CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 338 - A Decisão de Rael

O Herdeiro do Mundo (HDM)

Capítulo 338 - A Decisão de Rael

Autor: Edson Fernandes

Rael ouviu as palavras de Mundius e sabia que teria que tomar uma decisão. Muitas coisas corriam em sua cabeça como um vendaval, nesses últimos minutos ele tinha descoberto detalhes de sua vida que jamais poderia ter imaginado.

― O que fez com aquele mundo que eu estava antes? Eu preciso saber. ― Rael decidiu voltar em um ponto que ele julgava importante. Ele não poderia se aliar a um homem que destruía planetas como se não fosse nada. Mesmo que ele estivesse fraco e indefeso, ainda havia um nome no que ele foi em seu auge, ainda havia honra e isso não poderia ser quebrado por mera vontade de sobreviver.

― Aquele mundo pequeno que você estava? Ele ganhou um núcleo substituto e terá mais alguns dias de vida, depois ele irá desaparecer. ― Explicou Mundius sem mostrar nenhuma preocupação, nem alteração em sua face. Ele certamente não estava preocupado com mais nada sobre aquele assunto.

― Antes de tomar minha decisão, eu gostaria de ter uma conversa a sós com Roram. ― Rael pediu depois de ouvi a resposta e isso fez Mundius se ergue de seu assento.

― É justo, darei a vocês um tempo e retornarei para ouvir sua resposta. Espero que dessa vez não seja a resposta de um tolo.

                Mundius saiu caminhando pela porta que se abriu e fechou sozinha após ele sai da sala e Rael ficou diante de Roram. Os dois se sentirem inquietos, ambos pareciam ter centenas de perguntas um para o outro e estavam nesse impasse.

― Eu começo. ― Disse Rael decidido se levantando do seu assento. ― Eu quero saber por que fui traído? O que foi oferecido aos outros que eu no meu auge, não poderia ter dado? ― Perguntou Rael.

― Todos os seus ensinamentos pregavam a grandeza da humildade. Nós fomos criados aprendendo a viver com pouco e com o suficiente. O senhor nos deu armas descentes e tudo que precisávamos para fazer nosso trabalho, eles não precisavam terem iniciado essa traição.

― E exatamente onde começou? ― Perguntou Rael vendo Roram parado em pé com um ar pensativo e distante como se estivesse vasculhando em sua mente as respostas.

― Eu acredito que foram os deuses, eles viviam conversando comigo e com meus irmãos quando tinham a chance e sempre diziam coisas estranhas. Eles diziam que nós deveríamos ser muito maiores, que nós não nascemos para sermos controlados e outra séria de coisas.

― E por que dentre todos você foi o único a fica do meu lado?

― Eu não tive interesse nas palavras deles. Eu podia sentir que havia algo de errado e tentei conversar com os outros quando começaram a dar sinais de insatisfação com o seu tratamento conosco. Eu não consegui fazê-los ver a verdade e também não fui mais chamado em algumas conversas. Eu comecei a desconfiar que tramavam algo mas não descobri a tempo e resultou em sua morte.

― Então eles foram corrompidos pelos deuses. ― Resumiu Rael entendendo o ponto chave.

― Senhor eu acredito que sim, eles nunca deveriam tê-lo traído, mas já é tarde para pensar sobre os motivos. Agora eles exercem cargos de poder em alguns planetas importantes.

― Eles estão todos vivos? ― Perguntou Rael curioso.

― Estão, eu não tenho poder suficiente para vinga-lo e os apoios que eles possuem são bem poderosos.

― Mundius me parece bastante poderoso também. ― Observou Rael.

― E ele é, se ele quisesse poderia destruí-los, mas não é esse tipo de acordo que temos. ― Disse Roram um pouco desanimado.

― Não se preocupe com isso, eu só estou tentando entender melhor um pouco mais sobre o que eu era, o que eu representava e aos fatos que me levaram a esse momento. ― Disse Rael.

― O senhor era o mestre do universo, alguém que tinha o poder de fazer qualquer coisa. Sua luz se espalhava por todos o universo e sua justiça era sem igual. Haviam banquetes para recebe-los, festas e outra série de eventos, o senhor evitava muitas delas quando percebia más intenções por parte dos reunidos.

                Rael ficou um tempo em silencio pensando e revisando tudo o que ouviu. Se ele fosse pego por outro ser como Mundius com más intenções, ele não escaparia. A sorte dele tinha sido Roram e nada mais.

― O que acha que eu deveria fazer Roram? ― Perguntou Rael tentando encontrar um caminho. Ele estava com algo na cabeça, ele acreditava não poder se aliar a um homem como Mundius que tratava mundos pequenos como fonte de energias.

― Mundius não é um homem de todo mal, mas ele não é alguém que inspire o bem. Somente o senhor pode toma a decisão a frente.

― Eu não posso aceitar os termos dele, aceitar isso seria como concordar que ele destrua mundos pequenos como vem fazendo. ― Disse Rael se lembrando de que seu mundo também quase foi destruído pela ganancia de poder.

― Eu entendo senhor, mas ficará desprotegido, é isso mesmo que quer fazer? Recusa o pedido dele tirará a proteção que teria. ― Perguntou Roram cautelosamente.

― O que ele fará comigo se eu recusar? ― Perguntou Rael.

― O senhor será deixado em algum planeta e nós continuaremos nossa jornada. Eu queria ficar com o senhor e protege-lo, mas se eu sair da nave por muito tempo, os outros irmãos me acharão e me matarão, descobrindo também o senhor. Nesse momento eu apenas marcaria um alvo no senhor, tornando fácil de ser descoberto e encontrado.

― Se eu pudesse encontra pelo menos Alexia. ― Disse Rael preocupado.

― Mestre Herdeiro eu sinto muito, eu não posso ajuda-lo a encontrar seus aliados. Eu nem sei o que dizer ao senhor nesse momento, eu ainda estou emocionado de tê-lo encontrado com vida.

― Eu sei Roram, não se preocupe. ― Disse Rael com calma notando a inquietude de Roram. Ele podia sentir no olhar do mesmo, que esse tinha um enorme respeito e amor por Rael praticamente incondicional.

                Roram estava incomodado com a decisão e Rael mas não podia dizer nada, ele melhor do que Rael sabia o que o Herdeiro de fato representava e não podia de certa forma, ser visto ao lado de um homem como Mundius.

― Existe algum aliado que eu possa buscar? Alguém em que possa confiar? ― Perguntou Rael depois de alguns segundos.

― Existe sim senhor, o senhor costumava ter uma grande afinidade com o Deus dos Desejos, o Deus da Sorte e a deusa mestiça Cristal, filha de Cristalandio. Esses três seres tinham mais fácil acesso ao senhor e mais contato. O senhor parecia dar a eles um tratamento diferencial, embora nunca tenha nos dito a razão exata pra isso, mas acredito que significava que o senhor confiava neles.

― Cristal, é a segunda vez que ouço o nome dela sendo mencionado. ― Disse Rael pensativo.

― Eu me lembro dela, era uma deusa muito linda com um cristal vermelho brilhante no centro de sua testa. No entanto o pai dela o deus Cristalandio não era bom, ele queria espalhar seu poder por todos os mundos e destruir tudo. Foi com ajuda de Cristal que o senhor há muitos anos atrás conseguiu parar o desenvolvimento e lacrar ele. ― Explicou Roram.

― A própria filha traindo o pai, vai entender. ―Disse Rael.

― Diziam que ela era mais humana do que propriamente deusa, mas eu não entendo as razões exatas senhor. ―Disse Roram.

― E como eu os encontro? Vai consegui me deixa próximo a algum deles? ― Perguntou Rael.

― Eu posso tentar falar com Mundius, mas não posso garantir que vá consegui, uma vez que o senhor menciona sua decisão ele vai querer deixa-lo em qualquer planeta mais próximo, tirando assim a proteção que o senhor tem nesse momento por estar conosco na nave.

― Nunca é fácil. ― Disse Rael pensativo e suspirou se sentando de volta no sofá. Roram permaneceu em pé o observando.

― O senhor pode me falar um pouco mais sobre como está? Como foi ter renascido? Como estão as guardiãs?...

                Roram e Rael conversaram por algum bom tempo, Rael contava coisas sobre o mundo pequeno e como foi seu desenvolvimento, enquanto Roram contava coisas de como ele era em seu auge e as horas voaram para ambos. Rael se sentiu a vontade com Roram e não teve medo de contar todos os seus segredos, ele sentiu que podia confiar nesse homem.

― Parece que vocês já tiveram bastante tempo para conversarem. Agora eu preciso da sua resposta. ― Disse Mundius entrando na sala. O homem continuava com o peito descoberto e a mesma calça larga, exibindo sua vasta musculatura.

― Eu não posso me aliar a um homem que destrói mundos, isso seria contra tudo que o meu eu representava. Se você parasse o que está fazendo, talvez pudéssemos entrar em um acordo. ― Propôs Rael. Roram e Rael haviam se levantado de seus lugares e observavam Mundius com faces preocupadas. Ao que Roram havia dito, Mundius dificilmente pararia o que estava fazendo, mas não seria impossível tentar.

― Temos um impasse, porque eu não posso parar. Esperar que você recupere seus poderes pra só então me ajudar, levaria um tempo longo. Não posso esperar. ― Disse Mundius dando sua resposta de forma simples, ele não parecia chateado com a decisão de Rael.

― Se é esse o caso então não posso continuar aqui. ― Disse Rael.

― Parece que tudo já foi decidido. Eu não posso fazer nada mais a não ser desejar sorte. Lembre-se, os outros não serão tão sociáveis quanto eu fui, se for pego novamente você será morto ou subjugado por algum esquema. Pode ser difícil controlar seu poder, mas pode haver uma forma e se descobrirem, você será apenas um fantoche de alguém. ― Alertou Mundius.

― Eu estou ciente da minha escolha e dos perigos que corro. ― Disse Rael firme de volta.

― Continua burro Herdeiro, se você se juntasse a mim e recuperasse seus poderes, nada poderia conosco. O universo poderia voltar as suas mãos e eu realizaria meu desejo, mas respeito sua escolha e lhe garanto que você viverá com ela. ― Disse Mundius se virando para sair da sala e parou. ― Roram leve-o para a sala de estoque e devolva seus pertences, pode dar a ele alguma ajuda que achar necessária, depois iremos deixar ele no primeiro planeta que encontrarmos.

                Roram e Rael saíram lado a lado passando por vários corredores e salões da nave. Por onde passavam homens e mulheres os observavam com curiosidade.

― Eles não sabem que você é o Herdeiro, sabem apenas que um visitante de classe S.

― O que significa um visitante de classe S?

― Significa que ninguém aqui pode fazer qualquer mal a você, se por acaso o encontrarem fora da nave eles ainda o deixarão ileso. Visitantes com esse tipo de classe, são basicamente tratados como aliados. Eles estão olhando porque se sentem curiosos, sem entenderem o motivo de alguém que aparenta ser tão simples, ter esse tipo de relacionamento com Mundius, o homem dono de tudo isso.

                Olhando em volta, Rael podia sentir que aquelas pessoas não eram simples, cada um deles tinha um enorme cultivo e com certeza um vasto conhecimento. Mundius parecia carregar um próprio mundo dentro daquela nave voadora.

                Rael teve seus pertences devolvidos e foi liberto do bracelete escuro do seu braço, tendo assim todos os seus poderes de volta. O medalhão de Seimon retornou ao seu pescoço ocultando seu poder sem que deixasse os outros sentirem sua aura para não identificarem que ele era o Herdeiro.

― De todos que possam o encontrar mestre, os mais perigosos são os Protetores de Ouro. Se algum deles topar em seu caminho tente fugir e não importa o que digam, não confie em nenhum deles. ― Avisou Roram.

― Eu sei. ― Disse Rael preocupado com seu próximo destino.

― Mundius permitiu que eu pudesse ajuda-lo com algumas coisas, então farei algumas atualizações em seus equipamentos. Posso mexer em sua armadura mágica? ― Perguntou Roram e Rael permitiu com um sim.

                Roram mexeu no bracelete de Rael colocando parte de um pequeno núcleo de um planeta. Quando o bracelete voltou parecia estar muito mais poderoso, carregando uma vasta energia.

― Agora sua armadura está muito mais poderosa que antes, coloquei uma pequena parte de um núcleo nela. ― Explicou Roram.

― Obrigado. ― Disse Rael analisando o bracelete.

― Aqui pegue isso. ― Disse Roram entregando um pequeno cristal de vidro a Rael. ― Esse é um item raro chamado teleportador instantâneo, no momento que o senhor precisar de mim quebre-o e grite meu nome. Não importa onde o esteja, eu serei levado até o seu lado e poderei ajuda-lo. ― Explicou Roram.

― Você disse que não poderia sair da nave. ― Questionou Rael aceitando o presente.

― Sim eu disse, mas se for pra uma emergência eu devo. ― Disse Roram firme de volta. ― Minha vontade era ir com o senhor, não posso, se eu for serei caçado e isso os levará até você. Eu servirei apenas como um alvo sendo colocado em suas costas. Estará mais seguro sem minha presença por perto.

― Eu entendo, obrigado de toda forma. ― Disse Rael.

― È uma pena que você tenha que parti, eu gostaria de conhecê-lo melhor. Falam tantas coisas de você, coisas que nem eu mesma entendo. ― Disse uma voz feminina ao lado deles e Infinita apareceu depois de piscar algumas vezes. A jovem que parecia um fantasma para Rael, o observou com curiosidade.

― Mundius já está vindo, ele mandou preparar o Herdeiro. Encontramos um mundo comum onde podemos deixa-lo. Estaremos fazendo uma rápida passagem por ele.

― Não seria melhor um mundo pequeno? ―Questionou Roram.

― Um mundo comum está bom, esse era o plano desde o começo. ― Disse Rael antes que Roram pudesse mudar as coisas com Infinita.

― Qual o nível mediano de cultivo deles? ― Perguntou Roram.

― Constatamos um grande número de reinos finais, alguns renascidos e alguns poucos nos reinos superiores ao terceiro grau. ― Explicou Infinita.

― Terceiro grau? Isso pode ser perigoso mestre herdeiro. ― Disse Roram parecendo preocupado.

― Perigoso ou não ele já fez sua escolha. ― Disse uma voz autoritária entrando acompanhado de Hilda. Esse não era outro se não o próprio Mundius. Mundius continuava vestido apenas com a calça, como se fosse a única roupa que ele tivesse.

― Basta não chamar atenção e você ficará bem. Constatamos que esse planeta não tem nenhum deus, então acreditamos que ficará bem até encontrar um de seus aliados. ― Disse Infinita.

― Tem sorte que eu valorizo seu homem Herdeiro, caso contrário eu não seria nunca tão cordial com você. ― Disse Mundius com seu jeito sério.

― Está cometendo um erro Herdeiro, deveria ficar conosco. ― Disse Hilda.

― Já basta, ele fez sua escolha. ― Interferiu Mundius antes que ela continuasse.

                Roram não parecia estar tão calmo quanto a maioria, Rael teve vontade de pergunta sobre esses tais terceiros graus mas não teve espaço, porque foi guiado pelos demais enquanto avançava com Mundius e os outros. Eles agora estavam se preparando para deixar Rael e depois avançarem caminho.

______________________________________________________________

Boas noticias Herdeiro do Mundo está de volta.
Serão 4 capitulos mensais sendo lançado um semanal.

Como muitos já devem ter ciencia temos um grupo fechado "Pago" que estamos quase em 500 capítulos sendo lançado 10 a 12 por mês. Esse grupo não tem qualquer ligação com a Saikai ou qualquer outro grupo de lançamentos, é apenas do autor "Eu" e os apoiadores que fazem as doações mensais para manter o andamento dos capitulos. Para fazer parte desse grupo e poder ler os outros capítulos que estão mais adiantados em mais de 150 capítulos basta fazer uma doação de 20,00 reais. Caso tenha interesse entre em contato com o wasap (11) 9990-19307

Por Lord Letal | 02/07/20 às 20:49 | Ação, Aventura, Fantasia, Romance, Brasileira, Poder, Harém, Drama, +18