CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 66 - O Último Recurso

O Mestiço (OM)

Capítulo 66 - O Último Recurso

Autor: Liam | Revisão: Shenia

A Dama sem rosto virou sua atenção para Chester,  irritada por ter sido parada por ele, recolheu novamente suas unhas que começaram a perfurar seu antebraço. Não demorou muito até que elas destruíssem aquelas raízes que a imobilizava. Era realmente bizarro assisti-la fazer aquilo com suas próprias unhas, mas eles não podiam tirar os olhos dela nem por um segundo sequer, afinal, isso poderia ser fatal.

Agora livre, a Aberração havia definido uma nova pessoa como alvo. Este era Chester. Ela já estava irada com a perseguição implacável do rapaz. Havia pensado que seu confronto anterior teria posto um fim nisso mas aparentemente ele ainda não tinha desistido.

— Chester! — Gritou Kotaru preocupado ao vê-la se preparando para atacá-lo.

Ainda com suas garras saindo de seu antebraço, como se fosse um buquê de espinhos, ela começou a avançar contra Chester, que recuava com certa dificuldade, mas com sucesso.

O próximo ataque dela foi feito com sua destra estendida. Seu alvo logo notou que suas garras estavam diminuindo, então elas provavelmente voltaria a sair da ponta de seus dedos. Desviar não seria nada fácil, afinal, o alcance de suas unhas era extremamente grande.

Kotaru e Ícaro também notaram a intenção daquela criatura, e mesmo dizendo que não protegeria Chester, Ícaro não seria capaz de deixá-lo morrer, já que com um simples estender de mão ele poderia impedir que isso acontecesse.

Para o azar de Kotaru, principalmente, não havia coordenação entre eles dois. Sua adaga ainda banhada pela escuridão, estava prestes a acertar a Aberração pelas costas. As chamas de Ícaro também se aproximavam. Caso ela não fosse uma Huem, capaz de analisar as personalidades dos outros, de raciocinar e prever ações baseadas em acontecimentos passados, talvez ela fosse atingida, mas não era essa a situação. Com um pulo Incrivelmente alto a Dama sem rosto não só desviou de ambos os ataques, como deixou Kotaru em uma terrível posição.

As chamas estavam muito próximas para ele conseguir esquivar, além de que seus pés ainda precisavam ser freados devido a alta velocidade que havia avançado contra sua oponente. Tudo o que ele pôde fazer foi arriscar usar a magia que ainda estava treinando.

— Black Shield!— Kotaru estendeu sua mão para as chamas que vinham violentamente em sua direção. Da ponta de seus dedos a escuridão começou a se manifestar criando uma meia esfera em sua frente, não muito grande, por isso ele teve de se encolher atrás dela e torcer para que sua magia fosse forte o suficiente para protegê-lo do fogo.

Ao erguer a cabeça, Ícaro pôde ver a Dama sem rosto em uma altura considerável, ignorando completamente o fato de que suas chamas poderiam estar acometendo seu colega nesse exato momento, ele estendeu sua outra mão para ela e ergueu sua destra, para assim atacá-la com força total, afinal, no ar ela não teria como desviar.

Seus olhos transbordavam seu ódio e deixavam transparecer o quão vitorioso estava se sentindo. Mas logo tudo aquilo sumiu, pois ao olhar bem para seu alvo ele viu Mercy. Seus cabelos louros e sua feição bondosa e delicada. Não havia nada que remetesse a grotesca imagem da Dama sem rosto. Nem uma chama sequer saiu de sua mão e em questão de segundos os pés daquela Aberração tocaram o chão novamente e seus cabelos voltaram a se tornar opacos e sua aparência horrenda.

Embora ele tenha perdido a oportunidade de derrotá-la, ter cessado seu fogo não foi de todo ruim, afinal, graças a isso Kotaru conseguiu sair ileso daquele golpe. Porém, ele estava extremamente irritado.

Ícaro ficou imóvel por alguns instantes. Ter visto o rosto de Mercy havia o afetado, mas após assimilar tudo aquilo, só lhe restou um ódio ainda mais profundo.

— Como ousa!? — Murmurou para si mesmo e seu cabelo começou a pegar fogo atraindo os olhares de seus companheiros. — Usá-la... Contra mim… COMO OUSA!? — Suas mãos e antebraços estavam em chamas quando ele avançou ferozmente contra a Dama sem rosto, deixando para trás um rastro flamejante.

Ela nem sequer foi capaz de mover seus braços para proteger-se do soco que estava vindo em direção ao seu queixo. Sem piedade alguma Ícaro a atingiu deslocando seu maxilar, além de arremessá-la a uma distância considerável e causar uma queimadura na área atingida.

Antes mesmo que a Dama sem rosto pudesse se levantar, Ícaro já estava indo em sua direção pronto para socá-la até que sua cara ficasse completamente queimada. Porém quando ele chegou próximo o suficiente para atingi-la com seu punho o rosto dela se transfigurou novamente, adquirindo as características faciais de Mercy. Aquilo o deixou  mais nervoso ainda, se é que isso era possível. Mas ao mesmo tempo seu punho em chamas foi freado.

Já acostumada a fazer esse tipo de coisa e mexer com o emocional da vítima a Dama sem rosto derramou algumas lágrimas e ainda foi além, imitando a voz de Mercy.

— T-Tenha misericórdia… — O punho de Ícaro tremia violentamente. Seu desejo de abrir sua mão e atear fogo naquela criatura era enorme, mas o simples fato dela assumir a aparência de Mercy o incapacitava, e isso era o que mais o deixava irritado.

Os demais só podiam assistir, afinal, os dois estavam próximos demais. Seria uma árdua missão atingir a Dama de maneira que Ícaro saísse ileso. Mas, infelizmente para o rapaz, o tempo comprado com aquela encenação havia sido o suficiente para ela. As garras de sua destra haviam percorrido seu braço e emergiram dele atingindo-o em cinco pontos diferentes.

Com um poderoso vento Arien o afastou dela e Kotaru correu até aquela criatura.

Enquanto se levantava ela mexia seu maxilar tentando realoca-lo. Mesmo ciente da aproximação de Kotaru continuou agindo de maneira indiferente. Sua adaga logo se chocou com as garras da mão esquerda dela. Novamente tudo o que ele podia fazer era recuar, afinal a resistência de suas unhas era muita alta. Após afastar-se dela Kotaru investiu de novo, e de novo. Foram muitas as vezes. Até que ela se cansou daquilo que no momento parecia mais uma brincadeira.

Ela murmurou algo, como se estivesse tentando falar, mas não foi possível entender o que havia sido dito, ou o que ela tentou dizer. Mas logo após seu murmúrio ela o atacou com suas garras, diferente do que vinha fazendo até então. Kotaru recuou, mas notou que a velocidade dela parecia apenas aumentar.

Enquanto isso Chester correu aflito para socorrer Ícaro que sangrava sem parar.

— Por sorte ela não atingiu nenhum ponto vital… Cura não é minha especialidade, mas acho que consigo mantê-lo vivo até chegarmos ao seu amigo curandeiro. — Ele falava aflitamente com Arien que também havia vindo para socorrê-lo.

— O problema será chegarmos até ele… — Ela encarava Kotaru desviando dos ferozes golpes com muita dificuldade. Não sabia com o que deveria ficar mais preocupada.

— Vá ajudá-lo, eu irei parar o sangramento e irei te ajudar em seguida… Afinal, ela ainda é minha presa. — Chester impôs a mão sobre uma das feridas de Ícaro. — Nature Blessing. — Uma luz esverdeada começou a brilhar em sua mão que aos poucos se aproximava do corpo de Ícaro. O contato fez com que ele contorcesse sua face de dor, e Chester parecia pressionar sua mão contra o ombro dele com força.

Sem saber se estava fazendo o certo Arien correu até onde Kotaru estava para ajudá-lo. O rapaz seguia resistindo com dificuldade às potentes investidas da Dama. Ela estava prestes a desferir outro golpe quando um poderoso vento criado por Arien a afastou de Kotaru.

— Obrigado… — Disse ele ofegante. — Não sei por quanto tempo mais eu iria aguentar.

Sua oponente vinha em sua direção rapidamente, não permitindo que ele descansasse nem por um instante sequer.

— Continue buscando por uma abertura para arremessá-la ao ar. — Kotaru fez exatamente a mesma coisa que a Dama, correndo em sua direção com sua adaga em mãos. — Vamos lá lobinho, está é a hora pra isso dar certo… — Ele falava com seu guardião, ou melhor, consigo mesmo.

Logo após sussurrar essas palavras para si mesmo Kotaru gritou como se estivesse sofrendo uma dor excruciante: HELA!!! — A matéria negra que aumentava o alcance da adaga se estendeu ainda mais e rapidamente deu forma à simples foice dele.

As garras dela logo se chocaram com a arma de Kotaru causado um barulho alto o suficiente para incomodá-lo além de faíscas que saíram com o contato.

Sua ausência de expressão impedia que Kotaru notasse sua raiva ao ver que sua foice possuía uma força maior que a adaga. Ele se afastou esquivando para a esquerda e atacando-a novamente. Isso foi feito na intenção de que a Dama ficasse de costas para Arien, como ele não entendia como funcionava a visão dela não tinha certeza se isso funcionaria, mas ao mesmo tempo não poderia deixar de tentar.

Seus golpes agora eram capazes de bater de frente com a força das garras da Dama, mas ainda assim não poderia vacilar, afinal qualquer deslize poderia lhe render um belo corte ou pior, ela poderia roubar seu rosto.

Sua foice prosseguia chocando-se com as unhas dela. Era realmente incrível a aura que Kotaru podia sentir com sua Find. Era algo totalmente diferente do que sentia com humanos ou elfos. Sua aura era maior e possuía certa imponência, provavelmente era uma das vantagens de ser uma Huem e um modo de fazer com que todas outras criaturas percebessem que ela não era uma Aberração qualquer.

Além de sua aura ser aparentemente muito mais poderosa do que das outras Aberrações já enfrentadas por ele, Kotaru também notou um vigor excepcional, afinal não fazia muito tempo que ela tinha lutado contra Chester e mesmo após suas investidas contra ela, seu ritmo não havia diminuído. Em contrapartida Kotaru sentia aos poucos seu fluxo de aura se exaurindo, ele mesmo calculava que não teria mais de cinco minutos para seguir usando a Hela.

Ele estava usando toda sua força para bloquear uma feroz investida da Dama sem rosto, quando sentiu um repentino vento os cercando. Em questão de segundo aquela criatura estava no ar. Ela lutava para voltar para o solo, mas Arien não se deixaria derrotar assim tão facilmente. Vendo que não era tão fácil mantê-la no ar como ele havia imaginado, e já ciente de que não teria tanto tempo com sua foice em mãos Kotaru age rapidamente.

— Dark Matter. — Kotaru criou algumas espécies de pisos flutuantes. Ele saltou até o mais próximo e seguiu subindo.

Mesmo sem poder se mover, a Dama sem rosto ainda podia manipular suas garras para atrapalhá-lo. E foi exatamente isso que ela fez. Estendeu suas garras para quebrar o próximo piso que ele pisaria, mas Kotaru rapidamente criou outro para apoiar seu pé. A perda de equilíbrio foi inevitável, mas ele conseguiu se manter e saltar em direção ao próximo piso.

Todas tentativas dela de impedir o avanço de Kotaru foram em vão. Logo sua foice estava ao alcance de seu alvo que estava logo ali em sua frente, incapaz de se mover, podendo usar apenas suas garras para se proteger.

Já ciente da maneira como a Dama lutava Kotaru notou a ausência de suas unhas em seus dedos, mas não as via em lugar algum. Porém, agora já não havia mais o que fazer. Sua foice já estava indo em direção àquela criatura, pronta para parti-la ao meio. Assim que a ponta de sua arma tocou a pele dela ele sentiu uma resistência inacreditável, e então Kotaru soube onde estavam suas garras.

— Dark Matter! — Ao dizer isso uma segunda lâmina saiu da foice separando o braço dela de seu corpo.

Um grito extremamente alto, que causou um imediato sangramento no ouvido de Kotaru fez com que ele caísse daquela altura, mas Arien o impediu de chocar-se com o chão.

Aquele grito foi tão estrondoso que fez com que a elfa cessasse sua magia, pois não era capaz de manter a concentração. Tudo que ela conseguia pensar era em erguer suas mãos até as orelhas para abafar o som.

Até mesmo Chester e Ícaro que estavam mais afastados foram afetados por aquele grunhido. Chester que a perseguia já há algum tempo e já havia a visto em combate ainda não tinha presenciado-a usar desse artífice. Logo ele supôs que ela deveria estar se sentindo acuada e que talvez aquele fosse seu último recurso.

Já com seus pés tocando o solo a Dama sem rosto se viu acuada. No momento seu foco não era mais acabar com aqueles quatro, mas sim sair viva daquela situação que se mostrou mais perigosa do que ela imaginava.

Diferente do que Chester pensava ela ainda possuía um último recurso. Em um rápido avanço, tão veloz que Kotaru e Arien não a viram passar por eles, e nem mesmo sentiram a movimentação dela dentro do campo de suas Find. Seu alvo era Ícaro, o mais debilitado e consequentemente a presa mais fácil. Chester também não a notou do seu lado até que já era tarde demais.

Aquela criatura tocou a face de ícaro e junto dele sumiu perante os olhos dos demais.

Por LiamGt | 30/09/18 às 00:23 | Ação, Aventura, Fantasia, Romance, Brasileira, Magia, Drama