CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 06 - Biblioteca Flor de Cerejeira

O Livro da Ordem (LDO)

Capítulo 06 - Biblioteca Flor de Cerejeira

Autor: Urano | Revisão: JenX

Ao serem interrompidos, nenhum dos dois ficou feliz.

' Droga, o cabelo dele é tão macio... ' Jian Linyu disse interiormente, lamentando-se.

' Droga, o carinho dela é tão bom... ' Fang falou internamente, disparando uma série de xingamentos mentais contra Bo Chang logo em seguida, que o tal provavelmente nunca saberia que sofreu.

Apesar de ambos não dizerem nada, insatisfação estampou-se no rosto dos dois.

Fang se levantou, sentando-se preguiçosamente ao lado de Jian Linyu.

O rapaz de cabelos castanhos sorriu amavelmente em resposta. "Irmão Fang, você com certeza é um incrível artista marcial. Seu talento superou em muito minhas expectativas. Eu respeito sua habilidade e não vou mais incomodá-lo por hoje, apenas que preciso falar contigo em particular. É um assunto importante."

Ouvindo esta sentença, a mente de Fang se encheu de estranhamento. Suas íris negras fitaram o jovem de cabelos castanhos, seu olhar se afiou, atravessando o corpo de Bo Chang como a lâmina afiada de uma lança. "Sobre o que, exatamente?" Sua voz grave era fria.

Mesmo Jian Linyu estava cheia de estranhamento, sua face escureceu um pouco. Ela era uma praticante do sexto estágio e suas emoções influenciavam sua aura, o que poderia alterar a atmosfera. De repente, o clima se tornou mais tenso.

A aura era algo muito peculiar que todo artista marcial poderia utilizar a partir de certo ponto. Ela possuía inúmeras funções e a mais básica foi influenciar o mundo externo indiretamente. Emoções ruins, boas e até mesmo a força de um artista marcial poderia ser identificada analisando a aura.

Ao atingir o sexto estágio do Reino Terrestre, você poderia tentar se conectar com a Energia Espiritual que existe entre os céus e a terra. Logo, o poder fluiria mais naturalmente pelo seu corpo, começando a aprimorar suas capacidades cognitivas, invés de somente a anatomia.

O que Jian Linyu estava fazendo era espontaneamente liberar uma aura proveniente da Energia Espiritual acumulada em seu corpo. Esse tipo de coisa só seria possível ao alcançar o sétimo estágio do Reino Terrestre. Mas essa bela mulher era uma exceção à regra. Ser capaz de liberar aura durante o sexto grau já deixava claro quanto talento ela tinha.

Enquanto isso, o menino de cabelos castanhos sequer se sentiu incomodado com o olhar penetrante, apenas continuou calmo e prosseguiu.

"Você não precisa desconfiar tanto, Irmão Fang, eu sou apenas uma pessoa interessada em talentos. Bem, de qualquer forma, irei em sua casa amanhã pela manhã e então entenderás minhas intenções. É claro, me receber ou não é escolha sua, mas acredito que minha proposta será de alto benefício para o Irmão Fang."

A expressão de Fang se tornou mais solene. Ele olhou para o rapaz em sua frente, que de repente parecia cada vez mais misterioso. Hesitando em dar uma resposta imediata, pensou que talvez fosse bom apenas ver como isso acabaria. De qualquer forma, Bo Chang era apenas um artista marcial no terceiro estágio do Reino Terrestre. Não poderia apresentar qualquer ameaça... Certo?

"Faça como quiser. Só não me incomode quando estou curtindo um pouco do paraíso, hmpf." Fang bufou, irritado. Logo depois, preguiçosamente estirou seu corpo, jogando sua cabeça para o colo de Jian Linyu novamente.

Esse ato desavergonhado de Fang quebrou a atmosfera tensa que havia se instalado. Linyu teve um sorriso suave adornando sua bela face, como uma estrela cintilante atravessando o véu noturno.

Ela colocou sua mão sobre a cabeça do jovem, voltando a acariciá-lo. "Seu cabelo parece lã de ovelha." Disse, enquanto olhava para o rosto do rapaz que estava sobre seu colo.

Fang não sabia se levava isso como elogio ou como uma ofensa. Acabou por não pensar muito nisso e apenas aproveitou o momento, fechando os olhos.

Bo Chang, que já havia dito o que tinha para dizer e não queria mais incomodar, apenas fez uma leve reverência em despedida, se virou e saiu.

A luz crepuscular mais uma vez banhou o solitário casal, que descansava em um canto do campo de prática.

...

"O que? Como assim você não vai poder me levar ao Pavilhão de Jade?!" Fang exclamou, com uma indignação clara aparecendo em seu rosto. Ele estava irritado e desacreditado, tanto que seus olhos estavam redondos como duas luas cheias.

"Acalma-se, acalme-se. A questão aqui é que eu não posso acompanhá-lo, tenho um importante compromisso para cumprir." O Instrutor Su deu um sorriso embaraçado, desculpando-se. "Contudo, as reservas estão feitas. Uma mesa para dois no andar principal, com boca livre para a noite inteira, na minha conta."

"Então, vou poder ir sozinho ao Pavilhão de Jade?"

"Poder você pode, mas creio que levar uma acompanhante seria o ideal..." O Instrutor Su deu ênfase no "uma acompanhante", lançando um discreto olhar para Jian Linyu, que estava sentada acima de uma rocha nas proximidades.

Fang entendeu o que o homem que parecia um monge estava dizendo. ' Esse velho safado realmente tá querendo me ajudar com isso...? ' O rapaz de cabelos escarlates sorriu e colocou sua mão sobre o ombro do Instrutor Su. "Fico te devendo essa, Velho Su."

"Não entendo do que está falando, júnior, eu sou apenas um bom samaritano que convenientemente tem duas reservas em um restaurante e está disposto a entregá-las para você, não há nada que precise fazer por mim." O Velho Su falou, olhando para o céu e dando uma checada na posição do sol.

"Bem, já deu minha hora, estarei indo primeiro. Trate de usar bem essas reservas, Fang." Disse, entregando dois tokens brancos para o garoto.

Fang pegou ambos e olhou-os. Eram tão grandes quanto a palma de sua mão, pareciam ser feitos em jade branca e possuíam algumas palavras gravadas neles.

Token do Pavilhão de Jade.

"São Tokens de uso único, grau 4. Aproveite." De repente, como se fosse um fantasma, o corpo do velho monge piscou e desapareceu da visão de Fang.

"Esse velho com certeza gosta de saídas dramáticas..." Murmurou o garoto.

Depois da saída do Velho Su, estavam apenas Fang e Jian Linyu no enorme campo de prática. Ele não achou que a menina de fato passaria o dia esperando-o aqui, então ficou feliz com a presença dela.

O jovem calmamente se aproximou. "Linyu."

"Mm?" A menina virou seus olhos, antes distantes, fitando a figura de Fang.

Por algum motivo, olhando para as magníficas íris cor violeta de Jian Linyu, o rapaz se sentiu tímido. "E-Então... Eu meio que tenho algumas reservas para o Pavilhão de Jade amanhã à noite, então tava pensando se vo--"

"Eu vou." A garota decisivamente respondeu, cortando a frase de Fang no meio.

' Tão fácil?! ' O rapaz se sentiu meio embaraçado, seu rosto de pele parda ruborizando.

"Hehe, eu tenho uns assuntos pra discutir contigo, então é a oportunidade perfeita, irmãozinho Fang." Ela disse, zombando.

"S-Sim, claro... Amanhã à noite, então?" Falou, estendendo a mão com um dos Tokens do Pavilhão de Jade para ela.

"Amanhã à noite." Ela sorriu, pegando o token.

...

Já era noite. A luz da lua cobria toda a extensão de terra da cidade. As inúmeras árvores de cerejeira, que estavam florescendo devido à chegada da primavera, se tornaram demasiadamente deslumbrantes sob o brilho do luar.

Na grande Cidade Flor de Cerejeira, um único edifício feito em madeira escura chamava a atenção. Era enorme, parecendo ter por volta de quatro andares. Antigo e marcado com inúmeras cicatrizes em cada um de seus cantos, de alguma forma ainda se mantinha de pé, segurando-se teimosamente sobre seus fundamentos enfraquecidos pela erosão do tempo.

Um letreiro meio caído ainda pendurava-se acima da porta principal do local, nele, três grandes palavras estavam estampadas.

Biblioteca Flor de Cerejeira.

Dentro da biblioteca, um jovem de roupas negras estava respeitosamente ajoelhado em frente a um altar. Era um quarto monótono nos fundos da biblioteca, iluminado apenas por algumas poucas velas que bruxuleavam em seus últimos suspiros. A luz da lua perfurando através das rachaduras da madeira e deixando a brisa gélida permear o lugar.

"Vovô, espero que sua alma esteja feliz. Seu neto preguiçoso ainda está cuidando de sua biblioteca, então você pode descansar em paz." Um olhar deprimido estava estampado na face do rapaz de cabelos escarlates.

Sob a luz das velas, sua figura parecia abatida. Ele suspirou, dando mais um olhar para uma pintura que estava acima do altar construído em pedra branca, com algumas flores nas laterais.

Na pintura, um velho baixinho, que usava óculos antigos sobre seu rosto enrugado e murcho. Sua expressão era severa e ele trajava roupas simples, segurando um livro grosso abaixo de seu braço.

O ar soturno adentrou o quarto, o clima de desalento agravado pela frieza da noite...

Com um estigma em seu coração, o garoto abaixou a cabeça, prestando seus respeitos ao falecido avô, antes de deixar a sala e ir em direção ao seu quarto.

O quarto dele ficava no último andar da biblioteca, era espaçoso e poderia-se ficar confortavelmente ali, apesar da madeira antiga que, de vez em quando, mofava e sempre rangia quando se pisava em cima. Fang fazia seu melhor para limpar o mofo que surgia pela biblioteca, mas não era suficiente.

Ele se sentou em sua cama de pernas cruzadas, respirando profundamente. "Muito bem, vamos logo com isso..." Falou, antes de pôr-se em pose do lótus e adentrar o estado meditativo.

Sua mente vagou pelos infinitos labirintos do consciente e inconsciente, passeando entre todos seus anseios, medos e inseguranças, pela sua felicidade, amor e lembranças agradáveis. Finalmente, ela flutuou para longe, ainda mais distante do que poderia alcançar em qualquer outro momento.

Era como se tudo ao seu redor perdesse cor e forma. Apenas ele existia. A energia armazenada em seu corpo vibrou, correndo por toda a extensão de sua fisionomia, como carpas nadando rio acima. Sem forma e sem limites, um estado comumente conhecido como "cultivação".

A energia ao redor dele parecia apostar para ver quem alcançaria o corpo do rapaz primeiro, sendo absorvida pelas narinas e boca de Fang. Para um artista marcial no Reino Terrestre, absorver a Energia Espiritual com a respiração era a única opção.

Enquanto a energia se acumulava, prestes a explodir para fora de Fang, o curativo com estampa de ursinho em sua testa foi se desintegrando, abrindo caminho para a visão de uma lua minguante vermelha, que se materializava em um brilho etéreo...

Por Urano | 21/08/20 às 15:47 | Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Romance, Xuanhuan