CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
19ª Mentira - Resolução Inquebrável

Lied (LD)

19ª Mentira - Resolução Inquebrável

Autor: Mitsuaki Seiji | Revisão: HebiTantei

Zaccharias e Mare, dentro da barreira, são espectadores da derradeira luta que se prepara para começar entre Lied e o Animus. As probabilidades estão todas contra o rapaz e só o milagre do Spirit Mode é que pode trazer-lhe a impossível vitória.

“Eu sei… Este monstro… é mais difícil do que tudo aquilo que enfrentei até agora e… mais forte do que eu. De fato, a única maneira de derrotá-lo é com o Spirit Mode…”, Lied pensava.

O jovem abre a mão e a fecha em seguida, o punho cerrado de frustração.

Mas eu não consegui. Fiz tudo o que podia, mas não consegui despertar durante este tempo. Será que foi por estar muito preocupado…?”, continuava o seu monólogo.

Lied, que tinha abaixado a cabeça por um momento, reergue-a para encarar o Animus.

“De qualquer maneira, eu agora tenho de fazer aquilo que posso. Se ficar apenas parado pensando, irei definitivamente morrer.”

Não nos esqueçamos que o corpo físico dele, que se encontra em Ganeden, está sofrendo pelo corpo espiritual… Segundos passam-se sem os dois fazerem um único movimento. É quando Lied suspira e crava os pés no chão.

– Aqui vou eu!

Lied utiliza o balanço para rapidamente chegar ao Animus, iniciando uma luta de curta-distância. O adolescente começa por desferir um soco com o punho direito e seguidamente desfere outro murro com o punho esquerdo, ambos no peito do Animus. A criatura não reage e Lied parte logo para as próximas investidas, dando dois pontapés na mesma zona do corpo.

“Nem um arranhão?!”, Lied pensa ao ver que nenhum dos seus ataques teve efeito.

Em resposta, o Animus limita-se a soltar um rugido tão violento que faz o humano voar contra a parede a metros de distância.

– L-Lied! – Mare grita.

Lied tenta levantar-se imediatamente do chão e encosta-se à parede de metal.

– P-Porra… hã?

O Animus desapareceu do nada. O moço percebe que a besta se escondeu e que está à espera de uma abertura para atacar. Hora… da Sensibilidade!

“Desta vez…!”

Na primeira vez, Lied não tinha conseguido sentir a presença dele e esta era a sua chance de se redimir. Todavia…

– G-Gah…!

Lied recebe vindo do nada um golpe na barriga que lhe faz encolher. A Sensibilidade voltou a não funcionar.

O Animus o agarra e o atira impetuosamente para o lado oposto, mas não fica por aí. O guarda do Bloco Restrito acompanha o arremesso e ameaça golpeá-lo durante o movimento. Sabendo disto, Lied tenta usar a Visibilidade para se desviar dos golpes que estão por vir. Infelizmente nem a Visibilidade consegue ser eficaz.

Sensibilidade ou Visibilidade, nada funciona no Animus. A diferença de força entre os dois é provada com a ineficiência destas duas principais propriedades.

– E então… SE NÃO FUNCIONA?! – Lied, agitado, parte de novo para o ataque.

As investidas de Lied ficam mais violentas – uma sequência de oito golpes visando áreas diferentes do corpo: dois socos na cara e outros dois murros na barriga; um pontapé nas costelas, um pontapé em cada um dos joelhos e para finalizar outro pontapé no crânio.

– Zero… de dano.

“Porra… maldito monstro…!”

O Animus some de repente para reaparecer milésimos de segundos depois a centímetros de Lied. O olhar sem vida da criatura fitava o humano que tinha no rosto uma expressão de alguém apanhado totalmente desprevenido.

– O-O quê…?

Lied é vítima da retaliação do Animus, a qual ironicamente é uma exata imitação dos ataques do rapaz: socos na cara e na barriga, pontapés nas costelas, nos joelhos e na cabeça. Incapaz de bloquear, o jovem é brutalmente enviando de volta ao chão.

Agora deitado no pavimento escuro, Lied fixa a vista no seu oponente… bastante tranquilo.

“Copiou exatamente cada um dos meus golpes. Ele… está brincando comigo!”

Nem é digno de ser levado a sério… No canto oposto, Mare e o corvo falante assistem ao completo domínio.

– L-Lied… – a moça asteca murmura.

– O Animus vem propositadamente evitando os pontos de pressão do Lied. Divertir-se um pouco com a presa primeiro e só depois eliminá-la… que criatura incrivelmente relaxada – nota Zaccharias.

Lied ergue-se com dificuldades do chão, o semblante carregado evidenciando o início de um descontrolo emocional.

“Raios… raios…!”

É quando uma voz se faz ouvir, subitamente, na cabeça de Lied. Ao lado do adolescente, e sem este perceber, Adão surge para o acalmar.

“Acalma-te. A luta… ainda mal começou.”

– H-Hã? Alguém acabou de falar…? – Lied questiona-se.

O moço de cabelo negro encara brevemente Zaccharias. Teria sido ele…? Independentemente de quem havia dito aquilo, Lied sentia-se agora estranhamente motivado.

Somente o próprio corvo repararia no sinal de uma mudança que ocorria gradualmente em Lied. Num abrir e piscar de olhos a íris do humano ganhava uma tonalidade branca.

– Hm? Aquilo é… – Zaccharias observa.

É recarregado que Lied sai disparado contra o Animus e o enche intensamente de uma nova fornada de ataques. O monstro intercepta naturalmente até que, no meio das dezenas de golpes, um único golpe consegue acertá-lo, apesar de não causar quase dano nenhum.

Aquele “golpe de sorte” leva o Animus a recuar por instantes. Apenas… coincidência…? Lied fica surpreso diante da hesitação do inimigo, que pela primeira vez resolve recuar.

“Será que… eu consegui acertar?”

Para ter a certeza, o rapaz toma uma vez mais a iniciativa de atacá-lo. Não era imaginação dele, os seus movimentos estavam ficando ligeiramente melhores. E o indício desse progresso era precisamente a íris que ia ficando invisível de vez em quando.

O Animus, compreendendo que a sua presa estava se desenvolvendo enquanto lutavam, decide acabar com a diversão. Um rugido prolongado e feroz obriga Lied a tapar os ouvidos, o que dá uma abertura para o predador atacar.

O nosso indefensável protagonista é, no espaço de um minuto, massacrado sem piedade. Mare cobre a boca com as mãos, Zaccharias não reage. Lied desaba.

– Isto… não é sequer uma luta… – Mare diz baixinho.

Não deixando Lied descansar nem por dez segundos, a besta segura-o com a garra direita e dá-lhe uma sonora cabeçada. Impedindo que ele fosse projetado para trás, o monstro continua com uma sucessão de ataques impetuosa. Lied mal se aguenta em pé, quase perdendo a consciência.

– Já chega… já chega, Zaccharias! Despertar o Spirit Mode não interessa mais! Se continuar assim… se continuar assim… O LIED VAI REALMENTE MORRER! – Mare apela para o corvo, que se mantém calmo.

Lied tenta recuperar a compostura, mas sentia o seu corpo muito pesado e subsequentemente torna a cair, os joelhos pendendo no chão.

– Disse que não deixaria o Lied morrer! Então vai, vai ajudá-lo! DEPRESSA, Zaccharias!

O Animus aproxima-se lentamente para dar o golpe final.

– ZACCHARIAS!

– Mare. Olha bem para os olhos do Lied. Você acha que aqueles olhos… são os olhos de alguém que já perdeu? – Zaccharias pergunta retoricamente.

– Hã?

Mesmo sem muita força restante, Lied não desiste e posiciona-se para lutar enquanto se levanta, um joelho de cada vez. Mare vira a cabeça para contemplar o moço, que já conseguiu totalmente pôr-se em pé.

– Olhos… brancos?

É a primeira vez que Mare presencia o fenômeno, mas Zaccharias não. Quando realizavam a primeira provação com Luna e o grupo de espíritos, Lied também manifestou estes carismáticos olhos.

 

“A resolução inquebrável acorda os ‘Olhos de Adão’!”

“E, por fim, o tão antecipado momento chegou!”


[FIM DO CAPÍTULO]


Por Mitsuaki Seiji | 01/01/19 às 17:00 | Ação, Aventura, Fantasia, Drama, Romance, Portuguesa, Mistério