CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 20 - Técnica Copiada

O Herdeiro do Mundo (HDM)

Capítulo 20 - Técnica Copiada

Tradução: Lord Letal | Revisão: Yamasuke, Nego

Não demorou nem cinco minutos para chover bestas de vários tipos da floresta, todas iam em direção ao rio, mas quando topavam com os cultivadores começavam a atacar.

 No meio da bagunça inicial, Rael saiu das sombras e começou a atacar os cultivadores do terceiro reino. Eles até o percebiam, mas com tanta correria e tantas bestas atacando, eles não tinham tempo de avisar aos outros, afinal Rael para eles era só um mero palhaço do segundo reino.

Se aproveitando desses dois fatores. Rael começou a matar vários homens pela floresta e até bestas que cruzavam seu caminho.

― Terceiro reino nível quatro! ― Rael estava radiante.

Ele tinha matado três homens do terceiro reino e duas bestas de rank F e seu poder subiu mais uma vez.

            A gritaria tinha explodido no acampamento, e várias bestas atacavam todos que viam pela frente. Os reféns foram levados para a tenda principal, o chefe deles não queria perder seus futuros escravos.

            Rael continuou correndo em volta do acampamento se aproveitando da floresta e matando todos que encontrava, bestas ou homens.

― Nível sete! ― ele não podia estar mais animado. Em apenas poucos minutos subiu quatro níveis numa velocidade absurda e isso enquanto ele simplesmente matava alguns lixos e algumas pobres bestas que ousavam entrar em seu caminho.

Rael agradeceu mentalmente por aqueles homens estarem em um número muito grande.

            Trinta minutos depois, uma parte dos homens conseguira voltar pro acampamento. Logo eles perceberam que faltava uma grande quantidade de companheiros.

O acampamento gradualmente passou a ser menos atacado, as bestas estavam diminuindo e mesmo assim os homens não voltavam.

O chefe deles, um homem barbudo vestido com roupas brancas, pediu que três homens fortes fossem olhar a redondeza. Esses homens partiram para procurar pelos outros.

            Rael que estava escondido e ocultando sua aura, percebeu que os três estavam todos no quarto reino. Ele não pôde deixar de sorrir enquanto seguia no rumo deles.

Cerca de quase metade dos homens já haviam sido mortos. Ainda havia algumas bestas, mas várias já tinham morrido e outra quantidade já tinha ido embora.

            Os três sentiram a energia de Rael avançando à frente. Eles já tinham confirmado pelo menos cinco companheiros mortos e não queriam nem saber se a energia estaria no segundo ou no primeiro reino, eles tinham que pegar qualquer um que pudesse ter visto ou participado dos assassinatos de seus colegas.

            Rael que estava correndo numa velocidade baixa quando comparado a sua velocidade verdadeira, foi cercado pelos três homens que pularam em sua frente.

Todos os três ainda estavam desarmados. Dois deles estavam no quarto reino nível quatro e o do meio estava no quarto reino nível seis.

― Olá seniores, este júnior cumprimenta vocês ― Rael se apresentou fazendo uma reverência irônica aos três, porque no meio da reverência ele sorriu ironicamente.

O da esquerda irritado avançou com tudo para pega o pescoço de Rael. Rael se esquivou no último segundo se agachando, impulsionou o corpo e usando o braço esquerdo, conseguiu agarrar o pescoço do cultivador e o empurrar, fazendo ele cair de costas.

Não houve tempo para surpresas, Rael simplesmente fechou a mão direita e aplicou o soco mais forte que conseguiu no rosto do infeliz. O chão se rachou em volta e Rael pulou para trás com a mão direita pingando sangue. O rosto do homem ficou desfigurado no chão, parte dos ossos podiam ser visto em meio ao sangue e olhos estourados. Morte instantânea.

Rael não sabia dizer se era por causa do seu braço ou por causa do seu novo nível, também tinha o fator que o cultivador não esperava que ele fosse tão forte.

            Ninguém precisava ser um gênio para saber quem estava por trás das mortes dos homens depois de ver aquilo. Os dois mais uma vez olhavam o nível de Rael, reino dois nível sete... não espere, agora está em oito? O que está acontecendo? Os dois estavam se perguntando.

Rael só podia esconder dez níveis de seu poder, de modo que ele havia acabado de subir um e o nível escondido também acabou subindo.

― Eu vou acabar com você agora mesmo! ― o da direita rugiu.

Fechou os dois punhos, girou um para cada lado e então os reuniu na frente deixando o da direita por cima do da esquerda em uma posição de combate. Durante o giro, Rael pôde perceber as energias se reunirem nos braços e avançaram para os punhos. O giro serviu para ajudar no controle e na rápida reunião de energia.

― Garras Glaciais! ― ele gritou e suas mãos foram cobertas por água, depois se transformam em garras, cada mão tinha três espinhos enfileirados.

Ele apertou os punhos e saltou contra Rael. Da primeira Rael se esquivou, na segunda não teve tempo porque o homem era rápido, então ele deixou o braço direito na proteção e a garra explodiu contra o braço de Rael.

O homem foi jogado um passo para trás e Rael foi jogado dois. O que ninguém entendeu é como Rael conseguiu bloquear com o braço sem sofrer danos. Ambos, o atacante e o companheiro, ficaram olhando. O que dava para imaginar é que Rael tinha alguma proteção por baixo daquelas vestimentas escuras.

            Se a luta fosse apenas corpo a corpo, Rael teria total vantagem mesmo contra aqueles dois, no entanto, quando ativavam essas técnicas, Rael sempre tinha algum problema.

Até mesmo como aconteceu na luta dele contra Sérgio. Violeta não quis ensinar técnicas porque acreditou que ele aprenderia sozinho? Será que a resposta era essa?

            Mais uma vez o homem partiu, Rael se esquivou, defendeu e se esquivou novamente. O homem viu uma brecha ser aberta e então ele chutou as costelas de Rael fazendo ele voar contra uma árvore.

Rael bateu na árvore com o braço direito e conseguiu evitar maiores danos, mas ficou com a parte lateral esquerda das costelas doendo, embora não tivesse quebrado nada, tomar um golpe de um cultivador do quarto reino ainda não era uma tarefa fácil. Se Rael fosse alguém comum não seria nem capaz de se levantar de novo depois de um chute daqueles, teria no mínimo quebrado umas três costelas.

― Parece que você é nada afinal, matou o Herudes por pura sorte ― disse o homem rindo enquanto se aproximava mais uma vez. Embora ele risse, por dentro ele estava admirado que Rael já estava de pé.

            As ativações de técnicas deixavam o usuário mais forte e mais rápido, além disso, Rael só podia usar o braço direito para defender ou atacar contra as Garras Glaciais, se aquilo acertasse algum ponto de Rael sem ser o braço direito, não haveria como prever os danos que poderia causar. Rael estava ciente que se a luta continuasse daquele jeito, ele perderia.

            Ele se concentrou se lembrando do movimento de Sérgio. Juntou as duas mãos no peito numa posição defensiva, liberou aura do peito e deixou correr por ambos os braços até que finalmente chegou aos punhos.

― Técnica Punhos de Pedra! ― Rugiu Rael.

O braço esquerdo foi coberto por uma intensa aura amarela que se modelou formando uma grande rocha afiada cobrindo todo seu punho. Rael achou estranho que seu braço direito não teve efeito, mesmo tendo certeza que fez tudo certo.

― Isso não vai te ajudar! ― gritou o homem avançando.

Os dois começaram a trocar socos. Agora Rael tinha como lutar com as duas mãos. Não apenas isso, o braço esquerdo de Rael estava causando problemas ao homem, porque a cada batida, ele recuava um pouco e tinha que refazer parte das Garras Glaciais, por elas começarem a se desmanchar.

Terra é forte contra água e qualquer um sabia disso. Não demorou muito para Rael achar uma brecha e acertar o peito do homem com um poderoso soco com a mão direita.

O homem foi jogado uns três metros para trás e conseguiu se equilibrar em pé, mas vomitou um pouco de sangue.

O soco de Rael com o braço direito era muito mais poderoso que um soco normal. O braço por si só já era mais forte e ainda era imbuído com a energia escuridão que causava dano direto aos músculos e órgãos.

            Rael olhou o próprio punho esquerdo com admiração, ele só tinha visto Sérgio usar isso uma vez e tinha decorado e entendido todos os padrões para uma perfeita ativação, embora o seu punho direito não tivesse ativado junto, ele teve certeza que isso não foi um erro dele, era algo que o próprio braço direito não aceitava ou ainda não estava no tempo.

 Ninguém poderia dizer que aquela era a primeira vez que Rael usava aquela técnica, porque o controle da energia, a formação, tudo parecia perfeito. E para aqueles homens, agora eles podiam imaginar que Rael tinha a liberação da proteção, o caminho daqueles que utilizam técnicas de terra.

― Não pense que vai me vencer por causa de um soco! ― o homem correu para cima de Rael mesmo com o peito queimando em dores por fora e por dentro.

Uma nova troca de golpes no qual Rael recuou propositalmente fazendo parecer que o homem estava com a vantagem, então Rael fingiu escorrega em falso fazendo um movimento que estava prestes a cair.

O homem estava desesperado indo com tudo para cima e ao ver aquilo sorriu animado achando que essa era sua chance. Ele avançou abrindo a defesa com um soco visando o rosto de Rael. Então Rael cessou o movimento que parecia ser de uma queda e deslizou pelo lado esquerdo saindo completamente do alcance do soco. Quando o homem percebeu já era tarde, o punho esquerdo de Rael já estava a caminho.

― Morra! ― gritou Rael.

O soco pegou em cheio no rosto do infeliz. Sangue e dentes voaram para o lado oposto conforme o rosto girou por conta do soco. O giro fez o pescoço se quebrar e todos presentes puderam ouvir um “Crak”.

            O homem caiu morto no chão sem qualquer reação. Restando apenas o último.

― ‘Oba, nível oito!’ ― pensou Rael sentindo sua energia subir mais vez.

Se continuasse assim, até esses bandidos acabarem ele poderia chegar ao quinto reino. Isso realmente seria muito bom. Inimigos do quarto reino rendiam uma grande quantidade de evolução.

― Eu acho que agora somos só nós dois ― disse Rael, sorrindo olhando o último homem.

Esse por sua vez estava fazendo uma cara feia, o primeiro companheiro que Rael matou, ainda podiam dizer que foi de alguma forma um milagre, já o segundo ninguém poderia dizer isso. Ele sabia que técnicas triviais não funcionariam em Rael, então ele só tinha um meio de acabar com aquilo rapidamente.

― Técnica Visão Iluminada! ― gritou ele, concentrou energia nos dedos indicadores e do meio, depois uniu ambas as mãos perto do olho, deixado os dois dedos de cada mãos abaixo dos olhos.

Os olhos brilharam se cobrindo de aura branca. Então ele baixou as mãos, na direita pegou uma adaga e na esquerda uma bolsa preta amarrada do tamanho de um punho. Rael ficou só olhando tentando entender o que ele faria, a técnica do olho era a primeira vez que ele via alguém usar, mas já conhecia, era uma técnica que permitia o usuário ver no escuro, não era tão eficiente quanto a habilidade passiva de Rael, mas quebrava um galho.

― Dessa vez você não sobreviverá ― o homem desatou o nó da bolsa e atirou no chão a frente de Rael.

Quando a bolsa bateu no chão liberou uma intensa fumaça escura que cobriu rapidamente o terreno, deixando tudo dentro de uns cinquenta metros em uma escuridão. Não era como a escuridão gerada pelo Mergulho da Escuridão, mas era algo que usuários comuns não conseguiam ver facilmente. Só era possível enxergar um palmo a frente, nada além disso.

            Quando Rael entendeu o que o homem queria fazer, ele não pôde deixar de sorrir, porque ele achou que teria uma luta demorada com esse inimigo, mas ele claramente estava subestimando Rael.

― ‘Agora morra maldito! Eu vingarei meus companheiros!’ ― pensou o homem.

Ele não podia ver o rosto de Rael, mas conseguia ver todo o vislumbre do corpo e sabia onde precisava atacar.

Ele correu avançando para frente, como um vulto, levantando a adaga na altura do peito de Rael, ele visava o coração. Rael, que entendeu tudo, esperou ele vir sem se mexer fingido-se de cego. Quando ele estava prestes a atingir, Rael se agachou, juntou as duas mãos no punho direito do homem, e fez o impulso para jogá-lo de costas para trás de si, fazendo o homem circular por cima de Rael e cair logo após.

O homem não teve qualquer reação, porque ele jamais esperaria que Rael estivesse vendo tudo. Quando as costas dele bateu no chão, Rael uniu os dedos da mão direita como se fosse dar um tapa, e atravessou o peito do homem acertando o seu coração com a própria mão.

Como sua mão era muito forte podia facilmente atravessar baixas defesas. O homem colocou seu poder inteiramente no braço, de modo a não acreditar que haveria falhas e isso o deixou de guarda baixa.

― Como? ― o homem ainda perguntou enquanto começava a morrer.

― O que isso importa pra você agora? ― perguntou Rael tirando a mão de dentro do peito dele. A mão de Rael veio encharcada de sangue.

― Droga! Hoje estou estragando minha camiseta, luvas, tudo! ― reclamou Rael abanando a mão para jogar o sangue para os lados. O homem morreu segundos depois.

― Nível nove. Isso é maravilhoso ― disse Rael, e dessa vez se interessou pelo bracelete desse indivíduo.

Ele encontrou três bolsas dessas de escurecer. Seria muito útil para usar contra os que haviam ficado no acampamento.

            Rael conferiu os braceletes e todas as coisas importantes dos outros. Algumas ervas, Pílulas da Força Pequena, alguns tipos de antídotos para alguns venenos, algumas espadas inúteis e até algumas peças de armaduras. Ele apenas retirou tudo dos braceletes e passou para o dele.

― Ótimo, agora é hora do principal ― disse Rael se virando para a direção do acampamento. Ele tinha algumas bolsas bem úteis agora. Então ele finalmente poderia dar as caras sem medo de ter sucesso.

Por Lord Letal | 28/11/17 às 22:27 | Ação, Aventura, Fantasia, Romance, Brasileira, Poder, Harém, Drama, +18