CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
6ª Mentira - Entrando em Mictlan (Parte 1)

Lied (LD)

6ª Mentira - Entrando em Mictlan (Parte 1)

Autor: Mitsuaki Seiji | Revisão: Venâncio Matos

12:35, Sábado (Ganeden)

Naomi, vestida para variar com roupas casuais, passeia pelas ruas pouco preenchidas de Ganeden enquanto faz uma nova recapitulação mental dos últimos dias passados.

Uma a uma mantinha as lembranças dos diversos acontecimentos, refreando-se no diário das memórias que prometera a si mesma, naquele dia em que jurou seguir em frente na vida, escrever.

Quanto a Lied, testemunha da sua determinação, sentia que não voltaria a vê-lo tão cedo, mas estranhamente, mesmo distantes que possam estar um do outro, acreditava que estariam sempre juntos, conectados por algo maior.

Terminado o passeio, a moça resolve ir para casa onde poderia pensar melhor no que fazer a seguir. Acaba de virar uma das últimas ruelas até à sua habitação.

A tua determinação... pergunto-me se será suficiente perante a tempestade que está para começar. Não, terá definitivamente de ser.

Uma voz solene emerge subitamente. Das costas de Naomi, uma figura surge. De casacão num padrão preto e amarelo, com olhos lilás e cabelo preto.

— Hã? Quem é você?

— Varius. Um... parceiro do Martyr.

— Martyr...? AH! Aquela estranha pessoa que o Lied perseguia...! Quem são vocês?! E qual é a relação de vocês com o Lied?

— Hm... sim, sobre os pais adotivos dele, podemos dizer que somos parcialmente responsáveis, apesar de ter sido outro do nosso grupo a “cortar despesas”.

Naomi é apanhada de surpresa. Então eles eram...

— Vocês...! Os pais do Lied...!

Ela recua, assustada. Recorda-se daquele inesquecível dia, principalmente das lágrimas deitadas pelo rapaz. Naomi fica indignada.

— Por quê? Por que é que fariam uma coisa horrível dessas?!

Varius não se deixa entrar no clima de tensão, mantendo-se exatamente como chegou, calmo.

— Era necessário... para o seu “despertar”.

— Despertar? O que é que quer dizer?!

O homem fecha os olhos, abrindo-os de seguida.

— Pergunte ao seu espírito. Ele saberá te dizer.

— O quê...?

 

...

 

Num instante os dois são teletransportados para uma ampla e pálida dimensão, no centro se localizava uma gigantesca árvore. Naomi reconhece imediatamente o lugar dos seus sonhos.

— Este lugar...! Como?!

Varius caminha em direção à árvore.

— É a tua “alma”. Naturalmente que já a visitou antes. O Lied também a visitou recentemente.

Naomi olha ao redor, perplexa. A adolescente inclina a cabeça para baixo.

— O Lied também...? Então não era... uma invenção dos meus sonhos...?

O sujeito avança em direção ao titânico tronco da natureza, parando em frente dele. Varius observa atentamente a árvore, que o intrigavam profundamente.

— Isto... não podia ser...? Por que é que está aqui? O Zechariah sabe disto?

Vira-se lentamente para Naomi e confronta-a delicadamente.

— Quem é realmente você?

Naomi, confusa, responde naturalmente:

— Quem sou realmente eu? É óbvio! O meu nome é...

“Lilith!”, pensa para si mesma.

Esta resposta anormal que deu a si própria embaralhou a mente.

"Hã...? O que é que...? Este nome que quis dizer..."

A moça processa o nome que imaginou, o silêncio impera ali. Varius, deixado à espera, estranha a omissão da jovem.

— Hm?

Naomi, por um momento perdida nas entranhas da sua consciência, percebe que tinha “adormecido” durante este curto espaço de tempo.

— É? Ah... — ela balança a cabeça — Naomi! Esse é o meu nome!

— E é isso. A tua identidade fica por aí. Ingênua... e ignorante.

Varius começa a caminhar até ela.

— Mas a ignorância também faz parte. Caso não existisse, o destino seria facilmente decifrado. E na ausência desse determinismo, os mundos, assim como as suas pessoas... ruiriam.

O homem passa por Naomi. Uma ação que seria seguida pela transição à realidade.

 

 

Os dois estavam de volta a Ganeden, um regresso que apanha a moça desprevenida.

— Estamos de volta!

Varius mantinha-se com a sua postura tranquila.

— Ainda não. O verdadeiro motivo de ter vindo te encontrar vem a seguir.

Naomi fita Varius ferozmente. A paciência estava esgotando.

— Já não é suficiente?! O que é que vocês querem de mim?! E o que mais quererão do Lied...?!

O homem desloca-se para a esquerda, onde se situa uma casa. Num movimento veloz salta para cima da janela mais inferior e senta-se nela.

— Eu vou agora te contar uma história.

Uma história?

— A história de um homem que derramou sangue a fim de contrariar o seu destino e aqueles que o opunham. O nome deste homem é... Nachash, também conhecido como a “Serpente Falante”.

Uma brisa perturbadora passa rapidamente por ali à medida que Naomi processa o nome.

— Nachash...

— Soa familiar? Provavelmente não. Mas após ouvir esta história, pode ser que ele te diga algo mais.

Naomi, entendendo que o homem não iria embora até ter a história que tanto quer contar contada, reúne alguma paciência para ouvi-lo, também aliada a uma misteriosa curiosidade que surgiu após ouvir o nome mencionado.

 

Por Mitsuaki Seiji | 12/10/18 às 18:19 | Ação, Aventura, Fantasia, Drama, Romance, Portuguesa