CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 37 - A procura

O Herdeiro do Mundo (HDM)

Capítulo 37 - A procura

Tradução: Lord Letal | Revisão: Sneed - Nego

Quando a multidão viu o que vice fez e ele ser apreendido souberam que algo estava errado. O prefeito que aparentava um ar tranquilo agora estava tenso. Tinha muitas famílias de poder por ali e apesar de ser uma cidade de porte médio baixo, eles nunca tinham feito nada de errado por anos nesses últimos eventos e agora algo assim ocorria. O vice foi levado pelos guardiões para ser interrogado.

― Pessoal não se preocupem, tivemos um problema de ultima hora, mas já estamos correndo atrás de uma solução. Quando eu tiver informações suficiente repasso a vocês ― explicou o prefeito usando a Pedra do Eco.

            Três figuras importantes de varias famílias voaram e pousaram ao lado do prefeito. Entre elas estava Rayger da família Torres, um Elder da família Sangnos e uma bela mulher da família Luante. Todos os três representavam três das cinco potencias do continente Sul. Eles tinham mais do que direito de saber os detalhes mais rápido que o restante.

            Rael e Rose continuaram avançando. Eles encontraram uma trilha e estavam seguindo através dela.

― ‘Essa ilha deve ser enorme, eu não sinto ainda qualquer presença de ninguém mesmo já estando aqui vários grupos, não foi atoa que nos deram um dia inteiro’ ― disse Rael.

― ‘Eu sinto a presença de uma besta de rank C a nossa frente, talvez a dois quilômetros’ ― disse Rose.

― ‘Isso é ótimo. Eu preciso saber se já posso subir de nível matando. Uma besta nível C é como um cultivador no quarto reino’ ― disse Rael animado e começou a correr. Rose o seguiu correndo.

            Os dois estavam ocultando a aura por isso estavam correndo mais devagar. Rael podia ocultar completamente sua energia, enquanto Rose ocultava apenas cerca de noventa por cento. Estando a uns cem metros de alguém, ela poderia ser notada, Rael por outro lado não.

            Rael e Rose pararam a cerca de meio quilometro da energia da besta, porque quatro auras entraram no seu campo de detecção. Essas quatro auras eram de cultivadores do quarto e quinto reino e estavam aparentemente cercando a besta a frente. Como havia muita vegetação, arvores e arbustos pelo caminho eles ainda não estavam vendo nada.

― ‘E agora o que faremos?’ ― perguntou Rose.

― ‘Eu nunca perguntei isso, mas a que distancia funciona nossa conexão mental?’ ― perguntou Rael olhando na direção das auras.

― ‘Costumava conversar com minha mãe numa distancia de até dez quilômetros quando tinha a forma bestial. Nessa forma não sei dizer’ ― disse Rose.

― ‘Então teremos que descobri, isso pode ser útil. Você fica ai e eu avanço, vou parando e conversando com você enquanto vamos testando’ ― disse Rael e avançou alguns metros.

― ‘Rose está me ouvindo?’ ― perguntou Rael a cem metros da moça.

― ‘Sim estou’ ― disse ela. Rael avançou mais cem metros e agora ele podia ver uma besta do tipo cobra gigante. Ela estava acabando de cair depois de ser derrotada por quatro cultivadores.

― ‘Eu não estou ouvindo nada’ ― disse Rose lá de trás. Agora estavam a duzentos metros de distancia.

― ‘Relaxa ai, eu já estou vendo os donos das auras, eles acabaram de derrota a besta’ ― disse Rael de volta.

                Os quatro eram pessoas aleatórias de alguma outra família sem qualquer importância para Rael.

― ‘Que chato, é um grupo qualquer’ ― disse Rael de volta a Rose.

― ‘Eu posso me aproximar?’ ― perguntou Rose.

― ‘Vou fazer um teste com eles, permaneça ai, ainda vamos testar nossa distancia de comunicação’ ― disse Rael e avançou mais cem metros.

― ‘Rose?’ ― perguntou ele a trezentos metros.

― ‘Ainda estou aqui ouvindo’ ― respondeu a moça.

― ‘Será que isso chega a um quilometro pelo menos?’ ― se perguntou Rael e avançou mais cem metros. Ele caiu no raio de visão dos quatro que se viraram na mesma hora que ele saia de perto das arvores. Todos os cultivadores já estavam de armas em mãos e ficaram atentos sobre a presença de Rael.

― ‘Quase meio quilometro ainda me escuta Rose?’ ― perguntou Rael.

― ‘Sim ainda consigo ouvi, você sumiu da minha visão’ ― disse a moça.

― ‘Certo não se preocupe continue ai’ ― disse Rael de volta.

                Os quatro estavam todos atentos com a presença que saiu de trás das arvores. Rael agora deixava sua aura exposta para que eles pudessem sentir o nível. Quando eles perceberam que Rael era o mero terceiro reino se acalmaram e relaxaram suas posições.

― Que bom encontrar alguém nessa ilha, eu já estava andando a um bom tempo ― comentou Rael dizendo algo aleatório. Ele ainda caminhou mais um pouco até parar próximo aos quatro. O líder deles parecia ser o cara mais forte. Um moreno alto do quinto reino, ele encarava Rael com um toque de curiosidade.

― O que aconteceu com a sua bela acompanhante? ― perguntou o moreno em tom desconfiado. Rael ficou um pouco desapontado por ele lembrar, mas também com o resultado que teve no teste seria estranho alguém não saber.

― Oh vocês se lembraram ― disse Rael sem graça.

― Ela está escondida? Com medo que o atacamos? Não se preocupe, não temos intenção de bater em fracotes ― disse o líder virando as costas.

― Ó sério? Isso é uma pena para mim ― disse Rael desanimado. Porque percebeu que o líder deles não falou com nenhuma crueldade. Rael não gostava de matar inocentes.

― Eu aconselharia você a ter cuidado, outros grupos podem não ter boas intenções quando os encontrarem ― disse o moreno e virou-se. ― vamos pessoal. Vamos procurar pelos baús ― dizendo isso ele partiu e os outros partiram juntos. Rael ficou ali desanimado olhando eles partirem.

― ‘Rael você está bem? Fale alguma coisa’ ― disse Rose preocupada.

― ‘Vou andar mais um pouco e testar’ ― disse Rael para a preocupada Rose.

                O limite mental de Rael e Rose batia quase um quilometro. Depois que eles confirmaram Rael pediu para o ela se aproximar e os dois seguiram por outra trilha.

                Uma hora depois. O prefeito já havia passado a real situação aos três representantes. Pediu um milhão de desculpas e disse que nesse momento seu grupo de apoio já estava a caminho da ilha. Eles chegariam em trinta horas se nada desse errado o que desanimou muitos aqueles três.

                Violeta e Rika chegaram de capuzes entrando no meio da multidão. Rapidamente Violeta começou a fazer perguntas aos que já estavam presentes. Como ela usava um capuz o homem não reparou muito e contou o que havia ocorrido a pouco sobre ter um evento e os participantes terem sido enviados a uma ilha. A parti desse ponto todos apenas sabiam que a culpa poderia ser do vice que estava detido para interrogatório.

                Rika e Violeta se dirigiam para o edifício central dos guardiões naquela cidade. Elas agora estavam indo atrás do culpado.

― ‘Eu não entendo porque estamos tendo todo esse cuidado, existem poucas pessoas fortes nessa cidade e até mesmo eu sozinha posso dar conta’ ― reclamou Rika.

― ‘Fique calma, você já sabe que sua filha não foi a única envolvida. Rael está com ela e eles estão com outros participantes. Esse evento pode nem se quer ser direcionado a eles’ ― explicou Violeta.

― ‘Se fossemos diretas teríamos melhores resultados’ ― insistiu Rika.

― ‘Eu não vou estragar a vingança de Rael por um mero capricho nosso, não seremos nós a esmagar os inimigos dele, esse é um fardo dele. Só estamos aqui para ter certeza que sua filha está bem’ ― reclamou Violeta.

― ‘Você parece tão segura de que Rael sempre estará bem, me diga o que faria se ele morresse?’ ―perguntou Rika.

― ‘Se ele morrer eu saberei que falhei como mestra e serei julgada na mesma hora. Por outro lado se ele sobreviver, cumprir sua vingança com seu próprio poder, então ele estará um passo mais próximo de mim’ ― disse Violeta de volta.

― ‘Eu ainda não entendo sua metodologia’ ― disse Rika.

― ‘Não precisa entender’ ― disse Violeta tirando do bracelete um par de pílulas brancas. ― ‘engula’ ― disse ela entregando uma a Rika que engoliu sem pensar, depois ela engoliu a outra.

 As duas estavam finalmente diante do edifício. Um prédio com cerca de dois andares bem largo. Em frente a entrada tinha cinco guardiões conversando.

                As duas subiram os degraus chamando atenção dos guardiões que já se viraram para elas. Violeta então retirou uma bola amarela do bracelete parecida com um ovo um pouco maior e arremessou perto dos homens. A coisa bateu no chão e se quebrou liberando uma cortina de fumaça amarela. Os homens não tiveram tempo nem de saber o que estava acontecendo quando logo em seguida caíram dormindo nas escadas. O gás continuou se espalhando e ganhando mais área. Conforme os guardiões saiam sendo expostos ao gás já caiam em seguida.

                Violeta atirou mais dessas bombas de gás enquanto seguiam pelas instalações até finalmente encontrarem o quarto de interrogações. Quebraram a porta e invadiram o local. Três guardiões do sexto reino avançaram contras as duas sem pensar duas vezes e foram eletrocutados cruelmente por Rika. Os três caíram mortos fumaçando. Bocas aberta, e olhos estourados.

                O Vice líder um homem velho barbudo era puro sorrisos enquanto olhava em volta. Ele estava algemado sentado e amarrado a uma cadeira ao fundo. Aparentemente bem dopado.

                Violeta encostou a mão no peito do homem lançando seu poder e rapidamente percebeu o que havia ocorrido. O homem tomou um veneno que induziu em uma falha cerebral, esquecendo até mesmo quem era. Sua consciência estava sendo apagada gradualmente e em poucas horas não restaria mais nada, nem memórias.

― ‘O que há de errado com ele?’ ― perguntou Rika olhando irritada. Apesar de sua expressão parecer apenas séria.

― ‘Você não tem muito tempo. Utilize sua habilidade Memórias Finais e acabe com o sofrimento dele’ ― disse Violeta saindo de perto.

                Rika que estava com muita pressa não esperou uma segunda ordem. Rapidamente concentrou sua energia e atirou os raios para cima. Mesmo que estivessem em um vão apertado e baixo, o símbolo azul surgiu como uma miragem, formando quase um chapéu largo na cabeça do homem que continuava sorrindo. Os símbolos giraram brilhando e...

Booom!

                Um raio banhou o velho fazendo o vão tremer. Tudo que restou foi um imenso buraco no chão com uma grande mancha escura.

                Violeta esperou os resultados enquanto Rika reunia as memórias de olhos fechados e concentrada.

― ‘Eu sei onde eles estão agora e porque não sinto minha filha’ ― disse Rika abrindo os olhos.

― ‘Ótimo, então vamos sair daqui antes que as pessoas cheguem’ ― disse Violeta se virando apressada.

                As duas saíram como vultos passando por dezenas de guardiões que estavam entrando no edifício naquela hora. Eles até sentiram algo mais quando olharam em volta não havia mais nada. Tão rápidas como balas elas ganharam o céu sumindo nas nuvens em alta velocidade.

― ‘Rael ou Rose são alvos?’ ― perguntou Violeta mentalmente voando ao lado de Rika.

― ‘Não sei, o velho estava seguindo ordens de um grupo de homens. Eles usaram sua filha e seu sobrinho para fazer-lo obedecer e trabalhar para eles por um longo tempo’ ― explicou Rika.

― ‘Em quanto tempo chegaremos?’ ― perguntou Violeta.

― ‘Em cerca duas horas’ ― disse Rika.

                De volta na ilha James e seu grupo avançavam como feras sedentas pela floresta. Eles já haviam tocado com diversos grupos, mas ignoraram porque procuravam por Rael e Rose. James tinha em seu grupo três homens do quinto reino como ele e um mais velho que estava no sexto. Ele estava certo que mataria Rael se o encontrasse e então tomaria para si aquela deliciosa beldade de cabelos azuis.

― Senhor sinto duas auras a frente ― disse o homem do sexto reino que tinha sentidos bem mais aguçados que os demais.

― Nos conduza! ― disse James animando com um sorriso. Desde que o evento começou ele partiu em uma busca insana para procurar por Rael, ele não queria qualquer outra coisa por enquanto.

― São eles! ― disse o homem do sexto domínio animado os vendo a frente. Todos aumentaram a velocidade e saltaram entrando na frente de Rael e Rose.

                Rael e Rose olhavam para eles sem a menor surpresa nos olhos. O que era um pouco estranho. James apenas imaginou que eles estavam assustados demais para qualquer reação.

― Finalmente eu encontrei você seu lixo arrogante ― disse James abrindo um sorriso.

― Errado idiota, eu encontrei você ― disse Rael de volta com um sorriso mais natural. Aquilo fez James e os homens dele rirem.

Por Lord Letal | 28/11/17 às 23:10 | Ação, Aventura, Fantasia, Romance, Brasileira, Poder, Harém, Drama, +18