CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 354 - Pelo Universo

O Herdeiro do Mundo (HDM)

Capítulo 354 - Pelo Universo

Algum tempo havia se passado desde os últimos acontecimentos citados acima. O dia começava animado com as três violadoras e a clone lutando contra Lana que sozinha, dava conta das três.
— Isso é tudo que vocês conseguem fazer? Ainda nem me arranharam! — Gritou Lana contra elas e foi atacada com ainda mais afinco pelas três. As energias explodiam nos corpos das mulheres e a luta parecia quase de vida e morte entre elas.
Rael estava próximo, sentado de pernas cruzadas, no alto de uma montanha cultivando de olhos fechados em cima de pelo menos três matrizes que brilhavam no solo.
— ‘Eu já consegui entrar no reino final e estou no nível três, meu cultivo está bem acelerado, mas ainda não é tão rápido quanto eu queria que fosse.’ — Pensou Rael. — ‘Já elas tiveram um aumento significativo também e a cada treinamento, suas forças aumentam mais.’ — Pensou Rael sobre as violadoras e Lana.
De manhã elas treinavam e a tarde elas se focavam no portal para chegarem até Isabela e Keylla. Violeta estava construindo um portal desse planeta para o delas porque seria muito mais fácil.
Rael dividia seu tempo aperfeiçoando seu conhecimento e outra hora cultivando. Quando chegava noite, ele conjurava a Espada Sagrada do Deus de Pedra e se esforçava para manter ela o maior tempo conjurada. A cada tentativa seu corpo pagava um preço, porém o dano era sempre menor que o anterior.
O universo continuava agitado, todos sabiam que o Herdeiro estava vivo e supostamente indefeso, protegido por uma traidora da mesa, era assim que Lana agora era tratada. Para descobrir detalhes haviam muitos meios, mas o melhor deles foi eles terem pego um cultivador que fazia buscas e revirado a mente dele usando as violadoras. Depois bastou apenas mandá-lo se esquecer e partir do planeta avisando que não encontrou nada.
As matrizes criadas por Lana continuavam protegendo bem os arredores de onde Rael e os demais ficavam, também era mais seguro permanecer perto do planeta onde Rael foi encontrado, porque era muito mais obvio que Rael fosse para bem longe daqueles arredores, ninguém iria esperar que ele apenas ficasse em um planeta próximo.
— O quanto acha que estamos seguros Lana? — Perguntou Rael naquela noite quando todos estavam reunidos comendo a comida feita por Violeta.
— Eu não sei dizer o tempo exato, ainda existem muitos meios de encontrar você sobre os quais nem eu posso evitar. — Disse Lana tomando uma colher quentinha de sopa e continuou falando. — Se os deuses entrarem em acordo, eles podem usar a Visão Universal e achar você a qualquer instante, esse é o meio mais rápido. Nem minhas matrizes, nem seu medalhão poderão evitar que te encontrem.
— A Visão Universal... — Disse Rael enquanto pensava sobre o que havia se lembrado a pouco tempo. Tratava-se de um templo especial onde dez deuses deveriam se reunir e ativar seus poderes, um olho mágico seria ativado e mostraria onde Rael está. O problema é que durante esse processo, todos os dez deuses envolvidos ficariam indefesos como se fossem humanos normais e poderiam ser mortos facilmente.
— Deuses que trabalham em constante conspiração não são capazes de confiar um no outro, sobre isso você nem precisa se preocupar. — Disse Lana poucos segundos em seguida.
— Rael o que é essa Visão Universal? — Questionou Emilia, Rael e Lana deram as explicações a Emilia e as demais. Elas tinham acesso ao Mundo Completo e sua biblioteca, mas não dava para ler tudo em tão pouco tempo.
— Algumas outras formas de localização apenas determinados deuses possuem, mas não tem tanta eficiência quanto a Visão Universal.
— Compreendo. — Disse Rael parecendo um pouco concentrado.
— Se isso ocorrer, eu consigo levar a todos para outro planeta, é o maior salto que posso fazer, após isso estarei bem cansada. — Disse Alice.
— Eu também irei preparar um portal de emergência que nos leve para bem longe quando a hora chega. — Disse Violeta.
— Por enquanto se foque nas guardiãs Violeta, enquanto elas não estiverem comigo não me sentirei bem. Deixei que elas morressem uma vez, não vou deixar que elas morram de novo. Rika e Rose vão nos encontrar cedo ou tarde porque Rika pode se teleportar por mundos usando seu próprio poder. Alexia também vai nos achar, a maior preocupação é somente as guardiãs. Elas dizem que estão bem, mas eu não consigo deixar elas longe de mim.
— Eu sei Rael. — Disse Violeta concordando com um tom silencioso.
~*~
Um total de três meses se passaram depois de todos os acontecimentos acima. Rael conseguiu alcançar o décimo quarto reino e as guardiãs entraram no décimo sexto. Agora, as guardiãs já estavam reunidas juntos aos demais, porém Alexia e as celestiais Rika e Rose não.
De longe, do alto da montanha, estava Rael cultivando concentrado e ao mesmo tempo assistindo a batalha que se seguia abaixo. Lana enfrentava seis oponentes ao mesmo tempo, duas violetas, as guardiãs e as outras duas Alice e Emilia.
— Eu pego ela agora! — Gritou Emilia lançando um ataque monstruoso com o braço direito gigante que tinha crescido de forma bestial, se tornando parte de uma besta. Lana se protegeu com uma camada de escamas de metais que criou em seu corpo e foi pega de surpresa por Alice que surgiu de um portal em seu ponto cego, recebendo um ataque em suas costas.
— Peguei! — Alice comemorou, mas não ficou muito feliz após ver que sua lança de energia causou apenas um empurrão e leve arranhão na pele escamosa de Lana. Duas rajadas de gelo e fogo foram atiradas com violência pelas guardiãs do lado oposto de Alice pegando outro ponto de Lana.
— Hora suas... — reclamou Lana preparando um contra ataque e Alice sumiu em um portal, deixando Emilia tomar seu lugar que chegou com uma imensa rajada elétrica que explodiu no corpo de Lana. Lana sentiu o ataque e deu um leve grito de dor, duas rajadas vermelhas como raios lasers foram lançadas e explodiram sobre ela, as duas violetas se posicionaram defensivamente depois dos ataques.
— Conseguimos? — Perguntou Emilia apreensiva.
Do meio de toda aquela poeira onde estava Lana, uma besta cobra gigante se moveu saindo de algum tipo de casulo e saiu explodindo tudo aos seus redores enquanto as meninas gritavam tentando se defender ou esquivar.
— ‘Hoje ela não agüentou muito tempo e já usou sua transformação’ — Constatou Rael que apesar de estar cultivando, acompanhava sempre o treinamento das meninas. Sempre que Lana se sentia em desvantagem, ela usava sua transformação e contra atacava todas de forma impiedosa para descontar parte dos danos sofridos. As violadoras, agora tinham mais controle de suas formas bestiais devido a doação do sangue de Lana. Lana doou seu sangue tanto para as violadoras quanto para Rael, que refinando, os tornou em pílulas que foram divididas e tomadas por todos com exceção das guardiãs e a própria Lana.
Depois de outra rodada de treino as meninas reclamaram de Lana está se transformando muito rápido e a mesma reclamou de volta que eram muitos contra elas e por tanto ela não tinha muita escolha.
Rael continuou cultivando enquanto deixava seus sentidos de Herdeiro correrem pelos planetas mais próximos. Ele já tinha em mente alguns deuses que iria começar sua vingança e ia usar toda a ajuda que tinha disponível, ele não iria lutar sozinho como fez na época de sua vingança contra o clã Torres, dessa vez, tudo estava diferente.
Enquanto a mente de Rael passeava, ele ouviu cochichos e lamentações de seus inimigos que o procuravam, ninguém sabia responder onde estava Rael, mesmo que sua recompensa já estivesse pelo menos três vezes maior do que na época que começou. Agora eles também estavam em um planeta avançado, não muito longe de onde a deusa Eurina o vira da última vez, mas foi necessário a mudança para o cultivo acelerar. No mundo avançado era muito mais fácil e rápido cultivar.
Lana havia feito matrizes e proteções locais para dificultar a visão dos outros, Rael também criou algumas proteções e por isso eles estavam tão seguros. Agora Rael podia direcionar sua mente em forma espiritual e percorrer milhares de quilômetros enquanto cultivava, assim, ele podia tanto ouvir conversas quanto procurar alvos, como por exemplo, tentar achar as celestiais ou sua Soberana.
— Rael quando iremos hoje? — Perguntou Keylla parando e se sentando ao lado de Rael, Isabela tomou o outro lado e ambas ficaram observando o menino de cabelos ruivos que aos poucos, foi abrindo seus olhos verdes cobertos de energia.
— Vocês hoje estão com pressa. — Disse Rael.
— Toda vez que vamos lá nosso poder aumenta bem rápido e você a cada vez mais ganha mais tempo. — Disse Isabela e Rael concordou. — Meninas eu vou abrir o portal para o Mundo Completo vocês querem ir? — Perguntou Rael no anel e em menos de dez segundos todas sem exceção já estavam cercando Rael. Lana já havia se acostumado e sentia-se da família agora, ela não mais discutia ou duvidava de Rael, tudo era como era, ela sabia que Rael não escondia nada dela.
Reunindo as mãos com as guardiãs o portal foi aberto e todos entraram. No mundo completo a energia transbordava aos baldes pelo ar, muito mais forte do que um mundo perfeito criado para os deuses. Todos os recém chegados, cruzaram seus pés e iniciaram seus cultivos no mesmo instante sem perderem nem mesmo meia respiração. Rael fez o mesmo enquanto um pouco de suor escorria de seu rosto. Ele fazia um enorme esforço para se manter firme dentro do Mundo Completo com seu corpo físico.
O cultivo no Mundo Completo era mil vezes mais rápido do que no mundo em que eles estavam agora. Então, se Rael conseguia permanecer ali com as meninas por três minutos, era como se ele ficasse com elas cultivando por um dia e meio. Em Rael logo dava falta de ar, perdia a concentração do cultivo e todos tinham que voltar, porque sem a presença de Rael no Mundo Completo, qualquer presença era cuspida de volta por algo que nem mesmo Rael compreendia. Mas aqueles poucos três minutos para todos eles eram uma imensa vantagem, porque todos os dias Rael podia fazer uma visita e levá-las, de modo que sempre aceleravam seus cultivos.
Quanto mais tempo Rael tinha a sua disposição mais suas lembranças continuavam voltando, fragmentos e pedaços de sua história iam se montando como um enorme quebra cabeça. Rael com freqüência trocava pequenas palavras de leis nos cultivos de um ou outro que já fazia mais diferença, conforme sua sabedoria ia voltando. Ele já conseguia ver onde errou e porque o velho Seimon havia alertado ele.
— ‘Dessa vez não vou medir forças para aumentar meu poder ou dos meus aliados, farei uso de qualquer arsenal que estiver em minha posse e não deixarei meus inimigos vivos nem se multiplicarem.’ — Pensava a cada momento que se passava e ele mordia os dentes de raiva ao se lembrar de suas estúpidas regras que o fizeram cair. A pior parte era saber que muitos pequenos mundos estavam pagando pela morte de Rael, um enorme número de inocentes estavam nas mãos dos mais fortes.
— A Mesa é apenas fachada, eles ajudam um pouco a manter a ordem mas não fazem isso por nenhum tipo de bondade, fazem isso por interesses próprios. — Disse Lana certa vez quando conversava com Rael e falava dos seres no topo do poder. — As vezes a Mesa age de um jeito e os deuses de outro, eles mantém um acordo de paz mas não costumam trabalhar juntos, a não ser que tenham o mesmo objetivo, como por exemplo a época em que te mataram.
Com suas analises espirituais e suas memórias voltando, Rael estava montando um tipo de mapa de vingança ao qual ele adicionava nomes e a ordem que esses seriam finalizados.
— ‘Eles pensam que eu sou a caça, não perdem por esperar.’ — Pensava Rael que se lembrava de tudo que passou por culpa deles. No fundo Rael também sabia que isso também era culpa de si mesmo, por nunca ter feito uso de seu poder real. Rael agora estava pronto para fazer tudo o que deveria fazer na época, a questão era que ele não tinha ainda todo o cultivo necessário para cumprir suas metas. Lana dissera que o cultivo dos deuses mais fracos era semelhante ao poder de um cultivador no reino dos imortais. O reino dos imortais era o vigésimo reino, partindo desse princípio, Rael só poderia enfrentar a deusa Eurina sem ajuda quando estivesse dentro desse reino, mas vale lembrar que Rael não era um cultivador comum, ele era diferente de todos e tinha ligações sanguíneas que ninguém mais tinha, além de suas posses e artefatos diferenciados.
~*~
Em um planeta distante a Deusa Hazana tocava a mão no solo e analisava a energia do planeta, ela podia sentir a densa energia de morte no terreno, não havia muito tempo que alguém havia feito a limpa naquele local.
— Esse já é o vigésimo planeta que esse ser suga usando o meu poder, só posso entender que foi alguém que venceu o desafio do Espectro. — Concluiu Hazana e levantou-se olhando as várias cinzas de corpos espelhados ao redor da cidade semi destruída.
— Mestra eu encontrei uma coisa que pode interessar. — Disse um servo se aproximando e entregando um pequeno artefato de metal
— Um Gravador de Imagens? Isso é perfeito. — Disse Hazana e ligou o aparelho que lançou um holograma para frente. A imagem de uma bela jovem surgiu espalhando uma aura pura da morte que ao tocar qualquer pessoa transformava em cinzas na hora, o suposto cultivador que segurava o Gravador, morreu e o aparelho foi largado no chão, mostrando apenas a energia em volta sendo sugada para o corpo de Natalia.
— Então é você que está me causando problemas, nunca pensei que alguém pudesse vencer um dos meus espectros, agora tudo muda. — Disse Hazana armazenando o gravador em seu próprio mundo cósmico.
— Façam um mapeamento dos planetas que ela está atacando, quero que me adiantem o próximo planeta que ela irá visitar. — Ordenou Hazana mentalmente para todos os seus servos e ouviu um auto e firme sim. — ‘Vou conhecer você pessoalmente jovenzinha ousada’. — Pensou Hazana abrindo um sorriso frio.
Já fazia um tempo que ela estava seguindo o rastro de Natalia, que por sua vez estava procurando Rael.
Em outra parte do universo era Alexia sendo perseguida por outros deuses e até seres místicos. As únicas sem levantarem perseguições eram Rika e Rose que saltavam de planetas em planetas para tentar achar Rael ou as demais. Para as celestiais tudo era mais questão de sorte do que qualquer outra coisa, elas eram mais fracas por tanto não chamava tanta atenção quanto a menina Soberana.
Alexia cruzou um pedaço do universo em alta velocidade e dividiu seu corpo em três partes, cada uma em uma direção.
— ‘Maldito portal! Quando eu achar Violeta vou puxar a orelha dela por causa desse erro que já está começando a custar muito caro.’ — Pensou Alexia percebendo os números que a seguiam. Dragão era um ser raro e quando descoberto era seguida por grandes números, esses caçadores dividiam suas conquistas no fim da caça, infelizmente não era muito fácil se livrar de tal perseguição mesmo para um ser com o poder de Alexia.
As três Alexia voaram para direções diferentes e o grupo que a perseguia também se dividiu em três, eram deuses e poderosos seres místicos trabalhando em equipe.
______________________________________________________
Pessoal temos novidades no grupo pago!
Agora com uma doação de 30,00 você tem acesso até o capítulo 500
sem ser mensalidade, faça uma doação e tenha acesso ilimitado até o 500 sem
risco de ser expulso ou ter que doa de novo. Você entrará permanentemente em
um grupo que vai até o capítulo 500. Entre em contato abaixo pelo wasap!  (11) 99901-9307
__________________________________________________
A doação mensal também continua! Por 20,00 reais você tem acesso aos lançamentos
mensais chegando até a 18 capítulos por mês! Estamos a caminho do capítulo 600!
Para entrar em contato somente via Wasap por esse numero --> (11) 99901-9307
lembrando que se for de fora do brasil deve acrescenta o 55 também antes do 11
Por Lord Letal | 19/11/20 às 09:58 | Ação, Aventura, Fantasia, Romance, Brasileira, Poder, Harém, Drama, +18