CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 24 - Mais Uma Falha?

Sentimento Zero: Projeto Serafim (SZPS)

Capítulo 24 - Mais Uma Falha?

Autor: Matheus Freitas | Revisão: Agente SSS

O dia amanheceu e Vitor acordou por volta das 8 da manhã, era sábado e ele estava finalmente tendo um dia de folga. Porém, hoje ele tinha uma grande dor de cabeça para resolver. Aquele bastardo realmente teve a coragem de atacá-los, ele não vai deixar esse ato ficar sem uma resposta.

Ele olhou para cama e viu que Letícia já havia saído. Vendo seu braço imobilizado, ele suspirou. O médico disse que ele teve muita sorte, a bala não fez muito estrago, ele só precisava deixar o braço imobilizado hoje. Amanhã ele poderia participar do desfile somente com curativos.

Vitor estava pensando sobre as informações que recebeu ontem, e já estava criando um plano de ação. Ele não era um santo, bom samaritano ou algo do tipo, só estava pensando em agir, por que esse incidente o atingiu. Ele é o tipo de pessoa que não te ajudaria a menos que você peça ajuda.

Suspirando internamente, Vitor se levantou e saiu do quarto, ele com certeza iria enfrentar um longo interrogatório agora.

Vitor saiu do quarto e foi para a cozinha, para beber um pouco de água. Nenhum deles gostava de ter empregada. Com a tecnologia atual, as empregadas eram necessárias somente para grandes famílias. Em um apartamento como o de Vitor, alguns robôs para limpar a casa e um bom purificador de ar já resolvia esse problema. Nenhum deles era desleixado, principalmente Marcos, ele não suporta nem um pouco de pó perto de seus terminais.

Entrando na cozinha, ele viu Letícia sentada na mesa tomando café com Marcos. Ele foi até a mesa e se sentou ao lado de Letícia.

“Dormiu bem?” Perguntou Letícia.

“Na medida do possível, sim...” Respondeu Vitor. Ele então se virou para Marcos e perguntou: “Já entrou em contato com nosso pai?”

“Não, ainda não! Eu estava esperando você acordar.”

“Isso é bom! Quando terminarmos o café vamos entrar em contato com ele. Pela hora, ele deve estar em casa.” Falou Vitor.

O café terminou rapidamente e todos foram para a sala. Marcos iniciou a chamada, e demorou 4 tentativas até Wilson atender.

[Olá! O que foi? Não combinamos que só nos reuniremos amanhã?] Perguntou Wilson.

Hoje Wilson não estava em seu tradicional uniforme militar, ele estava usando uma roupa casual. Uma blusa branca com uma bermuda jeans azul escuro. Ele não parecia velho com essa roupa, pelo contrário, ele tinha uma ótima aparência. Ele não tinha cabelos grisalhos, e tinha um corpo bem cuidado. Não era exagero dizer que ele aparentava estar no final dos 30.

[Pai aconteceram algumas coisas, Letícia e eu fomos sequestrados pela Vanguarda ontem!] Falou Vitor.

[O quê!? Quem ordenou? Como vocês conseguiram sair?] Perguntou Wilson.

[Nós estamos bem, Letícia e eu matamos todos eles!] Vitor começou então, a explicar tudo o que aconteceu, desde a perseguição das vans até às informações que conseguiu com José.

[Esse bastardo é bem corajoso hein... Ele realmente se atreveu a lançar um ataque no meio da rua!?] Falou Wilson com desdém.

[A propósito, eles não descobriram sobre as habilidades de vocês, certo?] Perguntou Wilson.

[Não, pai! Acredito que não, eu tomei cuidado com as câmeras. E mesmo que não tivesse, eu não acredito que ele seria burro o suficiente, para deixar uma prova tão grande e gorda contra ele. O mais provável é que eles tenham congelado as imagens. Mas mesmo assim, eu destruí todas elas.] Falou Vitor.

[Isso é bom, provavelmente eles vão pensar que foi Marcos... Vocês dois!] Wilson olhou para Letícia e Vitor. [Em nenhum momento a partir de agora vocês podem deixar Marcos sozinho! Marcos não tem capacidade de combate com sua habilidade como nós, se ele for pego... Será o seu fim!] Wilson falou com uma carranca.

[De fato, até terminarmos com isso não podemos deixar Marcos sozinho. Ele é basicamente nosso centro de controle.] Concordou Vitor.

[Eu confio em vocês!]

[Bem... Agora, outro ponto que me preocupa é o ataque que eles planejaram. Se possível, eu quero pará-lo antes que ele tenha a chance de lançar os ataques.] Disse Vitor.

[Você está certo, eu falarei com o ministro da defesa. Com certeza ele dirá ao presidente.] Disse Wilson.

[Se você quiser falar, diga somente para que aumentem a segurança. Se esse ataque falhar ele matará o presidente. E aí será o caos, o que temos que fazer é encontrar provas e pegá-lo até terça. Eu já mandei Marcos fazer uma busca no passado dessa dupla de pai e filho. Além disso, o que me preocupa é alarmar quem está por trás das cortinas.] Falou Vitor.

Wilson pensou um pouco e concordou. De fato, o que precisava ser feito agora era buscar provas, e não alarmar o inimigo. Mesmo que o sequestro tenha falhado, eles não iriam alertar totalmente o outro lado por nada. Esconder suas cartas, era a chave da vitória, principalmente dois trunfos como Letícia e Vitor. Se você já tem todos os seus trunfos expostos, você já perdeu antes mesmo de começar a lutar.

***

Casa de César, 7:30 da manhã do mesmo dia.

César já estava impaciente, ele acordou cedo essa manhã. Ele estava esperando o contato de José, e o cara não tinha se reportado ainda.

Toda essa situação era muito estranha, o objetivo era muito fácil. Eles já tinham as pessoas e o meio para fazer, só faltava a parte final. Mesmo assim, ninguém o contatou!

César fez uma ligação para um de seus outros assessores, ele não era tão confiável como José, mas era o melhor que ele tinha no momento.

[Alô, chefe, o que você precisa?] Perguntou o homem.

[Quero que você vá checar um certo lugar, eu enviarei o endereço para você! Quero que me conte tudo que você encontrar no local!]

[Certo, estou a caminho!]

Não demorou muito e o endereço chegou para o homem, ele pegou as chaves do carro e foi para o local.

Cerca de 45 minutos depois, ele chegou no galpão.

Entrando no local, ele pôde perceber um amontoado de pó na entrada, mas não deu tanta atenção assim. Ele continuou avançando pelo local, e continuou encontrando esses montinhos de pó pelo caminho. 

Contudo, não era realmente muito que pudesse dizer alguma coisa, Vitor teve o cuidado de espalhar o pó, não deixando uma pista para trás. Somente se uma pessoa prestasse muita atenção e pensasse com cuidado, ela sentiria que algo estava errado. E esse era justamente o resultado que Vitor queria, mesmo que eles adivinhem que eles tinham sumido por culpa deles. A culpa provavelmente cairia para Marcos e não para eles dois. Resultando assim em uma grande vantagem, por eles ainda estarem no escuro.

O homem terminou de checar o prédio e não encontrou nada, se tivesse pessoas aqui, parecia que eles tinham sumido em fumaça... Suspirando o homem fez uma ligação para César.

[Chefe! Nada aqui, o local está vazio!]

[Vazio?] César levantou a sobrancelha. [Não tem corpos, sangue ou algo do tipo?] Perguntou César.

[Não chefe, o canto está vazio, só existe poeira e caixas!] Respondeu o homem.

César cerrou os dentes. será que eles falharam de novo? ‘A primeira vez foi o pai, agora, até o filho quer atrapalhar meus planos? Vou limpá-lo da face da terra, só espere e veja!’

[Pegue dois homens e chequem o endereço que vou passar para você, eu quero que me diga se estas pessoas estão lá! Se estiverem, me avise!] Instruiu César.

[Entendido!]

Essa busca resultaria em nada hoje, nenhum deles estava disposto a sair. Vitor ainda não queria mexer o braço, Letícia iria cuidar de Vitor e Marcos estava correndo com sua busca por informações da dupla.

César encerrou a ligação e fez outra para o pai.

[Pai! Ao que tudo indica, a operação de ontem falhou! José não me contatou desde ontem. Eu já enviei alguns dos meus homens para monitorar o lugar onde eles moram.]

[Falhou hein... Certo, esqueça, deixe esses dois para lá! Não desvie do nosso objetivo, o sequestro era para ser somente um aviso mesmo. É uma pena que não conseguimos usar esses dois. Mas não importa, os preparativos para o próximo passo estão todos prontos, certo?]

[Tudo pronto, nós teremos um belo show pela frente.] César riu.

[Fique bem, me mantenha informado sobre qualquer novidade.]

***

Marcos estava na busca por novidades, se César fosse somente um deputado distrital, não seria tão difícil para ele encontrar todas as suas informações. O problema é que ele é filho de um senador, e isso o colocava na esfera de proteção de dados federais. A proteção de dados era muito maior do que os outros que ele já tinha pesquisado antes. Ele estava fazendo tudo com muito cuidado, para não ser detectado.

Marcos resolveu pesquisar sobre o filho primeiro.

Ele ainda não tinha encontrado nada incriminatório, mas encontrou uma informação que o deixou surpreso. César sumiu por 3 semanas alguns anos atrás, sem deixar nenhuma notícia, uma situação semelhante ao de seu irmão e cunhada. A diferença é o tempo de desaparecimento.

“Droga! Isso tá ficando muito interessante! Com certeza tem algo muito maior aqui! Isso está ficando muito bom! Realmente excitante, agora eu tenho motivação o suficiente para procurar a sério!” Riu Marcos, seus olhos começaram a mostrar uma luz amarelada.

Com isso! Marcos ativou sua habilidade pela primeira vez em suas pesquisas.

Por Matheus Freitas (Leia SZPS) | 10/06/20 às 10:50 | Ação, Romance, Ficção Cientifica, Super-Poderes