CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 10 - Facção Tartaruga Cinza

O Livro da Ordem (LDO)

Capítulo 10 - Facção Tartaruga Cinza

Autor: Urano | Revisão: JenX

Quando Fang ouviu o nome “Facção Tartaruga Cinza” ele revirou sua memória, tentando se lembrar de onde havia escutado isso antes. Se não estivesse enganado, essa era uma força dominante no Deserto Cinza.

Foi preciso saber que, mesmo sendo uma terra desértica, o Deserto Cinza era lar de inúmeras pessoas, organizações e viajantes, isso porque seu território se estendia por três países. Suas areias cinzentas ocupavam uma região imensa e alguns povos dentro dele tinham culturas e mitos próprios, devido à isolação prolongada com a civilização exterior.

No país em que Fang vivia, o País Sol Ardente, o Deserto Cinza cobria cerca de 2/5 da região total da capitania. Era tão vasto que estava quase fora do controle da Família Imperial Sol Ardente, então outros poderes se estabeleceram na Região Cinza do Sol Ardente.

As duas maiores forças eram classificadas como “Facções”. Essas organizações trabalhavam em todo tipo de negócio, desde comércio de mercadorias livres, até tráfico e venda de escravos, ensino da prática de artes marciais, trabalho mercenário e realização de missões. Mantinham negócios mesmo com os países vizinhos.

Uma dessas era a Facção Tartaruga Cinza. Levando a fama de “facção justa”, ela reinava como um titã no Deserto Cinza e mantinha-se em desavenças acirradas com as demais organizações da região.

Apesar de tudo, essas facções ainda se limitavam a Região Cinza do Sol Ardente, afinal, dentro da Região Imperial Sol Ardente eles seriam suprimidos pela Família Real e pela Seita Sol Ardente, então foi estranho que um membro deste grupo estivesse na Cidade Flor de Cerejeira, que não era seu território.

“É claro. Mas o que um membro da Facção Tartaruga Cinza como você iria querer em uma cidade pequena como essa?” Fang se inclinou para frente, colocando os cotovelos sobre a mesa, enquanto repousava sua xícara de chá.

“Isso é simples, Irmão Fang.” Bo Chang sorriu. “Recrutar pessoal.”

‘ Entendo... Então é por isso que ele veio atrás de mim. ’ Fang assentiu, dando permissão para que o rapaz prosseguisse.

“Você deve saber que minha Facção Tartaruga Cinza está em uma guerra constante com as demais forças na Região Cinza do Sol Ardente, principalmente com a... Facção Rocha Vulcânica.”

‘ Haha, agora isso faz mais sentido. ’ Fang sorriu de forma engraçada.

A Facção Rocha Vulcânica era o extremo oposto da Facção Tartaruga Cinza, inimigos jurados de morte. Se seus membros se encontrassem por aí, o derramamento de sangue seria inevitável.

Conhecidos pelos métodos malignos e por sempre matar impiedosamente, poderia-se dizer que o nome “Facção Rocha Vulcânica” foi temido até fora do Deserto Cinza. Mesmo dentro da capital Sol Ardente, as pessoas ainda seriam cuidadosas para com essa organização. Isso porque os meios deles eram cruéis e não poupavam recursos para caçar e destruir o que quisessem, quando quisessem.

No passado, o exército Sol Ardente havia tido uma derrota contra o pessoal da Facção Rocha Vulcânica e isso foi como um tapa na cara da Família Imperial, que em seguida declarou abster-se de qualquer envolvimento no Deserto Cinza.

Fang fez seu julgamento. Para uma organização poderosa como a Facção Tartaruga Cinza enviar pessoas para recrutar até mesmo fora de seu território, algo de errado não estava certo. ‘ Eles devem estar desesperados. Pelo que me parece, a Facção Tartaruga Cinza está sendo suprimida, então precisam de reforços... ’ Ele considerou, antes de prosseguir falando.

“Entendo. Você quer que eu me junte a sua Facção Tartaruga Cinza para lutar contra os Rocha Vulcânica?”

“De fato, o Irmão Fang é um homem inteligente.” Bo Chang sorriu.

A voz do jovem se tornou fria. “E o que ganho com isso?”

O rapaz de cabelos castanhos riu. “Não seria mais correto perguntar o que você não ganha? Irmão Fang, a Facção Tartaruga Cinza pode providenciar tudo que você desejar. Eu não sou um homem mesquinho e vi o talento do Irmão Fang em primeira mão, ainda mais porque aquele não pareceu ser seu limite...”

“Para Facção Tartaruga Cinza, cultivar um talento é um assunto de extrema importância. Pense bem, você poderia sair dessa pequena e patética Cidade Flor de Cerejeira e conhecer o mundo, ganhar fama e riquezas. Como a pessoa bem informada que é, deve ter ciência da influência que possuímos. Irmão Fang, escute bem, a proposta que estou lhe fazendo é algo que muitas pessoas apenas sonhariam em receber.”

Bo Chang falou, cada uma de suas palavras exalava uma convicção absoluta no que estava dizendo e expressava o quanto estava levando esse assunto a sério. Seu tom convincente e arrogância impressa ao mencionar o nome de sua nobre facção o faziam parecer um orgulhoso enviado que estava dando uma oportunidade imperdível a um camponês.

Fang franziu o cenho. O fato de Bo Chang ter chamado sua cidade de “pequena e patética” o deixou incomodado. Ele suspirou, considerando a proposta que o rapaz havia lhe passado, até enfim responder.

“Eu me recuso.” Seu tom foi alto, cortante, tão afiado quanto a lâmina de uma lança. Esse corte afiado parecia ter o atributo gelo, pois a face de Bo Chang congelou.

‘ Ele... Não aceitou? ‘ Sua mente voou por inúmeras possibilidades e motivos para isso acontecer, mas nada parecia plausível. Por que Fang havia recusado? Ter um forte apoio não era o sonho de qualquer artista marcial?

A Facção Tartaruga Cinza era um colosso e poderia prover diversos recursos que ajudariam na cultivação, deixando todo o caminho muito mais suave, as experiências em combate providas por trabalhar nesta afiliação também tinham seu valor. Além de tudo, mesmo se voltássemos ao ponto de que Fang era um preguiçoso, ele poderia usar essa oportunidade para juntar dinheiro e, depois de alguns anos, abandonar essa vida, indo viver sossegado em algum lugar distante com os fundos que arrecadou enquanto jovem.

Se estivéssemos falando de alojamento e comida, Bo Chang não achou que essa biblioteca velha era uma casa melhor do que as providas por sua facção, tampouco que a comida da Cidade Flor de Cerejeira fosse superior a servida para aqueles que tinham importância dentro dos Tartaruga Cinza. Com o talento que Fang havia demostrado, tal qual sua capacidade de luta, seria apenas questão de tempo até ele ter uma posição relevante dentro da Facção Tartaruga Cinza.

Isso era ótimo para Bo Chang também, já que, como seria ele quem teria recomendado o rapaz para organização, poderia receber alguns benefícios se Fang fosse um jovem com força e potencial. O rapaz de cabelos castanhos já podia sentir as moedas de ouro que ganharia por essa descoberta primorosa em uma cidade remota como essa, mas no fim...

Ele havia recusado?!

Que tipo de ironia era essa?!

O sorriso na face de Bo Chang estava torto. Ele não sabia que expressão fazer, tampouco como responder devidamente a isso. “E-eu posso saber o porquê do Irmão Fang estar recusando...?”

“Eu não tenho obrigação alguma de responder seus questionamentos. No mais, apenas saiba que não vou deixar essa biblioteca pra trás, seu convite é fútil.” A voz de Fang foi fria e decisiva, sem espaço para argumentação.

Uma pitada de raiva surgiu nos olhos de Bo Chang, mas manteve o sorriso amável. Ser tratado arrogantemente por um camponês de uma cidade pequena o fez sentir indignação. Ele era um membro da enorme Facção Tartaruga Cinza, então quando foi que sofreu tal tipo de humilhação em sua vida?

Bo Chang suspirou, retomando a calma. Ele levantou e olhou para Fang, antes de enfim deixar sua última sentença. “Muito bem, vou respeitar a decisão do Irmão Fang. Contudo, ainda permanecerei aqui na Cidade Flor de Cerejeira por meio ano, então, se acabar mudando de ideia, pode me contatar, estarei disposto a recomendá-lo para sede.”

“Faça como quiser.” Fang nem cogitou mudar de ideia, mesmo depois de seis meses. Ele levantou-se de sua cadeira, pronto para mostrar a saída para o convidado...

...

Depois que Bo Chang saiu, Fang suspirou. Já havia voltado para seu quarto e estava sentado em sua cama, pensando no que aconteceu recentemente. “Terceiro estágio, aquele mundo vermelho estranho, o capítulo e agora essa coisa da Facção Tartaruga Cinza... Quantas merdas podem acontecer comigo em um único dia, cara?”

Foi quando se lembrou de algo. Ele retirou um token de jade branco da mesma gaveta onde havia guardado o capítulo do Livro da Ordem.

“Ai, ai... Foda-se, esquece essas merdas por enquanto. Preciso relaxar um pouco, vou me concentrar só no encontro com a Linyu.” Ao se lembrar de Jian Linyu, pareceu que todo seu estresse havia sido purificado. Pensar no encontro que teriam nessa noite o deixou animado, tão animado que um sorriso adornou seu rosto sem sequer pedir permissão.

Fang levantou-se em um pulo, olhando decisivamente para seu armário fechado. “O único problema é...”

“Que roupa eu uso hoje à noite?”

...

“Que roupa eu uso hoje à noite?!” Jian Linyu gritou, enquanto abraçava seu travesseiro.

Estava sentada em sua cama, usando um pijama branco, simples e meio largo. Seus cabelos negros estavam bagunçados e sua face matizada por uma expressão preocupada.

Próxima a ela, a empregada Mingmei olhava para garota com um sorriso amável.

O quarto ao redor das duas parecia uma expressão clara da riqueza da Família Li. Como Jian Linyu era uma hóspede do Lorde da Cidade, seu tratamento fora ótimo. Adornado com quadros de flores e guerreiros, o cômodo esbanjava pinturas remetendo os tempos antigos, ilustrando monstros e bestas ancestrais.

As paredes brancas, com detalhes em roxo, móveis luxuosos e uma enorme cama de casal forrada por um colchão confortável e lençóis caros, coberta em um dossel* de cortina púrpura semitransparente, cujo combinava com os ornamentos do quarto, concedendo a todo ao recinto uma harmonia única. N.A: Dossel é uma armação de madeira ornamentada, forrada ou não de tecidos, usado sobre altares, tronos, leitos e até sobre liteiras, cadeirinhas, etc . Ele se parece com isso... https://i.pinimg.com/originals/2d/cc/20/2dcc20515a6d231d255c7672b9ac0fe6.jpg

“Não fica aí parada, Mingmei. Isso é uma questão importante! Um assunto sério! Eu não tenho nenhuma roupa boa o bastante pra essas coisas...” Ela abraçou ainda mais firme seu travesseiro, afundando o rosto nele.

Mingmei deu uma risadinha. “Senhorita Jian, eu estou certa de que qualquer coisa que a Senhorita vista cairá bem, não precisa se preocupar.”

“Que? Isso nem faz sentido! Eu não poderia ir vestindo um uniforme de treino, poderia? É um jantar, Mingmei, um jantar... Eu não tenho nada pra usar num jantar assim... Aaaaah...” Lágrimas quase caíram de seus olhos e ela começou a rolar de um lado para o outro na cama, segurando seu travesseiro.

A mulher vestida de empregada ligeiramente se aproximou de sua mestra, tentando acalmá-la de alguma forma. Mingmei deu-lhe um rosto preocupado, mas a felicidade em seus olhos verdes não podia ser camuflada. Quando foi a última vez que havia visto a Senhorita tão animada dessa forma? Ela não se lembrava.

“Ah, já sei! E se você pedisse algo para Dona An, a alfaiate da Família Li?”

Jian Linyu parou de rolar dum lado para o outro e soltou seu travesseiro, erguendo seu corpo e sentando instintivamente em seiza sobre a cama, com seus olhos travados em Mingmei. Seus orbes cor violeta cintilavam como as estrelas mais reluzentes, cujo atravessavam anos-luz até alcançar nosso campo de visão durante a noite.

“Mingmei, você é genial!” Linyu sorriu.

“Você me superestima, Senhorita...” Ela ruborizou levemente.

Jian Linyu trocou de roupa e foi, junto de Mingmei, em direção à alfaiataria do Clã Li...

...

Quando chegaram ao local, ambas ficaram admiradas.

A oficina da costureira era repleta de trajes e panos empilhados por todos os lados, formando montes. Armários que pareciam guardar peças de roupas, alguns baús, até mesmo proteções de vidro para vestes mais elegantes estavam ali.

Apesar de ser um lugar bonito e muito bem cuidado, as vestes penduradas e espalhadas por todos os lados davam a impressão de ser tão bagunçado e confuso que apenas o dono entenderia. Na verdade, isso proporcionava a essa alfaiataria um ar diferente, um charme de “trabalho bem feito”, pois havia provas da capacidade da costureira que administrava esse lugar por todos os lados.

Andaram pelo labirinto de vestimentas até que, mais ao fundo da sala, viram uma bancada de madeira. Atrás dela estava uma velha baixinha, de rosto enrugado e olhos gentis, que organizava algumas agulhas em uma pequena caixa.

Os passos de Jian Linyu e Mingmei pareceram chamar a atenção da velinha, pois ela parou de organizar suas agulhas e se virou para as duas. “Mingmei, o que faz aqui? Oh, essa é... Senhorita Jian! Mil perdões pela minha falta de modos, eu não pensei que a estimada convidada me agraciaria com sua presença e...” A velinha tentou corrigir seus modos. Era apenas uma mulher comum com talento para costura e não sabia muito sobre as normas de comportamentos dos nobres.

“Tudo bem, acalme-se. Eu vim aqui hoje pedir algo para Senhora.” Linyu tentou falar da forma mais casual possível, para que a costureira se sentisse confortável.

“Oh, sim, mil perdões. O que a Senhorita poderia querer com esta velha costureira?” Disse a Dona An, enquanto acalmava seu espírito. Se agitar nessa idade não fazia bem para ela.

“É que eu... Como posso dizer? Meio que... Er...” Jian Linyu se embolou em suas próprias palavras, enquanto pensava no encontro que iria ter com Fang.

“A Senhorita Jian tem um jantar importante hoje à noite e ela gostaria de um bom vestido para usar.” Mingmei tomou a frente, tentando salvar sua amiga desse constrangimento.

A Dona An, que já era vivida e de burra não tinha nada, entendeu o que ela queria dizer com “jantar importante”. A envergonhada Jian Linyu havia deixado isso bem claro. Se havia uma coisa que conhecia bem, era o sentimento agridoce de ter um encontro na juventude. ‘ Ser jovem deve ser tão bom... ‘ A velinha suspirou internamente.

“Entendo. Na verdade, a Senhorita Jian está com sorte, eu tenho um lindo vestido aqui comigo e ele é uma das minhas mais novas criações. Venha, venha, a Senhorita será a primeira a prová-lo.” Dona An estava cheia de sorrisos por ter a chance de inaugurar sua mais nova criação em um romântico encontro, com o gosto de uma aventura juvenil.

Ouvindo isso, Jian Linyu se sentiu profundamente feliz, ela tinha vindo ao lugar certo! Em sua mente, repetidamente agradecia a Mingmei pela ótima ideia.

As três foram andando juntas até o fundo da sala e, lá, havia um belo armário de madeiro, trancado. Ele possuía adornos em todas as suas pontas e parecia ter sido feito por um habilidoso marceneiro, pois toda sua composição era elegante.

Olhando para aparência disso, Linyu se empolgou ainda mais. ‘ Se o recipiente é assim, imagina o conteúdo! ’

 A Velha An sorriu, retirando várias chaves presas a uma argola metálica de seu bolso. Ela olhou uma por uma, até encontrar uma chave dourada com alguns adornos em prata. A costureira se sentiu animada, mostrar suas obras aos outros sempre foi fruto de empolgação.

 Mingmei e Jian Linyu olhavam cheias de expectativa.

A velinha colocou a chave na fechadura do armário, girando-a. Som de destranque soou. A porta abriu-se e foi puxada pela velinha, revelando a imagem de um vestido que fez com que Jian Linyu e Mingmei tivessem suas bocas abertas e olhos arregalados.

Até mesmo a Dona An observou isso com certo louvor.

Por Urano | 04/09/20 às 16:53 | Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Romance, Xuanhuan