CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 03 - Subjugação

O Príncipe das Trevas (PDT)

Capítulo 03 - Subjugação

Autor: Kouhei Kagami | Revisão: yuukari

O ar se distorceu bruscamente em frente a Qi Ming ao mesmo tempo e que fissuras emergiam por todo lugar. De repente, a imagem de um poderoso ser atravessou algo que parecia ser um portal vindo de outra dimensão. Seu corpo transcendental, exalando uma majestosa aura superior a de especialistas pináculos do reino Imperador Ancestral, distorcia tudo a sua volta.

O homem possuía enormes vestes em vermelho vívido, sua silhueta era algo verdadeiramente vindo de outra dimensão. As mangas de sua vestimenta, de tão grandes que eram, seria possível usá-las como largas e folgadas calças. Sua gigantesca barba tocava quase a altura de sua cintura.

A figura que superava até mesmo os arrogantes Imperadores das mais diversas eras  seguia friamente em direção a Qi Ming. Cada gesticular de seu corpo desencadeava sua aura em direção ao jovem, mesmo o menor balançar de suas vestes criava uma pressão sufocante no ar.

Ao levantar forçadamente sua face, Ming enxergava a poderosa entidade translúcida pairando a poucos metros de distância, pesando o clima meramente com o gesticular de seu corpo irreal.

“Você, um mero humano sem a linhagem dos deuses, se atreve a pôr seus pés imundos sob minha sagrada Terra Ancestral. Além disso tem a audácia de solicitar atenção?”

“Grande Deus Ancestral, como já disse posteriormente, suplico que tenha bom senso e me dê ouvidos por apenas cinco minutos. Acredito que para um ser que viveu por dezenas de milhares de anos, isso não deva ser grande coisa.” – Respondeu Qi Ming se esforçando ao máximo para demonstrar respeito enquanto sufocado pela pressão do Deus Ancestral do Sol.

“Hmpf.” – Bufou demonstrando grande insatisfação. – “Você é realmente um jovem petulante. Para se dirigir a mim de tal maneira, demonstrando atrevimento ao dizer que não possuo bom senso. além de adentrar  inadvertidamente meu território? Você está realmente a cortejar a morte. Reconheça seu lugar, existência imunda. Desapareça.”

Cada palavra era como uma explosão sobre o ar. Ao proferir ‘desapareça’, seu semblante se tornou frio, e então um trovão de chamas escaldantes surgiu atrás de sua imagem enquanto avançava ferozmente. O Deus Ancestral realmente pretendia dar fim à miserável vida de Qi Ming.

“AHHHHHH!!!..” – Gritou lamentavelmente Qi Ming ao sentir toda sua essência sendo devorada pelas chamas.

“Hmpf. O que os guardiões estão fazendo para permitir que um mero pirralho invada nosso mundo?” – Balbuciou enquanto dava as costas para a cena do jovem sendo carbonizado.

<Sssssssssss>

Em uma atitude arrogante, Qi Ming se levantou com tom zombeteiro como se a pressão exercida pelo Deus Ancestral sequer estivesse presente no ar.

“HAHAHAHA! HAHAHAHA!” – Riu freneticamente o jovem cujo aspecto não mais pertencia a um humano. Qi Ming havia se aproximado infinitamente de um demônio.

O corpo carbonizado de Qi Ming, envolto por chamas negras colossais, se reconstituía a uma velocidade assustadora. Sua face deformada dotada de um sorriso medonho se tornava cada vez mais horrenda à medida que seu corpo carbonizado retornava ao normal e havia presente a curvatura de um sorriso maléfico em sua face.

Apesar da cena horripilante, que chocou até mesmo o Deus Ancestral do Sol, um cenário mais atormentador ainda tomou forma. Ao redor do corpo do jovem dançavam horripilantes chamas negras, e ao redor de tais chamas faíscas ainda mais obscuras começaram a cintilar sob o ar.

“Mas que droga.. eu esperava que seria um saco lidar com seu tipinho.. Mas ainda assim é incrível como a arrogância de sua espécie parece não conhecer os limites do céu. Só por ser abençoado de nascer com a linhagem dos deuses, você acha que isso te dá o direito de se pôr acima dos outros?!”

Ouvindo Qi Ming insultá-lo, O Deus Ancestral do Sol não mais se conteve. Uma aura irrompeu de sua existência incorpórea, e um golpe luminoso de poder incomensurável foi desferido contra Qi Ming. O brilho de magnífica técnica ofuscava tudo ao redor enquanto gerava sons agudos e atordoantes à medida que rasgava o ar.

Porém o Deus Ancestral não esperava ver a cena do jovem caminhando a frente enquanto portava uma expressão inalterada em sua face. Com um balançar de seu braço e um estalar de dedos, o poder lançado pelo Deus Ancestral, capaz de reduzir mundos a poeira cósmica, evaporou como se nunca houvesse existido.

<Pufft!>

Ao testemunhar seu ataque desvanecer sem explicação, a expressão do Deus Ancestral ficou repleta de feições assombrosas. Essa situação era inadmissível. Estava claro que esse pirralho era meramente um mortal, como poderia ele bater de frente com alguém da linhagem dos deuses? Isso é algo que nunca ocorreu em toda a história desde a criação.

Tentando se recompor, a figura do antes imponente Deus Ancestral não mais existia. Agora havia apenas um velho qualquer lançando desesperadamente centenas de ataques furiosos rumo a Qi Ming. No entanto, para cada golpe desferido pelo Deus Ancestral, Qi Ming se aproximava passo a passo à medida que as horripilantes ondas de choque causadas pelo Deus Ancestral simplesmente se dissipavam uma após a outra.

De certo modo essa havia passado de uma feroz cena de batalha para algo cômico. Qi Ming estalava seus dedos conforme se movia de maneira peculiar de um lado para outro, seu corpo parecia dançar num ritmo constante conforme seus longos cabelos verde-louro balançavam ao vento e estalos soavam de seus dedos. Se um humano qualquer visse tal cena, indubitavelmente Qi Ming seria confundido com o Maestro de uma majestosa orquestra.

Enquanto ria de maneira demoníaca, o suor sob o corpo de Qi Ming havia sido consumido pelo calor de suas próprias chamas negras. Até mesmo suas roupas haviam sido reduzidas a cinzas, deixando-o totalmente nu ao passo que desfilava anulando os golpes do Deus Ancestral. Com uma postura firme e o rosto demonstrando clara zombaria, disfarçadamente Qi Ming soltou um bocejo de tédio em direção ao Deus Ancestral pairando a sua frente.

O Deus Ancestral se sentiu horrorizado. Não somente o jovem demonstrava ser mais forte que um demônio, mas era a primeira vez que alguém lhe humilhava de maneira tão descarada e repugnante. O anteriormente arrogante Deus Ancestral sentiu que perderia toda a face e não mais poderia dar as caras frente a seus irmãos se ele não estivesse a sós com o pirralho sob o pico da torre.

A face do Deus Ancestral demonstrava literalmente não saber se sentia medo ou repulsividade pelo garoto enquanto vislumbrava a cena sem vergonha do jovem deixando seu terceiro membro balançar sob o vento de um lado para o outro.

“Hahaha!” – Riu espalhafatosamente Qi Ming.

“Vocês Deuses Ancestrais são todos insignificantes. E pensar que você ousa realmente me enfrentar, Deus do Sol Taiyang.”

Enquanto escutava as palavras gélidas sendo dirigidas a sua pessoa, Taiyang notou algo sem precedentes. A energia da alma de Ming havia desaparecido, não sobrou quaisquer resquícios de sua existência sob o corpo despido do garoto. Nem mesmo a alma aparentava mais pertencer a um humano.

Pensando bem, Taiyang se sentiu profundamente amargurado quando notou uma aura assassina ainda mais poderosa do que qualquer outra a qual já tivera oportunidade de testemunhar. Mesmo a aura de seres no Reino Divino ou Místico não poderia ser comparada, essa aura era irreconhecível, além da compreensão até mesmo de uma existência tão poderosa quanto um Deus Ancestral.

Mesmo ele, uma existência que detinha poderes além da imaginação, capaz de criar e destruir mundos inferiores a bel prazer, não poderia compreender a profundidade do poder de Ming. No entanto nem mesmo uma pequena parcela do poder que Qi Ming detinha havia sido demonstrada, e isso foi o que mais chocou Taiyang.

Nesse mesmo instante, Taiyang foi capaz de compreender algo que sua tola existência não pôde enxergar posteriormente. Se quisesse, Qi Ming era capaz de literalmente varrer da existência os setes universos centrais com um simples balançar de mãos.

Taiyang congelou, incrédulo. Ele gostaria de cair de joelhos ao chão e implorar por perdão, no entanto ele era um mero resquício de consciência que sequer possuía corpo físico, além disso nada do que aconteceu fazia sentido. Ainda assim Taiyang se sentia profundamente incomodado com um detalhe.

Como o garoto sabia seu nome? Mesmo seus irmãos Deuses Ancestrais nunca tiveram o privilégio de tal conhecimento, então por que esse pirralho, além de possuir tão amedrontador poder, detinha tal conhecimento? – Indagou a si mesmo Taiyang.

“Quem é você, seu pirralho maldito?!?!” – Exclamou temeroso, no entanto mesmo que fosse pulverizado, Taiyang não tinha opção a não ser manter sua imagem imponente, ou pelo menos desaparecer tentando. – “É-É.. É impossível que você seja um humano, não há como você ser uma existência ordinária. Revele sua face, demônio!”

“Hahaha! Você pode estar certo em um ponto, contudo se equivoca ao afirmar que não sou humano..”

<cof> <cof> … <cof> <cof>

“ARGH!” – Gritou Qi Ming enquanto caía de joelhos ao chão e cuspia sangue negro.

O sangue de Qi Ming estava profundamente enegrecido ao mesmo tempo que borbulhava violentamente. Olhando meticulosamente, Taiyang compreendeu a origem da força de Qi Ming.

“Como isso é possível?.. Esse.. Esse é o poder das lendas! N-Nós.. Mesmo nós, Deuses Ancestrais, não possuímos meios de compreendê-lo, isso.. não.. não.. isso definitivamente não faz sentido.. não é possível que você compreenda o Poder do Caos...”

“Heh.. Se eu fosse você, não faria nenhum movimento idiota. <cof> <cof>” – Murmurou Qi Ming vendo Taiyang querer se aproveitar de seu momento de fraqueza para atacá-lo.

“Eu posso estar numa situação deplorável, mas basta um milésimo de segundo para que eu acenda as Chamas do Caos.. e você já pode ir dando adeus a seu universo insignificante..”

“Você..”

“Quanto a sua pergunta anterior..” – Disse Qi Ming se apoiando em seus joelhos enquanto se colocava de pé. – “A verdade é que você já sabe muito bem quem sou eu.”

Ambos se encaravam, mas agora com posições inversas. Qi Ming era quem não colocava Taiyang sob seus olhos, de repente seu corpo irrompeu em uma aura furiosa vermelho escarlate.

“Seu.. Isso.. como é possível que você possua as Chamas Ancestrais?” – Disse Taiyang não mais conseguindo conter seus sentimentos.

“Haha, sabe, pequeno Yang...Hm.. Creio que você não se importe que eu o chame assim, certo?”

Uma fúria tomou conta do coração hesitante de Taiyang. Qi Ming fora extremamente rude ao apelidar tão casualmente uma das mais poderosas existências do universo. No entanto, o pobre Deus poderia apenas se abster de refutá-lo enquanto permanecia calado.

“Bom, vou considerar isso como um sim.. Hehe” – Um sorriso malicioso se formou no rosto de Qi Ming enquanto encarava Taiyang.

No fundo, Taiyang gostaria de implorar para que Qi Ming simplesmente terminasse logo com sua miséria, ele já havia sido humilhado demais. Além disso, Taiyang já não mais aguentava observar o terceiro membro de Qi Ming balançando pra lá e pra cá. Taiyang estava profundamente constrangido enquanto encarava o corpo despido do garoto, tão constrangido que poderia morrer.

“Júnior Yang, estou realmente surpreso com quanto vocês Deuses Ancestrais conseguem ser tão baixos e arrogantes. Mas o que mais me incomoda é como  são capazes de manter tamanha enganação. Vocês não temem a fúria de todos no Reino Celestial caso descubram a verdade?”

Qi Ming rebaixava cada vez mais Taiyang à medida que virava suas costas e caminhava em direção às extremidades da torre, parado de costas para Taiyang conforme vislumbrava a paisagem exterior. Apenas nuvens eram visíveis, nuvens ancestrais tomando constantemente diversos formatos curiosos, porém irreconhecíveis.

“Me diga, quem é você?” – Questionou Taiyang hesitantemente.

“Quem sou eu? Eu já disse, você sabe quem sou. Creio que a pergunta correta seria qual meu objetivo ao vir aqui.” – Ming virou novamente para Taiyang e o encarou com olhar desdenhoso.

Após um breve momento de silêncio, Taiyang estremeceu os lábios e então balbuciou. – “V-Vo..você.. isso é impossível! Não pode ser.. você é..” – Taiyang estremeceu.

“Hahaha! Quase.. Mas devo admitir que seu chute passou perto.. Hehe" – Interrompeu Qi Ming como se soubesse o que Taiyang estava a pensar. – "Bom, vamos ao que interessa. Você possui duas opções. Você prefere ser subjugado ou ter esse resquício inútil de intenção da alma apagado completamente da existência?”

Mesmo que a imagem de Taiyang normalmente fosse distorcida devido a ele ser apenas uma intenção da alma, ela havia se tornado ainda mais distorcida graças a pressão emanada por Qi Ming.

“Sabe, Júnior Yang, eu inicialmente não tinha intenções de forçá-lo a nada, nem mesmo pretendia me revelar, mas lembre-se: você que me forçou a isso. Então não ouse me culpar. Portanto, é bom que não me deixe esperando muito tempo por uma resposta, estou realmente mal humorado agora só de pensar nas consequências de usar este poder amaldiçoado.”

Qi Ming começou a se aproximar de Taiyang, pressionando-o ainda mais, ao mesmo tempo em que seu colega pairava no ar deslocando-se de um lado para o outro.

“Tá! Tá! Eu entendo! Só não se aproxime mais, por favor! Eu imploro, me perdoe por minha atitude arrogante anteriormente.. Só não se aproxime mais!” – Exclamou Taiyang se afastando ao passo que via Qi Ming se aproximando cada vez mais de modo descarado e com um sorriso malicioso.

Nesse momento Taiyang não estava mais tão temeroso quanto a Qi Ming, o pirralho a sua frente estava extremamente fraco. Contudo, apesar de sua força atual, se assim desejasse, Qi Ming poderia varrer a Terra Ancestral da existência, ao preço de sua própria vida. Como Taiyang não estava nem um pouco a fim de desaparecer de maneira fútil, apenas retornou parcialmente sua atitude anterior ao mesmo tempo em que concordava com as demandas de Ming.

<Cof> <Cof>

“Como sinal de arrependimento, eu lhe confio a vontade do Deus Ancestral do Sol.” – Disse Taiyang respeitosamente enquanto se sentia imensamente humilhado sendo subjugado por um pirralho tão sem vergonha.

No fim das contas, não é que Taiyang era fraco, mas sim Qi Ming que possuía um poder tão injusto.

“Haha, muito bom.. Ao menos você ainda possui decisões sábias. Por isso, deixe-me dizer uma coisa como recompensa.”

“A Terra Ancestral é um lugar bem interessante. Nesse curto período em que estive vagando por aqui, encontrei muitos tesouros úteis. Todavia eles não são nem de longe suficientes, portanto irei dar outros usos para eles, não que isso importe..” – Disse Qi Ming desdenhosamente em tom de reprovação.

“A questão é que nós dois possuímos um inimigo em comum. Portanto, juntando-se a mim de boa vontade garantirei que sua vingança não seja um sonho inalcançável. Juntos, massacraremos aquele que dizimou a existência dos Deuses Ancestrais.”

Os olhos do Deus Ancestral irradiaram-se instantaneamente em espanto. Se Qi Ming estivesse a dizer verdades, Taiyang poderia enfim vingar-se daquele ser repulsivo que outrora invadiu a Terra Ancestral e fez com que abandonassem seus corpos físicos, se tornando essas atuais existências impotentes.

“Venha! Está na hora de irmos. Há algo que preciso checar.. se perdermos mais tempo neste lugar, sabe-se lá quantos séculos terão passado quando retornarmos aos mundos inferiores.”

...

Naquele mesmo momento num dos mundo inferiores estava Yu, encarando seu pai enquanto o ouvia dizer: “Yu, estive pensando ultimamente. Acho que está na hora de visitarmos a Cidade das Chamas.” – Disse Tai Chen.

Por Kouhei | 15/04/18 às 00:38 | Ação, Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Wuxia, Xianxia, Elementos de Cultivo, Romance, Brasileira