CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 29 - O Retorno de Mara

O Herdeiro do Mundo (HDM)

Capítulo 29 - O Retorno de Mara

Tradução: Lord Letal | Revisão: Yamasuke, Nego

Conforme os dias passaram, Rael continuou levando Rose com ele para o mesmo local todos os dias para treinar. Aquilo parecia estar ajudando porque Rael não tinha mais acordado com uma explosão.

                Na verdade, toda vez que Rose acordava encostada a Rael, ela rapidamente se afastava para evitar ocorrer um desastre. As vezes ela acordava com Rael agarrado a ela, e ela o empurrava para soltá-la, outras vezes era ela que agarrava Rael no meio do sono. As únicas reclamações de Rael era de ficar sendo acordado as vezes por causa de Rose, mas fora isso não tinha do que reclamar.

                Depois do duelo com Terry, o nome Samuel alcançou picos ainda mais altos na cidade.  Quando as pessoas o viam pela rua o cumprimentavam com grandes sorrisos. Quando o viam com Rose ninguém mais olhava com raiva, tinham um pouco de inveja é claro, mas entendiam que ele podia merecer ter uma concubina como aquela.

                James, filho do patriarca do clã Asura, sabia onde Rael e Rose iam treinar, mas diferente de Sérgio, ele não se precipitava. O local era próximo a cidade e qualquer deslize Rael poderia fugir, ele estava guardando seu movimento para um momento mais oportuno, ainda mais depois de saber sobre a surra que Terry e seu aliado de grupo haviam recebido.

Ele também não era burro de fazer um movimento e deixar o clã Torres descobrir. Atacar do lado da cidade era muito arriscado, por isso ele só mandou que vigiassem. Como Rael nunca saiu de lá, avançando para áreas mais afastadas, ele nunca pôde agir.

                Rael não voltou mais para a escola e acabou recebendo uma carta com convite para a escola da capital, a escola de primeira linha. Rael recusou por não comparecer conforme o pedido da carta, o que gerou outra carta e mais uma vez foi ignorada. Até o próprio Mestre Alquimista fazer uma visita pessoal e ouvir da boca de Rael que ele não tinha interesse, só depois disso, esse assunto ficou resolvido.

                O relacionamento entre Rael e Rita havia progredido um pouco. As vezes os dois se agarravam no quarto de Rita ou de Rael, geralmente em momentos que Rose não estava por perto. Rael adorava tomar os lábios de Rita, e até costumava beijar o pescoço e os ombros da menina. Eles estavam aprendendo juntos esses pequenos detalhes que deixava tudo melhor, mas não saiam muito disso. Algumas vezes eles até foram pegos por Barbara.

                Já o relacionamento com Rose ia mais devagar. Rose não podia ser tocada se tivesse com a pele exposta e isso era um problema. Rael tinha tentando tocar nela novamente, mais uma vez, e estava indo bem. Rael estava passando a mão no rosto dela se preparando para beijar, quando ela se descontrolou e aplicou outro choque.

                Durante todo esse tempo, Rael passou cultivando o máximo que pôde e mesmo cultivando praticamente o dia inteiro, não conseguiu sair do nível um. Seu braço também não apresentou nenhuma diferença e ele não achou mais a Pedra Raios do Mar.

                Ele também não fez mais visitas a Violeta, ainda estava furioso com o fato de ter que manter Rose por perto. Ele estava se acostumando com Rose e começando a gostar um pouco dela, mas não podia chegar perto sem sofrer, então isso atrasava o desenvolvimento dos dois.

                Faltava dois dias para o evento na cidade de Améria, o qual Rael havia sido convidado por Mara. Mara até aquele momento não havia retornado.

                Quando Rael estava saindo com Rose naquela manhã. Um par de luxuosas carruagens pararam em frente a casa de Rael, naquele momento a barraca ainda nem tinha sido armada por Adam.

Rael e Rose se viraram. Nas carruagem haviam cortinas vermelhas com símbolos grandes do clã Torres desenhado em escuro. Da carruagem da frente desceu Mara em um lindo vestido dourado. Ela estava bem elegante e seus cabelos estavam cheios de ornamentos de ouro como enfeite. Mara saiu sorrindo da carruagem e ao ver Rose aquele sorriso desapareceu. Obviamente ela não havia ficado satisfeita.

                Rael gelou porque o nível atual de Mara tinha dado um salto. Agora ela estava no quinto reino nível cinco. Ela tinha avançado um reino inteiro! Como isso era possível? Que tipo de magia era aquela?

                Da carruagem de trás da de Mara, saíram seis cultivadores com níveis desconhecidos. Todos usando vestimentas vermelhas com o símbolo do clã bordado em branco nas mangas. Aquelas vestimentas eram da guarda principal do clã, dos mesmos que executaram Rael a cinco anos atrás, o atirando penhasco abaixo. Rael não podia sentir a força deles e aquilo o encheu de preocupação. Ele instintivamente levou Rose para trás de si mesmo.

                É claro que Rael naquele momento diante daqueles homens não ficou bem. Ele se encheu de instintos assassino, mas teve que se conter o máximo, porque a vida de Rose dependia das ações de Rael.

― Samuel o que significa isso? Eu achei que estávamos entendidos sobre esse tipo de assunto ― disse Mara parecendo calma, mas ela estava pegando fogo.

A garota atrás de Rael era realmente linda, e aquilo a incomodou. Diferente de Rita que era uma tábua de qualidade média, essa era uma jovem realmente diferente, e mesmo que seu corpo ainda não fosse desenvolvido como o de Mara, ela era linda, muito linda.

― Isso foi uma ordem da minha mestra, eu não pude evitar ― explicou Rael.

― Sua mestra? E onde ela estaria? Eu poderia conhecê-la? ― perguntou Mara de volta.

― Ela não costuma aparecer publicamente ― disse Rael de volta.

― Samuel estamos em um impasse aqui, eu não costumo ser desobedecida, então me diga o que eu deveria fazer? ― perguntou ela ainda irritada.

― Aceitar, porque eu também não costumo baixar a cabeça. E se você tocar em um fio de cabelo dessa garota ou de qualquer um da minha família, então esqueça qualquer apoio, esqueça qualquer lealdade ― disse Rael firmemente de volta.

Mara não duvidava dessas palavras porque ela já conhecia um pouco sobre esse homem na sua frente.

― Isso não resolve nosso impasse ― disse ela fazendo uma pausa.― Acho que não tenho escolha se não levar a garota como refém. Se você não passar no teste do meu pai então nada disso importa, eu matarei você e matarei todos. Caso você passe eu libero a garota e ela pode continuar sendo sua noiva. ― disse Mara que já tinha ouvido os boatos.

Ela fez um aceno para os homens. Rael foi cercado por seis vultos. Ele manteve Rose atrás de si a protegendo.

― Não seja teimoso Samuel e não me culpe por isso, eu tinha avisado você.

― Mara se você fizer isso eu... ― Rael não sabia o que dizer.

― Você o que? Você acha que pode passar por cima das minhas ordens? Sua fraqueza é que apesar de ser corajoso você se importa muito com as pessoas ao seu redor ― disse Mara.

Rael estendeu a mão direita e todos viram aquela bola de energia negra ser formada. Mara que tinha acabado de falar ficou surpresa.

― O que vai fazer? ― perguntou Mara.

Os homens ficaram olhando para sua mestra esperando uma resposta. Caso ela mandasse, eles imediatamente renderiam Rael sem dar qualquer chance de reação. Mara não dava essa ordem porque estava curiosa, como sempre, com Rael, ele sempre a desafiava e ela queria ver mais daquilo.

― Você já vai ver. Mergulho da Escuridão! ― rugiu Rael e atirou no próprio pé.

A pequena bola de energia negra tocou no chão e subiu um metro acima parando completamente no ar, em seguida ela soltou uma imensa sombra escura que se expandiu e dominou tudo em volta. A escuridão foi completa e absoluta, ninguém além de Rael enxergava qualquer coisa ali.

― ‘Rose você consegue fugir se transformando em raios como daquela vez?’ ― perguntou Rael.

― ‘Não, só minha mãe tem aquele poder por já estar na forma final’ ― disse Rose de volta.

― ‘Droga! Então não saia daí, fugir não vai adiantar’ ― disse Rael de volta e olhou para Mara.

― O que houve? Vocês estão aí? ― perguntou um dos homens a frente.

― Eu estou aqui, mas não sinto você e ninguém ― disse outro homem.

― Jovem mestra Mara? Você está bem? ― perguntou outro homem.

― Estou sim ― respondeu Mara ainda chocada.

Quando sentiu uma mão passar por trás agarrando seu belo pescoço.

― Retire tudo que disse ou eu te mato ― ameaçou Rael baixinho atrás de Mara, apenas para ela ouvir.

Se Rose não podia fugir se transformando em raios, só restava uma ação para Rael.

Que era ameaçar Mara!

Só tinha um problema, conforme ele usou aquela habilidade sua energia caiu para baixo da metade.

                Mara não se sentiu assustada, a mão de Rael não estava tão pesada em sua garganta, depois de ter atingido o quinto reino seu corpo tinha ganhado uma resistência astronômica quando comparada a antes. Rael também não estava no seu melhor por ter usado uma habilidade que reduzia seu poder.

Mas o fato é que Mara ficou muito surpresa, não só ela como todos. Ninguém estava vendo porcaria nenhuma e nenhum deles conhecia aquela técnica.

― Você pretende me matar Samuel? Sabe que se fizer isso ninguém vai sair vivo daqui ― disse Mara baixinho de volta ainda sem reagir.

― Eu não quero matar você, mas se você quer colocar Rose em risco, eu não tenho outra opção ― disse Rael de volta.

― Então vamos, me mate, me mate agora ― Mara brincou com Rael e jogou a cabeça para trás se encostando no peito dele como se estivesse se entregando.

Rael ficou ainda mais irritado com aquilo, essa mulher ela nunca deixava de surpreender ele.

― Vamos? Por que ainda não me matou? ― perguntou ela sentindo a mão de Rael tremer na própria garganta.

Então bruscamente ela se soltou de Rael, virou-se e agarrou o rosto dele. Ela não estava vendo, mas usou as mãos para achar Rael.

                Quando Rael percebeu ela já estava o beijando. Não foi um beijo comum foi um beijo feroz. Rael tentava fugir do beijo, mas acabava correspondendo sem querer. Até que ele se lembrou de Violeta e sobre os sacrifícios.

Se ele gostava de beijar, Mara também deveria gostar, então ele começou a corresponder mais adequadamente. Ele não sabia se poderia convencer ela a mudar de ideia usando aquilo.

― Você não me mata porque me ama, eu posso ver isso desde a última vez que ficamos juntos. Então você nunca vai me machucar ― disse ela quando o soltou e lambeu os lábios de Rael com a própria língua.

― Você está completamente enganada sobre isso ― disse Rael de volta.

Mas ele não negava que beijar essa mulher odiável era bom, o sabor dela era delicioso, até o hálito e o cheiro.

― Estou é? É assim que você espera que eu retire as palavras a pouco sobre sua noiva? Você é muito ruim em ameaçar ou negociar ― observou ela.

― O que você quer? ― perguntou Rael.

Mara estava agarrada a ele para que ele não fugisse, as mãos dela estavam em volta do pescoço dele.

― Quero sua palavra que você se esforçará mais por mim, não quero parecer a única interessada nesse relacionamento ― disse Mara.

― Então assim você permitirá Rose ficar comigo?

― Eu ainda não tenho certeza, tudo depende de suas ações ― disse Mara sorrindo.

Rael podia vê-la sorrir, mas ela não podia ver a expressão de Rael.

                Os homens o tempo todo ficaram conversando e Rose não saiu do lugar. Mesmo que ela fugisse, ela seria pega assim que a escuridão acabasse, por isso ela só podia confiar em Rael para resolver aquele problema.

                Finalmente o tempo normalizou e Rael apareceu agarrado com Mara. Os homens ficaram todos confusos. Mara soltou Rael e virou-se para seus homens.

― Podem deixar a garota por enquanto ― disse ela e depois voltou a se virar para Rael. ― Eu nunca planejei tirar ela de você, aquilo foi um simples blefe para saber o que você faria. Eu errei da primeira vez que fiz algo contra algum ente querido seu, não quero cometer o mesmo erro. Eu queria levá-la conosco porque ela é muito bonita e sem você aqui alguém pode tentar machucá-la. Eu ouvi sobre as suas últimas ações e você andou chamando atenção, você tem nossa proteção, ela não. Vai mesmo deixá-la aqui? ― perguntou Mara.

Colocando as coisas dessa forma parecia que Mara estava fazendo isso para proteger Rose. Rael não teve certeza.

― Por que eu confiaria em você? ― perguntou Rael.

― Você ainda não percebeu que eu quero mesmo sua lealdade? Eu não o culpo se sua mestra o obrigou a ter essa garota como sua noiva. Contudo, ela não será sua primeira esposa. Mas é sério, espalhar que ela era sua concubina foi realmente uma surpresa ― disse Mara e acabou rindo um pouco.

Rael ficou definitivamente surpreso. Mara tinha mandado matar Rita, mas agora estava agindo um pouco diferente do esperado. Rael não sabia o que pensar sobre ela.

― Rose, o que você quer fazer? ― perguntou Rael virado para a moça.

Em resposta Rose passou caminhando por entre os homens e parou ao lado de Rael de frente a Mara. Obviamente ela queria ir junto.

                Naquele momento as portas de todas as casas estavam abertas e seus moradores do lado de fora. Porque o Mergulho da Escuridão de Rael tinha afetado até os residentes com casas fechadas, desde que estivesse no alcance da habilidade, nem mesmo uma porta impediria a escuridão de agir.

Na porta da casa de Rael, estava Adam, Barbara e Rita, nenhum deles tinha se metido no assunto. Afinal era o clã Torres presente. Ninguém ousava tentar se meter em um assunto deles. Desde que Rael e Rose estivessem bem eles apenas ficariam quietos.

― Sua mestra pelo menos tem bom gosto, essa garota é incrível e está no mesmo reino que eu. Posso perguntar a idade e nome do clã dela? ― perguntou Mara.

― Ela tem quinze anos, o nome do clã minha mestra não me disse ― explicou Rael calmamente.

Mara ficou chocada, não só ela, como seus homens. Mara estava no quinto reino, mas tinha um tipo de ajuda especial, agora uma garota mais nova que ela estava no mesmo nível. Mara não sabia o que pensar.

                Mara também tinha notado que Rael havia subido para o terceiro reino, ela estava surpresa, mas não perguntou, preferiu manter isso para si mesma. Ela só se lembrava de Rita dizer que ele tinha iniciado um treinamento.

A mestra de Rael parecia alguém incrível, então ela decidiu aceitar Rose, não seria bom ofender uma mestra capaz de treinar um discípulo tão rápido quanto Rael estava sendo treinado. Ela se perguntava que tipo de nível a mestra de Rael poderia ter.

Por Lord Letal | 28/11/17 às 22:58 | Ação, Aventura, Fantasia, Romance, Brasileira, Poder, Harém, Drama