CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 274 - Torpor

Pursuit of the Truth (POT)

Capítulo 274 - Torpor

Tradução: João Pedro | Revisão: Evlin Huth

Assim que Bai Su saiu, Zi Che curvou-se respeitosamente para Su Ming e saiu rapidamente da caverna. Só quando estava a cerca de 30 metros de distância, ele soltou um grande suspiro. Ele virou a cabeça para trás e lançou um olhar para a caverna onde Su Ming estava. Seus olhos estavam cheios de respeito.

“Ele... não é mais o mesmo.”

Zi Che não conseguiu identificar os detalhes. Este era apenas um sentimento dele.

Sob o céu escuro e dentro da caverna, Su Ming respirava calmamente e silenciosamente meditava. Os ferimentos em seu corpo já estavam controlados e, conforme ele recuperava a respiração, suas feridas começaram a cicatrizar.

Quando o amanhecer chegou, Su Ming abriu os olhos. Não havia luz brilhando dentro deles, apenas clareza. Ele olhou para a escuridão além de sua caverna. Uma rajada de vento frio soprou e levantou algumas mechas do cabelo para flutuar diante de seu rosto.

“A batalha na terra dos Xamãs...”

Su Ming abaixou a cabeça e olhou para as mãos. Um olhar contemplativo apareceu em seu rosto. Em sua mente, as cenas que aconteceram desde o momento em que ele perseguiu e matou a metade restante dos Almas Divididas sozinho até o momento em que ele saiu da Tribo Lagarto Xamã lentamente apareceram.

– Cometi alguns erros nessa luta. – Murmurou Su Ming. Ele ergueu a mão esquerda e pegou o quadro antes de começar a desenhar na parte de trás com a mão direita. Gradualmente, as imagens apareceram no quadro.

A primeira coisa que apareceu foi uma pequena colina em uma floresta densa. Seu corpo estava na colina e estava avançando em direção ao inimigo. Abaixo da colina, o outro Alma Dividida estava se aproximando dele de forma semelhante.

“Mesmo tendo prestado muita atenção ao inimigo... No momento crítico da batalha, deixei de verificar o terreno do local. Mesmo que eu não soubesse da estranheza ali, quando vi meu alvo parando repentinamente, deveria ter sido cauteloso.”

Su Ming olhou para o quadro e a primeira cena da luta apareceu claramente em sua cabeça.

“Eu poderia não ter me ferido com essa luta... Havia também o menino. Eu também poderia não ter cometido erros quando o encontrei. Mesmo que eu não o matasse, poderia tê-lo trazido comigo e deixado ele ir quando eu estivesse seguro.”

Su Ming fechou os olhos. Quando os reabriu, ele sacudiu o quadro com a mão direita e uma fina camada de pó voou para cima. Depois que o desenho anterior foi apagado, ele continuou desenhando no quadro com a mão direita.

Ainda era uma floresta que apareceu na prancheta desta vez, e dentro deaquela floresta, uma dúzia de Xamãs estava cercando e atacando a árvore em que Su Ming estava sentado.

“Eu não estava vigilante o suficiente. Minhas ações não foram cuidadosas o suficiente. Eu estava em território Xamã. Se eu tivesse armado armadilhas antes de começar a descansar... Se eu tivesse puxado o prado vermelho antes de começar a descansar... então eu não teria precisado usar o tesouro que o irmão sênior me deu. Eu também poderia não ter sofrido tantos ferimentos e matado todas essas pessoas!”

Su Ming acenou com a mão direita e continuou a desenhar no quadro. Logo, a cena dele sendo perseguido pelo velho Xamã na floresta e seu subsequente contra-ataque apareceu nele.

Um brilho apareceu nos olhos de Su Ming quando ele olhou para a imagem.

“Eu não cometi nenhum erro nesta batalha... Se eu não tivesse cometido os dois erros anteriores, talvez ela nem tivesse ocorrido. Mesmo se ocorresse, vencer esta batalha não teria sido tão difícil, já que eu teria comprado tempo suficiente para mim.”

“Minha viagem para a terra dos Xamãs desta vez me mostrou o quanto estou me falta experiência uma batalha real... eu preciso ter cuidado, muito mais cuidado!”

Uma resolução firme apareceu nos olhos de Su Ming.

Descobrir e resumir todos os seus erros em sua batalha enquanto calculava todas as suas inadequações foi uma das maneiras pelas quais Su Ming se tornou mais forte.

Essa crise de vida e morte não trouxe apenas a alegria de escapar por pouco. Se fosse esse o caso, talvez ele nunca tivesse uma segunda chance de escapar por pouco da morte novamente.

Para Su Ming, uma crise de vida ou morte deve trazer transformação e crescimento para que ele possa continuar se aprimorando. Ele poderia continuar corrigindo seus erros e como ele lidava com as coisas, então quando ele estivesse diante do perigo novamente, ele poderia ter mais chances de sobreviver.

“Tenho que fazer cada movimento com cuidado. Tenho que permanecer alerta para o perigo que pode surgir a qualquer momento antes de tomar qualquer atitude. Só assim posso me tornar mais forte, bem como sobreviver durante a Caçada aos Xamãs.”

Su Ming fechou os olhos e gravou a lição da viagem desta vez em sua cabeça.

"Além das inadequações em minhas ações, também há outra coisa que eu preciso ter cuidado e corrigir."

Su Ming abriu os olhos e ergueu a mão direita para traçar uma linha no ar à sua frente. Assim que a traçou, Su Ming olhou para o local onde ele havia o feito com olhos brilhantes.

“Esta linha pode estar completa. Talvez não seja perfeito, mas com meu poder e compreensão atuais, este é meu limite... mas além deste golpe, não tenho mais nada que possa usar para lutar contra inimigos fortes...”

Ele franziu a testa. Antes de entrar no nono cume, ele não tinha essa preocupação.

No entanto, desde que ele se juntou ao nono cume e procurou o método para limpar sua mente de acordo com os ensinamentos de Tian Xie Zi, ele não teve nenhuma chance de aprender qualquer outra Arte.

A batalha contra a Tribo Xamã deixou Su Ming aprender sobre sua fraqueza e inadequação.

“Eu não tenho habilidades divinas suficientes... Eu era bom com minha velocidade para começar, mas não foi o suficiente quando eu lutei contra o velho Xamã! Não são apenas minhas habilidades divinas e velocidade, minhas defesas estavam iguais.”

“A Armadura de General Divino ainda pode resistir aos ataques feitos por aqueles em torno do mesmo nível de cultivo que eu, mas quando eu encontro aqueles mais fortes do que eu, então a Armadura não é capaz de se reparar a tempo. Porque eu não fui à Grande Dinastia Yu para pegar minha armadura real, é por isso que ela não é resistente.”

“Graças a Deus eu tenho o Sino da Montanha Han, mas eu o uso principalmente para atordoar meus inimigos com os badalares do sino, não defesa. Usá-lo para defesa é o último recurso.”

"Além desses, eu também não tenho muitos Receptáculos Encantados. O fogo gélido que o irmão sênior me deu já desapareceu, o Clone Divino que o tio mestre Bai me deu também desapareceu... Devo preparar uma grande quantidade dessas coisas antes de começar a Caçada aos Xamãs da Névoa do Céu.”

Su Ming franziu o cenho.

“Não sobraram muitos comprimidos medicinais. Eu preciso fazê-los novamente. O poder da Pilhagem Espiritual superou em muito minhas expectativas. Embora possa ter absorvido o espírito do velho Xamã por um instante e eu ainda não possa explorar aquele momento de fraqueza, mas se eu me tornar rápido o suficiente, se eu tiver dois ou três ou até mais Pilhagens Espirituais para paralisar meus inimigos, então... eu teria uma chance!”

Em seu silêncio, Su Ming tocou a pedra negra pendurada em seu pescoço. Gradualmente, a pílula medicinal chamada Acolhimento das Deidades apareceu em sua mente.

“Aquele velho Xamã disse que minha Pilhagem Espiritual era na verdade o Núcleo Estéril da Tribo Xamã quando ele o viu... Será que este fragmento de pedra realmente veio da Tribo Xamã?”

Su Ming franziu o cenho. Ele tinha a sensação de que não era exatamente isso.

Enquanto ele continuava pensando em silêncio, a escuridão no céu do lado de fora foi lentamente afastada e o ambiente gradualmente ficou mais claro. Quando estava completamente claro, a manhã chegou.

Quando o sol da manhã brilhou na caverna, Su Ming respirou fundo. Com uma orientação para o que ele queria fazer para seus preparativos subsequentes em seu coração, ele se levantou e saiu de sua caverna.

Passaram-se seis dias desde que ele foi levado por Tian Xie Zi. Passaram-se seis dias inteiros desde que ele ficou na plataforma fora de sua caverna durante a manhã, respirando o vento gelado e olhando para o céu, as nuvens, o mar além da montanha e a queda ocasional de neve voando.

Ele ficou lá e olhou para o horizonte. Ele podia não ser capaz de ver claramente, mas ele ainda pôde sentir como a terra dos Xamãs parecia nesta manhã além da Barreira da Névoa do Céu que obscurecia a visão.

– Irmão mais novo, bom dia.

Uma voz gentil que parecia o vento da primavera veio de trás de Su Ming. Quando ele se virou, viu seu segundo irmão mais velho caminhando em sua direção com seu sorriso gentil de costume, enquanto vestia uma longa túnica.

– Segundo irmão mais velho, você acordou cedo hoje.

Su Ming estava curioso. Ele raramente via seu segundo irmão mais velho acordando tão cedo. Na maioria das vezes, ele só acordava ao meio-dia. Afinal, perambular durante a noite o deixaria com necessidade de dormir ao nascer do sol da manhã.

O segundo irmão mais velho soltou uma tosse falsa e virou ligeiramente o rosto para o lado para que o sol pudesse brilhar em seu perfil.

– Irmão mais novo, há uma frase que eu finalmente entendi, acordar cedo é bom para você. – O segundo irmão mais velho balançou ligeiramente a cabeça.

Su Ming sorriu e não falou.

– Hmm?

O segundo irmão mais velho estava prestes a dizer algo quando seu olhar se concentrou de repente. Ele deu alguns olhares minuciosos para Su Ming, deu um tapinha em seu corpo com a mão direita e deu a volta por ele uma vez antes de falar em voz baixa de repente.

– Quarto, diga-me, o Mestre veio até você à noite quando ele estava vestido de roxo? Como você respondeu a ele?

– Eu disse a ele... que eu queria ver.

Su Ming sorriu.

– Isso... não é bom... – O segundo irmão mais velho ficou momentaneamente surpreso antes que um leve sorriso apareceu em seus lábios. Esse sorriso cresceu até que ele finalmente começou a rir. – Por que não pensei nisso? Isso... realmente não é bom...

Uma pitada de ansiedade apareceu nos olhos do segundo irmão mais velho e ele deu um tapinha nos ombros de Su Ming.

– E então? O que o Mestre fez?

– Ele me trouxe para ver uma batalha, vimos uma pessoa fazendo um xun, então fomos até a Tribo Xamã e matamos um bando de Xamãs... – Su Ming disse suavemente.

O segundo irmão mais velho arregalou os olhos e uma expressão que dizia que ele estava ansioso por isso apareceu. A resolução gradualmente se formou em seus olhos.

– Da próxima vez, quando o Mestre vier até mim de roxo, eu responderei dessa forma também!

O segundo irmão mais velho estava prestes a continuar, mas de repente ergueu a cabeça e rapidamente endireitou as vestes antes de virar o corpo para o lado para ter certeza de que o sol brilhava ao lado de seu rosto. Um sorriso gentil apareceu em seus lábios.

Dois longos arcos saíram do sétimo cume. Esses dois arcos viajaram um após o outro. A pessoa no longo arco à frente era uma mulher. Essa mulher era linda, mas tinha uma carranca no rosto, como se ela não quisesse vir. Era Zi Yan.

Assim que ela estava perto do nono cume, ela olhou para Zi Che. Zi Che não se atreveu a olhar para ela e baixou rapidamente a cabeça. O segundo irmão mais velho de Su Ming avançou e com o sol ainda brilhando em seu perfil, ele falou gentilmente com Zi Yan.

– Senhorita Zi Yan, vamos embora.

Enquanto falava, ele deu um passo no ar e caminhou em direção a Zi Yan. Eles se transformaram em dois longos arcos e se distanciaram, com relutância evidente em Zi Yan.

Su Ming não olhou para seu segundo irmão mais velho e Zi Yan saindo. Em vez disso, ele olhou para a garota que veio no segundo arco longo. Ela estava vestida de branco, tinha o cabelo amarrado com um cordão vermelho feito de palha, tinha duas pequenas tranças perto das orelhas e alguns cristais brilhantes na testa.

Naquele momento, um olhar atordoado apareceu nos olhos de Su Ming.

Por João Pedro | 15/02/21 às 19:08 | Ação, Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Xianxia, Chinesa, Tragédia