CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
17ª Mentira - Situações

Lied (LD)

17ª Mentira - Situações

Revisão: Venâncio Matos

Poucos minutos depois de Luna reencarnar...

A dimensão escura; as cobras que tentavam aprisioná-lo; Klaus, a misteriosa criança de olhos verdes escuros. Lied ainda está extremamente confuso sobre tudo o que vivenciou há pouco.

— Bem, o meu trabalho está feito — Meshulam dizia — Parece que o seu espírito ainda tem um longo processo de autocompreensão pela frente... Mas lembre-se, Lied: a maior provação... é você mesmo — o lendário Shinigami enigmaticamente afirma.

— A maior provação... sou eu mesmo...?

— HM?! — o Deus da Morte sente repentinamente uma presença amarga e bastante familiar.

— O-O que foi?!

— Este prana... NÃO HÁ DÚVIDA...!

Lied fita Zaccharias. O corvo falante aparenta também estar ciente desta “presença”.

— “Prana”? — o rapaz questiona o corvo.

— É a designação técnica da energia espiritual... Mas isto é...

— No Bloco Restrito...! — Meshulam localiza a fonte da energia com a sua Sensibilidade.

— O que é que está acontecendo? — Lied fita os dois continuamente.

— Foca a sua Sensibilidade. Você também é perfeitamente capaz de sentí-lo — Zaccharias orienta Lied.

O jovem assim se concentra e imediatamente encontra o motivo da inquietação. As cobras da dimensão vêm-lhe à cabeça. Esta aura devoradora...

— NACHASH!! — o Shinigami grita.

“Martyr...?!”, pensa Lied.

— Por quê...?! Por que é que está de volta a Mictlan, Nachash? O que é que procura...? — exaltado, o Deus da Morte coloca o seu feroz olhar em Lied, que se intimida — A maçã...? Não, podia ser mesmo apenas isso...?

Sem ter se dado conta disso antes, o corpo espiritual de Meshulam começou a se desvanecer.

— Parece que o meu tempo está acabando... Raios...!

O Shinigami se acalma e olha para Lied em seguida. Está na hora da despedida.

— O teu tempo também está se esgotando, Lied. Eu posso prever... Uma grande batalha está prestes a se iniciar em Mictlan!

— Uma... grande batalha?

— Apresse-se em despertar o poder do espírito... ou será tarde demais!

É com esta mensagem impactante que o Deus da Morte desaparece. O humano contempla as suas mãos e dá depois um soco no chão, frustrado.

— Porra...!

...

Pelos cinco minutos seguintes Lied manteve-se sentado no solo, pensativo.

— Você ouviu o que ele disse. Temos que ir andando — Zaccharias diz.

— Tudo bem...

O rapaz desiste de perder tempo e obedece, levantando-se do chão.

— Para onde é que vamos?

— Para baixo. O nosso destino é... o Bloco Restrito.

— O “Bloco Restrito”... que lugar é esse?

— Um terceiro bloco de Mictlan e o mais perigoso de todos – onde os espíritos pecadores são aprisionados até cumprirem a pena equivalente aos seus pecados.

— Prisões... então é para lá que vão os “espíritos maus”. E... o Martyr está aí neste mesmo instante... precisamos nos apressar!

— Espera, Lied. Pelo que o Deus da Morte disse, uma batalha de larga escala vai começar, e se a minha intuição estiver correta… essa batalha poderá passar em parte por um motim nas prisões do Bloco Restrito.

— Acha que os prisioneiros vão conseguir escapar?

O corvo falante reúne a máxima seriedade para aquilo que vai dizer a seguir.

— E... como está agora, é suicídio ir para lá. Isto porque, no presente... cerca de 80% dos reclusos são utilizadores de Spirit Mode.

...

Nível -5 do Submundo, Bloco Restrito, Prisões.

Nas segundas prisões do Bloco Restrito, uma conversa desenrola-se entre alguns pecadores...

— Ei, vocês acham mesmo que não vai acontecer nada de interessante por aqui nos próximos anos? Já agora, quanto tempo é que pensam que vamos ficar aprisionados? — uma voz adulta e presunçosa quebrava o silêncio.

— Supostamente até cumprirmos a pena equivalente aos nossos pecados, segundo o psicopompo — um segundo prisioneiro responde.

— Pecados, hã...? Eu apenas fazia o meu trabalho como Spirit Hunter. E aqueles que me contratavam? Não foram mandados para aqui, não?

Um terceiro prisioneiro, localizado numa cela abaixo, não tinha muita paciência, ainda por cima quando a sua sede de sangue era incontrolável...

— Cale-se de uma vez. Aaaah, se eu pudesse ia aí em cima te matar, ou pelo menos arrancar essa boca para não ter que falar mais — o terceiro prisioneiro diz.

— Me matar? Hahaha, essa foi boa! O teu nome é... Jirou, era isso? Você é um humano, não é? Quando eu sair daqui, talvez tire o pó do meu Spirit Mode contra você.

— Já chega, Pantera. Forma latim do grego "Pantheras", significa caçador Nas nossas condições atuais, nenhum de nós pode fazer aquilo que bem entender. É melhor ficarmos calados e não arranjarmos confusões desnecessárias — o segundo prisioneiro, de nome Blasius e na cela ao lado de Pantera, intervém.

— Sim, nas nossas condições atuais! E por isso é que disse “quando eu sair daqui” — Pantera, bastante descontraído e usando um chapéu de cowboy, arranja resposta de imediato.

— Por que é que tem tanta certeza de que vai conseguir sair? Pensa mesmo que consegue escapar destas prisões?  — Blasius pergunta.

— Alguém já conseguiu antes, não foi?

— Refere-te à “Serpente Falante”, Nachash...? — Blasius fala.

— É uma questão de tempo até estas celas se abrirem. Esperem e verão.

— Hihihi, para o bem da minha sanidade mental, espero que esteja certo... — Jirou esboça um sorriso tenebroso enquanto rói as suas próprias unhas.

...

Nível -4 do Submundo, Bloco Restrito, Prisões.

Martyr e Core separaram-se de Varius de acordo com as diferentes tarefas dadas por Zechariah. A missão dos dois era encontrar Iduma, o imprevisto nos planos da Illuminatus, e eliminá-lo.

Core ainda está pensativa tanto em relação ao que aconteceu antes (durante o despertar do Spirit Mode de Naomi) como sobre aquele dia em que confrontou Iduma e conheceu a moça.

No fim só conseguia pensar “nele”, a luz ao fundo do escuro túnel que é a sua vida...

“Klaus…”

A dupla passava neste momento pelas primeiras prisões do Bloco Restrito e dentro de pouco tempo entrariam no Nível -5, onde Pantera e os outros prisioneiros os aguardavam...

...

 

— Hm? Isto é... — Pantera é o primeiro a sentir as aproximações.

— Hihi, se duvidar até que estava certo... — Jirou é o segundo a reagir.

— Um... dois... três... quatro... Quatro utilizadores de Spirit Mode estão se aproximando! — Pantera conta os diferentes pranas.

— Estranho… é a primeira vez que veremos alguém além dos Animus, os guardas do Submundo. E para serem utilizadores de Spirit Mode... quem serão eles? — Blasius comenta.

— Não sei quem vem aí, mas esta poderá ser a minha chance...! — o Spirit Hunter começa a ficar entusiasmado.

Três minutos depois, os dois primeiros utilizadores de Spirit Mode, Martyr e Core, chegariam. Nenhum deles tinha interesse em parar para conversar com os prisioneiros.

— Ei, você aí, o homem das ligaduras — Pantera rapidamente puxa conversa com Martyr.

— Hã? O que é que você quer?

— Caramba, o que é que aconteceu com essa sua mão? Um acidente?

A pergunta feita coloca o dedo na ferida. Um passado que Martyr não quer discutir com ninguém…

— Nada que te interesse...

— A mamã bateu tanto? Ah, ou foi o papá?

Martyr, facilmente provocável, se enfurece. A íris demoníaca surge nos olhos...

— Você... quer ser devorado?

Por um segundo Pantera achou que conhecia aqueles olhos, mas acreditou que era apenas impressão dele.

— Haha, se quero ser “devorado”? Está me desafiando para uma luta? Por mim tudo bem, mas infelizmente, enquanto estiver aqui dentro, não dará. Estas celas, sabe, têm uma propriedade especial que nos impede de ativar o Spirit Mode.

— Então...

— Sim, se destruir estas grades poderemos lutar o quanto quiser!

— Espera! Não se deixe levar pelas provocações dele! O seu objetivo é...! — Core já suspeitava das intenções daquele homem.

— VÁ, DESTRÓI ESTAS CELAS! — Pantera, eufórico, faz o convite final.

É quando “eles”, por último, chegam...

— Vêm aí... os últimos dois utilizadores de Spirit Mode! — um prisioneiro comenta.

Uma das figuras que se aproxima desperta a curiosidade de Jirou.

— Um humano...?

— Pára aí mesmo — o humano em questão afirma.

Martyr, a quem ele se dirigira, fica de cabeça fria por momentos para encarar os recém-chegados.

— Nemo! E... quem...? — Core surpreende-se com quem vê.

— Você é... — Martyr lembra-se bem de quem acompanha Nemo.

As suas calças encontram-se rasgadas e na parte superior do corpo apenas a gravata restava, o que permite que os músculos bem treinados se sobressaiam. Por ter despertado o Spirit Mode, o rapaz é agora capaz de se manter em Mictlan com o seu corpo real.

— Susumu. Susumu Shinichi.

...

Nível -7 do Submundo, Bloco Restrito.

De volta à dupla Naomi e Yamir, os dois avançam no Submundo enquanto Yamir tenta ajudar a moça a encontrar Lied ao mesmo tempo que dá algumas dicas sobre o Spirit Mode.

— Inacreditável... Ei, o quão longo é que é o nosso caminho? — Naomi não vê o fim destes corredores.

— Ficando cansada? — Yamir, uns passos à frente, vira-se para ela.

— Nem um pouco! — Naomi balança a cabeça e coloca as mãos na cintura confiantemente.

Yamir sente a aproximação de um perigo iminente.

— Esta sensação... CUIDADO, NAOMI!

Yamir já tinha avisado do que vinha aí: um vento fortíssimo que passa regularmente no Bloco Restrito chamado de “Vento da Morte” apanha Naomi e a leva para longe de Yamir, separando-os.

Yamir ainda tentaria segurá-la com as cobras, mas em vão...

— NAOMI!!

— YAMIR!!

...

Naomi é levada para trás pelo vento...

Enquanto perdia a consciência, ela tem uma visão: à frente dela surge o rapaz de cabelos vermelhos na sua adolescência, este com uma expressão preocupada.

— LILITH!!

Naomi, com dificuldades para manter os olhos abertos, ainda é pelo menos capaz de distinguir a figura... e de acordar uma memória adormecida.

— Ah, agora... eu lembro-me do teu nome. Salva-me... Adão.

Nos últimos instantes, a imagem de Lied apareceria.

...

Nível -8 do Submundo, Bloco Restrito.

Naomi recupera a consciência e se vê estendida no chão numa posição de repouso. Protegendo-a por todos os ângulos, principalmente da frente que era de onde vinha o Vento da Morte, viam-se barreiras de raízes.

E à espera que a jovem acordasse...

— Adão...?

O nome “Adão” veio à cabeça primeiro, mas não era bem a mesma pessoa…

— É?! Você é...!

— Olá, eu disse que voltaríamos a nos encontrar.

Era Iduma, sorridente como sempre.

...

Lied e Zaccharias iniciam a descida rumo ao Bloco Restrito.

Para chegarem lá, tinham inevitavelmente que passar por todos os pisos. Com a máxima discrição conseguiriam evitar ser vistos até regressarem ao 1º Nível do Submundo – a Recepção – o piso em que Lied foi apresentado a Mictlan.

O humano e o corvo devem agora se deslocar até às estruturas urbanas em que os dois se conheceram, pois é nesse lugar que reside a entrada para o Bloco Restrito.

À medida que se dirigia até ao seu destino, a dupla acabaria vista pelos guardas do Submundo.

— Ali está ele! Informem Mictlan-sama!

Enquanto uns guardas se apressavam a informar o Shinigami da localização do intruso, outro grupo ficava encarregado de apanhá-lo, e assim começa uma nova perseguição.

Pela primeira vez Lied resolveria agir sem instrução de Zaccharias. Poucos segundos bastaram para o moço colocar os perseguidores temporariamente no chão.

“Eu... fiquei certamente mais forte. Porém... ainda não é o suficiente...? Por quê?!”

— Vamos, Lied!

— S-Sim!

Eles chegam a um elevador e entram nele.

...

Nível -1 (Entrada), Bloco Restrito.

Espaçoso mesmo sendo apenas o primeiro nível, ainda que nada ocupasse todo o espaço vazio.

— Eiii, Zaccharias! Zaccharias!

Uma voz feminina e fina ecoa por entre o local. A pequena menina que chamava por Zaccharias tinha cabelo cor da neve, olhos azuis e usava um vestido.

— Ei Mare, desculpa a demora.

— Não, tudo bem — a pequena chamada Mare balança a cabeça.

O corvo falante voa do ombro de Lied para o ombro de Mare.

— Lied, esta é a Mare, um espírito asteca como eu. Ela também é uma utilizadora de Spirit Mode.

A asteca se aproxima de Lied com grande excitação.

— Prazer, Lied! O Zaccharias me falou muito de ti!

Um pouco sem saber como reagir a uma apresentação tão espontânea, Lied se abaixa para se igualar em altura a Mare.

— P-Prazer, Mare. Então também é capaz de usar o Spirit Mode...?

— Sim, apesar do meu poder não ser muito útil, hehe... Pelo menos não consigo lutar como o Zaccharias — a moça tímida cora um pouco.

— Não é uma habilidade completamente desenvolvida, mas a Mare é capaz de ter um vislumbre do futuro distante de uma pessoa — o corvo explica.

— Uma vidente...? Isso é impressionante. E ainda por cima é tão nova...

A timidez de Mare desaparece por um momento para dar lugar a uma certa angústia.

— Não, eu... não pedi por este poder... até estaria bem sem ele...

— Hã?

Mare recupera o sorriso antes que voltasse a entrar em uma das suas depressões…

— E-E como disse, não é assim tão útil...!

— Não, ele pode ter mais utilidade do que você imagina… — Lied fica pensativo — Ei, podia ver o meu futuro? Se é que tenho mesmo um...

A pergunta apanha a criança asteca de surpresa. Um sorriso partido surge nela.

— Quer mesmo que eu veja, Lied? Sabe, eu não preciso usar o meu Spirit Mode para perceber que grandes coisas te esperam.

— Por favor. Eu só quero ter a certeza... de que existe mesmo algo à minha espera.

Mare fica pensando por uns segundos. Um novo e doce sorriso abre-se nela.

— Tudo bem, mas só quando despertar o teu próprio Spirit Mode!

Lied fica primeiro assustado e depois é que solta uns risinhos. Sorridente, o jovem propõe um aperto de mão ao qual Mare reage positivamente.

— Certo, combinado.

Zaccharias abandona o ombro de Mare e anda lentamente até Lied.

— Apresentações feitas, está na hora de irmos ao que interessa: novas roupas!

Sim, a roupa de Lied tinha ficado muito desgastada depois das provações e ele precisa obviamente de um novo visual! Utilizando a propriedade Plasticidade, Zaccharias molda aquela que será daqui em diante a nova veste do moço.

— Eu não sou o melhor costureiro de Aqua, mas por agora terá que servir!

Como se fosse nada, Lied sofre a transformação mágica: uma t-shirt por debaixo de um casaco e calças novinhas em folha.

— Ó, ficou muito bem, Lied! — Mare fica com os olhos radiantes ao ver a nova aparência dele.

O próprio também não se desagrada, apesar de tal coisa não importar muito para ele. Zaccharias regressa ao ombro de Lied e encara Mare.

— Tem certeza de que quer mesmo ir conosco, Mare?

— Claro! Se algo acontecer, o Lied estará aqui para me proteger! — a criança acena descontraidamente.

O humano ri levemente perante o voto de confiança.

— Sim, sim.

O trio encara as longas escadas ao longe que levam aos pisos inferiores. Lied, com a determinação restaurada, dá o primeiro passo.

— Vamos lá... para onde o Martyr está!

 

“Entre na zona proibida!”

 

[FIM DO CAPÍTULO]

Por Mitsuaki Seiji | 25/12/18 às 22:20 | Ação, Aventura, Fantasia, Drama, Romance, Portuguesa, Mistério