebeu a atmosfera pesada e os rostos escuros a sua volta.

Pin mexeu no seu cabelo o colocando para trás da sua orelha e se sentou quieta no chão.

As outras duas garotas também permaneceram caladas por algum tempo.

A notícia de que Fukai Ferio havia sido morto pela própria Lucy já tinha sido lançada há muito tempo entre as pessoas e seitas, mas estava claro para todos eles que não fora a garota que fizera isso.

Garp abaixou seu porrete e guardou de volta atrás das costas. Ele observou para as garotas e não disse nada, ele leu completamente agora e ficou um pouco triste por ter dito aquilo de uma hora para outra.

- Eu não...

- Não faz mal, Garp. – Pin falou acenando com sua mão deixando o garoto mais confortável. – Todos nós sabemos que ele está bem e não deve estar passando por nenhuma confusão agora.

- Calculista é uma das características dele. – Lucy falou deixando a tristeza de lado e se colocando suas mãos no chão respirando fundo olhando para o teto quase que 20 metros acima de sua cabeça.

Melina não disse nada, ela continuou olhando para o chão, suas mãos se fecharam e balançou sua cabeça indignada.

- Não era para ser assim. – Ela falou alto fazendo os outros a olharem. – Não podem simplesmente jogar a culpa em você, eu estou de prova que você não o matou.

- Aprecio a sua preocupação a todos nós, Melina, mas como meu pai disse, não podemos simplesmente falar isso. – Lucy falou mais baixo do que o costume ainda focada em seus pensamentos profundos sobre como Fukai poderia estar agora.

- Mas porque raios necessitamos ficar aqui então? – Melina descruzou os braços e desapoiou suas costas da parede. – Minha palavra como um membro dos Salto não vale nada para ninguém, então, é isso?

Lucy olhou para a amiga que caminhou na sua direção pegando fogo. Melina mexia sua boca gritando e falando alto, mas Lucy não a ouvia, sua mente não estava nem mais focada nela, tudo o que se passava em sua mente era:

- Ele está bem?

Essa frase silenciou a herdeiro dos Salto na mesma hora.

- Ele salvou minha vida, devo isso a ele, e foi aquele maldito quem me derrotou também mesmo dando a vitória para mim. – Lucy se abriu seu coração. – Só de pensar que os Naita e os Gaufeng estão em luta, eu fico perdida. 

Ela abraçou os joelhos colocando sua cabeça entre os dois.

- Uma vida não é maior do que uma Seita, eu fui doutrinada a acreditar nisso, mas como uma humana também tenho desejos egoístas e um deles é que trocaria minha Seita para que ele esteja vivo.

Garp encarou a garota e deu de ombros, o papo superficial sobre sentimentos nunca foi sua praia. Sentou em um canto onde tinha a vista para as garotas e abriu uma garrafa de medicina para refinar sua Profunda Energia.

Melina não se aproximou mais da garota, ficou parada quase 3 metros dela e não se mexeu. Respirou fundo e se virou indo na direção da parede onde pegou sua espada, olhou a bainha e a colocou de volta na cintura.

- Eu posso não ter certeza de que ele está vivo, mas com certeza está inteiro.Que? – Ela tirou a espada em um saque rápido. – Então, até nos encontrarmos de novo com ele quero que treine conosco porque dentre todos nós, Fukai sempre foi o mais fraco.

Lucy levantou sua cabeça olhando para Melina que sorriu. A ruiva passou a sensação de calor que Lucy precisava. As duas não eram exatamente iguais, mas tinham uma conexão do desejo egoísta que carregavam.

Ambas queriam que Fukai estivesse bem onde quer que estivesse. O Yuri falou que não ia ter harém, mas não sei não, hein…

Se passou horas e horas desde que estavam lutando, a noite já perambulava no céu e cada tocha e lamparina foi acendida a volta de todo o pátio. Era como se fosse um centro de treinamento, mas era muito escondido dentro de um subterrâneo dos Naita.

A família Sá e Salto não foram para a batalha junto dos Gaufeng. Melina e Garp deram seu discurso sobre o que tinha acontecido, mesmo que o garoto musculoso não gostasse da ruiva, ele foi a favor de livrar os Naita de ataques contínuos.

Ambos se uniram para que um desastre não caísse sobre essa Seita inocente.

Lau Gaufeng e Merer Gaufeng não disseram nada. O diretor do Instituto Darey Mason fechou os portões da academia e se manteve parcial dizendo que não ia colocar seus alunos em risco.

Lau Gaufeng foi ao contrário, ele foi em busca de sangue, e entrou de cabeça contra a Seita Naita e o Instituto Falcon Felix.

Melina e Pin estavam se golpeando em um duelo corpo a corpo, a ruiva levava a batalha para golpes fortes com os punhos, e a jovem de óculos batia fortemente contra os punhos com suas palmas redirecionando cada um.

Em uma reviravolta, Pin acertou um chute na cintura de Melina e conseguiu desequilibrar a garota para o lado, e avançou com uma cotovelada sendo defendida pelo antebraço da ruiva.

As duas pararam de lutar e respiraram fundo.

Melina limpou o suor que escorria da sua testa e jogou para o chão.

- Você melhora a cada dia, hein? – Melina foi sincera, a cada dia que passava Pin pegava o jeito de duelos acirrados. – Só me pergunto o motivo de não lutar como Fukai e usar selamentos, é uma Ferio, não é?

Pin ajeitou seu óculos com a outra mão no peito puxando o ar e concordou.

- Dentro dos Ferio há uma linha gigante de estilos de lutas, uso mais a força do oponente contra ele, assim criou alternativas para ganhar a luta. – Pin explicou desamarrando seu cabelo curto de trás da cabeça e deixou cair para cima de seus ombros.

- E nessa linha, Fukai segue qual? – Melina perguntou, mas foi algo que Lucy e Garp atentaram o ouvido para o lado.

Pin riu dela.

- Quer mesmo enfrentá-lo algum dia. – Ela falou pegando um pouco de água e colocou no copo.

- Claro que quero. – Melina fez beicinho. – Ele me deve uma luta, tenho que derrotá-lo.

Pin assentiu acabando de beber e repousou o copo de volta ao chão ao lado da garrafa.

- É melhor se sentar, eu vou te contar uma história então...

Não só Melina como Garp e Lucy se sentaram à frente da garota.

- Em cada grande família, há métodos de vencer, cada um desses métodos foi criado na expectativa de que outros pudessem seguir e aprimorar, eu chamo de métodos, mas podem chamar de Estilos de luta.

Garp levantou sua mão dizendo alto:

- Os Sá possuem mais ou menos uns 5 estilos diferentes de lutas, cada um mais brutal que o outro.

Melina lhe deu um soco no ombro o mandando calar a boca.

- Sim, Garp, as famílias possuem isso, cada uma delas possuem estilos que são ensinados a seus aprendizes e que cada um deles pode escolher um caminho a seguir.

Há quase 300 anos, os Ferio foram criados com o intuito de ter apenas um estilo que era a Arte do Selamento, no caso, é a força que passa de linhagem para os descendentes. Cada um dos homens e mulheres que nascem com esse tipo de técnica são abençoados com um cultivo mais acelerado, por isso sempre foram colocados como uma das grandes famílias pelos Calto.

Aconteceu, mais ou menos, uns 50 anos atrás, o avô de Fukai ainda era vivo e era o Patriarca da família Ferio. Ele durante um dos seus sonhos ilícitos teve a ideia de aumentar os caminhos que sua família levava, roubar de outros.

Se roubar fosse pouco, ele não se contentaria. Além de ter saqueada inúmeras famílias atrás de técnicas que aumentavam a potência dos Ferio, ele também dizimou cada laço que montou com as outras famílias ao redor da Seita Calto.

O medo de serem todos assaltados e mortos como os outros inundou os Ferio em escassez de aliados que dura até hoje. Fukai lutava para que a ligação voltasse a funcionar, eu soube que ele distribuiu armas que ele mesmo ganhou como forma disso.

Se isso fosse possível, recuperar a confiança, então ele conseguiria ganhar todos, mas não podia.

A família Ferio não é um doce lar que muitos pensam, é cruel e suja, e Fukai e sua família inteira sentiram isso na pele.

Aos 2 anos idade, Fukai perdeu seu pai, ele foi embora sem deixar rastros. Aos 6 anos foi forçado a entrar nas minas de carvão junto de seu irmão para que sua mãe e irmã pudessem comer alimentos saudáveis.

Aos 13 anos de idade, ele perdeu seu irmão que também foi embora e não voltou mais. Por fim, sua mãe e sua irmã o deixaram para trás também desaparecendo do mapa, e isso foi esse ano.

Fukai sempre esteve sofrendo por inúmeras ameaças dos membros, mas sempre treinou, foi por isso que ele não se contentou por nada além de poder. Seu nome na lista da biblioteca dos Ferio passa de mil e quinhentas vezes sendo um dos poucos que conseguiu terminar todos esses livros.

Ele finalizou uma seção na biblioteca só de história, uma de ciências e uma de batalha, os únicos que ele não terminou foram os mais preciosos e também raros livros do segundo andar que só os filhos do Patriarca e filho dos Elders podem ler.

Mas ele não se contentou com isso. Ele pegou todos os pergaminhos dos Ferio, todos que tinham escrituras sobre Selamento básico e médio, sobre os Nove Estilos dos Ferio, e sobre técnicas com espadas.

Pin levantou sua mão mostrando dois dedos para os espectadores de boca aberta e perplexos com o que ela havia dito. Nunca passou pela imaginação deles que Fukai gostava de tantos livros e que passou por tudo aquilo.

- O pai dele era o Antigo Protetor dos Ferio, alguém que salvou a família e deu um pouco de luz para as sombras que era nossa família. – Pin falou. – Fukai Ferio e seu pai foram os únicos a terminar completamente a leitura de todos os livros, mas só um deles consegue reproduzir todos os Estilos e ainda selar qualquer coisa.

Lucy gaguejou um pouco antes de conseguir falar.

- E é o Fukai?

- Acreditaria se eu te dissesse que sim? – Pin deu um riso.

Por Amnésia | 22/03/18 às 21:41 | Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Wuxia, Xianxia, Brasileira, Poder, Adulto, Elementos de Cultivo, Ação