CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
10ª Mentira - Os Olhos de Adão (Parte 2)

Lied (LD)

10ª Mentira - Os Olhos de Adão (Parte 2)

Revisão: Venâncio Matos

Na reabertura das cortinas do desespero, eis que a reunião destinada por fim acontece e com ela uma nova esperança nasce.

O herói do presente, Lied, e o herói do passado, Adão, frente a frente, olhos nos olhos.

Lied, de pé e notavelmente confuso, tenta compreender interiormente o que está acontecendo. Aquela pessoa é, sem sombra de dúvida, o encapuzado vermelho que surgiu anteriormente na sua alma e combateu Martyr.

Ao mesmo tempo também se tratava indubitavelmente do rapaz que viu naquela noite, enquanto vislumbrava a lua na sua casa antes de adormecer.

— Quem…

— Já faz algum tempo, né?

— H-Hã?

— Você quer saber quem eu realmente sou; o meu nome, certo? Mas sabe, Lied... é preferível que se lembre. Não, PRECISA se lembrar. Caso contrário, não fará sentido... — o enigmático indivíduo esboça um sorriso caloroso.

Seria ele também uma “pessoa do seu passado...”? O sorriso que Adão esboçava passou a ser de orelha a orelha.

— Por hora, basta saber que eu sou teu aliado!

Lied abaixa a cabeça para encarar o chão invisível. À memória vem a batalha travada entre o encapuzado vermelho e Martyr.

— Um aliado, hã...? Acho que posso acreditar nisso.

Percebendo que estava diante de uma pessoa possivelmente capaz de conceder respostas às suas questões, Lied prepara-se para interrogá-lo.

— Eu sei que há coisas que quer perguntar, mas não tem algo urgente com que se preocupar agora?

— Não dá. Eu... não tenho nem sequer mais energia para me levantar.

— Se você parar aqui... quem é que vai derrotar o Nachash?

— D-Derrotar o Nachash?

— Você ouviu o que o Zaccharias disse. O Nachash está vivo.

— E-Espera! Por quê eu?!

A questão levantada por Lied causa um silêncio súbito. Adão aponta o dedo indicador direito à maçã dentro da cesta.

— Porque é você que tem no momento a Maçã de Adão, aquilo que ele tanto quer e pela qual fará tudo ao seu alcance. E... porque é…

— Eu sou...?

Uns segundos de hesitação interrompem a resposta de Adão.

— Não, isso também é algo que deve descobrir sozinho!

Hm...?”, pensou Lied para si.

Zaccharias também tinha feito menção ao objetivo da “Serpente Falante”, que coincidência ou não, era o mesmo da Illuminatus. Seguindo a mesma linha de raciocínio, Nachash é igualmente um inimigo de Lied, alguém com quem terá inevitavelmente de lidar.

— Compreendo... então o meu número de inimigos é maior do que pensava.

— Não, não é tão complicado assim. Na verdade, a situação até pode ficar a seu favor.

— A meu favor? O que é que quer dizer?

Um novo silêncio que antecipava uma importante revelação.

— Derrotar o Nachash significa também parar os planos da Illuminatus. Como costumam dizer, matas dois coelhos em uma cajadada só!

— Como é que os dois estão conectados?

— O Nachash... você já o confrontou várias vezes no passado, sempre em circunstâncias diferentes. Recentemente, vocês tiveram um novo encontro. Lembra-te, Lied! O indivíduo com quem cruzou...! — Adão senta-se temporariamente no chão, os braços cruzados.

— Eu... o conheci...? AH!

Lied começou a sentir tonturas. As suas memórias nubladas vinham à tona...

“(…) O que é que isso tem a ver com estar na minha frente, barrando o meu caminho?”

...

 

“ENTÃO VAMOS VER VOCÊ TENTAR!”

...

 

“HAHA! FASCINANTE! (…) É ALGO ALÉM DO QUE EU ESPERAVA.”

...

 

“POR AGORA É TUDO, MAS NÃO SE ENGANE. NÓS SÓ ESTAMOS FAZENDO UMA PAUSA (…) A VERDADEIRA LUTA... AINDA ESTÁ PARA COMEÇAR!”

...

 

“A MAÇÃ DE ADÃO... SERÁ MINHA!”

...

 

“DA PRÓXIMA VEZ, SEREI EU A TE DEVORAR.”

...

 

Lied recupera a estabilidade da sua consciência com a identidade do indivíduo desvendada.

— O... Martyr...

— Sim!

Impossível. Ou era mesmo? Agora que pensa bem, o nome “Nachash” e Martyr interligam-se na visão de Lied. Existe uma familiaridade entre as duas identidades que lhe faz realmente acreditar que estão diretamente conectados.

— Então... o Martyr é o Nachash?

— Se é o corpo principal ou apenas um vaso secundário, eu não consigo dizer. Apenas confrontando-o novamente, e numa luta, é que poderei ver a verdadeira face do espírito dele.

Não havia outra maneira. O rapaz já sabia perfeitamente o que tinha de ser feito.

— Lied, você terá de lutar contra o Martyr. Para relembrar o teu passado, descobrir quem realmente é e impedir os planos do Nachash, é inevitável que o faça.

A batalha que tinha sido pausada, a verdadeira luta que ainda está para começar. Um evento há muito destinado. Lied cerra os punhos.

— A minha intenção já era derrotar a Illuminatus. O Martyr, fazendo parte dela, era naturalmente um alvo a abater.

Adão reage com um sorriso. Era a resposta que ele queria ouvir.

— Não importa quem seja, não deixarei que leve a Maçã de Adão — Lied diz determinadamente.

— Percebo. Parece que está mesmo decidido. É assim que tem de ser! Porém... — o jovem de olhos carmesim fecha os olhos, o silêncio repousa mais uma vez na alma — …para conseguir lutar de igual para igual, precisa do poder do espírito – o Spirit Mode.

— Eu sei. Esta provação... eu tenho mesmo de superá-la. Mas não importa como veja, a situação não muda a meu favor — é com natural surpresa que Lied se depara com Adão rindo desvairadamente — Q-Qual é a graça?!

— N-Não, desculpa. É que percebi agora mesmo o quanto você mudou. Ou... foi forçado a mudar...

A frase final foi dita com uma profunda tristeza estampada no rosto. O passado... escondia feridas irreparáveis.

— Eu só tenho de arranjar forças suficientes para me levantar... e mesmo assim... Não dá... eu não consigo... por conta própria...! — Lied dizia.

— Se não consegue sozinho, por que é que não pede ajuda? — Adão sorri levemente e estende a mão direita para Lied — Claro, será apenas uma pequena ajuda. O resto é contigo.

— Hã…?

Lied segurou a mão estendida com hesitação.


 

...

Regressamos à sombria sala da primeira provação.

— Parece que só vamos viver uma vez, hã? — Luna diz sarcasticamente.

Para surpresa dela, Hector, Liana e Eduardus pareciam estar atentos a qualquer coisa.

— O que é que é? Apenas aceitem que não haverá mila...

Ela desviou o olhar para encarar o mesmo que eles encaravam neste momento. O centro das atenções é a figura de Lied, que tentava lentamente erguer-se do chão.

Eduardus sorria de felicidade, assim como Liana, que havia recuperado por instantes a esperança perdida.

— C-Como...? — Luna está incrédula, até há segundos atrás Lied estava absolutamente inconsciente — Ele não conseguirá levantar!

Eduardus, sorridente, aproxima-se de Luna e coloca a mão no ombro da jovem.

— Vê bem. Já está quase completamente de pé.

Ela não tem outra opção senão testemunhar a criação do milagre... e o seu criador.

...

 

A perspectiva de Lied era distinta da perspectiva dos espectadores. Enquanto que Luna e os outros apenas assistiam a um esforço individual do rapaz, Lied era invisivelmente auxiliado por uma miragem que nasceu do seu espírito – o misterioso sujeito com quem havia conversado na alma permanecia à sua frente, de mão estendida e tudo, como era possível vê-lo antes.

O nosso protagonista aceitava o gesto de solidariedade e, devagar, um membro de cada vez, levantava-se. Trinta segundos depois, a ressurreição do herói. A provação... iria continuar!

— L-Levantou! — Hector abre a boca de pasmo.

— Hum... pode ser impressão minha, mas ele... — Liana observava Lied com atenção.

— …está... diferente...? — Hector dizia.

— Sim...! O-Os olhos... estão brancos! — Eduardus também repara na ligeira transformação que havia ocorrido no humano.

De fato, as orbes que eram anteriormente verde claras tinham adotado uma cor transparente.

— Finalmente. Era isto que queria ver. O... primeiro sinal do despertar do Spirit Mode! — o corvo falante já aguardava aquele fenômeno, pelo visto.

— O primeiro sinal? Do Spirit Mode? — o polícia asteca vira a cabeça.

— Sim. É aqui que o despertar... verdadeiramente começa.

Lied permanecia parado, os olhos límpidos fixados no horizonte.

“Mudou, sim. E continuará mudando... enquanto olhar sempre para a frente!”

À cabeça vinha a primeira fala que Adão dirigira a ele. Aquele encontro... mudou-o para melhor. Será que voltaria a vê-lo? Tinha a sensação de que havia sido apenas um dos muitos encontros reservados a eles pelo destino.

“(...) não tem algo urgente com que se preocupar agora?”

Lied deixa escapar um sorriso ao relembrar e avança lentamente até ao alcance das facas.

— Ei, ele não está pensando...? Exausto como deve estar?! — Hector questiona a sanidade dele.

— N-Não devíamos impedi-lo? — Liana fica muito preocupada com Lied.

Há cinco minutos atrás, Eduardus teria certamente saído disparado para impedir Lied de colocar novamente a sua vida em risco.

“Não vá. Esta é a luta do Lied e apenas do Lied. Ao ir ajudá-lo, estará indo contra a vontade do próprio.”

Agora, com as palavras de Zaccharias a ressoarem dentro de si, ele reconhece a resolução do jovem e não move um único dedo.

— Não, não é preciso. O Lied ficará bem. Vamos apenas testemunhar... este milagre que ele criará.

Luna recuperou brevemente a compostura para fitar Lied, o guerreiro que caminhava até ao perigo.

“Por quê...?”

Fotografias mentais dos pais delas irrompiam.

“Se tivesse ficado deitado, não teria que se magoar mais. Desistir... era a decisão menos dolorosa.”

A sua própria pessoa surgia fotografada neste instante. A versão do “1º dia”.

“Então... por quê...?”

A versão do “2º dia”.

"Por que é que está de pé?"

5994 – o número de facas que Lied irá parar nos próximos minutos. O milagre depende disso.

O rapaz crava os olhos transparentes na sua frente enquanto oscila o corpo de um lado para o outro. Lied está determinado em não recuar independentemente da quantidade de facas que lhe almejassem consecutivamente.

Por muito reenergizado que se sentisse desde aquela mágica conversa, sentia que iria perder o momentum se parasse sequer por um segundo para descansar. Ou seja, está na hora de terminar esta provação de uma vez por todas.

— Lá vai ele! — Lied sai correndo e Hector grita.

O jovem humano entra na zona de alcance das facas: mil facas, todas vindas de frente, procuram colocar um ponto final nas ambições de Lied, contudo acabam perfeitamente desviadas por uma combinação evoluída entre a Sensibilidade e a Visibilidade.

Lied sentia que, de alguma forma, havia ficado novamente mais forte. Teria sido o encontro a causa desse fortalecimento?

Ele não tinha percebido, mas os olhos brancos, “o primeiro sinal do despertar do Spirit Mode”, assim como determinou Zaccharias, eram o principal traço dessa conseguida evolução. Os “Olhos de Adão”!

Restam 4994 facas! Por muito que o corpo gritasse, o seu espírito persistiria.

— Naquele estado, não há como ele conseguir desviar-se de tantas facas... — Luna, de cabeça para baixo, continua negando o esforço de Lied.

O corvo falante escuta o desabafo de Luna, mas rapidamente recupera a atenção em Lied. Uma nova rodada de mil lâminas cortantes desafia o adolescente, o qual se esquiva mais uma vez com os seus movimentos elegantes e eficientes.

Restam 3994 facas!

Aos poucos, o número ia sendo reduzido. E Luna também se convenceria…

A versão do “3º dia”.

“Será que... se não tivesse desistido naquela época... eu também poderia ter conseguido continuar vivendo...?”

O funeral dos pais num vídeo mental. A versão do “4º dia”.

“Eles... teriam ficado contentes... se eu... tivesse vivido?”

A vida que Luna poderia ter levado é idealizada: naquele futuro alternativo, a moça era abraçada pela solidariedade dos vizinhos, que tentariam ajudá-la naquilo que pudessem. A vida social também melhoraria, Luna passaria a conviver com pessoas da sua idade, faria amigos.

A fotografia do último dia, a versão do “5º dia”, começa a rasgar-se em pequenos pedaços de papel que simplesmente desvanecem. O passado... era superado. E a tragédia... deixada para trás.

“Está tudo bem... em acreditar em milagres pelo menos uma vez, certo?”

Lied continua a sua correria sem hesitação. Inoportunamente, as pernas pendem de exaustão e o moço começa a perder o equilíbrio.

— NÃO CAIA! SE CAIR... IRÁ COM CERTEZA  SE ARREPENDER DEPOIS! — um grito vindo de um dos espectadores.

Era Luna. O inesperado apelo por parte da moça apanhou todos de surpresa, incluindo Lied. Aquela mensagem renovou a motivação do moço, que se recompôs.

Lá vão mais 1000 facas a alta velocidade, ainda assim não mais velozes do que o imparável Lied.

Restam 2994 facas!

Luna assistia. Era agora, de todos os espectadores, a mais comovida.

Uma das facas raspou o ombro nu de Lied, o que pregou um valente susto. Para felicidade de todos, principalmente de Luna, não passou disso, já que o rapaz de olhos transparentes não abrandou.

Restam 1994 facas!

— Faltam... menos de duas mil facas! — Zaccharias anuncia.

— VOCÊ CONSEGUE, MOÇO! — Hector exclama.

— F-Força, Lied! — a introvertida Liana abre-se perante o cenário inspirador.

Os gritos alheios animavam e estimulavam Lied. Ele evita uma nova investida e aproxima-se do vasto portão da saída da sala, fechado até a provação ser dada como concluída.

Restam 994 facas!!

— Menos de mil!! — o corvo de olhos dourados atualiza.

“Você consegue!”, pensava Luna.

“Por favor, Lied!”, pensava Liana.

“Já falta tão pouco!! Não pare agora!”, pensava Hector.

“É agora! É o esforço final, Lied!”, pensava Eduardus.

Cem facas buscam imobilizar Lied de frente, mas acabam por ser desviadas.

Restam 894 facas!!

Vindas das costas, outras cem facas assaltam sem piedade, mas ele consegue desviar-se com sucesso.

Restam 794 facas!!

Do lado esquerdo, mais uma centena tenta pôr fim à superação, porém em vão.

Restam 694 facas!!

Do lado direito, uma nova investida é efetuada e novamente cessada.

Restam 594 facas!!

Agora de ambos os lados…

Restam 494 facas!!

De frente e de trás…

Restam 394 facas!!

Estamos no minuto final.

O mecanismo que programava a circulação das facas reconheceu que o desafiante estava muito perto de superar a provação e lança trezentas facas, cem da esquerda, cem da direita e cem de frente. Desviadas!

Restam 94 facas!!

Os turnos seriam daqui em diante de dez em dez facas.

84 facas!!!

A contagem aproxima-se do final!

74 facas!!!

A depressiva Liana era rejuvenescida de felicidade!

64 facas!!!

A alegria, contagiante, propagava-se também em Hector.

54 facas!!!

Está quase…!

44 facas!!!

Eduardus, que em nenhum momento deixou de acreditar em Lied, sentia-se retribuído.

34 facas!!!

O milagre no qual tanto acreditaram... iria realmente acontecer!

24 facas!!!

A boquiaberta Luna tem as suas crenças renovadas. Naquela batalha de convicções, ela perdeu.

14 facas!!! E…

4.

  3.

2.

1.

“Conseguiu. Ele parou mesmo dez mil facas”, Luna pensa.

Lágrimas quase inéditas começavam a escorrer das orbes roxas da jovem asteca.

“Pai, Mãe... sabem...”

Luna levanta a cabeça para fitar o vencedor.

“Heróis... realmente existem!”

Quanto a Lied, sem força restante, desabava à medida que o portão que dava acesso à próxima sala de provação se abria vagarosamente.

De barriga para cima, o herói olhava para o teto. Antes de perder os sentidos, ele fez questão de dobrar ligeiramente a cabeça de modo a poder ter um último relance do corvo falante.

Com um sorriso genuíno, ele ergue o polegar direito para o corvo, uma afirmação da sua vitória. Em resposta, Zaccharias devolve o sorriso e ajeita o seu chapéu.

...

 

Na alma de Lied, também Adão sorria.

— A jornada vai ser dolorosa, mas você deve percorrê-la, Lied. Eu estarei aqui, ao teu lado, então... não pare. Continua olhando… sempre para a frente!

 

O conto é triste. A tragédia é inevitável.

Mas o fim da história do Herói é algo que o destino ainda não registou nas suas páginas.

            Cabe apenas a Ele decidi-lo... enquanto olha para a frente. Pois esse... é o seu sagrado papel.

 

NSE atual de Lied: 15%

Número de facas restantes: 0 (provação concluída)

 

[FIM DO CAPÍTULO]

 

Por Mitsuaki Seiji | 07/12/18 às 20:03 | Ação, Aventura, Fantasia, Drama, Romance, Portuguesa, Mistério