CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 60 - Decisão Sangrenta

O Mestiço (OM)

Capítulo 60 - Decisão Sangrenta

Autor: Liam | Revisão: Shenia

Jakes se virou imediatamente ao sentir alguém adentrando o campo de sua Find, que alcançava cerca de vinte metros num ângulo de trezentos e sessenta graus. Ele pôde ver Kotaru, com os olhos cheios de raiva, pois ouviu a ordem de Imam vindo da caixa, e também conseguiu avistar alguns corpos jogados no chão há alguns passos atrás, afinal próximo à caixa não havia ninguém.

Kotaru corria em sua direção com sua adaga em mãos. Rapidamente Jakes sacou uma faca com uma lâmina longa com um serrilhado que ia do cabo até a metade da lâmina.

Ambas as armas se chocaram, mas Kotaru recuou após lembrar-se do que Azhar havia lhe dito durante um de seus treinos. “Mostre o mínimo que puder e consiga forçar seu inimigo a usar mais recursos do que você, é uma das táticas mais importantes durante uma batalha. Reconheça a força de seu inimigo.” Foram essas as palavras que o fizeram recuar.

— O que vocês fizeram? — “Informação ganha batalhas”, essas eram outras das palavras de Azhar que ecoavam em sua cabeça e o guiava.

— Por enquanto não fizemos nada, apenas os colocamos para dormir… — Jakes dizia admirando seu mestre o qual lhe passava muita confiança. Além disso julgava a força de Eulália pela sua aparência, e fazia o mesmo com o Kotaru, que embora mantivesse uma expressão cheia de raiva, não era capaz de causar medo algum nele.

— Casting: Darkness! — Após a invocação, as trevas começaram a emanar do corpo de Kotaru cercando uma pequena área, inutilizando a visão de Jakes.

— Ha! Acha mesmo que vai me derrotar com isso? — Ele correu até Kotaru, se guiando com sua Find e o atacou com uma faca. Kotaru desviou rapidamente e o pegou pelo pulso, o imobilizando com o auxílio da outra mão. — Set Fire! — Chamas foram criadas nas costas de Jakes, onde Kotaru mantinha sua mão, forçando-o a se afastar.

— Maldito usuário de fogo… — Pensou Kotaru incomodado com a aura de seu oponente.

— Também irei anular sua visão para que essa luta fique mais justa… Invisibility! — Após dizer isso Jakes ficou invisível, e antes que Kotaru pudesse notar ele havia adentrado a área de sua Find, que era menor do que a de Jakes.

Novamente ele atacou com sua faca, porém, dessa vez atingiu o rapaz de raspão em seu ombro direito. Seus reflexos não foram o suficiente para que ele esquivasse sem receber dano algum.

— Maldito! — Kotaru gritou no pensamento. —Também é capaz de usar a invisibilidade, além de tudo a controla melhor, eu sequer fui capaz de ouvir seus passos… — O alcance da Find de Kotaru chegava ao máximo em doze metros, mas no momento o mantinha pela metade, para que seu uso não exigisse demais de seu fluxo de aura, por isso só podia sentir Jakes quando este já estava bem próximo.

— Fire Ball! — Kotaru pôde ouvi-lo conjurar sua magia e logo em seguida pôde ver um clarão se formando em meio a escuridão.

Uma bola de fogo foi lançada fazendo com que Kotaru focasse sua atenção em desviar dela, e enquanto o fazia Jakes se aproximou rapidamente pegando-o em movimento, atravessando sua faca no braço direito do rapaz que gritava de dor, porém, ele manteve-se concentrado em sua luta e contra-atacou imediatamente socando Jakes no rosto e afastando-se em seguida.

— Agora além da minha magia também posso te caçar através do cheiro do sangue e do medo. — Assim como seu mestre fazia com Eulália mais cedo, Jakes provocava seu oponente na intenção de desestabilizá-lo, mas diferente da líder da caravana, o jovem Kotaru não possuía tanta estabilidade emocional, deixando-se levar pelas palavras dele.

Ele ergueu a mão na intenção de usar seu Mystical Impact para atingir Jakes, embora  antes de poder conjurar sua magia sentiu algo adentrando novamente o alcance de sua Find. Dessa vez sua esquiva foi feita com sucesso, mas logo em seguida veio uma sequência de ataques com faca que também estava sob efeito da invisibilidade. Kotaru não era capaz de sentir, pois o objeto não possuía aura, a sua única saída seria deduzir até onde aquela faca o alcançaria e desviar-se a partir disso.

— Droga! Ele está me cercando cada vez mais. — Em sua mente Kotaru buscava desesperadamente uma solução para sua situação, quando milagrosamente ele a obteve.

Um alto grito pôde ser ouvido vindo de dentro da caixa onde estavam Eulália e Imam, um grito que parecia ser de um homem. Jakes não conseguiu evitar e cessou seus ataques para virar o rosto e gritar por seu mestre.

Kotaru imediatamente estendeu sua mão para atacá-lo, um tanto envergonhado de sua atitude, mas não poderia deixar essa oportunidade passar, afinal, ele lutava por sua vida e a dos demais.

— Mystical Impact! — Jakes foi atingido sem nem ao menos tentar desviar ou proteger-se, pois estava preocupado demais com Imam. — É melhor você não abaixar sua guarda. — Jakes havia caído no chão após sofrer o dano da magia em suas costas.

Kotaru encarava-o guiando-se por sua Find, pois mesmo após sofrer o ataque do Mystical Impact, ele permanecia invisível, deixando Kotaru abismado de certa maneira.

— Você pagará com sua vida! — Jakes se pôs de pé com os olhos tomados pela ira, e então ficou visível para que seu oponente pudesse ver em seu olhar toda sua raiva e tudo o que viria a seguir.

Seus antebraços começaram a pegar fogo, chamas alcançaram até mesmo sua faca. Ele avançou ligeiramente em direção a Kotaru buscando atingi-lo com um soco, entretanto o alvo conseguiu desviar. Nesse momento Kotaru pôde perceber o quão perigoso eram os braços de Jakes em chamas. Ele sentiu um calor assombroso passar ao lado de seu rosto e imaginou de relance o que teria acontecido caso aquilo o acertasse, ou pior, se fosse  atingido com aquela faca.

Kotaru seguiu desviando dos golpes ferozes e subsequentes de Jakes, alguns dos golpes o acertavam de raspão causando leves queimaduras aos locais golpeados. No momento ele estava direcionando maior parte da sua atenção para esquivar dos ataques com a faca.

— Fence! — Kotaru decidiu que já havia recolhido informações suficientes sobre seu oponente, além de que continuar sendo acuado sem realizar nenhum contra-ataque sequer, não lhe garantiria a vitória.

Esse seria o momento de que seu contra-ataque começaria. A princípio ele usou a magia Fence, para criar uma barreira e frear os ferozes ataques de Jakes, que recuou ao falhar em quebrar a defesa de Kotaru com um único golpe.

Antes que Jakes pudesse reagir de qualquer maneira, Kotaru avançou chocando sua adaga com a faca flamejante. Sem demora ele recuou e começou a correr ao redor de Jakes.

— Que espécie de tática seria essa? — Ele riu de Kotaru, porém o rapaz não se abateu nem se irritou com aquilo, pois tinha certeza que os ensinamentos de Azhar não haviam sido em vão. — Fire Ball! — Ele disparou outra bola de fogo, porém Kotaru desviou sem dificuldades, e atacou logo em seguida, de maneira que Jakes tivesse o mínimo de tempo de reação possível.

Novamente sua adaga se chocou com a faca de Jakes, mas dessa vez o impacto havia sido maior, e da mesma maneira ele recuou e foi nesse momento que um outro grito, ainda mais agonizante pôde ser ouvido vindo de onde estavam Eulália e Imam.

Jakes acreditava em seu mestre acima de tudo, e tinha por ele uma grande admiração, mas para ele estava óbvio o que estava acontecendo lá dentro. A derrota de Imam era algo que Jakes não conseguia mais negar, mesmo querendo dentro de si acreditar que ele jamais seria derrotado por alguém como Eulália, os gritos que havia ouvido provaram-no o contrário.

Ele podia continuar enfrentando Kotaru, mas já não havia mais motivos para fazê-lo. Por mais fiel que fosse, não fazia sentido algum permanecer lutando, sendo que Imam estava sendo derrotado. Jakes prezava mais pela vida de seu mestre do que pela sua, mas as chances de Eulália o poupar eram tão remotas que fugir lhe pareceu tão óbvio que ele se perguntou o que ainda fazia parado.

Jakes apagou as chamas que cercavam seus antebraços e ficou invisível novamente e Kotaru pôde senti-lo afastar-se, e deixá-lo fazer isso não era uma opção, afinal se Jakes saísse do alcance de sua Find, ele não seria capaz de encontrá-lo.

Desta maneira Kotaru começou a correr o mais rápido que pôde para manter-se próximo dele, que também corria como se sua vida dependesse daquilo, e de certa forma, dependia mesmo.

Jakes passou por alguns corpos dos membros da caravana e lembrou-se do que Imam havia ordenado que fizesse mais cedo.

— Talvez essa seja minha única chance de sair com vida. — Ele pensava consigo mesmo ao notar que Kotaru mantinha-se perto o suficiente para senti-lo. Nesse momento ele começou a se esforçar para lembrar das informações que Jan o havia passado. — Sim, ele disse que haviam chegado quatro membros novos, um bate com a descrição desse moleque, uma mulher de cabelos negros, outra de cabelos loiros ambas elfas e também um rapaz de cabelos azulados… Acredito que se eu achar um deles ele terá que seguir minhas instruções. — Com esses pensamentos Jakes prosseguiu correndo analisando bem cada corpo que encontrava no caminho a procura de qualquer um que batesse com a descrição que tinha.

Eles seguiram correndo por mais alguns instantes quando Kotaru avistou mais a frente Arien, jogada no chão, ele se incomodou por não poder chegar nela, mas ao notar que Jakes se dirigia até ela o rapaz começou a ficar inquieto.

Jakes voltou a ficar visível e ergueu Arien, segurando-a pela cintura e posicionando sua faca em seu pescoço. Imediatamente Kotaru cessou seus passos com um olhar aflito e cheio de raiva .

— Largue-a! — Gritou. Ele sabia que isso não seria eficaz, mas aquela situação o impediu de ser racional.

— Você vai dar meia volta e correr até que eu não te sinta mais no campo da minha Find e somente então eu irei pensar sobre o que farei com sua amiguinha. — Jakes notou nos punhos cerrados e no lábio mordido o quão irritado ele estava, e na intenção de mostrar para Kotaru que aquilo não era apenas uma ameaça vazia Jakes tocou a lâmina afiadíssima na pele de Arien fazendo-a sangrar.

— Pare! — Assim como foi solicitado Jakes parou. — Como eu vou saber se você não irá matá-la? — Em sua mente o jovem Kotaru procurava uma solução, mas nada em que pensava lhe seria útil suficiente, em todos cenários que ele imaginava Arien acabava morta, poucas vezes ele se sentiu tão impotente assim.

Jakes começou a afrontá-lo, dizendo que ele não estava em posição de exigir nada, apenas obedecê-lo e torcer para que ele agisse com misericórdia. Porém, Kotaru não foi capaz de ouvir as ordens de Jakes, pois em meio a sua confusão mental uma voz extremamente nítida e familiar ecoou...

— Você sabe que há como salvá-la, mas não há como os três saírem vivos dessa situação.

Kotaru ficou nervoso ao ouvir isso, era inevitável pensar que seu guardião estava tentando manipulá-lo.

— Você sabe que eu não conseguiria… Ele está muito longe, no primeiro passo que eu der a Arien morre… A única alternativa é obedecê-lo e torcer para que ele não a mate.

— Tsc… Não seja estúpido… É óbvio que ele vai matá-la, aquela velha muito provavelmente estava matando o líder dele, acredita mesmo que ele desperdiçaria a oportunidade de obter uma vingança por menor que seja? — Era terrível dar razão ao guardião, mas suas palavras eram sinceras e carregadas de argumentos plausíveis.

— Ainda assim, eu não conseguiria chegar até ele sem que ela tivesse a garganta cortada…

— Não se subestime criança… Você pode, agora basta saber uma coisa… Você quer fazer? De um jeito ou de outro um dos dois morrerá e cabe a você decidir quem será.

Essas foram as últimas palavras do lobo. Após ele se calar, todo o barulho na mente de Kotaru cessou e tudo parecia mais claro, obteve uma fé em si mesmo que surgiu como uma pequena chama acesa que sob um feixe de palha.

O que aconteceu a seguir levaria um tempo para que ele conseguisse digerir, ou ao menos entender.

Seus pés se moveram mais velozmente e sua adaga foi imbuída pela escuridão que começou a se espalhar aumentando o alcance dela, formando uma foice. Seu cabo tinha cerca de um metro e trinta e sua lâmina curvada e proporcionalmente grande, sua aparência era simples, sem detalhes aparentes e coerentemente pesada.

Os olhos de Jakes foram incapazes de acompanhar Kotaru, na verdade, ele teve uma pequena chance de tornar sua ameaça realidade. Foi no momento em que ele sentiu uma aura amedrontadora se aproximando, porém, não houve reação por sua parte.

A lâmina da foice se encontrou rapidamente com o pescoço de Jakes dilacerando tudo que vinha em seguida sem misericórdia. O sangue jorrou para todos os lados, deixando Arien ,que estava próxima, coberta de líquido vermelho.

Antes que a elfa caísse no chão Kotaru se virou e a segurou em seus braços aliviado por ela ainda estar com vida. Neste momento sua foice voltou a se tornar uma adaga e ele se deitou no chão, próximo ao corpo decapitado de Jakes sentindo uma enorme fraqueza.

Por LiamGt | 08/09/18 às 13:47 | Ação, Aventura, Fantasia, Romance, Brasileira, Magia, Drama