CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capitulo 70 - Continuação do Torneio

O Herdeiro do Mundo (HDM)

Capitulo 70 - Continuação do Torneio

Tradução: Lord Letal

As lutas continuaram até a primeira rodada chega ao fim. Houve um intervalo de alguns minutos enquanto o juiz botava os nomes de volta na caixa. Depois de balançar ele começou a puxar os nomes de novo e as lutas reiniciaram.

                Primeira a ser chamada foi Mara, que dessa vez lutou contra um noivo de uma prima vencendo a batalha bem facilmente. Algumas lutas depois foi Heitor que venceu através de uma nova desistência por parte do adversário.

                Rael foi um dos últimos a ser chamado e caiu contra um dos primos de Mara. Um adversário do quinto reino nível dois.

                Os dois foram para o centro da arena e o juiz saiu ativando a barreira. Rael encarou o homem a frente, para ele não importava se não o conhecia, desde que fosse da família Torres hoje seria surrado miseravelmente.

                Não houve desejo de boa luta. O adversário de Rael de era homem branco de aparência fria. Ele não disse nenhuma palavra, apenas fechou os punhos e concentrou sua energia amarela pelo corpo. Ele usava uma armadura pesada que foi reforçada com um couro protetor brilhante, parecia uma proteção extra criada por terra. Nas mãos ele sacou um martelo escuro de porte médio e cobriu a porta esmagadora com lâminas afiadas de terra. Ele claramente não estava subestimando Rael.

― Comecem! ― O juiz deu a ordem.

                Rael partiu correndo para cima de seu adversário preparando os punhos. Sauros que era o adversário de Rael naquela luta, preparou o martelo com as duas mãos o posicionando de lado esperando Rael.

                Rael surgiu de frente e saltou por cima quando o martelo foi girado de lado. Caindo atrás de Sauros, Rael virou-se e saltou de lado quando o martelo atingiu o piso do chão rachando o local atingido. Sauros tinha uma velocidade boa mesmo sendo do tipo terra.

                Rael se lançou para frente com o punho direito levantado ele aplicou um soco contra o rosto de Sauros. Sauros soltou a mão direita da empunhadura do martelo e defendeu o soco de Rael com o ante-braço. A armadura de Sauros se espalhava pelos braços e ante-braços, assim como as pernas, aquela mesma proteção extra tinha também nessas partes.

Boooom!

Houve uma explosão e pedaços de terra foram destruídos no impacto. Sauros foi jogado vários metros para trás sendo obrigado a soltar o martelo que caiu no chão. Rael não esperou ele se recuperar e partiu para cima dele, desferindo uma série de socos com a mão esquerda e direita.

Booom!

Booom!

Booom!

Booom!

                O publico foi ao delírio. Porque na primeira luta Rael não tinha sido tão agressivo assim como estava sendo agora.

                No ultimo soco Sauros foi jogado no chão e ficou de barriga para cima respirando com dificuldade. Rael quebrou muitos ossos do mesmo em uma só sequência de ataques e só não o matou porque teve medo de ser expulso do torneio. A platéia se agitou comemorando outra vitoria de Rael. Sauros, não conseguia nem mais se levantar.

                Rayger e seus familiares estavam muito satisfeitos com o desempenho de Rael. Ele mesmo sendo um quarto reino vencia facilmente adversário do quinto (pelo menos era o que pensavam). Já o lado do patriarca não estava muito bom. Elisa queria ver Rael perder e não via a hora dele cair com Heitor. Aquele sentimento estranho por Rael queimava no peito dela, ela não podia saber, que era um sentimento de uma mãe por um filho, então para ela, aquele sentimento era o de uma mulher interessada em um homem mais novo. Ela repudiava aquele sentimento horrível que pensava ter, e queria ver Rael ser destruído o mais rápido possível.

                Romeo por outro lado estava neutro, ele não tinha todos os detalhes de Rael e seu envolvimento com o caso da filha nos últimos dias. Elisa preferiu manter aquilo em segredo para proteger a filha até onde podia e fez com que Heitor, guardasse segredo sobre aquilo também.

Para Romeo sua filha era um produto, se Heitor quisesse poderia fazer o que bem entender com ela desde que não a matasse, tudo que ele precisaria fazer era vencer o torneio e garantir mais cinquenta anos de trono para os dois.

A segunda rodada chegou ao fim e agora havia bem menos participantes.

Quando a primeira rodada começou havia um total de quinze casais participantes, tendo também dois lutadores solos que eram Heitor e uma mulher chamada Olinda, casada com um cara ainda mais fraco e por isso não se escreveu.

Na segunda rodada esse numero tinha caído pela metade, restando apenas dezesseis participantes.

Agora na terceira rodada restavam apenas sete grupos, sendo Rael e Mara como ultimo casal invicto. Todos os outros estavam desfalcados, tinham perdido seus parceiros nas rodadas anteriores.

A nova rodada começou e os primeiros nomes puxados foram Rael e Mara, como eles eram uma dupla, seus nomes voltaram para caixa que foi balançada novamente. O nome seguido a sai foi o de Heitor, em seguida o nome seguinte foi o de Olinda a participante solo do sexto reino que tinha conseguido chegar sozinha até aqui.

Os dois desceram para a arena e Heitor disse as mesmas palavras que vinha dizendo a todos, para que desistissem, ele não queria matar ninguém acidentalmente. Olinda, no entanto, não desistiu, eles tinham afinal apenas um reino de diferença.

O juiz saiu e a luta começou depois da barreira ser ativada. Seria a primeira batalha que Heitor lutaria porque antes disso todos os participantes haviam desistindo entregando a vitoria.

Olinda era uma loira de cabelos curtos na altura dos ombros, ela tinha a liberação: Caminho das Chamas o fogo. Quando a batalha começou ela partiu a toda velocidade para cima de Heitor com uma espada curta coberta de chamas.

Heitor cobriu as mãos dele com o elemento raio e assim conseguia se proteger com as mãos contra a espada de fogo que se chocava constantemente contra as mãos dele. Era uma batalha de um sexto reino nível três, contra um sétimo reino nível dois.

                Explosões de chamas e raios ocorriam entre os dois em uma fúria intensa de ataques. Olinda estava lutando para vencer, ela constantemente usava suas outras técnicas de ataque aplicando mais força em seus ataques, as vezes fazendo Heitor ter até mesmo ter que recuar.

                O publico tinha entrado em silencio diante daquela batalha feros. Mas não durou muito, Heitor em algum momento desapareceu com o corpo coberto de raios e apareceu atrás de Olinda. Ele apenas encostou as mãos nas costas dela e gritou.

― Trovão Vital! ― O braço de Heitor foi coberto por raios que correram rapidamente para a mão e assim atingiram Olinda. Ela foi jogada vários metros para frente e bateu de cara contra a barreira tamanha era a força de ataque usada por Heitor. Ela caiu inconsciente e ninguém poderia dizer se ela havia morrido ou não.

                Heitor sorriu enquanto controlava seu poder estabilizando o corpo. O juiz desfez a barreira e entrou correndo para conferir, os familiares dela desceram desesperados. A arena tinha ficado em silencio.

― Ela ainda está viva, seus sinais vitais estão fracos, mas está viva ― disse o médico que sempre descia junto, para ajudar as famílias. Houve um alivio no rosto dos familiares, mas vários deles ainda olharam feio para Heitor.

― Rael tome cuidado, se cair com ele desista na mesma hora. Ele quase matou uma cultivadora do sexto reino com um só ataque, ele não é uma pessoa simples ― disse Mara, que nem imaginava que agora Rael tinha uma resistência absurda contra raios. Rael estava sorrindo por dentro, porque pela primeira vez a sorte tinha batido sua porta.

― Desista você, não se arrisque contra ele, pode deixar isso comigo ― garantiu Rael olhando para Mara de lado. Ela riu e balançou o rosto sem jeito. Ela sabia que Rael nunca recuava, mesmo que seu oponente fosse muito mais forte, ela gostava daquilo.

― ‘Não pense que sua vitoria está garantida apenas por ele parecer ter o elemento raio, não se esqueça que ele é muito mais forte e mais resistente que você. Quando sua luta chegar, melhor não subestimá-lo’ ― disse Rika mentalmente. Rael sabia que os cultivadores tinham suas combinações, mas dificilmente usavam por serem muito mais fracas. No final Rika estava certa, mesmo Heitor ainda tinha uma imensa força física e resistência corporal, lutar contra ele não seria uma tarefa fácil.

                As lutas continuaram. Rael caiu contra outra prima de Mara que estava à beira do sexto reino e venceu aplicando uma boa surra nela. Rael não tinha pena uma vez que seu oponente fosse um Torres.

                Mara também venceu sua luta facilmente contra um dos seus primos e assim os dois se classificaram para a semi final.

                Mara, Rael, Heitor e Lucas eram os últimos participantes. Muitos estavam impressionados com o desempenho de Rael que era muito bom por vencer seus inimigos tão facilmente aparentando ser ainda um quarto reino.

                Houve um intervalo ao qual estavam arrumando os nomes e fazendo uma pausa natural para o descanso dos participantes.

                No meio da pausa Rael correu seus olhos com mais calma pelo publico que assistia a batalha. Entre o publico misto que ficavam nas pontas, ele avistou Luana sentada entre a multidão, não demorou muito para ele achar Isabela e todos os outros. Eles estavam ali reunidos lado a lado assistindo as batalhas.

― Já volto ― disse Rael tanto para Rose quanto para Mara que estavam de cada lado dele.

                As áreas onde o publico sem ser das famílias ficavam, eram cercadas por guardas que impediam qualquer um deles de sair de seus espaços, podendo apenas se retirar da arena. Quando Rael viu Isabela e seu grupo ele decidiu ir cumprimentá-los, eles não podiam sair daquele espaço, mas Rael poderia entrar e sair quando quisesse.

― Aqui estão vocês ― disse Rael chegando de encontro a eles depois de subir os degraus laterais. Isabela já ficou enrijecida na mesma hora vendo Rael se aproximando, isso porque ela nunca previa o que Rael podia fazer, sem mencionar o fato que tinha um grande publico curioso olhando Rael. Rael era afinal um dos que estavam na semifinal.

― Estamos aqui desde que tudo começou ― disse Bryan apertando a mão de Rael.

― Sério? Desculpe eu não os vi antes ― admitiu Rael naturalmente.

― Você está fazendo uma boa luta, parabéns ― elogiou Luana.

― Obrigado ― disse Rael.

― Boa sorte na semifinal ― disse Sofia do lado e Rael fez um sim para ela, então finalmente seus olhos alcançaram Isabela.

                Hoje todos eles estavam com suas roupas de combate, assim como Isabela estava com sua armadura de ouro.

― Não vai nem se levantar para vim me cumprimentar? ― perguntou Rael olhando a moça. Isabela estava olhando para a arena, ela estava tentando ignorar Rael.

― Você não ouse fazer nada de estranho aqui, eu não ficarei feliz ― disse Isabela e olhou irritada de lado. Rael sorriu para ela.

― Não se preocupe, eu não faria nada estranho aqui a não ser que você queira fazer. Você é afinal uma das minhas mulheres e uma hora todos terão que saber e aceitar ― disse Rael. Isabela ficou vermelha e sua respiração acelerou.

                Mara e seus pais estavam de longe, mas tinham suas atenções em Rael e eles viram Rael falando com aquela mulher de nome Isabela. Qualquer um podia dizer facilmente que Isabela era uma beldade, ela era afinal uma mulher forte e linda, porém muitos ali conheciam a verdadeira historia dela. Isabela tinha sido expulsa do clã Sangnos alguns anos atrás, por recusar um casamento. Esse ato foi dado como traição.

                Parte do clã Sangnos estava olhando na direção deles. Eles estavam mal humorados por Isabela ousar aparecer em um evento que eles estariam presentes. Uma coisa eram eles terem cancelado o pedido da cabeça dela por traição, a outra era o fato dela ousar aparecer descaradamente no mesmo evento que eles. Isso era pedir demais.

― Se você soubesse o tanto de problemas que eu poderia fazer você ter, não estaria dizendo isso ― disse Isabela depois de se acalmar.

― Ainda que eu tenha que colocar minha vida em risco por você milhares de vezes eu ainda faria, você sabe que isso não é exagero pelo que sentimos um pelo outro ― disse Rael de volta.

― Você nem sabe o que está falando ― disse ela um pouco nervosa e virou-se para não olhar Rael.

― Se acontecesse algo comigo eu sei que você pularia no meio sem pensar duas vezes ― disse Rael chamando a atenção de Isabela de volta que virou-se para ele. ― Se eu ficar em perigo hoje, eu não quero que você se arrisque por mim ― disse Rael sério.

― Perigo? Isso é um torneio com um monte de gente importante, o que poderia acontecer? ― perguntou Isabela surpresa.

― Muita coisa pode acontecer, nem sempre podemos prever tudo ― disse Rael e se virou. ― Quando eu resolver as coisas nesse clã então conversaremos sobre nós ― disse Rael. Ele falava alto o suficiente para os amigos de Isabela ouvirem.

                Antes de Rael se afastar, ele viu uma garota sinalizando para ele, ela não estava muito longe.

― Rita? ― perguntou Rael sorrindo e já foi passando pelo meio do publico que foi abrindo espaço para ele passar. Alguns batiam nas costas de Rael e davam parabéns, ele apenas ignorava e continuava avançando.

                Rita estava acompanhada de seus pais. Rael já chegou cumprimentando seu falso pai e sua madrasta. A ultima foi Rita que o abraçou apertado.

― Você cresceu hein! Ta quase batendo no meu peito já ― brincou Rael quando soltou a garota. Ela ficou sorrindo sem jeito.

― Samuel, você já está tão forte, consegue ser melhor que a maioria dos lutadores do clã Torres, estou admirada ― elogiou Rita.

― E você também não está nada mal, já alcançou o nível sete, com um pouco mais de esforço você logo estará no terceiro reino ― disse Rael sorrindo.

― Isso foi graças a você ― disse ela de volta timidamente.

                Rael pensou em arrastar eles para junto da família de Rayger, mas decidiu que era melhor não os expor. Com tudo que estava para acontecer, quanto menos pessoas soubessem sobre eles melhor seria.

― Eu só não vou levá-los para junto dos outros, porque não quero chamar atenção para vocês ― explicou Rael com um ar sério. Talvez eles entendessem de uma forma boa ou ruim, isso não importava desde que Rael pudesse os manter seguro.

― Não se preocupe com isso filho, estamos bem aqui. Apenas vá lá e mostre a eles o quanto você é forte certo? ― perguntou Adam animado. Barbara do lado concordou. Rita ficou em silencio.

― Estão na cidade? ― perguntou Rael.

― Sim conseguimos alugar uma pousada ― disse Adam.

― Eu não sei ainda o que pode acontecer até o fim do torneio, mas se a coisa ficar feia, eu quero que vocês saiam o mais rápido que puderem da cidade e não olhem para trás ― disse Rael.

― Samuel o que você quer dizer com isso? ― perguntou Rita preocupada.

― Eu ainda não tenho certeza sobre o que pode acontecer, mas se acontecer vocês saberão e se lembrarão do que eu disse ― disse Rael. Antes de sair Rael se agachou e deu um beijo no rosto de Rita, depois virou-se e voltou para o seu lugar sem deixar ninguém dizer mais nada.

― Você conhece até mesmo Isabela? ― perguntou Mara assim que Rael voltou.

― Então você a conhece? ― perguntou Rael de volta fingindo não ser nada demais.

― Ela foi expulsa do clã Sangnos e é dada como traidora, como não a conheceria? Mas e você como a conheceu? ― perguntou Mara com um pouco de ciúmes.

― Na guilda, vi uma vez e depois durante o evento nós conversamos um pouco, nada demais. Eu apenas tenho interesse em entrar no grupo dela ― disse Rael.

― O tal Asa da Fênix? Meu amor não pense pequeno. No nosso clã temos um grupo que está no topo. Se você quiser eu indico você para entrar nele e até entro junto.

                O Juiz se preparava para dar início a semifinal...

Por Lord Letal | 29/11/17 às 15:55 | Ação, Aventura, Fantasia, Romance, Brasileira, Poder, Harém, Drama, +18