CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 03 - Como Vim Parar Aqui?

Sentimento Zero: Projeto Serafim (SZPS)

Capítulo 03 - Como Vim Parar Aqui?

Autor: Matheus Freitas | Revisão: Agente SSS

Em um mundo de escuridão, foi vista uma pequena luz, mas não importava o quanto tentasse alcançar parecia impossível. A noção de tempo foi perdida. Não importava o quanto andasse era como se não tivesse fim. Depois do que pareceu uma eternidade, finalmente a luz se aproximava.

Os sentidos foram retornando aos poucos, Vitor sentiu um cheiro característico de hospital, ao que abriu os olhos, ele finalmente conseguiu ver o teto de cor branca. Aparelhos estavam ligados a ele, sentindo uma leve dor de cabeça, ele tentou se sentar, todavia parecia que seu corpo estava sendo pressionado por um bloco de concreto, o impedindo de se levantar. Ele olhou para o lado e viu o botão de chamada da equipe médica, com muito esforço ele pressionou o botão.

Rapidamente uma enfermeira apareceu, ela estava muito surpresa que esse paciente em particular finalmente acordou.

“Como se sente? Sente dor em algum lugar? Você se lembra de algo?”

Quando escutou a enfermeira falar os olhos de Vitor se alargaram. ‘E-Ela está falando português?’

Vitor começou a pensar que estava alucinando, então memórias do navio afundando em chamas começaram a aparecer em sua mente. Nesse momento Vitor finalmente percebeu o que aconteceu. ‘Então fomos resgatados, como será que Letícia está?’

Vitor tentou falar, todavia a voz não saia, percebendo isso a enfermeira chamou os médicos.

Pouco tempo depois a sala estava lotada. “Vitor, permaneça deitado, já nos comunicamos com sua família.” Falou o médico que parecia ser o líder da equipe.

Os médicos começaram a fazer um check-up em Vitor, e atestaram que ele estava bem tendo em vista o que ele passou.

A família de Vitor chegou correndo ao hospital, a porta foi aberta e uma mulher passou correndo como o vento.

“Filho! Você não sabe o quanto me preocupou!? Você passou tanto tempo desaparecido, eu acreditei que você tinha morrido!” A mulher chorou enquanto o abraçava, ela estava realmente muito feliz por ter visto seu precioso filho são e salvo em sua frente. Nesse momento, uma mão em cada ombro da mulher a fez voltar a si.

“Mãe, meu irmão acabou de acordar, se você continuar assim é capaz que ele volte a ficar em coma.” Falou o jovem, ele era mais novo que Vitor e ainda estava cursando a faculdade, Marcos cursava tecnologia da informação em uma universidade militar, e era basicamente um monstro nessa área. Só fazia o curso para ter o diploma, já que seu nível era muito maior que os dos professores.

“Cale a boca, não fale asneiras!” Falou a mãe de Vitor, ela tinha em torno de 50 anos, mas conseguiu manter bem sua figura. Ela tinha uma aura de elegância e nobreza em torno dela, que a fazia parecer digna.

“Parem vocês dois, deem espaço para ele respirar!” Nesse momento uma voz alta e poderosa foi escutada por todos. Wilson, o pai de Vitor era um homem de grande presença. Era um grande general do exército brasileiro, e seu pai foi um herói reconhecido por toda a nação na grande guerra. Wilson se tornou general bem jovem e seu poder dentro das forças armadas não podia ser subestimado.

“Querido não seja assim, ele ficou desaparecido por 3 meses, como não posso ficar feliz?” Falou Ana com lágrimas nos olhos.

Nesse momento o medidor de batimentos cardíacos disparou.

Vitor ficou com a boca aberta, sem saber o que pensar, só existiam perguntas em sua mente.

‘3 meses? 3 meses? Mas que diabos aconteceu? Desaparecido? Como cheguei aqui? Letícia, onde está Letícia?’ Essas perguntas estavam deixando Vitor louco.

“O que houve?” Marcos perguntou preocupado.

Nesse momento, Ana falou: “Filho, o que você se lembra? Recebemos a notícia de que o cruzeiro em que vocês estavam havia afundado!” Ana parou para chorar mais um pouco antes de começar a falar novamente. “Você não sabe a falta que você me fez. E-Eu acreditava que nunca mais iria ver você novamente.” Outra rodada de choro começou, ela chorava copiosamente, mas dessa vez diferente de 3 meses atrás, eram lágrimas de alegria, seu filho, seu amado filho tinha finalmente retornado ao seu lado.

“Mano, você e a cunhada foram encontrados em Fortaleza, desacordados em uma praça, você tem alguma lembrança?” Perguntou Marcos, essa pergunta despertou o interesse de todos na sala.

Com grande dificuldade, Vitor conseguiu forçar a garganta e falar com uma voz rouca. “E-Eu não sei, tudo o que me lembro é me afastar o mais rápido possível do navio.” Respondeu Vitor utilizando quase toda a sua força.

Vendo o olhar de aflição no rosto de Vitor, todos de repente esqueceram de mencionar Letícia.

“Oh meu, eu esqueci, irmão não se preocupe, a cunhada está no quarto ao lado do seu! Ela está na mesma situação, mas ela ainda não acordou...” Marcos falou, porém percebeu que falou mal e começou a se corrigir rapidamente. “Mas não se preocupe, se você acordou agora a cunhada também vai acordar logo!”

Como se esperasse as palavras de Marcos, neste momento um médico entrou no quarto e falou: “Vocês são parte da família da paciente ao lado?” Perguntou o médico.

“Sim, ela é esposa do meu irmão.” Respondeu Marcos.

“Bom! Tenho ótimas notícias, ela também acabou de acordar, vocês realmente são um casal feito no céu, não só sobreviveram juntos a um desastre, como também acordaram no mesmo dia, isso é incrível!”

“Você viu isso irmão? Eu não falei? Viu a cunhada já acordou. Vou ver como ela está, volto já!” Com isso Marcos saiu e a sala permaneceu em silêncio exceto pelo choro de Ana.

Vitor olhou seu pai e este devolveu o olhar, Wilson falou: “Fico feliz que esteja bem, eu pensei que nunca mais veria você.” Wilson parou um pouco antes de voltar a falar. “O que você se lembra? Se esforce para tentar lembrar, quando você puder falar eu quero que me diga.” Quando terminou de falar, Wilson se virou e saiu para o quarto de Letícia.

Letícia continuava a mesma que 3 meses atrás, quando ela acordou e soube do que aconteceu, ela teve a mesma reação de incredulidade que Vitor, quando descobriu que havia desaparecido por 3 meses.

Enquanto escutava Marcos falar ela percebeu que ele não havia citado Vitor, isso a fez tremer. Quando ela começou a pensar no pior, Marcos falou que Vitor tinha acordado retirando um enorme peso das suas costas, ao mesmo tempo ela pensou:

'Seu pirralho, quase me fez ter um infarto, mas vou deixar essa passar, apenas espere, vou arranjar um casamento para você!’ Letícia sabia que Marcos vinha fugindo desse assunto e se tornava obediente quando casamento era mencionado. Ela acreditava que esse solteiro ainda não havia se retirado do mercado.

Letícia via Marcos como um irmão mais novo, ela era extremamente protetora com ele. Marcos sabia disso então ele aceitava suas provocações de bom grado.

“Cunhada, quando o irmão puder, ele irá vir visitá-la, a mãe e o pai estão aqui também, provavelmente virão visitar você em breve!” Quando terminou de falar Wilson abriu a porta, ele deu uma boa olhada em Letícia, falou algumas coisas e saiu, pouco tempo depois Ana entrou e passou um bom tempo falando com Letícia.

No quarto de Vitor ele ainda tentava digerir o que aconteceu.

‘O que está acontecendo? Será realmente tudo isso uma coincidência?’ Vitor tinha essas questões em sua mente, mas colocou no fundo de sua mente, pois estava muito feliz para se ater a tais questões. Nada era mais importante do que saber que Letícia estava bem!

***

Em um canto obscuro do mundo, uma videoconferência acontecia.

“Senhor, recebemos sinais que os indivíduos A127 e A128 acordaram.” Um homem corpulento como um urso falou.

“Ótimo! Me mantenha informado, você será responsável por esses dois!” Um homem falou com voz grave.

“Sim senhor, eu terei a honra de ser de sua serventia.” Falou o homem.

“A propósito. Qual a chance de eles perceberem que foram ativados?” Perguntou o homem. Eles não tinham investido muito na captura desses dois indivíduos, porém fazer esses dois sumirem como um acidente e depois devolvê-los sem serem percebidos foi a parte complicada.

Outra coisa que os forçou a agir nesse momento, foi a compatibilidade com a ativação, encontrar pessoas compatíveis juntas e que eram de lugares influentes de um país era quase impossível.

“Senhor, se eles não fizerem um sequenciamento no DNA eles não perceberão o gene que introduzimos. A probabilidade que isso irá acontecer é bem baixa. Se algo acontecer, nós temos meios de controlar os dois.”

“Não quero variáveis que não posso controlar, embora todas as peças desse jogo de xadrez já estejam em seus devidos locais, foi um pouco complicado fazer com que os números A127 e A128 sumissem sem deixar rastros, o rastreamento do DNA deles foi um pouco trabalhoso, tudo o que aceito é o êxito! Se por um acaso falhar, somente sua pequena vida não será capaz de pagar!” Uma intenção assassina apareceu nos olhos dele.

“Sim senhor! Tudo pelo projeto Serafim!” O homem sentiu um calafrio correr sua espinha, então ele desligou o vídeo.

“Tudo está indo bem! Meus planos estão indo conforme o planejado, a única coisa que tem me incomodado um pouco, é a taxa de criação de anjos, os de 3° classe estão bem, o problema é a criação de anjos de 2° classe alta e elite.”

“Nós precisamos fazer mais arcanjos! Não só isso, nós temos que superá-los. Somente assim o plano terá êxito, os experimentos com os indivíduos que encontramos pelo mundo são parte fundamental. Mas mesmo assim, meu objetivo está muito próximo, não vou permitir que nada me atrapalhe!” Quando o homem terminou, ele estava com uma cara ferozmente distorcida.

Por Matheus Freitas (Leia SZPS) | 01/04/20 às 23:41 | Ação, Romance, Ficção Cientifica, Super-Poderes