CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 58 - Na Calada da Noite

O Herdeiro do Mundo (HDM)

Capítulo 58 - Na Calada da Noite

Tradução: Lord Letal | Revisão: Sneed - Nego

A noite veio e com ele a hora do jantar. Rael combinou que Rose hoje não deveria dormir com ele, afinal sua mãe estava por perto e seria estranho. Rose ficou um pouco relutante porque já estava se acostumando, ainda mais agora que ela não seria mais tão perigosa para Rael.

― Você tem seu quarto, seria desrespeitoso não usá-lo quando está aqui, Violeta poderia não gostar de sua atitude ― disse Rael baixinho quando ficou sozinho com Rose para que as outras não ouvissem o pensamento. Afinal sua cabeça era mais vigiada do que uma pessoa cercada de câmeras de segurança.

                A noite todas as pedras espirituais da casa foram apagadas. Tudo virou um verdadeiro breu para duas pessoas entre quatro pessoas ali.

                Rael esperou deitado na cama um tempo até que todos os barulhos cessarem. Ele estava com planos de entrar sorrateiramente no quarto da própria mestra e por isso fez Rose ir para o seu quarto.

                De ponta de pé e ocultando toda a energia Rael se levantou da cama. Nenhum dos quartos tinha chave então o quanto a isso ele estava tranquilo.

                Caminhando de ponta de pé Rael se dirigiu para o corredor e foi diretamente para a porta com o nome “Violeta”. Rael abriu a porta devagar para não fazer barulho.

                Tudo estava muito quieto e Rael viu as cobertas estiradas pela cama, mas era estranho, parecia não ter ninguém deitado. Rael se aproximou deixando a porta apenas escorada e conferiu. Violeta não estava deitada.

                Rael irritado controlou os pensamentos porque sabia que Rika poderia ouvir mesmo se ele não entrasse em contato direto. Então ele voltou para o corredor e foi na direção da cozinha, ele ia atrás de Violeta achando que ela estava no antigo quarto.

                Rael mal tinha saído do corredor e uma outra porta foi aberta. Rose saiu silenciosamente sem ver porcaria nenhuma, mas ela tinha consciência de qual seria o quarto de Rael, ou pelo achava que tinha.

                Rose tinha fechando sua mente, sua essência e todos os seus sentidos para que ninguém notasse ela. Ela não ficava completamente invisível como Rael no sentido de aura, mas ficava quase e ao mesmo tempo deixava de sentir qualquer coisa. Como Violeta tinha visto ela se deitar em seu quarto, então certamente não ficaria irritada depois, ela nem veria de onde Rose ia sair mesmo.

De ponta de pé Rose chegou em frente a suposta porta e abriu vagarosamente. Como ela não via nada e não queria usar seu poder para não chamar atenção entrou naquele quarto.

                Quando Rose entrou no quarto outra porta foi aberta, Rika saiu silenciosamente. Se sua filha não pretendia fazer nada naquela noite, ela certamente não ia ficar parada. Depois de ver os pensamentos de Rael ela também queria experimentar aquilo e pelo que tinha entendido, Violeta não ia se deitar com Rael agora, então por que ela não poderia? Mantendo esse pensamento, ela também trancou sua essência, para todos os efeitos, ela estaria dormindo profundamente. Quando estivesse com Rael, ela criaria um campo e bloquearia qualquer pensamento, aura ou som de vazar. Seria um estouro!

                Outra porta foi aberta e Rika entrou em um dos quartos do outro lado da parede. As duas tinham vigiado antes a hora de Rael escolher o quarto então tinham uma ideia. Rika é claro, podia ler os pensamentos então foi mais fácil pra ela. Ela lia os de Rael que era mais fraco, mas de Violeta não conseguia ler.

                Rose que ia mudar de quarto ouviu um barulho de alguém fechando uma porta e voltou para trás preocupada.

                Quando Rika percebeu que não tinha ninguém no quarto ela ficou irritada. Com os pensamentos trancados, ela não tinha acesso a aura e a essência, por isso não podia sintonizar com Rael perfeitamente nem com a filha, mas ela tinha tempo ainda. A noite estava só começando então ela calmamente se deitou na cama desse quarto e se cobriu com a coberta. Rael voltaria a qualquer momento então não haveria erros, ela tinha certeza que esse era o quarto certo.

                Rose ficou esperando perto da porta. Ela diferente da mãe acreditava que tinha errado o quarto. Depois de um tempo sem mais barulhos, ela voltou para o corredor e seguiu de mãos encostadas na parede e entrou no quarto seguinte. Abriu a porta e escorou silenciosamente então se dirigiu para a cama. Com as mãos estendidas Rose tocou em alguém por baixo da coberta e se animou. Quando chegou mais perto da cama ela se deitou ao lado dessa pessoa. Rose estava certa que era Rael por isso já foi agarrando. Depois de saber que não era mais perigosa para Rael ela tinha criado uma coragem estrondosa para avançar o sinal.

                Rika e Rose se agarraram e perceberam que algo estava errado. Rael não tinha peitos nem cabelos longos. Até que finalmente pelo cheiro se reconheceram...

                Rael estava parado na cozinha, ele já tinha procurado no velho quarto e não encontrou Violeta. Violeta podia ocultar a aura como ele, então seria difícil de achá-la. O fato é que ela não parecia estar presente.

                Ele não entendia, como antes sua mestra parecia tanto querer fazer aquilo e agora estava fugindo. Ele não entendia as mulheres assim como não entendia Isabela. Isabela parecia ser bem confusa de si mesmo também, uma hora queria ele e na outra saia brava.

― ‘Por que as mulheres são tão confusas?’ ― Ele se perguntou.

― Rael o que está fazendo aqui? Achei que tinha ido dormir ― disse Violeta que tinha acabado de entrar. Ela vinha da sala de cristais de teleporte.

― Onde você estava? Eu procurei você e não estava no quarto ― disse Rael sendo direto.

― Pesquisando, verificando algumas coisas, por que? O que queria de mim? ― perguntou Violeta se fazendo de boba.

― Você sabe muito bem o que quero de você ― disse Rael que não tinha desistido.

― Ah você ainda ta com aquilo na cabeça? Mas eu já não disse que você ainda é muito inexperiente?

― Eu não sabia que precisava de experiência para ficar com uma mulher que a gente deseja. Violeta você sabe que eu amo você, antes você parecia querer e agora corre de mim? Esperou apenas eu descobri para começar esse novo joguinho? ― perguntou Rael inconformado.

― Você não é uma pessoa comum Rael, você é diferente dos outros ― disse Violeta. Rael se aproximou dela e Violeta ficou parada apreensiva.

― Então por que você nunca disse nada? Disse que eu mesmo precisava descobrir e quando descubro você corre. Você a pessoa que mais quero. Eu quero tanto você que antes de dormir fico pensando em você apenas para ver se sonho e sempre funciona. Eu sonho com você todas as noites ― explicou Rael. Violeta sorriu olhando em volta porque isso não tinha nada a ver com vontade.

― O que foi? ― perguntou Rael percebendo o sorriso dela.

― Esqueça. Voltando ao assunto, você acha que também não sinto desejo por você? Rael eu sinto tanto que minha alma queima, mas você vai se enfraquecer se dormir comigo, vai perder seus objetivos e desejos querendo apenas ficar comigo. Você não entende quando digo isso? Rael eu não sou como Mara, comigo tudo é amplificado, da mesma forma que vou me sentir por você. Eu quero fazer isso, mas você precisa de mais experiência. Durma com pelo menos quatro mulheres diferentes e eu não mais o evitarei ― disse Violeta. Rael já estava em frente a ela. Os braços dele tremiam pensando em agarrar Violeta.

― O que isso muda no final? ― perguntou Rael.

― Pra você muda tudo. Não vou entrar em detalhes, mas depois que fizer o que eu disse você irá ter mais controle dos seus desejos. Tudo passará a ser mais normal ― explicou Violeta.

― Com todo homem isso funciona assim? ― perguntou Rael surpreso.

― Não é apenas com você. Eu dou a minha palavra que se você cumprir o que estou pedindo então eu farei a sua vontade, a nossa. Prometo que não irei mais ser relutante ― disse Violeta.

― Pelo menos me de um beijo ― disse Rael sem ver outra saída. Ele não entendia tudo que ela dizia, mas ela não parecia está mentindo. Violeta não era o tipo que inventava histórias e se ela estava dizendo aquilo então ele iria ouvir.

― Só um beijo ― disse Violeta concordando. Rael a agarrou a abraçando e a puxando para si. Aquele corpo quente e cheiroso. Rael a beijou demoradamente. Ambos de olhos fechados. Seria só um beijo, mas isso não quer dizer que seria um beijo curto.

                Os dois passaram quase cinco minutos se beijando. Rael ficou tão duro que quase descarregou na própria cueca. Durante o beijo ele tinha passado a mão nas costas, nas coxas, na bunda dela, no pescoço nos cabelos...

― Chega ― disse Violeta saindo de lado. Ela foi a primeira a recuar. Rael ficou olhando o rosto de Violeta e não podia fazer nada a não ser tentar acalmar os sentidos.

― Lembre-se da sua promessa. Eu ficarei com quatro mulheres diferentes e então irei vim atrás de você. Eu não quero ouvir desculpas, quando eu vim cobrar você já deve ser minha e retirar as roupas na mesma hora! ― disse Rael irritado.

― Não se preocupe eu não pretendo enganar você ― disse Violeta olhando ele de lado. Os dois ficaram em silencio por alguns segundos e depois Rael olhou de volta.

― Sobre Rose e Rika, eu não quero me deitar com elas. Elas querem filhos e eu não Violeta, você sabe, eu só quero aproveitar o momento. Como você disse eu tenho objetivos e filhos está fora de questão.

― Rika e Rose acabaram de virar humanas, os corpos delas ainda não desenvolveram totalmente e mesmo com varias tentativas seria difícil ocorrer uma gravidez agora. Mas é certo dizer também que com o tempo isso vai acontecer. Por enquanto se você se sentir com medo durma, amanhã você vai acordar com novas idéias, você sempre tem boas ideia depois de descansar ― disse Violeta e sem responder mais nada saiu andando para o corredor dos quartos.

                Os dois voltaram ao corredor e Violeta parou diante da porta do próprio quarto. Rael estava do lado dela, o corredor estava escuro mais os dois podiam ver tudo.

                Com um movimento de mão Violeta fez todas as pedras do corredor se acederem e em seguida abriu a porta do próprio quarto.

― O que faz na minha cama Rika? ― perguntou Violeta olhando para a própria cama um pouco intrigada vendo Rika se levantando dela.

― ‘Desculpe Violeta, eu me levantei para ir ao banheiro e errei de porta quando voltei’ ― pensou Rika um pouco sem graça. Violeta foi para o quarto de Rika e abriu a porta.

― Rose você também precisou ir no banheiro e errou de quarto? ― perguntou Violeta olhando Rose na cama de Rika.

― ‘Oh! Desculpe o meu erro’ ― disse Rose se levantando sem graça. Rapidamente as duas voltaram para os seus quartos originais e Rael nem fazia ideia do porque aquelas duas tinha se atrapalhado. Violeta ficou séria enquanto as duas voltavam para seus quartos. Mas depois abriu um sorriso que quase virou uma risada. Rael continuava do lado dela ainda sem ter pegado a ideia do ocorrido.

― Você vá descansar também, é melhor todos irmos ― disse Violeta de costas para Rael e antes de entrar no próprio quarto, ela fez um sinal com a mão apagando todas as pedras novamente. Rael apenas se virou e seguiu para o próprio quarto um pouco desanimado.

                Rael se deitou na cama e se cobriu com a coberta. A cama era muito espaçosa então ele ficou completamente a vontade esparramado de qualquer jeito.

                Estranhamente ele se deparou com luzes brancas espalhadas por toda sua volta sobre o teto, mas o quarto não tinha essas luzes. Então ele se levantou da cama coçando a cabeça olhando em volta.

― ‘Onde eu estou?’ ― se perguntou Rael olhando as varias prateleiras que cercavam todo o lugar. Sua cama estava no meio de vários e vários corredores com prateleiras de livros que se estendiam até onde seus olhos podiam ver. Todas elas estavam cheias de livros e pergaminhos. Por alguma razão a cabeça de Rael parecia um pouco zonza e ele ainda estava com sono. Mesmo assim aquele lugar era tão estranhamente familiar.

― ‘Será que já estive aqui?’ ― se perguntou Rael olhando em volta curioso. Ele se aproximou da prateleira mais próxima e pegou um livro em mãos, mas era estranho, os títulos pareciam tão familiar para ele. Antes mesmo de ver o titulo do livro ele já sabia o que era. Então ele botou o livro de volta.

― ‘Elemento fogo?’ ― se perguntou ele apenas para se testar e então caminhou por entre varias prateleiras até sair onde seus instintos o levaram. Ele pegou vários livros e todos tinham títulos falando algo sobre o elemento fogo. Alguns eram técnicas, outros eram sobre a essência, outros histórias, raças...

                Rael ficou ainda mais intrigado com aquele estranho fato. Esse lugar parecia está ligado a mente dele.

― ‘Gravidez?’ ― se perguntou Rael. Parecia que havia um mapa na cabeça dele e ele começou a correr por entre as prateleiras. Rael passou cerca de vinte segundos correndo até chegar onde queria. Ele estendeu a mão e pegou o primeiro livro.

― ‘Acasalamento das bestas’ ― Rael leu o titulo. Guardou o livro azul de volta na prateleira e correu a mão rapidamente escolhendo outro.

― ‘Deve ser esse’ ― pensou ele retirando um livro vermelho e já confirmou o titulo que tinha visto em sua mente.

― ‘Como evitar gravidez humana’ ― Rael imediatamente abriu o livro animado. Então ele sentiu uma presença se aproximando. Rael não precisava senti a aura, ele tinha domínio naquele lugar por isso quando ela surgiu, ele apenas ficou olhando surpreso.

― Então você já veio direto para cá? Pelo jeito foi dormir mesmo pensando nisso ― disse Violeta com um meio sorriso. Rael ficou olhando para ela surpreso, era estranho, ela estava aqui com ele, mas a pouco os dois não estavam indo dormir?

                Violeta notou o insistente e curioso olhar de Rael e aquele sorriso dos lábios desapareceu sendo substituído por um olhar ansioso.

― Rael é você? ― perguntou Violeta deixando os lábios levemente abertos.

Por Lord Letal | 28/11/17 às 23:42 | Ação, Aventura, Fantasia, Romance, Brasileira, Poder, Harém, Drama