CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
23ª Mentira - Delenda est Carthago (Parte 1)

Lied (LD)

23ª Mentira - Delenda est Carthago (Parte 1)

Autor: Mitsuaki Seiji | Revisão: HebiTantei

Esta é uma história que remonta a um tempo em que os frutos do caos ainda estão sendo formados, os cruéis destinos a serem revelados.

Em mais um volume da jornada pelo Submundo, o “Herdeiro de Adão” travará memoráveis batalhas que lhe farão questionar sobre o seu papel neste conto, assim como conhecerá pessoas que lhe poderão dar as respostas que ele tanto procura.

Origens, convicções e deveres. Tudo será, uma vez mais, colocado à prova...

 

Nível -7 do Submundo, Bloco Restrito.

Yamir viu-se separado de Naomi pelo “Vento da Morte” e pouco tempo depois afetado pelo despertar do Spirit Mode de Lied. O último evento foi especialmente estranho.

Agora sozinha, como sempre estivera antes de conhecer Naomi, a cobra recorda o seu familiar convívio com a solidão: a escuridão sem fim do Submundo. Os cadáveres dos Animus, estrangulados por ele. E um desejo.

“Será que alguém virá um dia até mim? Nem que seja apenas para relembrar que estou vivo.”

Sim, o encontro com Naomi trouxe vida a Yamir, e sem a moça presente, sentia-se morto novamente. De modo a preencher uma vez mais o vácuo dentro de si, a jovem é necessária.

“Espera por mim… Naomi.”

 

Nível -8 do Submundo, Bloco Restrito. Antes de Lied despertar o Spirit Mode.

Protegendo Naomi, que acaba de recuperar a consciência, viam-se barreiras de raízes. E esperando que a jovem acordasse...

— Adão...? H-hã?! Você é...!

— Olá, eu disse que voltaríamos a nos encontrar — Iduma, sorridente, cumprimenta-a, a cruz no pescoço.

A moça, um pouco tonta por causa do colapso, ergue-se do chão.

— O-O que é que está fazendo aqui?

— E você, Naomi? O que é que está fazendo aqui? — o rapaz rebate a pergunta com a mesma pergunta que lhe foi feita.

— Eu… — a adolescente dizia antes de fitar atentamente Iduma — Você não é… mesmo… “Adão”?

A questão é seguida por um pequeno intervalo de tempo.

— Bateu com a cabeça, Naomi? — Iduma começa a bater levemente na cabeça dela — Toc,toc, cabeça da Naomi, tudo bem?

— PARA COM ISSO! — a humana o joga no chão com um arremesso de 360º.

— Au… eu só estava preocupado com a tua saúde…

— Mas parece que você me salvou… — Naomi olhava para as raízes ao redor — Obrigada… hã…

— Iduma! O Grande Iduma! HaHaHa! — bajulava-se enquanto se recompunha.

— Sim… — ela fazia uma expressão admirada — Perguntou o que é que estou fazendo aqui… é uma longa história, mas eu estava até há pouco tempo com o Yamir, que é, bem, o meu guardião, até que o vento me separou dele. Pergunto-me se fui para muito longe…

— Eeeeeh… — Iduma esboçava um sorriso de quem sabe muito — Então, quer que te ajude a encontrá-lo? O teu “guardião”.

— Sério?! Conhece este lugar?

— Mais ou menos… sempre em frente, né?! Bahahahaha!

— Esquece o que eu perguntei…

Iduma retira as suas raízes. O despertar de Lied aconteceria uns minutos depois…

 

Nível -8 do Submundo, Bloco Restrito.

São nos primeiros metros do Nível -8 que Naomi e Yamir se reúnem. Ela corre na direção ao rapaz.

— Yamir!! Veio me procurar!

— Claro. Eu tenho que cumprir a minha promessa — Yamir diz, um sorriso raro no rosto.

— Ah, este é o Iduma, um rapaz da superfície que me salvou quando nos separamos…! — Naomi vira as costas e depois volta a encarar o jovem — Yamir…?

A serpente está estranhamente cabisbaixa. O sorriso havia desaparecido, como se tivesse visto o pior dos seus inimigos…

— Naomi… — Iduma, também de cabeça para baixo, sussurra.

— …se afasta… — Yamir continuava.

O corpo de Iduma é envolvido pela mística aura branca enquanto que Yamir é rodeado pelo obscuro prana verde-escuro. Os dois Spirit Modes são ativados…

— O-O que é que se passa com vocês dois?! — Naomi fica assustada.

Ele é… perigoso — Iduma e Yamir afirmam ao mesmo tempo.

 

Ganeden, Escola. Cinco minutos depois (fuso horário de Ganeden) de Susumu e Nemo chegarem a Mictlan.

O tempo passa mais depressa no Submundo: 1 segundo em Ganeden são 60 segundos em Mictlan. 1 minuto em Ganeden são 60 minutos em Mictlan. 1 hora em Ganeden são 60 horas em Mictlan.

A escola estava fechada por ser final de semana, mas uma professora tinha se esquecido de algo na enfermaria. É ao entrar nela que se depara com alguém deitado na cama, imóvel e sem vida.

— S-Susumu-kun…?!

 

Susumu é rapidamente levado ao hospital de Ganeden para ser analisado. O pai, Tatsuo, o acompanha na maca com grande preocupação.

— Susumu…! O que é que aconteceu contigo?!

 

O jovem detetive entrou na sala de emergência do hospital, deixando Tatsuo bastante nervoso do lado de fora. Alguns colegas de trabalho chegam.

— Como é que está o Susumu, Tatsuo-san?

— Ainda não sei… ele entrou agora. Já conseguiram entrar em contato com o Nemo?

— Nemo…? De quem é que está falando?

— S-Sim… de quem é que estou falando…?

Assim como Nemo tinha dito, a manipulação de memórias deixava de fazer efeito…

 

Cinco minutos se passaram desde a entrada de Susumu. É quando os médicos saem de rompante da sala.

— O-O que foi?! — Tatsuo levanta-se imediatamente.

— O-O Susumu-kun… o seu filho… desapareceu! — um médico diz.

— Como…?!

O momento em que Susumu desperta o Spirit Mode e o corpo físico sincroniza-se com o corpo espiritual…

 

7º Nível do Submundo, Bloco Superior, Sala Secreta.

Susumu e Nemo encontraram uma sala escondida e nela ficariam até o humano despertar o Spirit Mode. O treinamento de Zosimus terminaria com sucesso…

— Então? Como se sente? — o Homem das Correntes questiona.

— …Diferente — Susumu, de costas, responde.

— Haha, isso já era esperado.

Nemo, que tinha ajudado no treino do detetive, ergue-se do chão, ofegante.

— Uff… e agora?

— Não é óbvio? — Susumu vira-se ligeiramente — Nós vamos… para onde a Illuminatus está.

 

No meio do caminho, a dupla confrontaria um Animus do tipo C. Com o poder do seu Spirit Mode, o implacável Susumu derrotaria a besta e seguiria em frente… até onde Martyr está.

 

Nível -5 do Submundo, Bloco Restrito, Prisões.

Susumu aperta o nó da gravata, a única peça de roupa que resta no seu tronco nu.

– Bem, eu também tenho que fazer o meu trabalho – o humano encara Martyr com ferocidade.

Martyr lança um olhar furioso ao desafiante.

– Sabe, desde agora há pouco que me sinto por algum motivo EXTREMAMENTE irritado. Acho que… vou descarregar em você.

Pantera, Jirou Isaak e o restante dos prisioneiros são espectadores curiosos nas suas respectivas celas.

– Oh…? Isto pode ser interessante – Pantera afirma.

– Susumu Shinichi… Shinichi… Tatsuo Shinichi…? – Jirou tenta chegar a uma conclusão relacionada ao seu passado.

– Oh, um policial humano? Vamos ver como eles lutam – um outro prisioneiro chamado Blasius diz.

Core dá um exaltado passo à frente para confrontar Zosimus.

– Senhor Zosimus, é mesmo você?!

– O próprio.

– Mas... eu pensava que, naquele dia...!

– Sim... parece que a vingança foi mais preponderante no fim.

– Vingança… – Core diz com um olhar angustiado e depois encara seriamente Nemo – E? O que é que pensa que está fazendo, Nemo?

Nemo, que tentava se esconder atrás de Susumu, é obrigado a encarar seu fracasso.

– E-Eu sou um refém!

– Um refém? Não parece…

– É-É a verdade!

“Susumu Shinichi, hã…? Que tipo de relação terá com o senhor Zosimus?”, a Core asteca refletia.

No momento em que parecia que a luta entre Susumu e Martyr iria começar…

– Martyr… não é? Eu quero te fazer uma pergunta – o Homem das Correntes aborda diretamente a cobra.

– Hã? A mim? – Martyr está demasiado ansioso para lutar e não tem paciência para perguntas.

– Hah, não se exalte, eu vou ser muito rápido: qual é… a tua conexão com Nachash?

A menção do nome por si só eleva a tensão na atmosfera. Todos ali presentes, à exceção de Susumu, já tinham ouvido falar dele antes.

– N-N-Nachash?! – Nemo entrava em pânico.

– O que é que tem a Serpente Falante…? – Pantera fica curioso.

– Nachash…! – Core também está relativamente surpresa.

Susumu, sentindo-se perdido, olha para a sua própria sombra.

– “Nachash”? Quem é esse?

– Nachash é… o homem que me matou.

– O quê?! – Susumu, Nemo e Pantera dizem simultaneamente.

– Senhor Zosimus… – Core, de cabeça inclinada, aparenta saber deste fato.

A atenção estava agora toda posta em Martyr que ainda não tinha respondido.

– Nachash... ah, o “demônio” do qual têm tanto medo em Aqua. Conexão...? Do que é que está falando? – o homem, desinteressado, coçava uma orelha.

A resposta descontraída não parece alarmar Zosimus, que sorri na alma de Susumu.

– Entendo… então ainda não está consciente – a sombra murmura.

Susumu processava todas essas informações. Sabia que mais tarde teria de interrogar Zosimus sobre tudo, incluindo a verdadeira identidade do Homem das Correntes.

Martyr não consegue se conter por mais tempo.

– …MENOS CONVERSA… MAIS LUTA! – é sem aviso prévio que ele explode em direção a Susumu.

– A-Aí vem ele! – Nemo distancia-se prontamente do detetive.

Martyr tenta socá-lo sem o Spirit Mode ativado e por esse motivo é que não consegue acertá-lo. O punho passa pelo rosto de Susumu como se o último não estivesse ali, a propriedade Intangibilidade em ação.

– Que idiota… – Pantera comenta.

A cobra ia em alta velocidade e trava antes de ir contra a parede. A trinta metros de Susumu, Martyr olha-o com atenção.

– Não podia ser…?

“Quando o encontrei pela primeira vez, ele parecia apenas um humano vulgar. Significa que despertou depois? Em tão pouco tempo…?”

Susumu era envolvido por uma aura de tonalidade azul clara. Não havia dúvida: aquilo é o poder do espírito… Spirit Mode!

– Hah. Haha. Hahaha! – a cobra ficava mais excitada – HAHAHAHA! – um prana amarelo escuro o rodeia e Martyr, Spirit Mode ativado, parte novamente ao ataque.

– R-Rápido! – Susumu diz.

O jovem detetive sente a pressão do instinto assassino do oponente, mesmo à sua frente, e deixa-se abalar por um segundo.

– CONSEGUE ME DIVERTIR? – Martyr quase que sussurra ao ouvido dele.

– Não vacile, Susumu! – a voz de Zosimus desperta o moço.

Susumu recupera o fogo nos seus olhos e responde: aikidô, jiu-jitsu e judô, ele ataca com uma combinação dessas três marciais que tanto treinou como parte da formação na polícia, incorporando a técnica humana na força do Spirit Mode.

Esta iniciativa toma Martyr de surpresa, que desconhecia naturalmente artes marciais humanas e não sabe como reagir.

– O que… – ele dizia antes de ser derrubado.

Um compasso de espera da parte de Susumu para verificar o estado do adversário.

– Truques… os humanos irritantes estão… CHEIOS DE TRUQUES! – o inimigo levanta-se rapidamente do solo.

O soco que Martyr não tinha conseguido dar antes, ele daria agora. Susumu tenta desviar-se com a Visibilidade, mas os olhos dele não são suficientemente rápidos... O detetive voa de encontro à parede longínqua.

Nemo, escondido, não consegue deixar de pensar naquilo que irá lhe acontecer se Susumu for derrotado. O humano apoiava-se na parede, sangue jorrando do rosto.

– Susumu… – relembra Zosimus – chega de aquecimento.

– Eu sei… já imaginava que não fosse ser fácil.

Dito isto, Susumu começa a andar até Martyr. Frente a frente, olhos nos olhos. Ambos sabiam… que estava na hora de ficarem sérios.

– Eu vou... – a aura de Martyr ficava mais escura.

– A justiça irá… – o prana de Susumu não quer perder em intensidade.

– … TE DEVORAR!

– ...LEVAR O MEU ESPÍRITO À VITÓRIA!

 


Por Mitsuaki Seiji | 10/01/19 às 15:34 | Ação, Aventura, Fantasia, Drama, Romance, Portuguesa, Mistério