CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 85 - Um Par de Máscaras

O Mestiço (OM)

Capítulo 85 - Um Par de Máscaras

Autor: Liam | Revisão: Pedrozar

A mascarada recuou e avançou novamente. Sua espada chocava-se contra a foice de Kotaru repetidas vezes, porém ele resistia a todas as investidas dela.

— Talvez seja melhor vocês irem atrás do Guiscard e do Ícaro. — Disse Kotaru que estendeu sua mão criando uma barreira mágica, pois o outro mascarado avançou velozmente contra ele enquanto falava.

— Pare de se exibir que você não conseguiria vencê-los sozinho… — Disse Mihail avançando contra o mascarado que teve sua lâmina freada pela barreira de Kotaru.

— Os demais podem ir, apenas nós dois devemos dar conta. — A mascarada que estava em frente à Kotaru riu ao ouvir suas palavras, ela sabia que suas chances contra os sete era próxima a zero, porém, contra apenas aqueles dois o cenário se tornaria outro.

— Eu também ficarei com vocês dois, apenas para garantir nossa vitória, os demais podem ir. — Disse Dana confiante de que com sua presença eles sairiam vitoriosos.

Desta maneira os outros quatro seguiram Ícaro deixando os três para trás. Os mascarados nem se deram o trabalho de tentar impedi-los, afinal, suas chances aumentariam com a ausência deles.

— Devo confessar que não estou nem um pouco orgulhosa do que acabamos de fazer, mas com isso poderemos vencer e ir atrás dos demais dessa maneira. — Disse a mascarada para seu companheiro, pois os dois haviam se afastado de seus oponentes e reagrupando.

— Eu irei cuidar do garoto das facas. — Disse o homem que ao segurar sua espada com as duas mãos a multiplicou, mantendo uma lâmina em cada mão.

— Mantenha os olhos naquela outra mulher, aparentemente ela planeja manter distância usando magias para nos atrapalhar e dar vantagem a seus companheiros. — Com muita cautela aquela mulher observou a distância de Dana, dentre outros aspectos, deduzindo assim como ela lutaria.

Os olhos dela ainda estavam focados em seu companheiro quando um breu se formou em sua visão periférica. Aquilo obviamente não foi surpresa alguma para ela, pois mantinha sua Find ativa e isso permitiu que ela sentisse o Kotaru se aproximando. Ele também estava com sua Hide ativa, porém a magia dela era mais poderosa notado sua presença mesmo escondida.

Sua foice se chocou novamente com a espada dela e ele logo notou que o impacto a forçou a recuar bruscamente. Notando a abertura causada, Kotaru não perdeu tempo e desferiu outro ataque, brutalmente desarmando sua oponente.

— Ora, ora… Quanta brutalidade. — Ela sorria fazendo parecer que estava em vantagem naquela luta.

A foice de Kotaru estava pronta para ceifar um dos braços daquela mulher, e assim que a lâmina de Hela tocou a pele dela, Kotaru percebeu que algo estava estranho. A foice seguiu cortando o braço dela, mas conforme o corte era causado a pele dela tornava-se em água.

— Permita-me mostrar-lhe o que é um bom uso de uma abertura. — Ela estendeu sua mão disparando um Mystical Impact nele. Imediatamente uma barreira se formou em sua frente, Kotaru conseguiu um tempo de reação, graças ao tempo que ela dispôs para falar.

A Fence dele foi forte o suficiente para neutralizar a magia dela, e logo em seguida ele se afastou para não dar vazão a um ataque subsequente, porém, o que ele tentava evitar estava prestes a acontecer.

Não muito distante de onde ele estava, a mascarada lançava contra ele sua espada, que conforme se aproxima expelia o busto de uma mulher. Aquela mulher toda formada de água logo tomou a forma da mascarada e estendeu a mão contra ele lançando outro Mystical Impact.

Novamente outra Fence foi usada, porém esta não resistiu ao impacto daquela magia que havia sido mais forte que a anterior.

— Droga! — Murmurou Kotaru ao ver seus pés sendo movidos contra sua vontade e antes que pudesse soltar qualquer outro resmungo, sentiu no campo de sua Find um pequeno ponto de aura e ao olhar para o lado viu gotas de água formando-se em uma, mão que vinha em direção ao seu rosto.

Assim que aquela mão agarrou sua face ele ouviu vindo da direção da mascarada a conjuração da magia e seus olhos se arregalaram. Em sua mente pensava se aquilo era realmente possível de se fazer e ao mesmo tempo buscava uma solução.

Vários espinhos de gelo voaram até a mascarada impedindo-a de finalizar a conjuração do Mystical Impact. Os espinhos pararam em sua máscara, destruindo-a e causando uma pequena ferida em sua testa com a ponta.

A máscara dela caiu em pedaços no chão revelando olhos esverdeados e profundos, além de uma cabeça raspada, com cabelos loiros extremamente curtos.

— Acabei me empolgando e esquecendo de meu próprio conselho pelo jeito, hein? — Ela lançou um olhar intimidador contra Dana e a foice de Kotaru atravessou seu rosto nesta hora, mas novamente ela se transformou em água.

Neste momento Kotaru começou a pensar que não teria como vencê-la, afinal, nenhum de seus golpes a atingia. A cada vez que brandia sua foice sentia-se mais impotente, pois ela permanecia com seu sorriso vitorioso e não tomava dano algum. Foi então que ele percebeu que ela desviava dos espinhos de Dana, diferente de seus golpes.

Kotaru seguiu atacando para confirmar a tese que havia formado ao reparar esse pequeno detalhe e ao vê-la desviar dos espinhos de Dana outra vez, sentiu-se seguro para testar sua tese. Ele começou desferindo um golpe com sua foice e novamente ela se transformou em água, em seguida ele estendeu sua canhota, antes mesmo do corpo dela voltar ao estado sólido.

— Mystical Impact! — Uma aura negra formou-se em frente a mão dele e logo foi disparada. Kotaru notou na expressão dela que aquilo daria certo assim que estendeu sua mão.

— Water Wall! — Antes que o golpe dele conseguisse atingi-la, ela usou essa magia, criando em sua frente uma parede circular que evaporou completamente ao entrar em contato com Mystical Impact de Kotaru.

Essa magia dele possuía um poder destrutivo acima do normal, e cada vez se aprimorava mais. Além de acabar com a proteção criada por ela, ele ainda foi capaz de atingi-la com o Mystical Impact, porém, seu dano havia sido reduzido ao entrar em contato com a Water Wall.

— Juichi! — Gritou seu companheiro ao vê-la sendo atingida, mas Mihail continuou a pressioná-lo com uma sequência de golpe de facas, impedindo-o de interferir, assim como ele já vinha fazendo.

A mascarada foi arremessada longe, mas ainda estava consciente. Com dificuldades ela se pôs de pé. Seus braços estavam feridos, pois ela os posicionou à frente de seu rosto ao ver que sua magia defensiva não seria o suficiente para parar o ímpeto da magia de Kotaru.

— Talvez eu tenha te subestimado, mas agora eu irei usar tudo o que tenho garoto.  — Ela possuía uma expressão irada, embora não apresentasse em sua pele, o dano causado não havia sido tão baixo.

Assim que ouviu aquele comentário dela, seu companheiro mascarado avançou brutalmente contra Mihail, atacando-o com sua espada sem dar vazão para nenhum contra-ataque.

Ele seguiu com essa sequência de golpes até levar o jovem drow à ponta do prédio e assim que chegou naquele ponto, Mihail pensou ter entendido seus planos, mas ele estava enganado. O mascarado deu um salto se proporções sobre humanas pousando seus pés no prédio vizinho.

— Então é só isso? Você só queria mais espaço? Apenas uma troca de palavras poderia resolver isso, sabia? — Perguntou Mihail debochadamente, pois ele pensou que seu oponente pretendia derrubá-lo daquele edifício.

Após lançar seu comentário irônico, ele seguiu seu oponente até o prédio vizinho.

No outro prédio, a mascarada contra Kotaru desferiu uma sequência de golpes aparentemente imprudentes, mas na realidade eles eram extremamente calculados, de maneira que ele sempre ficava entre ela e Dana, impedindo-a de atacá-la e ao mesmo tempo sua velocidade reduzia a capacidade de Kotaru de contra atacar.

Quando enfim ele achou uma brecha para atacar com sua foice ela se transformou em água antes mesmo de ser acertada, movendo para trás dele em forma líquida e em rápida velocidade o apunhalou. Graças ao seu reflexo Kotaru conseguiu mexer um pouco seu quadril fazendo com que o que era pra ser um corte profundo, se tornasse apenas um corte de raspão.

— Maldita! — Kotaru girou seu corpo de maneira que sua mão pudesse mirar sua oponente, mas isso o fez ficar em uma terrível posição, pois seus pés estavam distantes do chão e seu tronco realizando um giro.

A mascarada tranformou-se em água novamente, movendo-se rápido demais para que Kotaru conseguisse mirar naquela posição.

Assim que os pés dele tocaram, o chão ela avançou contra ele com seu braço estendido pronto para atingi-lo novamente com sua espada. Porém, ao ouvir as palavras Dark Horn, um grande espinho negro ergueu-se da sombra de Kotaru perfurando seu antebraço e freando seu ataque.

— Acho que desta forma estamos quites, certo? — Ele se virou para ela sorrindo, mas com sua mão em suas costelas para estancar o sangramento.

— Espero que você não acredite que isso acabou, ou que esse é o meu “tudo” — Ela sorria para ele, mesmo com o sangramento em seu antebraço, que permanecia atravessado por aquele espinho das trevas.

Kotaru contraiu suas sobrancelhas criando uma expressão de dúvida, afinal, ela não parecia ter mais nenhuma cartada. Até que novamente ela se transformou em água, aquilo não se assemelhava nada à algo novo, porém com o tempo ele pôde perceber que o volume de água estava aumentando rapidamente. Não demorou nada até seus pés ficarem cobertos por água.

Foi para essa situação que o outro mascarada havia deixado o prédio. Esse era um golpe de longo alcance que acertava a todos no caminho, sem diferenciar aliados de oponentes.

Toda aquela água começou a se espalhar pelo piso, atraindo inclusive o olhar de Mihail que neste exato momento estava em pé em frente ao seu oponente que estava caído no chão com dois cortes na barriga, enquanto Mihail segurava suas duas facas ensanguentadas pronto para acabar com seu oponente.

A água começou a criar espécies de ondas ao chegar nos limites do prédio, e essas ondas voltavam em direção ao Kotaru, que não tinha noção do que fazer naquele cenário.

Dana que havia permanecido naquele prédio encarava a onda que se formava perante seus olhos com tranquilidade, pois, diferente de seu companheiro, sabia exatamente o que faria.

— Freezing Nova — Uma onda congelante se espalhou por todo aquele prédio atingido toda a água e congelando-a. — Você lutou bem. — Disse Dana aproximando-se da onda congelada em sua frente e tocando-a com sua destra.

Toda a água congelada foi destruída ficando em pedaços, acarretando consequentemente na morte da mascarada.

— Uou! Dana não poupou esforços. — Comentou Mihail que assistia de não muito longe. Havia um sorriso no rosto dele, demonstrando que aquilo não o incomodava nem um pouco, pelo contrário, chegava até mesmo a agradá-lo.

Assim que todo aquele gelo se tornou em pedaços o jovem drow olhou para baixo com um olhar maquiavélico. Ele sentou-se sobre a barriga de seu oponente e removeu sua máscara para poder olhar para ele.

— Isso… Essa expressão, era isso que eu esperava ver, obrigado por não me decepcionar. — Enquanto ele mantinha um sorriso tenebroso no rosto, seu oponente tinha uma expressão deformada e cheia de medo.

Sem nenhuma cerimônia, Mihail apunhalou o coração do mascarado fazendo sua respiração parar quase que instantaneamente, saltando para o outro prédio em seguida.

— Acho que podemos seguir com os demais, não é mesmo? — Perguntou Mihail sorridente, ele encarava o pedaços de gelo no chão com um sorriso satisfeito no rosto. — Será que quando eles derreterem ela conseguirá se reunir novamente? — Debochou ele e Dana sorriu, algo um tanto raro de se acontecer.

— Nós podemos levar uma dessas pedras, assim se ela voltar ao normal talvez fique sem um olho, ou talvez uma mão… — Dana respondeu com o mesmo tipo de piada ácida.

— Andem, vamos logo, precisamos alcançar os demais. — Kotaru não ficou nem um pouco confortável ao vê-los brincar com aquela situação. Mesmo já tendo se conformado que veria diversas mortes em seu caminho para resgatar seu pai, e que até mesmo causaria algumas, ele não fazia pouco caso delas e fazia questão de se deixar afetar emocionalmente por elas. Para Kotaru, o dia em que matar se tornasse algo normal e que não causasse nenhum desconforto nele, seria o dia em que ele teria perdido sua humanidade.

Por LiamGt | 11/12/18 às 22:40 | Ação, Aventura, Fantasia, Romance, Brasileira, Magia, Drama