CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 60 - Um Novo Encontro Com Isabela

O Herdeiro do Mundo (HDM)

Capítulo 60 - Um Novo Encontro Com Isabela

Tradução: Lord Letal | Revisão: Sneed - Nego

Rael sempre quis caminhar pela cidade desde que era criança e somente agora estava podendo fazer aquilo. Antigamente ele não podia nem se quer sonhar em sair dos muros da cidade. Quando ele se lembrava de como sua vida era antes, ele se enchia de ódio e o sentimento de vingança sempre vinha em sua mente.

                As pessoas passavam apressadas de um lado a outro circulando. Homens fortes, rapazes de boas aparências, mulheres lindas bem vestidas, escravos atarefados, homens velhos ou até mesmo senhoras, crianças, comerciantes com suas mercadorias em carruagens moveis. A cidade era muito movimentada, isso sem mencionar os bares lotados de homens bebendo, bordeis pela cidade com mulheres razoáveis. Rael passou em frente a tudo sempre olhando curioso.

                A cidade tinha de tudo um pouco. Áreas de lazer como casas de massagens, casa de strips, casa de jogos e apostas, bordeis, casas de leilão e até mesmo arenas de lutas que valiam dinheiro. O único problema é que alguns desses locais só funcionava a noite.

                Depois de andar um pouco seguindo as placas pela cidade Rael finalmente chegou no prédio principal da guilda Imperial. O prédio tinha três andares e praticamente tomava todo o lado de uma rua, era um lugar enorme com diversas entradas. Rael queria apenas conhecer e por isso ele entrou.

                Havia pessoas de todos os tipos caminhando por lá. Podia-se ver armas raras e belas sendo carregada em algumas bainhas, na cintura ou nas costas. Martelos, espadas pesadas, adagas, chicotes, chakras entre outras.

                O espaço dos murais com as missões era gigantesco, sem mencionar os balcões com atendentes, em vez de ser um eram três e tinha uma fila de novatos que pareciam estar se cadastrando pela primeira vez.

                Ao fundo Rael podia ver a enorme mesa onde eram analisados os prêmios e tinha uma boa galera sendo acompanhada por alguns fiscais. Aquilo fez Rael se lembrar de Terry.

― Samuel? ― perguntou a voz de um homem já conhecida. Rael virou-se e encontrou Bryan parado com roupas naturais sem sua armadura de couro.

― Bryan? O que ta fazendo aqui? ― perguntou Rael.

― Vim entregar algumas missões feitas e nossa líder decidiu se hospedar na cidade ― disse Bryan. Rael olhou em volta procurando Isabela e o resto do grupo.

― Elas não estão aqui, estão todas na pousada.

― A isso é uma pena, eu bem que queria ver minha Isabela ― disse Rael despreocupado. Bryan ignorou essa parte e perguntou em seguida.

― Por que não vem comigo nos fazer uma visita? Eu já resolvi tudo por aqui e estava me preparando para volta.

― Ver Isabela? Claro isso seria ótimo! ― disse Rael sem esconder o animo. Bryan sorriu sem jeito enquanto seguia a frente mostrando o caminho.

― Seu casamento vai ser em alguns dias não é mesmo? Em quase todos os lugares é o que mais está sendo falado ― disse Bryan.

― Insistiram tanto que no final não pude recusar ― disse Rael de volta.

― Gosta dessa mulher? ― perguntou Bryan curioso.

― Mais ou menos. Eu tenho um pouco de trabalho com ela, mas to ajeitando ― explicou Rael.

― Todo esse tempo eu fiquei muito curioso. Queria saber que tipo de relacionamento você tem com nossa líder Isabela? ― perguntou Bryan.

― Ela é uma das minhas mulheres ― disse Rael sem pensar muito. ― Na ultima vez que nos vimos nos beijamos, ela saiu um pouco irritada depois, mas eu sei que ela gostou porque eu gostei bastante ― disse Rael despreocupadamente.

                Bryan agora entendia porque naquele dia Isabela tinha voltado tão furiosa. Ele não pôde deixar de rir por dentro. Imaginar que Isabela estava sendo domada por um homem mais fraco e muito mais novo que ela era uma surpresa.

― Você não tem medo que Isabela fique nervosa? Sabe ela é bem perigosa. Imagino que ela não gostou quando você a beijou de surpresa ― disse Bryan depois de pensar com calma. Ele sabia que Isabela jamais beijaria um homem, então se rolou um beijo entre ela e Rael, esse beijo só poderia ter sido por iniciativa dele.

― Eu beijar ela de surpresa? É claro que não, ela foi quem me beijou e ainda saiu com raiva como se eu fosse o culpado. Eu fiquei bem confuso na hora ― admitiu Rael.

― Ela que beijou você? Isso é impossível ― disse Bryan. Ele sabia que sua líder odiava homens. Ela sempre recusava os pedidos de encontro ou até mesmo pedidos de casamentos de grandes mestres de famílias importantes. Isabela tinha até mesmo um apelido e algumas pessoas a chamavam de A Indomável.

― Impossível por que? Acha que estou mentindo? ― perguntou Rael olhando Bryan de lado.

― Não me leva a mal, é que desde que eu conheço Isabela eu nunca vi ela interessada em ninguém. Então foi uma surpresa ouvir você me dizer isso ― explicou Bryan.

― E ela nem deve. O único que ela deve se interessar sou eu mesmo ― disse Rael voltando a ficar despreocupado.

― Posso perguntar quantas mulheres você pretende ter? Você está interessado na minha líder e já noivo de duas mulheres. Isso já te deixa com três, por acaso existem outras?

― Vejamos... ― Rael começou a pensar. Violeta, Rika, Rita e Janete. Rael estava brigado com Rika mais sabia que era temporário. Janete estava sumida mas agora ele entendia que ela era dele também. Sua mestra nem precisava ser mencionada e Rita nem se fala.

― Somando tudo da um total de sete. Embora eu não posso dizer com clareza que todas elas vão realmente ficar comigo, algumas ainda estão se resolvendo e uma delas está sumida ― disse Rael. Bryan olhou para Rael com uma cara estupefata. Rael era tão novo e já tinha tal lista em sua mente? Sem mencionar o fato de que as duas noivas de Rael eram lindas. Rose e Mara eram duas grandes beldades, agora Rael estava partindo para sua líder que era outra, então isso levava Bryan a imaginar que todas as outras possíveis mulheres de Rael também deveriam ser lindas.

― Como você consegue fazer isso? Como pode ter tantas mulheres? Eu mal tenho uma e já tenho tanto trabalho ― disse Bryan um tanto sem jeito.

― Não entendo o que você diz mas pra mim não é trabalho algum.

― Só não entendi por que você uma vez chamou Rose de sua concubina. Eu tinha ouvido os boatos na cidade de que uma bela garota de cabelos azuis seria sua concubina. Mas se ela é sua noiva então ela não pode ser uma concubina.

― Mas ela é ― disse Rael de volta pra ele.

― Como ela é sua concubina se ela é sua noiva? ― perguntou Bryan ficando sério.

― Qual é o problema? A minha amizade com ela está a um nível acima do normal então ela é minha concubina ― disse Rael. Bryan parou de caminhar e Rael parou do lado.

― Samuel você entende o termo concubina? ― perguntou Bryan.

― Não é quando uma amizade avança para um nível maior? ― perguntou Rael.

― Não cara! Concubina é o termo usado para uma mulher que você mantém relações sexuais e não é sua esposa nem noiva, não só isso, você também tem obrigação de prover o sustento dessa mulher, tal como ela deve residir em uma casa sua. Geralmente pessoas de poder e ricos tem uma média de sete ou mais concubinas, mulheres usadas apenas como fins sexuais ― explicou Bryan. Rael ficou parando digerindo a informação por um tempo e isso fez Bryan pergunta novamente.

― Ninguém nunca te ensinou isso? Então quando você disse que Rose era sua concubina não fazia ideia do que estava falando? ― perguntou Bryan. Bryan segurou uma risada que quase escapou dele, porque a cara de Rael deixava aquilo obvio.

― O que isso tem demais? Rose será minha de qualquer jeito então não tem problema ― disse Rael voltando a caminhar. Mas em sua mente ele já estava rapidamente pondo em ordem tudo que tinha pensado antes.

― Como você cresceu sem saber disso? ― perguntou Bryan o seguindo e já tomando a frente.

― Vamos dizer que não tive pais descentes quando era criança ― explicou Rael.

― É você nunca falou de sua família, fico curioso em conhecer a família de alguém que é tão forte ― disse Bryan.

― Minha família não me criou, quem me criou foi minha mestra ― disse Rael.

― Ouvi dizer que seu pai é um comerciante ― disse Bryan tentando fazer Rael falar.

― Ainda estamos longe? ― perguntou Rael cortando o assunto.

― Não muito já estamos chegando ― disse Bryan percebendo que Rael não gostava de falar daquele assunto, por isso ele decidiu ficar quieto o resto do caminho.

                Minutos depois os dois entraram em uma pousada e subiram as escadas. Bryan usou a chave e abriu a porta para o quarto em que estavam hospedados. Assim que Rael entrou junto com Bryan viram a linda Isabela. Ela estava ao fundo, sentada em um banco ao lado de uma janela, olhando distraída para fora enquanto apoiava o queixo na mão.

Luana a morena não parecia estar presentes e Sofia estava deitada em uma cama a esquerda lendo um livro em mãos.

                Era a primeira vez que Rael via Isabela com roupas naturais. Ela estava usando uma saia jeans curta com cinto escuro e uma blusa branca bem folgada, deixando uma parte de seu sutiã amarelo amostra e também uma parte das coxas. Rael nem estava tão perto dela, mas só ver tal beleza já se encheu de prazer. Seu coração logo acelerou.

― Eu voltei e ninguém nem se quer diz bem vindo de volta? ― perguntou Bryan caminhando. Rael atrás fechou a porta. Isabela ainda não tinha notado sua presença, mas Sofia estava olhando Rael da cama. Pela cara de Sofia podia-se dizer que ela estava bem surpresa.

― Eu trouxe uma visita Isabela, porque não diz oi? Ele veio apenas para ver você ― disse Bryan.

                Isabela demorou um pouco a se virar porque não parecia interessada até descobrir de quem se tratava. Rael ainda pôde apreciar os cabelos de Isabela sendo soprados pelo vento que vinha de fora a deixando ainda mais bela do que poderia ser possível.

                Quando os olhos dos dois se cruzaram Isabela abriu a boca e arregalou os olhos surpresa. Ela imediatamente tirou o braço que se apoiava na janela.

― O que você está fazendo aqui? ― a pergunta de Isabela soou dura e intensa. Ela fez uma expressão furiosa enquanto saltava de pé. Bryan imediatamente ficou atento e Sofia se levantou da cama largando o livro. Isabela sempre dizia que mataria Rael se o encontrasse novamente então os dois estavam preocupados.

― Não tinha planos nenhum quando cheguei, mas quando descobri que você estava aqui vim ver você. Afinal você é minha ― disse Rael despreocupado. Ele realmente não tinha o menor medo de Isabela, mesmo que ela estivesse soltando fogo pelos olhos.

― Você ousa dizer tal coisa! Eu não sou como aquelas outras garotinhas que ficam babando por você! Eu jamais seria sua! Jamais! ― disse Isabela furiosa. Ela mal tinha visto Rael e seu peito já subia e descia sem parar.

                Ver Rael tinha trazido a tona todos os sentimentos mais estranhos que ela possuía ultimamente. Então ela odiava Rael, principalmente porque até aquele momento ela não sabia porque o beijou.

― Podem nos deixar a sós? Quero ter uma conversa pessoal com ela ― disse Rael olhando de lado para Sofia e Bryan.

― Tem certeza? ― perguntou Bryan curioso. Todos podiam ver o quanto Isabela estava abalada depois de ver Rael.

― Claro que tenho, não se preocupem com ela, ela vai ficar bem ― garantiu Rael preocupado que eles estivessem com medo de sua líder se machucar.

― Não é com ela que estamos preocupados Samuel ― disse Bryan.

― Comigo então? Esqueçam e vão, ela não vai me machucar ― disse Rael com um sorriso.

― Você tem mesmo tanta certeza disso? ― perguntou Isabela enrugando o olhar. ― da ultima vez eu não fiz nada porque estava fraca o que não é um problema agora ― disse Isabela olhando Rael com um brilho intenso de raiva no olhar.

― Saiam logo! ― reclamou Rael porque os dois ainda estavam parados.

― Se você insiste ― disse Bryan e puxou Sofia, os dois saíram batendo a porta nas costas de Rael.

                Isabela e Rael finalmente ficaram sozinhos. Um não tirava os olhos do outro. Rael é claro estava preparado para o caso de Isabela o atacar de surpresa, mas ele tinha uma estranha certeza de que Isabela nunca iria o fazer qualquer mal.

― Que tal resolvemos nossas desavenças? Você não pode ser minha e continuar furiosa dessa forma toda vez que me ver ― disse Rael abrindo as mãos. Rael tinha se tornado tão ousado que nem ele mesmo percebia o quanto.

― Agora que aqueles dois saíram nada pode me segurar então vou dizer calmamente enquanto ainda posso me controlar ― disse Isabela fazendo uma pausa e respirando devagar. ― Eu odeio você e quero te matar! Mas vou perdoá-lo por ter salvado minha vida e considere aquele beijo como uma ultima lembrança que você terá de mim. Desse dia em diante é melhor você não cruzar o meu caminho ou eu matarei você.

― Sério que você vai continuar me ameaçando? Isabela diga a verdade, você realmente me odeia? ― perguntou Rael.

― Não eu não odeio você ― disse Isabela e arregalou os olhos olhando de lado parecendo um pouco confusa. ― Eu o amo! Mas não está certo! Eu nem te conheço então como isso pode acontecer? ― perguntou ela a si mesmo e ao mesmo tempo respondendo a questão de Rael.

― Está vendo? Agora você começou a ser sincera comigo ― disse Rael.

― O que você está fazendo com a minha cabeça? Eu juro que vou te matar! Não pense que eu tenho medo do clã Torres! Eu te mataria e fugiria como sempre fugi do meu clã! ― ameaçou ela se recuperando.

― O que eu estou fazendo com sua cabeça? É claro que não estou fazendo nada. Você é quem fica gritando a palavra odeio para mim toda hora.

― Você já tem duas noivas? Por que ainda não se contentou? Por que está aqui atrás de mim? Qual é o seu problema? ― Isabela perguntava furiosa.

― Por que eu gostei de você desde a primeira vez que te vi, posso estar sendo egoísta, mas quero você também ― explicou Rael e avançou um passo.

― Para trás! ― Isabela rugiu fazendo Rael parar. ― Se chegar perto de mim eu vou realmente te atacar, estou falando sério ― ameaçou Isabela.

― Eu acho que vou correr esse risco ― disse Rael e sorriu dando outro passo adiante. Isabela ficou séria e balançou o pulso acima da cabeça derrubando a espada do bracelete que caiu no ar. Ela rapidamente juntou as duas mãos segurando o punho e atacou contra Rael.

Por Lord Letal | 28/11/17 às 23:44 | Ação, Aventura, Fantasia, Romance, Brasileira, Poder, Harém, Drama, +18