CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 50 - Primeiro Discípulo.

O Mestiço (OM)

Capítulo 50 - Primeiro Discípulo.

Autor: Liam | Revisão: Kazuaki-kun

O sol estava nascendo o que significava que era hora de parar de cavalgar e erguer o acampamento. Pararam em uma lugar plano, com muita grama e um pequeno lago próximo. Segundo os cálculos de Azhar apenas mais uma noite de viagem seria o suficiente para chegarem a Kipes.

Ainda estava frio, e o dia não estava dando sinais de que a temperatura iria subir, na verdade seria mais provável que uma garoa caísse.

—Kotaru, ande logo com as varas. —Gritava Shin apressando o rapaz que havia ficado encarregado de pegar as varas para erguer a tenda deles.

—Já vai… —Kotaru andava de maneira desengonçada abraçado com diversas varas.

Os dois começaram a montar sua tenda, nos três primeiros dias eles tiveram grandes dificuldades, mas agora já tinham uma noção melhor de como fazer isso.

Além deles, várias outras pessoas erguiam suas cabanas, incluindo Arien que dividia a tenda com Dana e Elli.

Cerca de meia hora se passou e todos terminavam de armar suas cabanas, exceto por Kotaru e Shin, mesmo após ter feito isso por três dias e melhorado um pouco, não necessariamente significava que já tinham masterizado a habilidade de montar a tenda, apenas que estavam melhores que no primeiro dia, podemos imaginar o desastre que foi aquele dia.

A cada minuto que passava aquela situação se tornava mais constrangedora, eles recebiam olhares e ouviam baixas risadas.

—Finalmente. —Disse Shin aliviado que aquilo havia terminado.

—Eu que o diga. —Diferente de Shin, Kotaru não se importava muito com os olhos das outras pessoas em cima dele, mas odiava ter que gastar tanto tempo para erguer a cabana. —Ansioso pra sua primeira aula prática?

Shin tinha passado a noite toda falando para Kotaru sobre como estava ansioso para sua primeira aula prática com Vilian. Era mais fácil ouvir os comentários ansiosos do rapaz, do que o galopar dos cavalos.

—Demais… Quer dizer… Ele é incrível… Se for possível pôr em prática toda a teoria que ele me ensinou… —Shin não encontrava as palavras certas para descrever o quão excitado estava. Ele passou a admirar Vilian com muita facilidade, embora não gostasse muito das aulas teóricas, era incontestável a quantidade de informação que lhe fora passado. —Eu já vou, mais tarde conversamos. —Shin logo se afastou indo para o local marcado de treino.

—Acho que eu vou dormir um pouco… Manhã passada devo ter dormido menos de quatro horas… —Kotaru coçava os olhos sentindo o cansaço acumulado.

Alguns poucos minutos depois, próximo ao lago, estavam Shin já podia ver Vilian sentado com as pernas cruzadas enquanto meditava. Como sempre seu peitoral estava desnudo, e sua calça era larga. Ao seu lado estava seu sobretudo bem dobrado.

—Perdão pelo atraso. —Sua respiração ofegante deixou claro que ele veio correndo.

—Não tem problema, estou ciente da sua dificuldade com a cabana, com o tempo você aprende. —Ouvindo o comentário de Vilian, Shin não pode deixar de se sentir envergonhado, mas claro, ele tentou não demonstrar isso. —Tire a camiseta e o casaco. —Shin ficou ainda mais embaraçado ao ouvir esse pedido, mas ele já conhecia Vilian o suficiente para saber que aquilo não era piada nenhuma.

Ele retirou o cinto que usava na cintura e em seguida seu casaco cinza que ia até a metade da coxa. O vento soprou frio, Shin se esforçou para não demonstrar o quanto desejava ficar vestido e aquecido. Em seguida retirou sua camiseta marrom, lutando para não começar a tremer em frente a Vilian.

—Hum. —Vilian ficou encarando o corpo do rapaz por um bom tempo, levantando-se em seguida. —Permita-me. —Ele começou a pressionar o abdômen do rapaz com as pontas dos dedos, com exceção de seu dedão devido sua unha. Em seguida fez o mesmo em suas costas. —Não tome isto como um elogio, mas devo dizer que é menos pior do que eu esperava. —Ele se referia ao corpo de Shin, que era um tanto trabalhado, diferente de Kotaru que era simplesmente magro.

—Tentarei não tomar como ofensa também… —Murmurou ele enquanto tinha seu peitoral pressionado.

—Bem, hoje como eu já tinha dito teremos um treino prático. —Shin sorriu imediatamente ao ouvir aquilo, e se abaixou para pegar sua camiseta e vesti-la. —Permaneça como está. —O rapaz largou sua roupa de imediato, levantando-se. —Comece com vinte flexões.

A expressão de decepção e frustração de Shin foi algo notório. Ele esperava aprender coisas como conjurar água ou alguma magia de cura, mas ao invés disso lhe foi mandado fazer exercícios básicos.

Ele se deitou de bruços no gramado gelado, em seus pensamentos ofendia Vilian de todas as maneiras que conhecia. A raiva que sentia o ajudou a completar as vinte flexões sem nem ao menos notar.

—Ótimo, agora cinquenta abdominais, em seguida descanse um pouco e repita a mesma quantidade de flexões e abdominais. —Vilian sentou-se com as pernas cruzadas voltando a meditar.

Shin obedeceu espumando de raiva, sua vontade era cerrar o punho e acertar Vilian. Ele estava tão ansioso, tão animado, não acreditava que estava de costas pro chão, sem camisa em meio ao frio e se exercitando. —Eu não preciso de professor para isso. —Pensava o rapaz frustrado.

Após concluir o que lhe fora pedido ele se pôs de pé e começou a encarar Vilian, que notou a movimentação do rapaz, pois estava com a Find ativa.

—Acabou, hein? —Ele se levantou, abrindo os olhos somente depois de estar em pé.

—Sim… —Shin estranhou ao vê-lo assumindo uma pose de luta. —Que não seja o que eu estou pensando. —Pensou ele repetidas vezes, como se isso fosse atrair o que desejava.

—Ataque-me. —Antes de falar ele fechou os olhos o que o impediu de ver a expressão de Shin.

—Ok… —Disse meio receoso, ao olhar para o físico de Vilian, Shin deduzia que apenas um soco dele deveria ser o suficiente para derrubá-lo.

Shin ergueu os punhos copiando a pose de Vilian, ele nunca havia brigado dessa maneira, por isso não sabia ao certo como fazer, então apenas tentou atingi-lo com o punho direito. Sem nenhuma dificuldade Vilian desviou do golpe agarrando o braço do rapaz e o arremessando no lago como se ele fosse uma pena.

Shin caiu na água de costas, o impacto causado deixaria uma bela marca vermelha mais tarde. Ele nadou até a superfície respirando de maneira ofegante, devido a baixa temperatura da água. Com o corpo tremendo ele saiu do lago. Sua calça estava encharcada e ele tentou torcer.

Enquanto olhava para baixo, torcendo a calça um murro, nada moderado em força, o fez voltar para o lago novamente. Mais uma vez Shin chegou a superfície afobadamente buscando ar.

—Estava esperando mais de você rapaz. —Vilian o encarava com os olhos fechados.

—Droga! —Ele bateu com os braços na água. —Por que fazer isso, hein? Pensei que iríamos praticar magia, não isso… —Ele nadou até o outro lado do lago para não se deparar com Vilian quando saísse.

—Magia… É realmente algo fascinante, mas ela está muito além de apenas dizer algumas palavras e canalizar sua aura. Você ainda tem muito o que aprender rapaz. Magia conecta nosso corpo e nosso espírito à natureza. É preciso um corpo forte para resistir os malefícios do uso da magia, para usar seu fluxo até o limite e resistir. Você precisa se conectar com isso –ele se referia a natureza que os cercava–, não seja presunçoso. Acha que estou brincando contigo ao te trazer para treinar teu corpo? Acha que é desnecessário? Porque se for isso não poderei lhe ensinar nada. —Vilian estava sério, ele abriu seus olhos ao começar a falar. Seu olhar era penetrante e seu tom de voz, que não se elevou em nem um momento sequer, constrangeu Shin.

Houve um silêncio constrangedor, na verdade apenas Shin se sentiu afetado pelo silêncio que se apoderou do ambiente. O rapaz buscava algo para dizer, pois não sabia quais seriam as melhores palavras para se usar, e demonstrar que estava arrependido das coisas que tinha dito.

—Desculpe-me… Podemos continuar? —A única certeza que ele tinha era que deveria se desculpar, as palavras que vieram em seguida foram resultado do seu desejo de permanecer treinando com Vilian.

—Se for isso que deseja. —Ele fechou os olhos novamente e voltou a se pôr em posição para lutar.

O que aconteceu a seguir deixou Shin ainda mais embasbacado, sua admiração por aquele homem apenas crescia mais e mais.

Vilian se moveu em alta velocidade, porém, ele não deveria conseguir dar mais do que dez passos antes de se deparar com o lago em sua frente. Ao chegar na borda ele saltou e Shin pensou se ele seria realmente capaz de pular aquele lago, que embora pequeno, tinha um comprimento razoável.

Shin estava enganado. O que Vilian fez foi, para o rapaz, ainda mais surpreendente. Seu pé direito tocou a água e ele não afundou, em seguida seu pé esquerdo também pisou no lago e assim Vilian continuou correndo. A água espirrava com o impacto do pé dele, mas ele pisava nela como se fosse sólida.

Shin ficou tão maravilhado que não foi capaz de desviar do soco que vinha em direção seu estômago. Ele recuou alguns passos para trás em busca de ar. O golpe de Vilian foi certeiro causando no rapaz uma breve falta de ar.

—Ande, você mal encostou em mim ainda. —Vilian o encarava, mesmo com os olhos fechados, o que era assustador.

Após se recompor Shin se pôs em posição e avançou com o punho cerrado. Sem dificuldade alguma Vilian o imobilizou deixando-o de costas para ele, enquanto torcia seu braço, chutando-o em seguida em direção ao lago.

—Isso é tudo o que você tem? —Vilian zombava do rapaz que estava com receio de sair do lago e ser enviado de volta para lá com um belo soco.

—Por que você não começa me ensinando a lutar já que é importante? Se seu objetivo era mostrar o quão mais forte que eu você é, considere concluído. —Ele não queria reclamar de novo e voltar a parecer ingrato, mas o rapaz estava frustrado, pois não conseguia tirar daquela situação nenhum aprendizado.

—Esta não é uma aula para que eu lhe ensine, mas para que você aprenda.

Shin ficou profundamente irritado com aquela resposta, mas algo o chamou a atenção, a boca de Vilian se mexeu, porém, ele não foi capaz de ouvir nada.

Em questão de instantes Vilian sumiu perante seus olhos, e praticamente no mesmo momento Shin notou formar-se sobre si uma sombra. Ao elevar os olhos tudo o que pôde ver foi Vilian vindo com sua mão aberta em sua direção engolindo seu rosto por inteiro. Os dois afundaram no lago, que não era muito profundo. Em pouco tempo Shin sentiu suas costas se chocarem contra algo sólido. O rapaz prendia a respiração enquanto sentia sua cabeça doer, pois Vilian a pressionava contra o solo.

Shin se debatia, tentando acertar Vilian com suas mãos e seus pés, uma vez ou outra ele o atingia, mas não havia força em seus golpes. Ao notar que o rapaz não seria capaz de se livrar sozinho Vilian o soltou nadando até a superfície em seguida.

Após finalmente estar livre Shin permaneceu por mais alguns instantes lá embaixo, ele admirava o céu de lá de baixo, dentro dele havia um misto de frustração e raiva. Incapaz de compreender os propósitos de Vilian e com raiva de seus métodos.

—Pensei que ia ficar lá para sempre. —Comentou Vilian ao ver Shin emergindo da água.

—Por quê? Pra que? —Shin apoiou suas mãos nas bordas pegando apoio para se retirar do lago. Logo em frente a ele estava Vilian, encarando-o, inexpressivo, desta vez com os olhos abertos.

—Eu que lhe pergunto, o que você aprendeu? Eu lhe mostrei tantas coisas… Achei que seria fácil demais lhe dar todas as respostas.

—O que eu aprendi? Tudo que eu fiz foi apanhar, na verdade acho que minha cabeça está sangrando… —Ele estava pronto para gritar e até mesmo socar Vilian com toda sua força, quando sentiu algo escorrendo por dentre seus cabelos, algo com uma textura diferente da água.

—Deixe-me ver. —Vilian o virou e logo notou em meio seus cabelos azulados, um pequeno corte de onde escorria o sangue. —Heal. —Ele colocou a palma da mão próxima ao corte que se fechou rapidamente. —Pronto. Basta lavar agora.

—Por que você não me ensina essas coisas? —Havia um tom de decepção na fala de Shin. Ele aprendeu rapidamente a admirar aquele homem, e em pouco menos de uma hora tudo aquilo havia se desfeito.

—Eu nunca tive um aluno… Apenas pensei que seria uma boa ideia te ensinar de uma maneira diferente, te dar as armas para aprender por si só. Primeiro a teoria e em seguida te mostrar na prática as coisas. Coisas como andar sobre a água e respirar debaixo dela, magia de aumento de velocidade e de força…

—Oh, você achou que eu aprenderia assim? Talvez funcione com algum prodígio, mas comigo? Se ainda quiser me ensinar será passo a passo. —Vilian acenou com a cabeça de maneira afirmativa. Ele não mantinha muito contato com as pessoas, estando sempre mais isolado e quieto. —Ah, e o que foi aquilo no lago? Você me assustou pra valer! —Shin não conseguiu evitar um tom meio autoritário ao falar, mas logo se arrependeu após usá-lo.

—Foi como eu aprendi… Bem, talvez algum dia a gente fale sobre isso. Agora sente-se aqui. —Vilian sentou-se na borda do lago mergulhando seus pés e Shin fez o mesmo em seguida.

Vilian não pôde evitar fechar seus olhos por um instante e sentir o vento batendo em seu rosto. O cheiro das águas e o frio que ela causava em seus pés, e que para ele era muito agradável. O som que as folhas de uma única árvore, que se encontrava ali perto, faziam.

—Você consegue sentir? Toda essa aura no ar? Consegue sentir algo emanando das águas? Como se te atraísse? —Vilian falava daquilo como se fosse a coisa mais maravilhosa que ela havia experimentado em sua vida.

—A coisa da aura no ar não… Mas consigo sentir essa atração… —Shin logo se lembrou de como se sentiu quando foi atraído pelo lago em Acatia.

—A coisa da aura… —Ele riu. —Tudo que há na natureza possui aura, desta maneira quando nós nascemos com uma aura muito parecida com a que há nas águas, então nós podemos controlá-las. Mas diferente de coisas como as pedras que não possuem vida, os animais, e nós, seres vivos, além de possuirmos nossas próprias auras que fluem por todo nosso corpo, também exalamos aura. —Vilian se calou crente de que o que havia dito era o suficiente para que Shin entendesse.

—Ér… Continue… —Ele ficou um pouco constrangido, mas foi direto e deixou claro que não tinha entendido ainda.

—Existem plantas e animais na água, eles exalam aura e ela se mistura às águas. Por isso te joguei tantas vezes no lago e te coloquei numa situação de desespero, pensei que você notaria… —Diferente do que a fala dele sugeria, não havia decepção no tom de Vilian.

—Entendo… Mas você não concorda que seria mais fácil ter dito antes? —Perguntou Shin sorrindo.

—Seria mais fácil, mas não seria tão divertido. —Ele também sorriu levantando-se em seguida e estendendo a mão para Shin.

Os dois passaram o resto da manhã e parte da tarde treinando. Assim como o céu havia denunciado mais cedo, a partir do meio-dia começou a garoar, mas eles permaneceram treinando. Ao ver as gotas de água caindo do céu Vilian imaginou que ouviria alguma reclamação de Shin, mas isso não aconteceu. Com o tempo a garoa foi se tranformando em uma forte chuva, após uma hora treinando em meio a chuva eles voltaram para o acampamento e foram dormir. Esta noite eles não seguiriam com a viagem, pois havia algo que devia ser feito.

Por LiamGt | 14/08/18 às 19:18 | Ação, Aventura, Fantasia, Romance, Brasileira, Magia, Drama