CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 130 - Convidado Indesejado

O Último Herdeiro Da Luz (UHL)

Capítulo 130 - Convidado Indesejado

Autor: Rafael | Revisão: Bossun

Portões da Cidade Divina…

Enquanto Hatori caminhava e se aproximava dos portões, um guarda da família Shui, que estava em cima dos muros, gritou: “Pare aí mesmo e identifique-se!”

Após escutar aqueles gritos, Hatori sussurrou: “O meu nome… É Hatori! Eu vim pedir para que abram os portões e recebam o mestre Yan Chihuo!”

Assim que Hatori terminou de sussurrar, o vento levou as palavras dele que, nos ouvidos dos Shui e dos outros moradores da Cidade Divina, soaram como se Hatori estivesse do lado deles.

Imediatamente, todos sentiram um frio nas espinhas, que era como se a própria morte sussurrasse em seus ouvidos. Os guardas mais fortes se seguraram para não demonstrar os seus verdadeiros sentimentos, porém, os guardas mais fracos, não tiveram a mesma reação… Vários deles suaram frio, bambearam as pernas, e tremeram as mãos. Escutar os nomes, Hatori e Yan Chihuo, na mesma frase, era algo que eles evitariam fazer durante todas as suas vidas.

Após um lapso de segundos, um homem velho e imponente, aparentando ser um Élder da família Shui, tomou o lugar do guarda que tinha gritado anteriormente, e gritou para Hatori: “Essa não é uma boa hora para visitas! Eu peço que os senhores retornem quando os ânimos estiverem menos exaltados!”

Mesmo após escutar aquelas palavras, Hatori continuou caminhando e sussurrou novamente, porém, em tom de ameaça: “Quando o mestre Chihuo… Aparece para uma visita… Ele deve ser recebido!”

Dessa vez, até mesmo os guardas que antes tentavam se controlar, ficaram intimidados. As palavras de Hatori eram sutis, mas elas passavam um claro recado… ‘Abram os portões, ou eu mesmo farei isso!’

Mesmo que os guardas demonstrassem um grau visível de nervosismo, o Élder não se abalou e manteve a compostura, antes de responder: “General Hatori… Nós nunca tivemos nenhuma desavença no passado! O senhores estão em menor número, por isso, eu peço para que não tomemos atitudes que vão nos causar arrependimentos!”

A lenta caminhada de Hatori continuou, sem demonstrar nenhum sinal de interrupção. Porém, depois que o Élder disse aquilo, Hatori levantou a cabeça, olhou para ele, e respondeu: “Até agora… Nós temos boas intenções, mas… Se alguém aqui, não quer se arrepender das suas próximas ações… Eu sugiro que abram os portões!”

Novamente, Hatori deixou outra ameaça subentendida nas suas palavras. Contudo, o Élder se manteve firme, e gritou enquanto balançava a cabeça: “Eu estou tentando ser cordial! A Cidade Divina foi deixada sob a nossa proteção, por ninguém menos que, Zeus! Qualquer ataque à Cidade Divina, é um ataque contra o próprio Zeus!”

Assim que o Élder usou o nome, Zeus, como se fosse uma espécie de escudo, todos os Shui se acalmaram. Naquele momento, eles se lembraram de quem era o maior fundo da família Shui e quais eram as consequências de provocá-lo. Zeus não era um simples nome, ele simbolizava o topo do poder e a mais fria crueldade; Ele era um Deus, uma entidade que possuía um poder inimaginável. Quem em sã consciência, provocaria tal entidade?

Enquanto os Shui se acalmavam, Hatori finalmente parou os seus passos, ficando a cerca de 100 metros dos portões. Essa cena, trouxe outra enorme carga de alívio para os Shui, que imediatamente pensaram que Hatori tinha parado por causa do nome, Zeus.

A situação parecia ter se invertido, a parada de Hatori parecia ter demonstrado que ele estava com medo e desistiria do seu avanço e ameaças. Contudo, à medida que ele mexia os lábios, a voz dele soou nos ouvidos de cada cidadão da Cidade Divina…

“Se vocês confiam tanto assim no Zeus… Rezem, para ele segurar esse ataque...”

*Clack.* *Tiiiiiiiiiiiiiiiiiinnnnnnnnggggg...” Assim que Hatori terminou de falar, ele tocou na sua katana e usou o polegar esquerdo para empurrá-la para fora da bainha. O movimento que Hatori fez sem nenhum aviso, deixou apenas uns 30 centímetros da lâmina dele exposta.

*Vuuuuuuuuuuuuuuuuuup...* Imediatamente, uma terrível ventania, soprou a partir de Hatori e avançou na direção dos portões da Cidade Divina. A força dos ventos foi tão grande, que qualquer coisa, sejam elas grãos de poeira ou grandes pedras, foram sopradas para longe.

“Droga...”

“Protejam-se!”

Quando perceberam que aquele simples movimento era um ataque, diversos Shui gritaram alarmados. O único que, ao invés de gritar, tomou alguma atitude, foi o Élder da família Shui, que sacudiu os braços e criou uma imensa e densa barreira de água na frente dos portões.

*Boooooooooooooooommmmm...* *Swing.* *Swing.* *Swing.* *Swing.* *Swing.* *Swing.* *Swing...* Quando os ventos e a barreira de água se encontraram, houve uma explosão ensurdecedora; Jatos de água voaram para todos os lados; Lâminas de vento e fortes ventanias sopraram para outras direções. Porém, Incontáveis sons de cortes também surgiram no meio daquela confusão.

*Shuuuuuuuaaaaaaaaaa…* De repente, a barreira de água foi completamente varrida da frente dos portões e toda aquela água se espalhou por todos os lados...

*Baaaaaaaaaaaannnnnnggg...* Depois que a água saiu do caminho, os ventos atingiram os portões da Cidade Divina. A pancada foi tão forte que além de estremecer os portões, estremeceu algumas partes dos muros.

“Isso… Não é… Um ser humano...” Vendo o quão poderoso Hatori era, o Élder que havia criado a barreira de água, ficou em um estado de perplexidade que ele nunca imaginou que poderia ficar. Os olhos deles ondularam enquanto as suas mãos e lábios começaram a espasmar.

O espanto do Élder não era nada demais, perto do que os outros Shui estavam sentindo. Aqueles rostos que antes haviam encontrado a calma, se inverteram completamente, demonstrando o mais terrível dos medos. Naquele momento, muitos daqueles guardas fizeram exatamente o que Hatori tinha dito… Eles rezaram! Rezaram para que Zeus retornasse, punisse Hatori, e acabasse com o medo nos seus corações.

Obviamente, as orações não serviram para nada. Na verdade, enquanto alguns ainda rezavam, outra coisa surpreendente aconteceu…

*Crrrrrrraaaaaaaaaaaaaaaccccckkkkk...* Os portões da Cidade Divina, que eram feitos de um material que não pertencia a este mundo e que era extremamente resistente, ficaram cheios de cortes. Depois, os cortes começaram se expandiram e se transformaram em grandes fendas…

Enquanto as rachaduras nos portões cresciam, Hatori empurrou a sua katana de volta para a bainha, se virou de costas para a Cidade Divina como se nada tivesse acontecido, e começou a retornar para Yan Chihuo.

“O que… Está...”

“Os portões...”

“Como… Isso…”

“Impossível...”

*Craaassshhh...* *Boom.* Enquanto todos olhavam assustados para as rachaduras nos portões, a luz passou através de uma das fendas, antes que um grande pedaço dos portões se soltasse e caísse no chão.

*Crash.* *Boom.* *Crash.* *Boom.* *Crash.* *Boom.* *Crash.* *Boom...* Logo em seguida, outros pedaços dos portões começaram a se soltar e cair, transformando aqueles enormes portões, em uma enorme passagem.

Quando Hatori se aproximou de Yan Chihuo, ele olhou para ele, e falou: “Mestre… Os portões estão abertos!”

"Diferente de Hatori, que tinha uma expressão séria, Yan Chihuo estava sorridente. Assim que Hatori chegou perto dele, ele respondeu: “Hatori… Você bateu com muita força! Hehe.”

“Será?” Hatori comentou, antes de virar o pescoço e olhar para os portões que estavam se quebrando como se fossem feitos de vidro. Depois de olhar aquilo, ele continuou: “É… Parece que eu exagerei!”

Dentro da Cidade Divina, os Shui começaram a correr como se fossem baratas tontas. Depois que aqueles portões foram destruídos tão facilmente, qualquer outra estratégia de defesa pareceu soou como algo inútil.

Enquanto isso, Hatori comentava com Yan Chihuo: “Mestre, os Shui enviaram somente um Élder para as defesas! Eles estão planejando alguma coisa?”

Yan Chihuo: “Sem Zeus, os Shui deixam de ser uma grande potência e se tornam apenas uma família com um poder decente! Eles ascenderam ao poder de um dia para o outro e provavelmente não estão sabendo lidar com esse imprevisto!”

“Aquela família está fazendo o mesmo que a maioria das grandes famílias do continente Andros fazem quando se deparam com uma situação como esta… Eles estão tentando fugir e salvar os seus principais pilares!”

Hatori: “Eles são tão covardes assim?”

Yan Chihuo: “Hatori… Talvez eles não tenham a honra que você tem, ou talvez… Eles estejam pensando em fazer uma retirada estratégica!”

“Provavelmente… Eles estão pensando em recuar e esperar até que Zeus retorne e recupere a cidade.”

“Eu entendo...” Hatori respondeu, antes de perguntar: “O senhor quer que eu impeça a fuga deles?”

Yan Chihuo balançou a cabeça, e respondeu: “Não, deixe-os ir! Nós não viemos até aqui para começar um massacre, nós viemos para pedir os Shui para nos entregar a Cidade Divina! A fuga deles só irá nos ajudar a resolver essa questão, sem um banho de sangue!”

“Sim, senhor!” Hatori respondeu.

“Agora, você pode ficar aqui! Você já os assustou demais, e é a minha vez de tentar parlamentar com eles!” Yan Chihuo falou enquanto tocava o ombro de Hatori e começava a caminhar.

Hatori apenas concordou com a cabeça e ficou parado.

Assim que Yan Chihuo começou a caminhar, todos os Shui suaram frio. Se apenas a performance de Hatori, que era um dos generais de Yan Chihuo, foi tão assustadora, imagine o que o líder dele era capaz de fazer…

Enquanto caminhava, Yan Chihuo falou, transmitindo as suas palavras para todos os cidadãos da Cidade Divina: “Cidadãos da Cidade Divina… O meu nome é, Yan Chihuo, e eu estou aqui para assumir o controle da Cidade Divina!”

“Zeus... está morto! Os principais pilares da família Shui estão fugindo e revelando a verdadeira natureza deles! Esses covardes… Nunca se preocuparam com o bem-estar de vocês, e apenas os enganaram e esconderam os seus verdadeiros objetivos, que eram tomar os tesouros que pertencem ao nosso povo!”

“Eu nasci aqui e eu sou um de vocês! Mas àqueles que não confiam em mim… Por favor, me deem uma chance e confiem no mundo que eu quero criar para vocês. Em breve… A noite cairá, mas quando o sol renascer amanhã… Eu prometo que, o nosso povo será libertado dessa vida de sofrimento! A partir de amanhã… A matança acabará, e os nossos jovens poderão crescer com a esperança de um futuro próspero!”

Todos, absolutamente todos, escutaram aquelas palavras. Dentro de suas casas, os cidadãos imaginaram como seria aquele futuro que Yan Chihuo havia prometido. Diversos pais olharam para os seus filhos e se encheram de esperanças, imaginando o quão bom seria se eles pudessem viver até a idade adulta e envelhecerem após aproveitarem os prazeres de uma boa vida.

Também, aquelas palavras que afirmavam sobre a morte de Zeus, soaram como músicas nos ouvidos dos cidadãos. Zeus sempre governou através do medo e da crueldade e a família Shui era apenas uma peça no tabuleiro que ele controlava. Por mais, que muitos não concordassem em seguir as ordens de estrangeiros, o medo da fúria de Zeus assegurava que ninguém tentasse nada contra a família Shui.

Ninguém, podia questionar a família Shui ou perguntar sobre os mistérios que rodeavam aquela estranha aliança. Graças a isso, a autoridade da família Shui era inquestionável e a forma que eles governavam não era muito diferente do que Zeus fazia. Os Shui não eram tão cruéis quanto Zeus, mas eles agiam como se fossem os soberanos do mundo.

Qualquer um que parasse para pensar um pouco, chegaria a conclusão que, talvez, acreditar no que Yan Chihuo estava dizendo não seria a pior coisa do mundo, pois dentre as três opções que eles tinham, que eram, Zeus, a família Shui, e Yan Chihuo, apenas o último apresentou um ideal diferente dos outros e que realmente lhes agradava.

Enquanto todos os cidadãos ficavam pensativos, os Shui que defendiam a Cidade Divina, se sentiram desolados, pensando se realmente os seus principais líderes tinham abandonado-os.

Yan Chihuo, continuou a sua lenta caminhada e falou novamente, mas dessa vez, ele se dirigiu aos Shui: “Crianças Shui… Larguem as suas armas e procurem um novo lar para vocês! Os seus líderes já estão fugindo, então… Não percam as suas vidas em uma luta sem sentido!” Depois de dizer aquelas palavras, Yan Chihuo deu uma leve franzida nos cenhos, e falou: “Patriarca Shui Feng… Mais uma vez, você está fugindo! Certifique-se de nunca me encontrar novamente, porque se você colocar essa sua covardia diante de mim de novo… Eu mesmo promoverei o seu encontro com o criador!”

Assim que aquelas palavras caíram, alguns Shui começaram a caminhar para trás, pensando seriamente em seguir o conselho de Yan Chihuo. Contudo, o Élder que estava liderando os esforços de defesa, era orgulhoso demais para fugir e entregar a Cidade Divina sem lutar…

“Não temam, ele está mentindo! O nosso patriarca e os outros Élderes nunca nos abandonariam! Descarreguem tudo o que vocês têm, naquele homem, e defendam essa cidade!” O Élder gritou determinadamente. Contudo, pra falar a verdade, nem mesmo ele acreditava nas palavras que disse. Ele só não queria ser visto como um covarde que fugiu de uma batalha.

As palavras do Élder da família Shui não tiveram o efeito que ele gostaria, mas isso não significa que elas foram totalmente ineficazes. Muitos guardas, que não eram tão valentes quanto outros, apenas ignoraram os gritos do Élder e simplesmente começaram a fugir. Porém, aqueles que compartilhavam do mesmo sentimento do Élder, permaneceram nas suas posições.

Rapidamente, haviam apenas alguns guardas defendendo a Cidade Divina. Contudo, eles estavam determinados a fazer de tudo para defendê-la.

Yan Chihuo, olhou para os guardas que permaneceram e demonstrou uma espécie de respeito por eles, antes de falar: “Élder… Você e os homens que permaneceram, demonstraram que não são covardes como os outros! Saibam que, vocês possuem o meu respeito e nada de mau acontecerá a vocês!”

Enquanto a voz de Yan Chihuo caía, o Élder e todos os outros Shui que permaneceram, executaram os seus últimos esforços de defesa…

*Barrrrrrrrraaauuuummmm...* O Élder atirou um poderoso raio azul, contra Yan Chihuo.

*Shhhuuuaaa...* *Swish.* *Swish.* *Swish.* *Swish.* *Swish...* *Bzzt.* *Bzzt.* *Bzzt...* Seguindo o Élder, os outros Shui atiraram tornados de água, ataques de gelo, e raios contra Yan Chihuo.

Enquanto as centenas de ataques se apressavam na direção de Yan Chihuo, ele se tornava um pequeno ponto no meio de uma confusão de luzes e poder destrutivos. Porém, Yan Chihuo não era um pontinho qualquer…

“Desabafem!” Yan Chihuo murmurou, antes de criar centenas de gotas de água ao redor dele.

*Bang.* *Bzzzzzzztttt...* *Bzzt.* O primeiro ataque que chegou em Yan Chihuo, foi o enorme raio do Élder, mas antes que ele pudesse tocar em um único fio do cabelo dele, uma das gotas entrou na frente do ataque e se transformou em uma imensa barreira de água, que segurou o ataque e dissipou-o por completo. Depois, toda a água retornou para o tamanho de uma simples gota.

*Bang.* *Bang.* *Bang.* *Bang.* *Bang.* *Bang.* *Bang.* *Bang...* Ataque por ataque, as gotas começaram e se transformar em barreiras de água e impedi-los. Os estrondos eram ensurdecedores, e o meio de toda aquela confusão, Yan Chihuo caminhava lentamente, sem sequer se molhar, ou levar um simples choque.

Vendo todos os seus ataques sendo parados como se não fossem nada, os Shui ficaram temerosos, mas eles simplesmente não podiam desistir…

*Bang.* *Bang.* *Bang.* *Bang.* *Bang.* *Bang.* *Bang.* *Bang...* Outra onda de ataques surgiu. Contudo, o resultado não mudou, pois Yan Chihuo ainda estava andando e as gotas repeliam tudo que era atirado nele.

“Ataquem… Vocês foram traídos pela sua própria família… Vocês merecem esse desabafo!” Yan Chihuo murmurou, lamentando pelos Shui que foram deixados para trás.

*Bang.* *Bang.* *Bang.* *Bang.* *Bang.* *Bang.* *Bang.* *Bang...* Mais uma onda de ataque caiu. Os Shui estavam prontos para desistir de tudo, pois nada que ele fizessem era capaz de parar Yan Chihuo.

Finalmente, depois de algumas ondas de ataques, Yan Chihuo chegou na entrada da Cidade Divina…

*Boooooooommmmm...* Yan Chihuo atirou uma das gotas de água, que se expandiu e destruiu os pedaços dos portões que estavam no caminho.

A caminhada de Yan Chihuo continuou. Porém, assim que ele pisou dentro da Cidade Divina, ele falou…

“Me desculpem, mas agora… O desabafo de vocês... Deve acabar!”

Assim que a voz de Yan Chihuo caiu, as gotas de água que o cercavam, dispararam nas direções dos Shui.

Vendo aquilo, os Shui pensaram que as suas mortes eram iminentes, porém, não foi isso o que aconteceu…

Havia uma gota para cada Shui. Quando essas gotas chegaram na frente dos Shui, eles se transformaram em estranhas esferas de água, que envolveram cada um deles.

Os Shui estavam ilesos; As bocas deles se mexiam dentro das feras, dando a entender que eles estavam gritando, mas nenhum som saia das esferas; Alguns esperneavam e atacavam as esferas por dentro, mas todos os seus esforços eram ineficazes.

“Hatori… Venha, terminar o que viemos fazer!” Yan Chihuo falou, fazendo com que a sua voz chegasse até o Hatori.

Imediatamente, Hatori desapareceu do seu local original e apareceu atrás de Yan Chihuo. Depois, ele perguntou enquanto caminhavam : “Mestre, o que faremos com aqueles Shui que o senhor capturou?”

“Nada, um inimigo aterrorizado, vale muito mais do que um inimigo morto! Eu vou deixá-los partir, para que espalhem o que aconteceu hoje!” Yan Chihuo respondeu, antes de controlar as esferas de água e fazê-las segui-lo.

Yan Chihuo caminhou calmamente, até chegar à estátua de Zeus. Durante a sua lenta e longa caminhada, algumas pessoas espiavam das janelas, mas ninguém interagiu com ele.

“Hehe. Eu queria fazer isso há um longo tempo...” Yan Chihuo comentou enquanto olhava para a estátua de Zeus e começava a abaixar a parte da frente da sua calça.

“Mestre, o senhor vai mesmo fazer isso?” Percebendo o que Yan Chihuo estava prestes a fazer, Hatori não pôde deixar de perguntar.

“Mas é claro que sim!” Yan Chihuo respondeu despreocupadamente.

*Swiiiiiiiiiiiiiiisssssshhhhhhh….* “Ahhhhhhhhh...” Yan Chihuo suspirou aliviado enquanto dava uma boa e longa mijada na estátua de Zeus.

“Mestre… Você quer que eu arranque a cabeça da estátua?” Hatori perguntou enquanto Yan Chihuo mijava.

“Hahahahahaha… Não, sobe lá em cima e mija nela também!” Yan Chihuo respondeu com um largo sorriso.

Por Duckie | 30/12/17 às 17:58 | Ação, Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Romance, Harém, Maduro, Seinen, Adulto, Comédia