CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
20ª Mentira - O Despertar

Lied (LD)

20ª Mentira - O Despertar

Autor: Mitsuaki Seiji | Revisão: HebiTantei

Lied consegue voltar à luta após um grande esforço para se levantar. Um fenômeno familiar o acompanha – os olhos de cor neutra denominados de “Olhos de Adão”.

– Olhos… brancos? – a espantada Mare observa Lied.

Zaccharias esboçava um sorriso triunfante apesar da situação não ter particularmente mudado.

– Demorou um pouco, mas vai finalmente começar.

– Zaccharias, você não quer dizer…?

– Sim… o despertar do Spirit Mode!

O Animus compreende que algo de extraordinário está acontecendo com a sua presa, uma reviravolta que a criatura não quer permitir.

– CUIDADO, LIED! – Mare grita quando a besta vai até ele.

Para surpresa de todos ali presentes, a investida do Animus não alcança o rapaz – ao redor de Lied aparentemente existe uma barreira espiritual que impede qualquer coisa de penetrar.

– U-Uma barreira?! Foi você, Zaccharias? – Mare pergunta.

– Não… eu não fiz nada.

– É? O que é que então…

Dentro da barreira, o humano está imóvel que nem uma estátua.

– Um mecanismo automático. Obra do próprio espírito do Lied.

Quanto ao Animus, que não contava com aquele obstáculo, ruge furiosamente e bate no escudo na esperança de parti-lo. Contudo, este não se parte. Não importa o quanto atacava, ele não se partia. Inabalável.

 

Lied, de pé, abre os olhos.

– Hã? Este lugar é…

O modesto interior é preenchido pelas sete cores do arco-íris. Um lugar que só lhe traz más memórias e que não esperava voltar a ver.

– …o orfanato.

Abrigo para órfãos de Ganeden, o orfanato Regenbogen. Ao fundo do primeiro corredor, depois da entrada, Lied via a si mesmo, concretamente a sua versão mais nova. A pequena e solitária criança está encolhida no chão e encostada à parede.

Outras três crianças, órfãs assim como Lied, vão falar com ele.

– Lied, nós vamos brincar agora. Quer vir conosco? – a única moça do trio pergunta.

O rapaz ignora e mantém-se em silêncio.

– Ei, ela está falando contigo – um dos rapazes fica descontente com a atitude dele.

Lied não responde e o mesmo rapaz, irritado, agarra-o pelos colarinhos.

– Pára com isso. Eu sei que você perdeu as suas memórias, mas todos nós também perdemos algo importante. A Aki perdeu os pais num acidente e o Kenta ficou sem a mãe que já estava doente, mas não é por isso que desistiram de viver. Não é o único que sofre e não precisa sofrer em silêncio!

Aquelas ternas e ao mesmo tempo zangadas palavras tentam ressoar no coração de Lied, fechado a sete chaves, mas em vão.

– Já chega. Vamos, pessoal – o menino larga-o.

O trio vai embora. O pequeno e deprimido Lied inclina ainda mais a cabeça.

– Por quê…? Por que é que não consigo chorar?

 

Quando se deu conta, Lied tinha abandonado o orfanato e se deslocado para outro espaço, a sua alma.

– Entendo, então eu estava…

– Sim, lembrando o passado – uma voz macia e majestosa surge.

Ao lado da Maçã de Adão encontra-se o guardião encapuzado, também conhecido como “encapuzado vermelho”.

– Você…

O seu misterioso salvador. A memorável batalha entre o encapuzado vermelho e Martyr vem à cabeça de Lied.

– E quanto à minha luta…? Eu… já não me aguentava de pé…

O guardião balança a cabeça, o capuz ocultando a expressão do rosto.

– Ainda não perdeu.

– “Ainda”, hã…?

– Mais importante, você está mesmo bem com aquilo?

– …O meu passado no orfanato, é? E o que é que tem? A minha vida não teria mudado radicalmente mesmo que tivesse ido brincar com eles.

– Não, não é isso. Naquele dia, havia coisas que você gostaria de ter dito, não havia? Mas não foi capaz de dizê-las.

– …É?

Por muito que tentasse fingir, Lied nunca conseguiria enganar a si mesmo. Dentro daquela carapuça dura que é o seu coração, existe um misto de emoções que não poderia reprimir. Por sinal, foi na tarde em que perdeu os seus pais adotivos e conheceu a “mulher misteriosa” que esse cadeado começou lentamente a se abrir sem nem mesmo ele perceber.

– O que aconteceu, aconteceu. Tenho mais o que fazer do que remoer o passado. E… – as memórias passadas com os seus pais são rebobinadas uma vez mais na mente – …eu já sei. Arrependimentos… agora, eu realmente me arrependo de muitas coisas.

Ao lado do encapuzado vermelho aparece a outra versão de Adão que Lied conheceu durante a primeira provação. As duas versões coexistiam naquele instante.

O Adão de aparência normal dá um passo firme em frente. Assim como o “Guardião Adão”, este Adão apresenta uma postura séria.

– Lied, por que é que acha que ainda não conseguiu despertar o Spirit Mode?

– …Não sei. Pensei que podia estar bastante preocupado em conseguir despertá-lo…

– Sim, em parte é verdade. Mas só em parte.

– Como assim?

O mesmo Adão começa a caminhar ao redor de Lied.

– Eis outra pergunta: qual é o teu principal objetivo, Lied?

– Fácil… recuperar as minhas memórias perdidas. Despertar o Spirit Mode é apenas a maneira de fazê-lo.

Logo após ouvir a resposta, Adão deixa de andar.

– Recordar o passado para compreender o presente e viver o futuro. Não há nada de errado nessa lógica, muito pelo contrário. Mas está desprezando algo muito importante, Lied.

– Algo muito importante?

– O espírito é feito de memórias – das memórias passadas… e das memórias que faz neste momento. Ou seja, está se esquecendo do “agora”. É fundamental, sem dúvida alguma, que restaure a tua memória, mas que faça isso enquanto valoriza as novas memórias que vai fazendo!

– As novas memórias que vou fazendo…? AH!

Um fenômeno extraordinário, um cenário absolutamente deslumbrante. Acima deles, dezenas de bolhas de sabão flutuam em representação das lembranças de Lied, as quais o nosso protagonista vivencia novamente.

            “O teu nome é Naomi, certo?” “E-E o teu nome é Lied, certo?!”

 “Eu… falhei?” “Não.”

“Vai deixar essas lágrimas te cegarem e fugir novamente? (…) Ou... vai encarar? O teu próprio destino?”

“(…) Por que motivo é que me deixaram vivo? (…)” “O destino é reservado... para aqueles que forem escolhidos por ele.”

“(…) O que é que realmente querem de mim?!” “(…) A ‘maçã divina’... a ‘Maçã de Adão’!” “(…) o meu próprio destino... eu vou procurá-lo. (…) enquanto continuar seguindo em frente, eu definitivamente encontrarei... um lugar onde pertenço.”

“Quem é que você pensa que (…) cuida das pessoas, desta cidade? Você não tem noção... do quão difícil é preservar a justiça. Vocês não entendem... a ‘nossa’ dor. (…)”

“Viver sem rodeios e seguir sempre em frente, pelo caminho que estiver diante de mim. (…) Você também, certo? Encontrou um objetivo…” “Sim.”

“Mesmo que esteja completamente desfeita (…) esta é a minha única casa. (…) Quem… é que realmente você é...?”

“Restaurar essas memórias e desvendar o passado poderá te levar a um arrependimento interminável. (…)” “Mesmo assim, esse ainda é o meu destino.” “O que é que você vê? (…) O meu nome é Xanthus... ‘Boa viagem’.”

“Essa foi por pouco, hã?” “Um… corvo falante?” “Esse ‘corvo falante’ tem nome, e é Zaccharias!”

“(…) De certeza que a vingança não é algo que também te move? (…) Bem, eu costumo dizer que ‘quando em dúvida, pergunta ao teu espírito. Ele irá te guiar o caminho para a resposta’. (…)”

“(…) Eu preciso ficar forte. Essa é o único jeito de seguir em frente.” “Aprender a lutar com o espírito?” “O Spirit Mode!”

“Lied (…) vai lá e derrota aqueles guardas. (…)” “E esta luta... é uma luta para relembrar! A eles... e a mim!”

“Ei, Zaccharias. Quero que me prometa algo. (…) quando eu dominar o Spirit Mode, me mostra a tua forma humana.” “(…) quando a hora chegar, eu cumprirei essa promessa.”

“Eu sou Xolotl (…) o meu dever é orientá-los em direção à reencarnação espiritual. (...)” “(…) O meu nome é Eduardus.” “O meu nome é Hector.” “O-O meu nome é Liana.” “Eu me chamo Luna.”

“(…) Você disse que eram 10 000 facas? Certo. Eu irei... parar cada uma delas.”

"Mudou, sim. E continuará mudando... enquanto olhar sempre para a frente!" “V-Você é...!” “Olá, Lied.”

“Se você parar aqui... quem é que vai derrotar o Nachash? (…) O Nachash... você já o confrontoue várias vezes no passado. (…) Lembra-te, Lied! (…)” “O... Martyr...”

“NÃO CAIA! SE CAIR... IRÁ COM CERTEZA SE ARREPENDER DEPOIS!”

“V-Você é...” “(…) Este sonho... ainda não está preparado para prosseguir com ele.”

“Um... ‘rio sangrento’!” “Ah... então esta é a segunda provação... domesticação.”

 “TODOS VOCÊS, AFASTEM-SE O MÁXIMO POSSÍVEL DO RIO! (…) Esta é... A RESPOSTA!!!”

“(…) O meu nome é Meshulam. Sou... um amigo de Adão.“ “Olá, Mesh!” “É bom voltar a vê-lo.”

“Caso eu seja novamente estéril, prometo que não perderei desta vez a esperança.”

“Eu... fui uma pessoa imbecil e um péssimo pai. (…) Esta minha próxima chance... eu definitivamente não irei desperdiçá-la.”

“Não querer que mais pessoas inocentes se magoem e que a justiça preserve (…) um mundo assim é um desejo nosso. (…) Agora penso já estar preparado... para tentar mais uma vez defender aquilo em que acredito.”

“Obrigada... por ter aparecido. (…) se voltar a cruzar com alguém com problemas no futuro, irá ajudar? (…) E eu também... fiz parte do teu destino...”

“Onde... é que estou? (…) ESPERA...! (…) KLAUS!!!!!!!!!” “Ei... Zaccharias... ahn... ahn... por que é que... estou chorando?”

“(…) lembra-te, Lied: a maior provação... é você mesmo.” “Uma... grande batalha?” “Apressa-te a despertar o poder do espírito... ou será tarde demais!”

“Lied, esta é a Mare (…)” “Ei, pode ver o meu futuro? (…) Eu só quero ter a certeza... de que existe mesmo algo à minha espera.” “Tudo bem, mas só quando despertar o teu próprio Spirit Mode!” “Vamos lá... para onde o Martyr está!”

Lied, que tinha fechado os olhos durante o tempo que relembrava as suas experiências de vida recentes, abre-os. O renovado olhar significava uma nova conclusão tirada.

O Adão casual esboça um sorriso meigo dirigido a Lied. À esquerda do herói do passado, uma porta surge magicamente.

– Se já entende, então está pronto.

Ao lado de Lied, uma figura muito familiar a ele aparece. Era a sua própria criança dos tempos do orfanato, o Lied com 8 anos de idade.

– Você também vem comigo? – o Lied mais velho pergunta.

– Vamos – o Lied mais novo acena com a cabeça.

– Sim. Juntos.

Os dois dão as mãos e juntos atravessam a porta para uma nova dimensão.

 

Lied transpôs paredes espirituais com o espírito e flutuava agora, sozinho, entre a alma e a realidade. A metros abaixo de si podia ver o seu próprio corpo físico. Estava no mesmo quarto de Ganeden em que Xanthus o deixara pela primeira vez.

Ele desce e aproxima-se do corpo, imóvel e sem vida, abandonado durante este tempo todo. Está consideravelmente ferido, o dano resultante dos esforços de Lied no Submundo.

Espírito e corpo físico entram em sincronia; emitem simultaneamente um brilho que os cerca.

 

De volta a Mictlan, o estático Lied continuava sendo protegido pela barreira espiritual. Uma rachadura que irrompe na barreira faz a besta pensar que finalmente a sua insistência estava dando frutos.

– Oh não! – Mare exclama.

O obstáculo do Animus é eliminado e já não há nada entre os dois. Todavia, a barreira não desapareceu porque as investidas enfraqueceram-na; ela sumiu porque já não era necessária!

Um poderoso clarão engoliria ambos. Rajadas de prana, geradas pela propulsão de energia, embateram contra a barreira de Zaccharias e de Mare, que consegue aguentar.

 

Ao regressar à alma, Lied depara-se com uma cruz branca no ar, o mesmo objeto que o seu misterioso aliado usava no pescoço.

A vibrante cruz, envolta por uma radiante camada de energia espiritual, parecia estar convidando-o para agarrá-la. Atrás dele vemos o encapuzado vermelho Adão.

– Parece que já não precisa de mim – o encapuzado declara.

– Obrigado, mas a partir de agora eu irei me proteger. A mim… e à Maçã de Adão – Lied acena afirmativamente.

Tendo ouvido a resposta que queria ouvir, o guardião eclipsa-se numa despedida para todo o sempre.

– Sim, enquanto tiver esse olhar, eu tenho a certeza que conseguirá fazer... aquilo que eu não consegui – ele diz antes de desaparecer completamente.

Lágrimas que não pertencem ao próprio começam a descer dos olhos de Lied, que segura a cruz com a mão direita.

 

9º Nível do Submundo, Pisos Administrativos, Bloco Superior.

Mictlan organizava uma pilha de papéis quando tem subitamente uma impressão acentuadamente íntima.

– O-O quê…? – o Shinigami levanta-se prontamente da cadeira em que se sentava – Outra vez… o mesmo voltou a acontecer…

Não é a primeira vez que a reencarnação de Meshulam tem esta sensação familiar, tendo experienciado algo idêntico quando Naomi despertou o Spirit Mode.

– Será mesmo… do cansaço…?

Não podia ser coincidência…

 

Nível -5 do Submundo, Bloco Restrito, Prisões.

Core e Martyr confrontavam Susumu que estava acompanhado de Nemo. Pantera, Jirou e os outros prisioneiros são espectadores de uma luta que se avizinhava entre Martyr e Susumu.

– I-Isto…! Este prana mesmo agora…! – Core seria a primeira a sentir.

– O-OUTRA VEZ! E… esta energia… me irrita ainda mais – segue-se Martyr.

– Hoho, parece que o pequeno Lied finalmente despertou o Spirit Mode. Talvez nos vejamos todos em breve, não é, pequena Core? – e finalmente Zosimus.

– A sombra está falando? – Martyr observa.

– Hã? Eu… te conheço…? – Core perguntava – Essa voz…! N-Não podia ser…?

– Então o Lied está aqui… é? – Susumu intervém.

– Oooh, não está surpreso – Zosimus diz.

– Hm, é esse tipo de homem que ele é. Desobedecer ordens é a sua especialidade.

Susumu aperta o nó da gravata, a única peça de roupa que resta no seu tronco nu.

– Bem, eu também tenho que fazer o meu trabalho – o humano encara Martyr com ferocidade.

A cobra percebe que está sendo desafiada e lança um olhar estranhamente furioso ao desafiante.

– Sabe, desde agora há pouco que me sinto por algum motivo EXTREMAMENTE irritado. Acho que… vou descarregar em você.

 

Nível -8 do Submundo, Bloco Restrito.

Naomi encontrou-se com Iduma e após uma pequena conversa os dois seguiram juntos até onde a jovem se separou de Yamir.

Eles sentem de modo simultâneo o despertar de Lied. A cruz branca de Iduma ressoa.

– H-Hã?! Que foi isto?! – Naomi fala.

– Haha, já não era sem tempo – Iduma comenta, as mãos atrás da cabeça.

– Você também sentiu?

– Claro, era o Lied despertando o seu poder espiritual, o “Spirit Mode”.

– E-Espera, você conhece o Lied?!

– Sim, ele é tipo, sei lá, um “primo” ou qualquer coisa assim, hahaha!

Naomi faz uma cara espantada perante mais uma explicação incompreensível daquele misterioso e hiperativo rapaz. A jovem contenta-se, entretanto.

“Percebo… então está mesmo aqui, Lied!”

 

Nível -7 do Submundo, Bloco Restrito.

Yamir viu Naomi ser levada pelo “Vento da Morte” e ficou sozinho, como sempre estivera antes de conhecer a moça.

É durante o seu monólogo que a serpente sente uma energia muito familiar e, ao mesmo tempo, hostil…

– …?! Esta sensação… o que…? – Yamir roda a cabeça para trás – Um inimigo…?

 

1º Nível do Submundo, Recepção, Bloco Inferior.

Varius, com uma tarefa diferente da dos companheiros, segue o seu caminho quando também ele sente o despertar do Spirit Mode de Lied.

 – …Só podia ser assim, Lied…

 

Nível -6 do Submundo, Bloco Restrito.

Em uma das solitárias prisões do Bloco Restrito, um velho robusto, longa barba branca e com cerca de 2 metros de altura meditava tranquilamente quando é interrompido…

– Oh, parece que Deus estava certo. O “Herdeiro de Adão” finalmente chegou, e com ele… a “Maçã de Éden” – um sorriso perverso…

 

Aqua

No topo de uma colina, um adolescente de cabelo loiro e olhos esverdeados escuros enxerga o horizonte ao sabor do vento.

Uma cruz preta surge repentinamente no seu pescoço, uma aura obscura cercando-o.

– Fica forte… até o dia em que nos encontrarmos… – ele sorri.

 

O jato de luz expandiu-se ao longo de todo o piso. Só aproximadamente um minuto depois é que a explosão cessaria. A barreira de Zaccharias permaneceu, ainda assim, intacta.

– Como é que está o Lied?! – Mare pergunta bem alto à medida que o vapor se dispersa.

O destino já provou diversas vezes que algo como a lei das probabilidades é facilmente subjugada. Diante da autoridade do herdeiro, nada, nem ninguém, pode fazer-lhe frente.

O Animus é forçadamente imobilizado, a garra direita segurada sem dificuldade por Lied com a mão direita. Com a mão esquerda o rapaz enxuga as lágrimas pertencentes a Adão.

Mare está boquiaberta. Zaccharias? Tudo dentro das expectativas.

Os olhos estão transparentes, uma aura mística e branca rodeia-o dos pés à cabeça, ele que está agora no corpo real (mas ainda vestindo a mesma roupa feita por Zaccharias). E no braço direito, junto ao pulso, a cruz sagrada oscila em resposta aos sentimentos do seu dono.

– Espero que esteja preparado… porque é hora do troco.

 

O espírito e o corpo físico se tornam um.

Um milagroso fenômeno, uma manifestação da força interior de um indivíduo.

Tal sincronização concede um extraordinário poder, um modo que não conhece limites na sua evolução: o Spirit Mode (Modo Espírito).

 

NSE atual de Lied: 30% (Spirit Mode despertado!)

 

[FIM DO CAPÍTULO]
Por Mitsuaki Seiji | 01/01/19 às 17:00 | Ação, Aventura, Fantasia, Drama, Romance, Portuguesa, Mistério