CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 46 - Entrega dos Prêmios

O Herdeiro do Mundo (HDM)

Capítulo 46 - Entrega dos Prêmios

Tradução: Lord Letal | Revisão: Sneed - Nego

Na manhã seguinte Rael e Rose se levantaram cedo e foram para a proa. O Sol ainda nascia ao fundo no horizonte atrás das montanhas. Os raios do sol saindo aos poucos parecia cristalizar o ar, dando a todos uma vista maravilhosa de linda paisagem.

― ‘É incrível’ ― disse Rose. Os dois estavam lado a lado de mãos dadas.

― ‘Eu imaginei que seria’ ― chutou Rael que tinha dado a ideia de se levantarem bem cedo para assistirem aquilo. Havia outras pessoas próximas que também tiveram a mesma ideia.

                A Barca cruzava algumas cidades, tudo que podia ser visto eram pequenas regiões espalhadas. De cima tudo parecia tão pequeno e distante, quando Rael esticava a mão, ele tinha a impressão que poderia agarrar uma cidade inteira de longe.

                A barca voadora finalmente parou sobre a praça da cidade de Améria. Havia multidões muito maiores de pessoas cercando o local agora do que no primeiro dia. Quando a noticia se espalhou de que o evento deu errado varias família rapidamente tomaram providencias e correram para a cidade. Havia centenas de guardiões imperiais controlando o tumulto. O palanque já havia sido removido e tudo que restava era o espaço para as escadas de cordas descerem para o meio da praça.

                As cordas foram jogadas e os participantes começaram a descer. Cada participante que descia já procurava sua família, amigos, seitas etc...

Rael foi recebido por Mara e seus protetores. Ela não conseguiu evitar e pulou abraçando Rael.

― Que bom que você está bem ― disse ela no ouvido dele. Rael agiu normalmente deixando Mara a vontade. Ele apenas ficou olhando de lado quando Isabela e seu grupo desceram. Eles olharam uma ultima vez para Rael e partiram. Isabela o fitou com um olhar de ódio. Para ela Rael era um cafajeste, a pouco estava com Rose, depois tentou ficar com ela e agora estava se agarrando a outra mulher. Isabela virou o rosto depois de “Hunf!” e saiu caminhando com seus companheiros.

 ― Mara o que vai acontecer agora? ― perguntou Rael se voltando para ela. Só então a moça saiu do pescoço dele.

― Não sei. Meu pai mandou uma mensagem dizendo para vim receber você. Ele disse que estava na capital. Estão em uma reunião para determinar o culpado ― explicou Mara.

― Eles trabalham tão rápido. Então por acaso já sabem algo sobre os assassinos? ― perguntou Rael. Ele não estava com medo de ser descoberto, mas estava curioso sobre os homens mascarados.

― Eles estão determinando quem é o culpado. Foi o prefeito dessa cidade a dar inicio ao evento. Nesses dias a cidade também teve uma invasão no edifício de segurança dos guardiões imperiais e o único que sabia de algo foi morto ― disse Mara deixando Rael surpreso.

― Sério? O prefeito morreu ― perguntou Rael perplexo.

― Não o vice dele.

― Afinal quem estava por trás da culpa? ― perguntou Rael.

― Ninguém sabe ainda, mas parece que era o vice, ele até destruiu o cristal de teleporte depois que vocês partiram. No fim nosso clã não pode simplesmente ignorar o fato de que perdermos oito membros em um evento criado nesta cidade. Uma punição justa deve ser feita ― disse Mara sorrindo. Ela não tinha a menor preocupação.

                Rael e Rose voltaram para a mansão com Mara. Eles descansaram um pouco. Rael ficou separando suas ervas, pedras espirituais ganhas entre outras coisas silenciosamente no quintal enquanto Rose ficava ao lado dele apenas sentada olhando.

                Depois do almoço como um dos guardiões tinha dito ele foi para a praça. Agora havia menos pessoas. As famílias dos participantes que não tinham voltado, estavam em outra parte da cidade com o prefeito.

                Na praça o palanque tinha sido reposto. Estava a assistente e um homem mais velho. Um senhor de pouca barba branca. A multidão que cercava estava bem menor que antes e os participantes que sobreviveram foram chegando conforme havia sido pedido.

                Depois de uma espera de vinte minutos o homem mais velho do palanque estendeu a pedra do eco e começou a falar.

― Eu sou Moraes o antigo prefeito. Peço mais uma vez desculpa a todos pelo incidente ocorrido e prometemos ser mais cuidadosos nos próximos eventos. No fim o evento acabou saindo de controle e não tivemos um ganhador justo. Mesmo assim nenhum participante sairá de mãos vazias. Cada um de vocês receberá uma pequena quantia em ouro, cinquenta moedas, que cobrem todas as despesas gastas ao longo do evento e até o retorno para suas cidades ― disse o prefeito fazendo uma pausa.

― Sobre os três primeiros prêmios originais. Ainda vamos entregá-los seguindo as mesmas regras de antes. Embora o evento tenha sido cancelado, muitos de vocês ainda conseguiram reuni uma parte das jóias. Então os grupos ou participantes solos, que apresentarem a maior quantidade de jóias, levará o primeiro premio e assim sucessivamente.

                Rael estava junto aos participantes com Rose do lado. Olhando para trás ele viu Isabela e seu grupo. Eles tinham chegado minutos depois de Rael. Isabela apresentava um rosto sem emoção, mas quando o olhar dos dois se cruzaram, ela apertou levemente os lábios irritada. Rael apenas voltou a olhar para frente. Mara estava entre a multidão então ele não ia fazer nada de estranho com ela olhando. Por mais que Rael gostasse muito de sua liberdade e tivesse começando a domar a fera, não seria interessante ser descuidado.

                Moraes desceu e se dirigiu para a parte de baixo a frente do palanque. Então usando a pedra novamente ele falou.

― Todos aqueles que conseguiram reunir qualquer quantidade de jóias venham para minha frente. ― Os grupos e participantes solos caminharam e ali formaram uma linha lateral em frente a Moraes.

― Tenham as jóias em mãos, passarei por vocês e confirmarei a quantidade ― disse Moraes e começando da ponta ele iniciou sua verificação. Ele pegava o nome e quantidade anotando em um papel depois de conferir. Rael e Rose ficaram lado a lado. Isabela e seu grupo ficaram mais longe na ponta.

                Depois de terminar Moraes parou dando uma ultima analisada no papel e anunciou.

― Vou citar os vencedores, qualquer um que não estiver entre os três primeiros colocados podem voltar para os demais e esperar. A dupla Samuel e Rose, o grupo Azul Celeste e o grupo Asas da Fênix.

                Depois de anunciar os vencedores os demais voltaram para os outros participantes. Ficando apenas os ganhadores como já anunciados.

― Agora vou anunciar o primeiro colocado. A dupla Samuel e Rose ganham o primeiro lugar conseguindo reunir dez jóias! ― anunciou Moraes e a platéia ficou um pouco em silencio porque não esperavam que Rael tivesse tirado o primeiro lugar. Apesar de no teste causar um pouco de choque. Algumas pessoas começaram a bater palma e logo mais o restante.

                Da multidão Mara ficou impressionada. Tudo que eles esperavam era um bom resultado, mas Rael tinha pegado a primeira colocação! Aquilo não podia ser mais incrível.

― O segundo lugar vai para o grupo Azul Celeste conseguindo reuni seis esferas! ― anunciou Morais e as pessoas aplaudiram. Rael olhou de lado para o grupo de três homens e duas mulheres razoáveis, não havia nada de especial neles. Eles foram um dos últimos a chegar no acampamento e por isso tiveram mais tempo de procurar as esferas.

― O terceiro lugar vai para o grupo Asas da Fênix conseguindo reunir quatro esferas ― anunciou Moraes e mais uma salva de palmas foi dada.

                Depois de um intervalo Moraes retirou do bracele uma bolsa e uma pequena caixa vermelha embalada com presente com um lado em volta e entregou nas mãos de Isabela.

― O terceiro lugar ganha um total de duzentas moedas de ouro e um conjunto com dez anéis de comunicação de Rank C. Podendo se comunicar com membros que estejam em até dois mil quilômetros de distancia! ― quando ele anunciou o premio a multidão simplesmente urrou com uma forte salva de palmas. Mesmo o terceiro lugar recebeu um premio tão bom daqueles, era inacreditável. Anéis de comunicação eram muito usados por clãs, seitas, grupos e eles valiam uma fortuna. Mesmo anéis de rank C já valiam cerca de cem moedas de ouro cada. Eles sempre eram vendidos em lotes, porque esses anéis só podiam ser usados entre eles (conjunto).

                Moraes se dirigiu ao segundo grupo e a multidão voltou a ficar em silencio esperando as entregas e o anuncio do premio. Ele retirou uma bolsa e depois uma outra caixa azul embrulhada.

― Para o segundo lugar um total de trezentas moedas de ouro e um conjunto com sete anéis de apoio de treino rank C. Esses anéis aumentam o cultivo de um usuário em dez por cento enquanto estiverem em uso ― anunciou Moraes. A multidão explodiu em comemoração e outra salva de palmas. Cada um desses anéis de rank C custariam no mínimo trezentas moedas de ouro cada, além disso, era o sonho de qualquer cultivador possui tal relíquia. Existiam poucos especialistas capazes de desenvolver tais anéis por isso eles eram tão caros.

                Todos podiam dizer que o evento tinha sido interrompido. Mas ninguém podia negar que os prêmios eram incríveis. Na verdade umas das coisas que sempre teve no evento surpresa foram prêmios incríveis. Nenhum dos participantes entre os três primeiros lugares até o momento poderiam reclamar de seus prêmios. As pessoas mal vinham a hora de ser anunciado o primeiro premio.

                Parando em frente a Rael, Moraes retirou uma bolsa com ouro e uma pequena caixa marrom.

― Para o primeiro lugar, quinhentas moedas de ouro e um Conjunto completo de armaduras Mágicas de Cerberus rank C. Essa armadura, contem defesa especial de quinze por cento contra todos os elementos mágicos existentes. A armadura é feita da força da alma de um Cerberus e se regenera sozinha quando danificada. Ela se ajusta em qualquer usuário uma vez que o bracele for colocado, porém, ela não mudará mais de sexo ― alertou Moraes. As pessoas simplesmente foram ao delírio. Alguém usando aquela armadura simplesmente seria um monstro em combate. Ela é o tipo de armadura especial que é ativada e desativa através do bracelete se adequando perfeitamente a qualquer situação. Onde o usuário precise se vestir rapidamente. O único problema é que o valor básico dela ultrapassa as quantias de quatro mil moedas facilmente.

                Uma forte salva de palmas estava sendo dada. Rael guardou a bolsa de ouro no bracelete e entregou o bracelete vermelho com a armadura para Rose.

― ‘Pode ficar com ela Rose’ ― disse Rael.

― ‘Por que eu? Eu não fiz praticamente nada’ ― disse ela de volta apenas olhando o bracelete estendido na mão de Rael.

― ‘Nada? Você foi meus olhos, sem você eu poderia ter morrido mais vezes do que consigo lembrar, além disso, tenho meu braço direito que me serve como proteção. Você por outro lado não tem nenhuma defesa especial’ ― disse Rael insistindo.

― ‘Eu não entendo, você diz que não precisa mais nem me deixa ajudar nos combates, não faz sentido você me da isso se eu não vou usar’ ― rebateu Rose.

― ‘Nunca se sabe o que pode acontecer amanha. Eu só sei que tenho que te proteger, sua mãe parece não ligar, mas se algo ocorrer com você é eu que vou ter que explicar.’

― ‘Se você insisti tanto então eu aceitarei’ ― disse Rose estendendo a mão e pegando o bracelete. Ela ativou a trinca o que fez o bracelete abri de lado, então ela olhou Rael uma ultima vez. Rael fez um sim, ela passou as travas por cima do pulso direito e apertou fechando o bracele por cima das luvas. Ele brilhou soltando ondas de energias que se espalharam analisando todo o corpo de Rose e finalmente parou voltando ao normal.

                Quando a multidão estava parando de bater palmas um grupo de homens desceu voando dos céus. Rael logo reconheceu Rayger entre eles.

                Eles praticamente chegaram tomando o espaço de Moraes. Todos eles subiram no palanque sem perguntar qualquer coisa e sem pedir permissão. A platéia na mesma hora entrou em silencio porque todos aqueles homens eram Elders importantes da família Torres. Rael reconheceu alguns deles. Ficou apenas em silencio em seu canto.

                Rayger acenou para sua filha Mara e ela saiu da multidão acompanhada pelos protetores que pararam ali próximos a Rael e os outros colocados. A cidade inteira tinha ficado em silencio.

                Mara puxou o braço de Rael e os dois subiram no palanque para serem finalmente anunciados como um casal oficialmente. Ninguém estava entendendo o certo o que estaria acontecendo. O velho Moraes não podia fazer nada contra, ele sabia que o conselho da família Torres já havia decidido as ações que tomariam.

― Senhoras e senhores. Eu Rayger Raleon primeiro Elder da família Torres, tenho alguns assuntos importante a tratar nessa cidade. Mas antes quero fazer um anuncio publicamente sobre o futuro da minha filha Mara e este jovem Samuel. Os dois estão noivos e o casamento será realizado dentro de vinte quatro dias no nosso território na capital Toravan. Convido todos a participar desse grandioso evento ― disse Rayger fazendo uma pausa e empurrou um pouco a frente Rael e Mara. Os dois já tinham dado as mãos por iniciativa de Mara. Mara sorriu diante da multidão e Rael forçou um meio sorriso para não parecer estranho. Houve uma grandiosa salva de palmas e muitos ali estavam ainda perguntando de onde esse tal Samuel tinha saído.

                Isabela ficou surpresa e ao mesmo tempo irritada. Rael aos olhos dela estava mais uma vez mostrando suas perigosas garras. Já tinha enganado a pobre Rose e agora estava enganando uma importante mestra da maior família do continente sul.

Por Lord Letal | 28/11/17 às 23:26 | Ação, Aventura, Fantasia, Romance, Brasileira, Poder, Harém, Drama, +18