CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 332 – Batalha Segue

O Herdeiro do Mundo (HDM)

Capítulo 332 – Batalha Segue

Autor: Edson Fernandes | Revisão: Diego Menezes

A chegada deles fez Rael e Yara pararem tudo que estavam fazendo. O fato é que Rael não estava conseguindo fazer uma boa leitura do poder das leis que estava naquele salão. Ele entendia apenas parte delas, tornando um pouco difícil de descobrir como lidar com o Deus de Pedra e seus guerreiros.

                Graças a chegada dos dois, as estátuas de pedra fizeram uma pausa, dando tempo a Rael e Yara descansarem. Rael odiou o surgimento deles, mas não havia nada que pudesse fazer, agora além de se preocupar com os problemas atuais, ele tinha mais, um que era aqueles dois.

― Sejam bem-vindos, novos desafiantes! Um segue as regras e outro quebrou as regras! Eu sou o Deus de Pedra e a dificuldade do desafio de vocês aumenta agora devido à quebra de regras! ― Anunciou o Deus de Pedra. Sua voz ecoou com soberania por todo o salão.

                O Deus de Pedra liberou uma energia dourada de seu peito que se espalhou no ar envolvendo todas as estátuas menores e ele mesmo. De estátuas escuras eles passaram a se tornar dourados, até suas armas foram transformadas, ganhando formas mais poderosas em tons vermelhos e se tornaram brilhantes.

― ‘Nossa situação não é boa Yara. Se já estava difícil antes, agora ficou muito pior, graças aquele menino e eu ainda não sei o que se passa na cabeça dele.’ ― Pensou Rael que ainda continuava tentando analisar os símbolos de poder das leis, mas a falta de conhecimento não o deixava ter qualquer ideia do que fazer. Tudo que ele sabia é que havia um tipo de ordem de destruição, que deveria ser cumprido para enfraquecer uma lei.

                As estátuas se dividiram em dois grupos, um deles de arco e o outros de espada e escudo, esses de espadas e escudos cercaram Isaac e Lana.

                Rael e Yara viram o corpo de Isaac ser tomado por um intenso brilho prata repleto de raios, mesmo os olhos do garoto foram cobertos com aquele poder. Isso deixou Rael impressionado.

― ‘Para ter um controle desses com um elemento... seria preciso muitos anos de cultivo e treino constante, esse menino é um completo monstro’ ― Pensou Rael.

― Herdeiro, escute bem! ― Gritou o menino loiro olhando para cima ― Você quer o tesouro que está na estátua maior, não é? Pois bem! Eu o pegarei para você e depois disso você libertará minha amiga do selo, esse será nosso acordo!

― Acordo? Eu não mencionei aceitar qualquer acordo com vocês dois, se quer que eu tire o selo dela, a única opção disso acontecer é fazendo um pacto de sangue comigo, de outra forma não sou estúpido para fazer isso por vocês. ― Disse Rael de volta firmemente.

Rael não tiraria o selo de Lana, a menos que ela prometesse não tentar mais matá-lo, nem mandar Isaac ou outro o fazer, e que ainda o ajudasse a encontrar seus aliados. Além disso, Rael iria exigir que ela não o traísse e nem fizesse qualquer ato que pudesse trazer algum problema futuro para ele. Em troca, Rael manteria sua palavra e removeria o selo deixando a jovem ter seu poder total de volta. Rael pensou nisso por muito tempo, seria vantajoso para ele ter Lana o apoiando até encontrar os seus.

― ‘O poder dela deve superar até o das violadoras, embora não tenha certeza disso, mas ela não teria dificuldades em cruzar o universo’ ― Rael tinha quase certeza disso.

― Herdeiro, sem nossa ajuda você morreria, pense bem sobre isso. ― Disse o menino loiro fechando um punho e mostrando a Rael. Toda a eletricidade rugia violentamente no braço do menino enquanto ele sorria com a certeza completa de que poderia destruir facilmente seus inimigos a frente. Mas parte disso, era uma ameaça disfarçada que Rael captou e não gostou.

― ‘O pior de tudo é que não faço ideia de como causar danos a esse menino, embora eu tenha tido alguns pensamentos antes, depois do que vi, não sei se daria certo.’ ― Pensou Rael frustrado.

― Muito bem! Vou cumprir minha parte destruindo essas estátuas idiotas e então a gente vê isso depois ― gritou o menino loiro. Ele viu quando Isaac sacou a poderosa lança cheia de poder das leis e se preparou para iniciar os ataques contra os guerreiros de pedra que fechavam o cerco sobre ele.

― ‘Mestre, cuidado!’ ― Yara avançou agarrando Rael e fugindo com ele no momento que várias flechas poderosas subiram rugindo no ar. No mesmo instante as estátuas, cercando o menino embaixo, lançaram vários ataques sobre ele.

BOOOM! BOOOM! BOOOM! BOOOM! BOOOM!
As estátuas cercando Isaac eram arremessadas umas após a outra a cada giro da lança, era impossível para aquelas estátuas fracas conseguirem segurar a força daquele menino. Enquanto Rael via isso se enchia de preocupação. Enquanto ele e Yara só poderiam fugir, o garoto estava destruindo tudo embaixo. Isaac sorria enquanto avançava com sua lança praticamente triturando as estátuas no caminho, que eram quebradas e lançadas longe como frágeis cascas de ovos.

― ‘Alguma coisa me diz que não é apenas questão de destruir as estátuas, deve ter algo mais por trás desse desafio.’ ― Pensou Rael com calma enquanto continuava sendo levado por Yara que se mantinha esquivando com Rael. Quando ele destruiu parte das estátuas elas se recuperaram, então por que com Isaac seria diferente?

                O mesmo começou a acontecer, as estátuas que Isaac quebrava e arremessava longe iam se recuperando em velocidade acelerada e retornando para perto do menino, apenas para serem quebradas novamente e arremessadas longe. Isaac não ficava parado, ele avançava destruindo as estátuas e jogando para longe dele e de Lana, que só ficava na retaguarda do menino.

― ‘Ela está tão fraca que não pode nem mesmo voar?’ ― Pensou Rael observando Lana.

― ‘Mestre, eles estão ficando melhores na mira, se continuarmos assim seremos atingidos em breve’ ― pensou Yara, lembrando Rael das flechas que continuavam passando voando.

― ‘Eu não posso acreditar que meu poder se resuma apenas a isso...’ ― Rael pensou irritado e concentrou seu poder com mais intensidade nos seus olhos. ― ‘Yara aguente mais um pouco, eu irei descobrir uma forma definitiva de destruir esse Deus de Pedra’ ― Rael pensou mandando as novas ordens a sua invocação. Yara continuou obediente levando Rael consigo e desviando das flechas.

                Com Rael nos braços, a velocidade da jovem invocação ficava menor, por isso ela estava tendo dificuldade. Ela se mantinha atrás de Rael, o agarrando pelas costas e o levando de um lado a outro. Graças ao tamanho de Rael, estava mais fácil do que seria se ele tivesse adulto.

                Enquanto era carregado de um lado a outro, Rael analisava os símbolos, que para ele, pareciam difíceis de entender. Ele focou toda sua concentração e fez uma breve ligação com os símbolos que já conhecia. Aos poucos ele foi tendo algumas respostas.

― ‘Eu sabia! Tem uma regra das estátuas que pode matar e na ordem certa... também existe um tempo, sem seguir essa regra é praticamente impossível de vencer o Deus de Pedra.’ ― Rael mal pensou e já viu Isaac saltando contra o Deus de Pedra que preparou as duas espadas.

                Yara parou de esquivar porque naquele momento não havia flechas direcionada a eles, todas estavam indo no menino loiro com lança em mãos e um sorriso um tanto quanto macabro. Depois que começou a luta contra as estátuas, o menino loiro parecia quase ter se tornado outra pessoa.

― ‘Será que ele...’ ― Rael parou o pensamento de boca aberta. A lança perfurou o peito do gigante Deus de Pedra que deu alguns passos atrapalhados para trás, uma intensa energia de raios soprava fortemente na lança do menino e no local atingindo.

                Várias flechas de pedra acertavam o garoto e se quebravam, virando pó. Nada parecia causar o menor ferimento nele. Se tivesse alguém que de fato merecia o nome de invencível era aquele menino e Rael não teve dúvidas disso.

― ‘Ele nem precisa concentrar qualquer defesa, o corpo dele já faz isso naturalmente. Na realidade, o corpo dele já é assim por natureza’ ― Rael entendeu facilmente como o corpo do menino invencível funcionava, mas continuava sem ter nenhuma explicação de quem era ele e do que vinha sua existência.

                Isaac puxou a lança com força do peito da estátua que abriu um buraco e expos a pedra dourada brilhante como ouro. O garoto no impulso tinha saltado para trás e se afastado um pouco do peito. Por sorte, o braço da estátua estava a caminho e isso serviu de apoio para o garoto apoiar os pés, pôr impulso e saltar de volta para frente, pronto para agarrar a pedra.

― ‘Não pode ser... ele vai conseguir sem seguir as regras?’ ― Rael pensou abismado vendo toda a cena acontecer em sua frente, quase em câmera lenta. As flechas continuavam voando contra o garoto e as estátuas não pareciam se preocupar com o fato de que não faziam qualquer efeito nele.

ZUUUUUUF BOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOM!

Quando o menino já ia agarrar a pedra, a mesma vibrou loucamente, pregada no peito da estátua e explodiu soprando uma poderosa rajada de energia dourada contra o peito do menino. Isaac foi pego de surpresa e ele fez uma careta no momento que percebeu o que ocorreu. Ele foi forçado pela energia e atirado para cima com uma velocidade absurda. O garoto acabou indo parar no teto metálico abrindo um rombo e se prendendo dentro.

                Lana ficou exposta embaixo perto do Deus de Pedra que se virou com olhos brilhantes para ela, ele levantou as espadas pronto para destroça-la.

― ‘Yara rápido, salve aquela mulher’ ― Ordenou Rael e se soltou dos braços de Yara que imediatamente desceu com velocidade para cumprir a ordem de Rael. Lana pareceu entender bem o que Yara veio fazer e até se jogou na direção dela, se deixando levar. Rael observou tudo isso com calma, tendo alguns pensamentos silenciosos.

                O Deus de Pedra se recuperou junto com todas as suas estátuas e, mais uma vez, aumentou a intensidade de seu poder, deixando todas as estátuas ainda mais brilhantes.

― Desafiante que não segue as regras, você mais vez as quebrou, agora estou mais resistente e mais forte que antes. Cada vez que você quebrar as regras meu poder aumentará. Isso é uma das leis que me cercam. ― Disse a voz Soberana saindo da estátua maior.

                Yara voou na direção de Rael trazendo Lana deitada em seus braços, como um homem faria com uma mulher levando-a ela pra cama.

― Você confiou muito rápido na minha invocação, quando a viu indo até você, eu presumo que isso tenha um motivo especial’ ― disse Rael olhando Lana.

― Não pense besteira, eu apenas previ que você iria me salvar para que nós te devêssemos uma. Isaac é o único que pode enfrentar essa coisa, e seria um erro terrível para você me deixar morrer aqui, sendo eu a única que pode fazer um bom acordo por você. Sem mim você acabaria morto muito em breve, seja pelo Deus de Pedra ou por Isaac.

― Seus poderes são bestiais, você prevê os movimentos de Yara mesmo sem a ver e soube de cara que ela foi te salvar sem eu dizer uma só palavra. Você está lendo os pensamentos de Yara e foi assim que descobriu tudo sobre mim. Antes deu usar Yara você não fazia ideia de quem eu era. Admita, eu entendi tudo.

                Lana mordeu os lábios mostrando um pouco de raiva o que fez Rael ter praticamente certeza de suas palavras. Não era difícil ligar os pontos uma vez que tudo tinha se tornado tão evidente. Lana também olhava algumas vezes para o teto preocupada onde Isaac foi atirado, o menino ainda estava tentando se soltar dos vários espetos de metais. O lugar destruído pelo menino, tinha se tornado um mar de espinhos afiados sobre os quais ele amassava com as mãos. O garoto conseguiu sair do meio dos espinhos com parte da roupa rasgada e se jogou para frente para poder voltar ao chão, enquanto caia, ele viu Yara carregando Lana e ficou extremamente aliviado.

                As flechas mais vez choveram no céu e Rael agora tinha que se virar e esquivar sozinho, enquanto Yara ao lado carregava Lana. Embaixo, os guerreiros de pedra cercaram o menino que estava sem sua lança já que, no momento do impacto, a arma tinha voado para um dos cantos do salão.

                O menino estendeu a mão para frente como se estivesse prestes a agarrar algo. A lança, de longe, se tremeu recebendo o chamado e, em seguida, flutuou um pouco para cima como se tivesse vida própria, depois se atirou na direção de Isaac e foi atravessando e destruindo todas as estátuas pelo caminho. Embora a lança atravessasse com força, tudo que ela destruía eram as partes pelas quais passava. Antes, quando o menino destruía alguma região específica das estátuas, várias partes dela se quebravam junto, como por exemplo o peito, isso fazia destruir braços e pernas.

                O menino recebendo a lança de volta, voltou a desferir poderosos golpes nas estátuas, que, a partir desse ponto, não voavam mais para trás como antes, elas tinham partes quebradas, mas apenas nos locais atingidos. Elas também acertavam golpes no menino, que, por sua vez, continuavam sendo inúteis. O garoto não sofria nenhum dano, tudo que tinha acontecido com ele, era ter pedaços de sua roupa rasgada.

― Ele não vai conseguir sozinho, precisamos fazer alguma coisa ― Disse Lana preocupada. Como ela estava perto de Rael ele pôde ouvir.

― Eu não posso fazer nada graças a entrada de vocês, tudo ficou muito mais difícil. ― Reclamou Rael ainda indignado com a atual situação.

― Se não fosse por nós você seria morto, senhor Herdeiro, e eu deveria ter deixado isso acontecer se você quer saber!

― Que tal parar de me chamar de senhor Herdeiro? Eu me chamo Rael e não gosto de ser tratado assim. Se você viu minha mente através de Yara, sabe muito bem que não me gabo por isso. Agora pode me dizer por que tem tanta raiva de mim? ― Perguntou Rael de volta, ele e Yara continuavam fugindo das flechas.

― Por que você quer tanto saber sobre isso? ― Perguntou Lana.

― Porque precisamos parar de sermos inimigos, já é a hora. Tenho certeza que você também deve concordar. Ajudar você significa me ajudar e vice-versa, não precisamos ficar nessa.

― Está preocupado por que está sozinho? Sem sua Soberana e as violadoras? Agora quer me usar para se juntar ao grupo?

― Lana, não sei se você percebeu, mas a cada momento que se passa, as estátuas estão ficando mais fortes. Os golpes de Isaac estão mais fracos a cada instante. Além disso, existe uma regra que deve ser seguida para destruir as estátuas e apenas depois atacar o Deus de Pedra. Se isso continuar, nós não sobreviveremos e você sabe! Quer morrer aqui junto comigo? Ou quer ser liberta desse selo e lutar mais um dia? ― Perguntou Rael deixando Lana com uma expressão um pouco irritada, mas era a pura realidade. Se eles quisessem sobreviver, teriam que trabalhar em equipe.

                Lana lançou um olhar para Isaac e teve que admitir que Rael tinha razão. O menino não estava mais fraco, eram as estátuas que estavam ficando mais poderosas. Agora ele mal estava conseguindo afastar alguma de perto dele. Por mais que ele não se ferisse, ele também não conseguia destruí-las e isso estava se tornando um ciclo infinito.

― Muito bem, Herdeiro! Diga quais são suas exigências e eu direi as minhas, se concordar com meus termos, eu concordarei com os seus se forem plausíveis.

_____________________________________________________
Página da novel Existência --> https://www.facebook.com/SoliverBruno/

Curtam a página e olhem a postagem. Comprem o primeiro livro de Existência Ilimitada e conheçam Isaac, lendo a história através dos olhos dele e vejam como ele ver Rael... afinal, cada protagonista tem sua própria visão um do outro.

____________________________________________________________

Esse cap foi ganho pelo desafio mais cedo. Antecipei o capítulo devido uma falha no ultimo que ficava dando erro de página, que fez os comentários sumirem.

Desafio para liberar um amanhã.

60 pessoas diferentes comentando no capítulo aqui

50 curtidas na postagem do capítulo no facebook.

Caso não consigam cumpri o desafio até amanhã de tarde. O próximo capítulo sai apenas no final da próxima semana.

Por Lord Letal | 10/01/19 às 19:48 | Ação, Aventura, Fantasia, Romance, Brasileira, Poder, Harém, Drama