CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 65 - O Casal

O Herdeiro do Mundo (HDM)

Capítulo 65 - O Casal

Tradução: Lord Letal | Revisão: Sneed - Nego

Depois do casamento Rayger entregou uma casa dentro do território Torres para os dois. Não era grande como a de Rayger, mas ainda tinha sala, cozinha, lavanderia, cinco quartos e dois andares, com direito a uma varanda no segundo andar.

                A Casa deles ficava a cerca de meio quilometro da casa dos pais de Mara. Rayger também garantiu aos dois, cinco protetores e uma escrava para cuidar dos afazeres.

                Os dois aproveitaram bem a noite do noivado depois de se livrarem do vestido de casamento e do terno.

                Dois dias se passaram e Rael foi se acostumando a conviver com Mara. A escrava que servia os dois, nunca foi tão bem tratada. Ela recebia dinheiro, era respeitada, e ainda recebeu um quarto só dela na parte de baixo da casa, obvio que a ideia era de Rael.

                Escravos não precisavam receber nada. Eles eram obrigados a servir seus mestres sem ter direito algum. O tratamento ganho por ela graças a Rael era quase como uma segunda chance, pelo menos ela poderia enviar um pouco de dinheiro para sua família pobre.

                Rael continuou cultivando e aprimorando seu poder. De vez em quando ele fazia um treinamento escondido com suas técnicas enquanto o dia do torneio chegava cada vez mais próximo.

                Faltando apenas três dias para a data marcada. Rael explicou para Mara que precisava sair, provavelmente voltaria a noite ou no dia seguinte. Mara não reclamou nem mandou protetores com Rael, ela confiava nele e sabia que ele podia se virar, ela também não era tão chata quanto o pai nesse termo de segurança.

Mara precisava treinar com seu treinador e não ia ter tempo para acompanhar Rael em qualquer aventura, por isso ela nem insistiu para ir junto, nem o obrigou a não ir, ela já sabia que não adiantaria então só pôde concordar mesmo com “Tome cuidado”.

                Rael não estava sendo importunado por outros da família, porque ninguém ia por olhos em um cultivador do terceiro reino, Rayger tinha alertado Rael sobre isso, mas até o momento ninguém tentou nada. Os feitos de Rael eram admiráveis, mas não pareciam reais a vista da maioria.

                Rael precisava passar de nível e nada melhor do que uma aventura solo. Pensando nisso, ele saiu pelo fundo clã floresta adentro a procura de alguma besta.

Violeta havia dito que sua evolução poderia voltar com uma ou duas semanas, mas ele deveria esperar um pouco mais para ela não durar um tempo curto. Rael não se importava com a duração dela, ele só precisava passar pelo menos para o quinto reino. (O Domínio da Resistência). Estando no quinto reino seu corpo iria desenvolver uma resistência maior, mesmo nos níveis iniciais, o que iria ajudá-lo durante o torneio.

                Rael tinha planos de se afastar do território Torres e depois usar Ralf para chegar em locais mais distantes, porém, ele sentiu que estava sendo seguido por dois indivíduos e esses dois estavam no quinto reino. Rael não sabia dizer ainda se aquilo era sorte ou uma mera coincidência.

                Os dois pareciam está bem acanhados e mantinham distancia. Rael ainda estava próximo ao clã e talvez por isso eles não vinham de uma vez. Rael correu trilha adentro em uma velocidade rápida se afastando mais depressa do território enquanto sentia os dois no encalço. Ele correu durante dez minutos inteiros se afastando o suficiente e parou. Os dois que estavam o seguindo vinham a toda velocidade agora como ele imaginou. Tomou apenas uma distancia do clã e os dois já iam mostrar as garras.

                Rael ficou parado próximo de algumas arvores esperando os dois chegarem. Ele analisou o terreno em volta se certificando que não haveria mais ninguém.

                Os dois chegaram. Era um cara branco, forte, alto e a outra, uma morena bonita, magra de cabelos curtos. Os dois já chegaram sorrindo como se tivessem tirado a sorte grande.

― Seniores eu Samuel cumprimento vocês, está um belo dia não? ― perguntou Rael tentando parecer cortes e bobo ao mesmo tempo, ele ainda não sabia as intenções dos dois então agiria com cautela até descobri.

― Você é muito descuidado, sair por ai sozinho sem nenhuma proteção e ainda se distanciar tanto do clã ― disse o homem sorrindo. Rael começou a sorrir por dentro, porque aquilo começou a ficar obvio.

― Sozinho? Como se eu tenho o sênior para me proteger e a linda irmã? ― perguntou Rael olhando a morena de lado.

― Ela é minha namorada, melhor não falar dela assim de novo ou eu arranco seu saco fora ― ameaçou o homem.

― Sério que a irmã tão bonita namora um cara feio desses? ― perguntou Rael olhando a moça. ― É realmente um desperdício ― Rael não parava de provocar.

― Desperdício é um lixo fraco como você casado com uma bela mestra do clã Torres ― disse o homem irritado. A moça manteve uma expressão fria sem se incomodar com as palavras de Rael.

― Os seniores sabem o meu nome, mas até agora não sei o de vocês, nem porque parecem estar com raiva de mim, eu poderia saber? ― perguntou Rael.

― Eu me chamo Fredy e esta é Ana Carolina, viemos negociar os termos de sua vida ― disse ele.

― Negociar os termos de minha vida? Certo estou ouvido continue ― disse Rael.

― Meu primo disse que você era muito ousado e que atrapalhou um momento especial dele, então viemos para ter uma conversa ― disse Fredy. Quando Rael ouviu isso ele na mesma hora começou a ficar mais frio. Rael se fazia de bobo propositalmente para seus inimigos mostrarem as garras, mas quando alguém tocava em algo que não deveria...

― Então você é primo do Heitor? ― perguntou Rael com uma cara séria, em um segundo ele já mudou completamente a forma de tratamento.

― Você acertou tão rápido garoto, meus parabéns, pelo menos você não é tão burro quanto pareceu até agora ― elogiou Fredy. ― Somos todos do clã Sarbaros, você já deve ter ouvido falar ― disse ele.

― Sei, então Heitor mandou vocês pra acabar comigo? ― perguntou Rael agora mantendo a seriedade.

― Acabar com você? Não, ele apenas nos contou a história e decidimos que deveríamos conversar, o primo Heitor é alguém muito especial no nosso clã, alguém como você não tem o direito de ofende-lo ― disse Fredy.

― Não entendi, então bem. Se não vieram me matar Por que vocês estão me seguindo? ― perguntou Rael irritado.

― Você não entendeu? Deixe-me explicar melhor. Nesse momento estamos em duvida se vamos ou não acabar com você, nossa duvida pode ser facilmente mudada com um pouco de esforço de sua parte ― disse Fredy.

― O sério? Então venham logo em frente porque não tenho o dia todo pra isso ― disse Rael. Fredy viu Rael fechar os punhos se preparando para o combate. Rael era louco? Estava mesmo disposto a enfrentá-lo? Fredy não parava de se perguntar.

― Você acha mesmo que tem alguma chance contra mim? ― perguntou Fredy com um sorriso malicioso.

― Por que você ta demorando tanto? Se vão vir me atacar então venham de uma vez, se tenho chance ou não só vou saber tentando ― disse Rael. Fredy estava inconformado porque Rael era muito tapado aos olhos dele, ninguém tão fraco seria tão ousado assim.

― Irmão talvez você não tenha percebido, mas eu disse que com um pouco de esforço nós mudaríamos de ideia. Você é casado com uma mestra do clã Torres, agora você é parte da família deles e deve ter muito dinheiro. Se nos der um pouco de ouro então esqueceremos essa história e partiremos em paz ― disse Fredy. A garota bonita finalmente abriu um sorriso satisfeito, quando tocou no nome do ouro.

                Rael ficou ali parado por um segundo digerindo a informação, ele nunca valorizou muito o dinheiro por ter vivido escondido tanto tempo com Violeta, mas ultimamente ele tinha aprendido a apreciar um pouco. Servia para muitas coisas afinal.

― Você está me dizendo que vão perder suas vidas hoje por causa de um pouco de ouro? Vocês são mais estúpidos do que eu imaginei ― disse Rael já se conformando. Ele só queria um motivo para matar aqueles dois e eles acabaram dando vários.

― Perder nossas vidas? O único que vai perder a vida aqui será você se não nos pagar ― disse Fredy e só para assustar Rael, retirou uma espada pesada do bracelete. Era uma espada de lâmina prateada medindo quase dois metros apenas de lâmina, tendo uma amputadora escura. Fredy a segurou nas duas mãos e manteve acima da própria cabeça. Ana sacou dois chakram do lado do namorado.

― Você é Ana não é? Eu aprendi que mulheres podem ser bem confortáveis e não to querendo tirar sua vida. Se você desistir dessa ideia posso poupar você ― disse Rael sendo o mais sincero possível. Ana não deu a menor atenção, ela até mesmo riu. Fredy bufou, porque além de Rael não aparentar medo ele ainda estava tentando ameaçar sua namorada.

― Eu não quero machucar você, como pode ver essa espada é um pouco exagerada, então eu gostaria de evitar usá-la, mas você está me provocando de verdade, mostre o ouro o quanto antes ou escolha a morte ― disse Fredy mais uma vez.

― amor já chega de ser bonzinho, vamos apenas matá-lo e tomar o bracelete de seu cadáver ― disse Ana com um sorriso frio.

― Isso é mesmo uma pena ― disse Rael depois de ouvir aquilo. ― Em todo caso você vai se lembrar que eu te dei a chance ― disse Rael olhando para ela. Aquilo deixou Fredy ainda mais irritado, ele não pretendia matar Rael, porque Heitor tinha dito que iria humilhá-lo em publico na frente de todo o clã, então ele só queria mesmo tirar vantagem e ganhar algum ouro, mas quem ia imaginar que Rael era afinal tão ousado?

― Eu cansei de ser bonzinho ― disse Fredy liberando uma aura roxa e apertando a empunhadura com mais força, a lâmina da arma foi coberta por uma intensa energia roxa. Ele tinha a liberação do apoio (amplificação) que ampliava o poder de ataque de uma arma. Ele deu o primeiro passo a frente pegando impulso, depois correu se preparando para descer a espada contra Rael. Rael ficou no mesmo local parado.

Ana corria pela lateral muito mais rápido que Fredy, podia-se notar uma aura transparente fluindo dela, ela tinha o caminho da liberdade (O vento). Sendo mais rápida que Fredy, ela ia cercar as possíveis rotas de fuga de Rael, seria um trabalho rápido e sem falhas. Pelo menos na visão deles.

                Rael esperou parado sem a menor intenção de esquivar. Fredy parou a frente de Rael e desceu sua lamina pesada. Na visão dele, a lâmina acertou Rael e estava o partindo ao meio.

Booooom!

A lâmina bateu no chão e criou uma explosão, jogando energia roxa e poeira para todos os lados, criando uma cratera no local onde Rael estava. Ana que tinha vindo por trás de Rael parou, ela pensou que Rael esquivaria daquele ataque e então morreria nas mãos dela. Ninguém iria imaginar que Rael não sairia se quer do lugar. Tudo que eles podiam imaginar é que Rael tinha congelado de medo.

― Mas que babaca! ― disse Fredy com um sorriso ainda com a espada deitada, ele já tinha até mesmo relaxado os músculos. Rael saiu da poeira correndo sem nenhum arranhão.

― Impacto Invisível! ― gritou Rael, saltou e aplicou um tapa com a mão esquerda. O tapa pegou em cheio o rosto de Fredy que recuou surpreso um passo para trás e puxou e sua lâmina do chão. Ana recobrou o estado de alerta e voltou a correr na direção de Rael passando pelo lado do namorado recém atingido.

― Hunf! Você bate que nem uma mocinha de mão aberta ― riu Fredy desdenhosamente se virando para Rael. Ele não sentiu dor alguma no lado esquerdo do rosto onde foi acertado por Rael.

                Rael se esquivou de uma rodada de ataque de Ana, que girava as lâminas dos chakram agilmente cortando em varias direções.

― O que... ― Fredy tentou dizer algo, mas sua voz sumiu rapidamente. Ele ficou gemendo silenciosamente atrás de Ana e isso a fez se virar. Fredy estava com o rosto esquerdo explodido, era como se tivesse sido exposto a uma bomba. Havia muito sangue escorrendo por todo aquele lado do rosto, em meio a isso, restos do olho, boca e até pedaços de ossos com restos de celebro. O olho direito de Fredy estava arregalado e todo vermelho, sangue fluía de suas beiradas, ele olhava para o nada enquanto seu corpo inteiro se tremia. Já tinha soltado a espada. Seu corpo tremeu em pé por alguns segundos, até ele finalmente desabar de cara no chão.

                Ana Carolina arregalou os olhos surpresa. Fredy era do quinto reino nível dois. Com ele morreu tão miseravelmente assim? Por um ataque atrasado de Rael? Ela também viu o namorado ser golpeado pelo tal impacto invisível, então ela sabia que era do ataque de Rael.

                Quando ela se virou para Rael seus olhos já estavam cobertos de medo e terror, ninguém podia imaginar um terceiro reino com aquele poder. Eles tinham ouvido as histórias de Rael, mas quem acreditaria? A família de Rayger podia estar inventando aquilo apenas para elevar os status de Rael.

                Ela ainda correu para perto do namorado e confirmou que ele tinha mesmo morrido. Rael ficou esperando sua energia aumentar, ele sentiu que a morte de Fredy tinha surtido efeito dentro dele.

― Você! Que tipo de técnica foi essa? ― Ana perguntou assustada se virando para Rael, ela ainda seguravas as armas, mas se tremia inteira, estava apavorada, porque a maneira que seu namorado morreu, foi realmente horrível. Sua cabeça foi estourada de dentro para fora, e em meio aos ossos soltou vários fragmentos do celebro e sangue.

― Foi uma técnica passada por minha mestra, ela tem um efeito atrasado, mas uma vez acertada o efeito é garantido ― disse Rael com frieza e começou a caminhar na direção de Ana. Mesmo com medo ela apertou os chakrams e foi de encontro a Rael.

                Ela desferia vários ataque horizontais e as vezes em arcos fazendo curvas. Rael se esquivava com certa facilidade, mas ele tinha que admitir que ela rápida com aquelas curtas lâminas redondas presas nas mãos. (chakram são armas redondas como anéis grandes que são usados como punhos, na maioria das vezes. Igual Ana usava agora).

                Rael estava gostando da brincadeira e se divertia com as investidas de Ana, ela sempre saltava de um lado a outro tentando evitar deixar seus movimentos fáceis de prever, porque um só ataque de Rael poderia matá-la, ela estava apenas um nível acima do noivo e sua resistência do quinto reino não a salvaria daquele ataque.

― Você não pode reclamar, eu te dei a chance antes ― disse Rael sorrindo.

― Morra calado! ― gritou a mulher furiosa, atacando de um lado a outro, até que a mão direita de Rael veio contra o peito dela em um momento que Rael conseguiu investir. Ana percebeu que ele pretendia usar a mesma técnica nela, então para decepar o punho ela atacou dos dois lados com as lâminas imprensando o punho de Rael.

Braaash!

As lâminas se destruíram quando acertaram o punho de Rael.

― O que! ― a moça gritou vendo os fragmentos das lâminas caírem pelo chão. Então ela teve sua blusa agarrada pela mão de Rael, que antes parecia que ia acertá-la, mas na verdade a intenção dele era agarrá-la.

                Ela ainda lutou batendo nas mãos dele tentando se libertar, mas sua força inteira não era capaz de se soltar do braço direito de Rael.

― Me solta! Me solta! Se você me matar o patriarca Romeo saberá e não deixará isso barato ― ela gritava se esperneando e batendo com as mãos no braço de Rael. Rael tinha levantado ela no ar.

― Sério? E por que ele não deixaria barato?

― Porque somos ambos do clã Sarbaros, o clã que o patriarca protege. Se me matar também terá problemas, você não terá ninguém para dizer a verdade do que aconteceu hoje, e culparão você de nos perseguir e nos matar ― disse a mulher tentando se salvar de qualquer maneira.

― Como se você fosse dizer a verdade ― disse Rael rindo enquanto apertava ainda mais o punho.

― Espera, não faz isso!

― É uma pena ter que matar uma mulher bonita como você ― disse Rael preparando o punho esquerdo. No desespero e medo, Ana juntou toda a sua energia liberando seu poder no limite para se soltar de Rael.

Vruuuuuum!

                Uma forte onda de vento soprou do corpo dela levantando poeira de todos os lados. Rael foi empurrado para trás e no processo acabou liberando Ana. Ana que sentiu sua vida por um triz, não pensou duas vezes em correr desesperadamente para longe de Rael. Rael podia ser mais forte que ela e bom em se esquivar, mas ele jamais poderia ganhar em velocidade, então ela conseguiria fugir na certa.

Por Lord Letal | 28/11/17 às 23:50 | Ação, Aventura, Fantasia, Romance, Brasileira, Poder, Harém, Drama, +18