CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 113 - Saudação

Sentimento Zero: Projeto Serafim (SZPS)

Capítulo 113 - Saudação

Autor: Matheus Freitas | Revisão: Agente SSS

O dia finalmente chegou e depois de muita importunação, Letícia conseguiu o que queria. Hoje ela iria começar a treinar sua habilidade da forma correta.

Wilson afirmou que o que os dois estavam fazendo antes era apenas a ponta do iceberg, pelo menos no que diz respeito à sua habilidade.

Então para fechar essa lacuna, ela resolveu estar sob os completos cuidados dos Alencar.

Quando desceu para o café, ela percebeu uma pessoa completamente estranha na sala da casa de seus pais.

Ela usava um terno preto e tinha um ar de mistério à sua volta, mas o que chamava mais atenção em seu rosto era a cicatriz chamativa que estava no seu queixo. Seus cabelos e olhos castanhos corroboram para a tese de que ele não era uma pessoa comum.

Assim que viu Letícia, o homem se aproximou e se curvou levemente.

"Bom dia senhora, me chamo Bruno. Estarei encarregado de transportá-la para o local que o chefe da família designou." Ele falou em tom completamente formal.

Letícia ficou se sentiu um pouco estranha, ela não estava acostumada com tamanha formalidade vinda de um completo estranho.

"Onde está o sogro, ele não vem?" Ela perguntou, notando a óbvia falta de Wilson.

"O chefe da família pediu desculpas, mas surgiram alguns problemas que ele teve que atender, sendo assim, ele me designou para escoltá-la." Respondeu Bruno.

"Entendo… Então, preciso levar algo?" Perguntou Letícia.

"Não, tudo que a senhora precisar será provido por nós." Respondeu Bruno.

"Então irei me despedir dos meus pais, poderia me aguardar um pouco?" Questionou.

"Sem problemas, estarei aguardando do lado de fora." Ele se dirigiu para a porta.

"Que estranho…" Letícia murmurou. "Bem, vou me despedir. Já que não irei vê-los por algum tempo." Ela completou.

Quando chegou na sala de jantar, encontrou seus pais conversando normalmente, como se fosse normal ter um estranho em casa.

"Olá, bom dia!" Ela falou enquanto tomava um assento.

"Bom dia, já encontrou a pessoa lá fora?" Roger perguntou.

"Sim, bem estranho, mas já acertamos tudo." Respondeu Letícia.

"Você já sabe o que irá fazer?" Nívea olhou para Letícia.

"Na verdade não, o sogro manteve tudo em segredo. Ele só me informou que começaríamos hoje, nada além disso…" Letícia suspirou, por que tudo se transformou em algo tão misterioso? Custava dar mais informações? Ela estava completamente perdida!

"Não deve ser nada perigoso, não é? Afinal, você disse que só quer melhorar seu controle." Disse Roger, ele ainda estava completamente descontente com essa ideia.

"É… Creio que não será tão difícil." Letícia concordou, mas internamente, ela não tinha confiança em suas próprias palavras.

"Alimente-se bem, você precisará de energia." Nívea interrompeu os dois, ela não queria a cabeça de Roger com esse problema agora, já bastava o que eles tinham em mãos.

"Tudo bem…" Roger lançou um olhar em Nívea, que teve a mesma ação como resposta.

"Eu irei comer apenas um pouco, se não for suficiente, eu como por lá." Disse Letícia, depois de terminar de comer.

"Tome cuidado! E mantenha contato, ok!?" Gritou Nívea, vendo que Letícia já estava saindo em alta velocidade.

"Manterei, pode deixar!" Ela respondeu.

Quando saiu da mansão, ela encontrou Bruno de pé do lado da porta, como se ele fosse um segurança ou algo do tipo. Além disso, suas costas estavam eretas como uma ripa de madeira.

"Esperou muito?" Ela perguntou.

"Não senhora, você chegou no tempo perfeito, me acompanhe por favor." Bruno começou a andar.

Letícia olhou novamente para ele, analisando cada ação deste homem. Ele passava uma sensação ruim, ela se perguntou se ele era mais um assassino, mas ao mesmo tempo, a sensação que ele emitia era diferente da que Sabrina passava.

Enquanto debatia a identidade do homem, ela chegou a um discreto sedan preto.

Bruno abriu a porta de trás para Letícia entrar e depois foi para o banco do motorista.

Em silêncio, os dois saíram da casa dos Meireles.

◊ ◊ ◊

Ela observou com cuidado todo o trajeto, mas suspirou com decepção depois de se perder.

Eles entraram na fazenda e seguiram pela estrada de terra até que o carro parou no mesmo lugar que antes, o galpão que era na verdade um elevador.

Descendo até o subterrâneo, o carro seguiu até uma espécie de estacionamento.

Quando Letícia saiu do carro, ela encontrou a mesma mulher que estava aqui na última vez.

“Sabrina, certo? Bom dia.” Disse Letícia, a analisando.

“Sim, que bom que você ainda se lembra do meu nome.” Respondeu Sabrina com um sorriso.

Hoje ela estava com um vestido vermelho justo, não era tão ousado quanto o do dia anterior, mas ainda sim a transformava quase em um demônio de rara beleza.

“Senhorita Sabrina, cumpri meus deveres, se me der licença, vou me retirar.” Bruno sorriu e assentiu as duas.

“Sim, pode se retirar e voltar ao seu posto.” Sabrina comandou.

Ao ver essa troca, Letícia percebeu que a posição de Sabrina não vinha apenas da sua ligação familiar. Ela sentiu o respeito e admiração que Bruno sentia por ela.

“Então, vamos? Quero lhe mostrar o lugar onde você passará os próximos meses.” Sabrina sorriu e tomou a liderança.

“Claro.” Letícia acompanhou.

Passando pelas portas da vila, Letícia pôde ver que o lugar estava muito mais animado que da última vez que ela veio aqui.

“O último dia foi uma ocasião especial. A visita do chefe da família fez com que todos que não tivessem função crucial retornassem aos seus dormitórios. Como não temos essa restrição hoje, podemos dizer que tudo está normal.” Sabrina respondeu a dúvida interna que Letícia tinha.

“Quantas pessoas vivem aqui?” Letícia perguntou, ela ainda achava esse lugar completamente incrível.

“Não temos como precisar, mas entre agentes e soldados, temos em torno de 1500 pessoas vivendo aqui constantemente.” Respondeu Sabrina.

“E como são entregues os suprimentos? Não acredito que tudo isso passe despercebido.” Comentou Letícia, olhando para alguns restaurantes e outras pequenas lojas.

“Nós temos canais próprios de distribuição. Você pode dizer que nossa cadeia de abastecimento é tão estável que a falta de qualquer coisa é bem improvável. Claro, nós também temos um grande estoque para qualquer emergência. Além disso, nenhuma autoridade teria a coragem de investigar esse lugar.” Sabrina mostrou mais uma vez o seu sorriso característico.

“Entendo…” Letícia murmurou. “Quantos lugares como esse existem?” Ela perguntou algo que estava sendo martelado desde a primeira vez que viu esse lugar.

“Me desculpe, mas não posso responder essa pergunta.” Respondeu Sabrina. “Está vendo este prédio?” Ela mudou de assunto.

“Sim, estou vendo.” Letícia ficou chateada, ela não conseguiu sanar essa dúvida, mas acreditava que descobriria essa informação com o decorrer do tempo.

“Esse é o prédio principal da vila, você pode dizer que esta é a prefeitura daqui. E será aqui onde você irá ficar. Venha, vamos conhecer o administrador do lugar.” Sabrina entrou no prédio, deixando Letícia para trás.

“Eu pensei que você administrava esse lugar.” Disse Letícia.

“Não, eu não tenho tempo para isso, não se esqueça que eu tenho uma vida fora daqui, não posso passar muito tempo fora da visão das pessoas. Além disso, eu tenho vários assuntos das empresas e do casamento para cuidar, simplesmente não tenho tempo para tal coisa.” Sabrina riu um pouco.

“Entendo…” Letícia concordou, ela era realmente muito ocupada.

“O administrador daqui tem uma habilidade muito especial.” Comentou Sabrina.

“Qual?” A curiosidade dela foi novamente despertada. Quanto mais conhecimento ela tiver sobre os anjos, maior seria a sua segurança.

“Ele utiliza ataques sonoros. Anjo do tipo percepção, 2° classe elite.” Revelou

“O mesmo nível que o sogro!” Exclamou Letícia.

“Sim, mas em termos de capacidade de combate, o chefe da família é muito mais poderoso, mas para lidar com as situações daqui, a habilidade de Sérgio é bem conveniente.” Sabrina parou em frente a uma porta de madeira.

Ela deu três toques e um entre foi escutado.

Quando entraram na sala, Letícia olhou para o homem que administrava esse lugar. Ele tinha aparência comum e mostrava ter em torno de 35 ou 40 anos. 

“Sérgio, essa é nossa convidada. Letícia Meireles, ela ficará sob os seus cuidados por algum tempo.” Introduziu Sabrina.

Sérgio não falou nada, ele levantou os olhos e olhou para Letícia.

De repente, Letícia começou a escutar um barulho irritante, era algo semelhante a um zumbido.

Ela simplesmente não sabia o que fazer, ela começou a perder o equilíbrio e usou a mão para se segurar no apoio mais próximo que conseguiu.

Sabrina observou tudo com um sorriso estampado em seu rosto.

Letícia estava perdida, o mundo começou a girar e sua visão também nublou.

Antes que ela perdesse a consciência. O zumbido parou.

“Fraca!” Sérgio abriu a boca e disse impiedosamente.

“Sei o seu objetivo, sei o seu status e as ordens que tenho. Mas não irei te dar nenhum privilégio. Compreendeu?” Ele completou.

“Tudo bem.” Letícia assentiu completamente atordoada.

“Eu escutei sobre o potencial que você tem, também vi sua luta com o chefe da família. Seu cronograma já está em minhas mãos, iremos começar com seu físico. Vamos fortalecer sua fundação e melhorar sua resistência, depois iremos focar em seu controle, só assim iremos para o combate real. Desde já, eu te proíbo de usar sua forma transcendente. Se você me desobedecer, eu irei espancar você.” Sérgio introduziu sua metodologia.

Sabrina olhou para as mudanças de expressão de Letícia e segurou sua risada. Ver essa princesa entrando no inferno seria uma coisa bem interessante.

“Vejo que você não tem nenhuma objeção, então eu gostaria de dar formalmente o meu parabéns, o seu inferno terá início aqui e será por minhas mãos.” Terminando suas palavras, ele olhou para Sabrina e completou. “Leve ela para o quarto, também quero que você fique um tempo aqui. Claro, se você não tiver nenhum outro assunto urgente.”

“Não, eu já cumpri minha missão, então você pode dizer que atualmente estou de folga.” Respondeu Sabrina.

Quando escutou essas palavras, a mente de Letícia tremeu, ela virou bruscamente para encarar Sabrina. Se a missão que ela disse que concluiu foi a expedida por Wilson, então uma grande tempestade se aproxima.

“Vamos? Ainda temos um dia cheio hoje.” Sabrina olhou Letícia e saiu da sala.

Letícia deu uma última olhada em Sérgio, antes de seguir Sabrina.


Por Matheus Freitas (Leia Serafim) | 11/04/21 às 09:30 | Ação, Romance, Ficção Cientifica, Super-Poderes