CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 87 - Financiamento dos Navios (Parte 2)

Red Storm (RS)

Capítulo 87 - Financiamento dos Navios (Parte 2)

Tradução: Vini | Revisão: Paragon

Edwin Papent.

O terceiro filho do Visconde Papent. Tendo dois irmãos mais velhos acima dele, este jovem jogou fora qualquer pensamento em ser o sucessor do título de Visconde há muito tempo.

Ele descobriu suas habilidades em negócios em uma idade precoce e juntou-se à Associação Mercantil Serubil, uma das maiores associações de comerciantes no Reino de Inama.

Não parecia bom para o filho de um nobre trabalhar em uma associação mercantil, e o Visconde Papent tentou mesmo parar as ações de seu filho mais novo, mas Edwin não estava acostumado com a vida de um nobre. Em vez de se tornar um sanguessuga para a sua família no futuro, ele decidiu firmemente que ele iria encontrar seu próprio caminho e explicou isso aos seus irmãos e ao Visconde com sinceridade. Infelizmente, isso só os fez balançar a cabeça.

O dono da Associação Mercantil Serubil, Von Serubil, apreciava muito este estranho filho de um nobre.

Edwin tinha um talento natural para os negócios que outros não tinham. Todos os negócios que ele investiu tinham absoluto sucesso, e ele manteve as promessas que fez. Graças a isso, a credibilidade da Associação Mercantil Serubil também subiu.

Desde que ele era realmente o que você chamaria de jovem comerciante dos ovos de ouro, não havia razão para não gostar dele. Foi por isso que Serubil lhe deu um pouco de autoridade na associação.

No entanto, mesmo Serubil tinha um problema com Edwin. Esse era o fato de que Edwin não tinha restrições quando se tratava de fazer amizades.

Esse hábito, em alguns aspectos, era realmente bom, mas chegou ao ponto de Edwin estar se tornando amigo dos criminosos procurados pelo reino. Isso tornou as coisas complicadas.

Se algo acontecer, e ele é injustamente acusado (embora seja verdade) de esconder fugitivos, não só a Associação Mercantil Serubil, mas mesmo a reputação e as conexões que Edwin fez, se desintegrariam instantaneamente.

Serubil disse algo a Edwin, já que parecia que ele estava para se encontrar com essa brigada de criminosos novamente.

"Não é hora de parar?"

As orelhas de Edwin se levantaram e ele respondeu:

"Parar o que?"

"Esse suprimento de comida."

Com a resposta de Serubil, Edwin olhou para ele com uma expressão extremamente chocada.

"Por que você está olhando assim para mim?"

"Você não quer ganhar dinheiro?"

"Quem disse que não quero ganhar dinheiro?"

"Então, por que é que você está reclamando quando estou trocando Almas de Monstros raras, de alta qualidade e extremamente caras por coisas baratas como comida e roupa suja? Você sabe quanto dinheiro eu ganho toda vez que faço uma viagem até lá?"

Você poderia claramente dizer que eles eram comerciantes, visto que eles estavam falando de negócios, mesmo quando o tom de sua voz aumentava.

"Mas isto não é perigoso? Se os nobres que colocam recompensas em suas cabeças descobrem, eles não ficarão quietos."

"Hmm, devo dizer a todos que o seu filho imprestável estuprou a preciosa irmãzinha de outra família e fez com que o irmãozão o espancasse até a morte? Devo dizer ao mundo a verdade sobre por que a recompensa foi colocada? E sobre o avarento que tem um armazém cheio de dinheiro e que sequestrou a filha de alguém porque eles tinham poucas moedas ao pagar seus impostos, forçando a família da garota a queimar sua casa inteira e fugir com sua filha? Devo deixar o mundo saber disso também?"

Com as palavras de Edwin, Serubil bateu na sua cabeça uma vez antes de responder:

"Não podemos fazer nada sobre esse tipo de coisa."

"Meu pai e meus irmãos não são assim."

"É por isso que sua família é respeitada. Foi também a razão pela qual eu te levei assim. Além disso, não é apenas nosso reino que é assim. Além do Reino Rojini no Oriente, a maioria dos reinos vive assim. Suspiro, os nobres são o problema."

"Qual é a razão pela qual não podemos nos tornar como o Reino de Rojini? Olhe para eles. Não se tornaram mais fortes uma vez que a família real emitiu uma lei exigindo que a taxa de imposto não possa ser superior a vinte por cento? Os nobres lá podem, aparentemente, acumular dinheiro enquanto estão sentados sem fazer nada. Uma vez que os civis pagam montantes baixos em impostos, levou-os a trabalharem o máximo que puderem para ganhar mais dinheiro. Mas nosso Reino Inama arranca mais de cinquenta por cento do dinheiro das pessoas em impostos, então, como eles podem fazer uma pausa? Se continuarmos assim haverá um grande problema."

Serubil estava extremamente chocado quando segurou os ombros de Edwin e começou a falar:

"Shh. Fique quieto. O que você fará se alguém te ouvir?"

"Chefe, você deve trabalhar duro para ganhar muito dinheiro. Nós podemos fugir desse reino corrupto juntos. Assim que atingir o meu objetivo, eu convencerei toda a minha família a partir para um reino diferente."

"Seu pai, Visconde Papent. Uma ova que ele iria com você." N.T - tinha tempo que não via esse ditado kkkkk… isso quer dizer basicamente que ele não iria…

"Meu pai não é como ele costumava ser. Seu personagem reto está fazendo que muitos outros nobres o odeiem. Esses malditos bastardos ficam assustados com um único Visconde."

Serubil balançou a cabeça com o temperamento de Edwin e começou a falar:

"Tome muito cuidado. Sempre seja cuidadoso. Se o que você está fazendo é descoberto, também haverá grandes problemas para sua família."

"Não se preocupe muito. Esta não é a primeira vez que faço isso. Apenas certifique-se de que você fale astutamente com os magos, para que possamos obter um bom preço para as Almas de Monstros."

"Eu entendo."

Uma vez que Serubil partiu, Edwin novamente examinou os itens de suprimento que ele tinha e verificou se ele havia perdido alguma coisa. Uma vez que ele verificou que tudo estava bem, ele ordenou que a carroça partisse.

A passagem para o Deserto Vermelho era extremamente perigosa. Como não havia muitas cidades no extremo norte do deserto, não havia muitas estradas e o terreno também era perigoso. Apenas puxar a carroça de suprimentos foi difícil.

Mas,uma vez que foi uma viagem que Edwin fez duas vezes por ano, a guarnição de Edwin teve que avançar sem baixar o ritmo. Eles não poderiam perder o horário do encontro marcado.

Na fronteira do Reino de Inama, ou, em outras palavras, na entrada do Deserto Vermelho, sempre havia um oficial de patrulha de fronteira maltrapilho.

"Você esteve bem, Oficial Samaru?"

Edwin acenou com a mão em direção a Nate Samaru, o líder da 13ª Força de Defesa da Fronteira do Sul, enquanto ele cumprimentava o homem.

"É você. Eu esperava que você aparecesse por agora. É bom te ver de novo."

‘Eu tenho certeza de que você não está feliz em me ver, mas realmente feliz por ver os subornos que eu dou a você.’

Isso era o que Edwin estava pensando, mas ele tinha um sorriso brilhante no exterior, uma das habilidades especiais de todos os bons comerciantes.

"Eu também estou extremamente feliz por ver o Oficial Samaru sempre me acolher assim. Tudo está indo bem ultimamente?"

"Você sabe como é. Embora nos chamem de patrulha da fronteira, não há bárbaros que se atreveriam a invadir do deserto, e não há reinos que cruzariam o perigoso deserto para nos invadir por aqui. Então, eu não tenho nada para fazer. E, infelizmente, meu salário é terrível, pois meu trabalho é assim também. Huhuhu.”

"Ele está sendo verdadeiramente direto quanto a me solicitar isso."

Edwin o reprovou internamente enquanto tirava uma bolsa de couro do peito.

"Desculpe-me por não poder fazer muito por você, mesmo que você me receba assim toda vez. Por favor, use isso para tratar seus subordinados em uma rodada de cerveja."

"É difícil sempre estar em dívida assim. Não é como se estivéssemos fazendo muito."

Nate Samaru rapidamente pegou a bolsa da mão de Edwin enquanto ele dizia isso. Edwin estava sorrindo amargamente por dentro.

‘Bem, pelo menos é fácil lidar com você, já que você não bateu em torno do mato. Eu acho que você é melhor do que as outras patrulhas da fronteira.’

Ele era alguém com quem Edwin continuaria a lidar, e desde que Samaru era bom em aceitar pedidos difíceis de vez em quando, Edwin apenas esperava que Samaru nunca deixasse este posto.

"Como eu disse, isso é apenas o suficiente para tratá-los em uma rodada de cerveja."

Com as palavras de Edwin, Samaru deu uma olhada na bolsa e tinha um sorriso satisfeito em seu rosto.

"Obrigado, como sempre. São os mesmos itens novamente?"

"Sim. É sempre o mesmo. Não há maneira de atravessar o deserto com produtos caros. Hahahaha."

"Então eu vou confiar em você e não vou inspecioná-lo."

"Você não tem nada com que se preocupar, Oficial Samaru."

Samaru acenou com a mão em direção aos membros da patrulha bloqueando o caminho dos comerciantes.

"Ei, deixe-os passar. Por que você está bloqueando seu caminho assim quando todos nos conhecemos?"

Os membros da patrulha também haviam visto tudo e sorriam enquanto abriam o caminho para eles. Edwin se despediu de Samaru mais uma vez quando começou a avançar.

"Oficial Samaru, eu vou ver você quando eu voltar."

"Tudo bem. Tenha cuidado lá fora."

A guarnição de Edwin passou pela área da fronteira desse modo e entrou no deserto.

A guarnição teve que estar mais alerta depois de entrar no deserto. Este lugar era diferente do continente. Este era um lugar onde residiam muitos monstros e animais selvagens, então eles foram forçados a estar sempre alertas.

"Alguém está vindo nessa direção."

O mercenário chefe que protegia a carroça gritou alto e Edwin tinha uma expressão extremamente nervosa em seu rosto.

Eles nunca se encontraram com ninguém em sua viagem ao deserto antes.

"Isto é uma pessoa do deserto? Eles disseram que poucas pessoas do deserto andam por esse caminho, porque há muita areia movediça na área."

Edwin murmurou consigo mesmo quando perguntou:

"Quantas pessoas parecem ser?"

"Cerca de 50 pessoas".

"As tribos do deserto não aceitam facções de ladrões. Tenho certeza de que eles não são ladrões e sim uma das tribos do deserto, então, por favor, diga a seu povo para que não tirem suas armas imprudentemente."

Com as palavras de Edwin, o mercenário chefe moveu sua mão do punho de sua espada e respondeu.

"Sim, eu vou alertá-los."

Edwin interrompeu sua guarnição e esperou que as pessoas se aproximassem deles.

Como eles não estavam longe de seu destino, se necessário, eles sempre poderiam abandonar suas coisas e cavalgar em seus cavalos para fugir para esse local.

"Edwin."

"Capitão Thriger?"

Ele ouviu uma voz familiar da frente do grupo que se aproximava, e Edwin teve uma expressão feliz quando ele correu pra frente.

"Edwin. Você está pontual como sempre. Eu não sabia como isto seria, então eu estava esperando desde ontem."

Conforme Thriger cumprimentava Edwin, ele segurou sua mão, Edwin achou que isso era estranho e decidiu perguntar:

"Mas o que está acontecendo? Esta é a primeira vez que você veio me cumprimentar assim."

"As coisas acabaram dessa maneira. Há alguém que eu gostaria de apresentar a você também."

"Apresentar?"

Thriger assentiu com a cabeça enquanto ele continuava:

"Eu posso garantir que isto será uma importante notícia para você. Embora a decisão de investir caiba a você."

Sentindo que o cheiro de dinheiro estava saindo das palavras de Thriger, Edwin começou a sorrir.

"Se o Capitão-nim fala tão bem de uma pessoa, eu tenho certeza que ele deve ser incrível. Afinal de contas, você já foi um Almirante que dominou os oceanos."

Thriger riu alto das palavras de Edwin e começou a responder:

"Hahaha. Isso é tudo passado. Nós não precisamos ir à nossa base. Nós ancoramos o navio não muito longe, então vamos lá."

"Você moveu sua base?"

"Em vez de mudar, nós encontramos um local permanente. Eu encontrei alguém para servir."

"Alguém que o Capitão-nim está servindo?"

Edwin estava extremamente chocado quando ele perguntou. Que tipo de indivíduo era Thriger? Thriger costumava ser um Almirante para o reino de Inama, um dos reinos fortes do Continente Oriental.

Thriger era tão honesto que muitos nobres conspiraram contra ele e o forçaram a fugir para o deserto, e uma vez antes, quando ele estava bêbado, ele disse a Edwin que nunca mais serviria alguém. Para alguém assim tomar a decisão de servir alguém, era absolutamente certo de que ele era uma pessoa incrível.

"Isso acabou dessa maneira. Posso te dizer mais quando voltarmos. O Glow tem esperado muito tempo para conhecê-lo."

"Quando você diz Glow..."

Edwin estava ainda mais chocado visto que ele tinha um bom conhecimento dos títulos no deserto.

"Vamos. Eu direi a você enquanto nos dirigimos."

Edwin acenou para que a sua guarnição se movesse, quando ele começou a se perguntar sobre a pessoa que ele estava prestes a conhecer.

******

Yo galerinha, trago pra vocês o 3/3 cap. da semana passada. Provavelmente o próximo capítulo será lançado só na sexta (geralmente estou lançando na terça)... Enfim, deixe seu comentário e suas expectativas para o livro 3!


Por Vini | 05/03/18 às 21:08 | Ação, Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Sobrenatural, Coreana, Harém