CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 41 - Calma Antes da Tempestade

Sentimento Zero: Projeto Serafim (SZPS)

Capítulo 41 - Calma Antes da Tempestade

Autor: Matheus Freitas | Revisão: Agente SSS

Mauro passou alguns dias espionando Letícia de perto, anotando toda a sua rotina, sempre que ela chegava na garagem, Mauro colocava outra escuta e um rastreador. A garagem do condomínio era subterrânea e não tinha tanto movimento, a vigilância do local ficava por conta do sistema de monitoramento integrado, que mandava imagens para os seguranças.

Assim como Vitor, Letícia também comprou um carro novo, era um Audi J4 vermelho, era bastante chamativo e usava hidrogênio como combustível, atingia de 0 a 100 em 4 segundos. Não era tão luxuoso quanto o Maybach de Vitor ou o Audi S15 de Marcos, mas ainda sim, não era um carro que um rico comum poderia comprar.

Dirigindo pelas ruas, Letícia, que já estava em Brasília a mais de um mês, começou a notar pequenas coisas. As pessoas ricas tendem a selecionar o que querem ver, a desigualdade acompanha o Brasil desde sua colonização. Depois da guerra houve sim uma melhoria nas condições de vida, mas quando Letícia parou no semáforo ela se notou que mesmo estando em uma área nobre de Brasília, seu carro era de longe o mais caro.

Olhando para fora, ela foi capaz de notar a discrepância do seu carro para os outros, nos 20 carros na sua linha de visão, 12 eram carros populares, 6 carros médios e 2 de alto padrão. O carro a sua esquerda era um Fiat e o outro era um Chevrolet, ambos carros populares que tinham preço por volta de 27 mil. Somente o carro atrás dela era melhor, era um Hyundai que custava em volta de 200 mil.

Ela só pôde suspirar, essa era a gloriosa meritocracia, ela já tinha um ponto de partida quase na chegada, somente se ela fizesse muita força para fracassar sua vida daria errado. Comparada as pessoas comuns, ela vivia em um mundo diferente. Ela não era hipócrita ao ponto de dizer que o mundo estava errado, o máximo que ela podia fazer era se policiar e não se tornar uma cega arrogante, embora fosse bem difícil, já que era algo que estava esculpido em seus ossos essa maneira de viver.

O semáforo abriu e Letícia saiu de seus devaneios balançando a cabeça. Ela não podia fazer nada para mudar isso, e também ela não era generosa ao ponto de dar dinheiro para os outros por nada.

Mesmo com o ataque hacker, Vitor não restringiu Letícia. Ele tinha uma certa noção do quão poderosa Letícia era, mesmo que ela não seja mais forte que ele, sua segurança pessoal não era um problema. Sem falar que a habilidade final de Letícia era aterrorizante, então mesmo em uma luta em grupo ela poderia pelo menos se defender. Vitor prezava pela liberdade dela, foi por esse motivo que ele a incentivou a abrir sua empresa, ter uma mulher como Letícia em casa 24 horas por dia era irrealista.

O dia passou e a noite chegou, o ar estava ficando cheio de tensão.

◊ ◊ ◊

Quarta-feira, 16 de setembro às 18:43. Base da equipe Ômega.

Mauro chegou ao apartamento para solicitar a ajuda de Jennifer e Paula, para a execução de seu plano. Ele já tinha um padrão da hora em que Letícia saia para o trabalho. Ela sempre saia depois dos irmãos, por volta de 8:20 da manhã, ele teria uma janela de 8 minutos até o próximo morador descer, ele tinha que capturá-la nesse espaço de tempo.

Mauro contou o que havia planejado para as duas, que logo concordaram. Afinal, alterar as imagens de um SMI era um pedaço de bolo para elas.

Com tudo acertado, ele foi conversar com Cristina.

“Eu escutei sobre o seu plano, mas o que você vai fazer se ela for do tipo percepção?” Perguntou Cristina.

“Eu realmente não pensei nisso, mas se ela realmente for do tipo percepção, será melhor para mim. Porque aí eu poderei usá-la para chegar ao outro.” Mauro respondeu.

Cristina acenou com a cabeça e então comentou: “Já obtive a autorização, o chefe irá mobilizar as equipes Alfa e Delta se nós descobrimos pelo menos mais uma de suas habilidades. Ele se interessou pela habilidade do irmão mais novo.”

“Então é isso...” Mauro compreendeu.

“Já repassei os dados da escuta que você obteve para o chefe, como já levantamos todos os dados da família deles, sabemos para qual sítio eles vão. É um local relativamente isolado, conseguiremos lançar o ataque sem problemas. Eles irão direto para o sítio, já que nosso laboratório é no Rio, não será uma viagem muito longa.” Falou Cristina.

“Não irei falhar!” Mauro declarou.

“Assim espero!” Respondeu Cristina.

◊ ◊ ◊

Letícia chegou um pouco mais tarde hoje, mesmo ainda não tendo a loja aberta, ela já estava coberta de tarefas, para sua sorte, Lara estava presente ajudando. Mas na próxima semana, as primeiras peças da linha de prateleira vão começar a ser vendidas.

“Eu não vou cozinhar hoje, vamos sair e comer!” Letícia ordenou.

“Sim senhora! Será uma recompensa por seu trabalho duro.” Vitor riu.

“Pelo menos você tem consciência.” Letícia riu também.

“Para onde vamos?” Perguntou Marcos.

“Letícia escolhe, pergunte para ela!” Vitor apontou para Letícia.

“Eu soube que um restaurante novo abriu nesta região, Lara já jantou lá e disse que é muito bom, e que vale a visita.” Letícia falou.

“Então esse era o seu objetivo desde o início cunhada?” Marcos apontou.

Vitor olhou para Marcos e balançou a cabeça. ‘Não entre nesse campo minado Marcos...’

Como já foi exposta, Letícia resolveu transformar isso em uma lição para Marcos.

“Marcos, eu vou te dar um conselho que vai te ajudar muito! Nunca exponha o que uma mulher realmente pensa, você não conseguirá se casar se continuar dando mancadas assim. Você viu a resposta do Vitor? Ele foi correto, eu ordenei e ele simplesmente obedeceu. Se você quiser uma namorada, deixe de fazer coisas que nos desagradam.” Letícia lecionou Marcos.

“Não preciso que você me ensine como pegar garotas...” Marcos murmurou baixinho.

“Ahhh, deixa pra lá, eu já tenho algumas amigas que estão interessadas em você. Pelo menos morrer solteiro você não vai!” Letícia olhou para Marcos com pena.

“Tá bom! Já chega! Já brincaram muito, vão tomar um banho para que possamos sair.” Vitor interviu ou esses dois irão continuar a noite toda.

Os 3 então entraram no Maybach de Vitor e seguiram o endereço que Lara deu para Letícia do restaurante.

Eles chegaram lá sem problemas, o restaurante ficava em uma esquina de duas avenidas e tinha um ambiente muito bom. Eles foram recebidos pela recepção onde conseguiram uma mesa no segundo andar.

Eles conversaram um pouco e pediram alguns pratos, o restaurante era especializado em comidas típicas do cerrado. Quando os pratos e as bebidas chegaram, Marcos notou que eles não trouxeram gelo. Depois de algum tempo, nenhum garçom apareceu.

Percebendo isso, Letícia perguntou: “O que foi?”

“Eu queria pedir um pouco de gelo, mas não vejo nenhum garçom.” Marcos respondeu.

“Ahhh! É isso?” Letícia olhou para o lado e viu que ninguém estava olhando e criou dois cubos de gelo e jogou no copo de Marcos.

“Uau! Muito conveniente!” Marcos teve que concordar.

Vitor franziu, mas não falou nada, mesmo que ele não veja mais gente da ABIN os seguindo dia e noite. Ele não queria que eles fossem expostos por um erro bobo.

Mauro passou toda a semana espionando Letícia em busca de saber sua habilidade, e não conseguiu nada, justo no dia em que ele foi para a base, Letícia usou sua habilidade. Se Mauro soubesse disso, era desconhecido o que ele faria.

Depois do jantar, eles ainda conversaram mais um pouco até que Vitor pagou a conta e saiu com os dois.

Chegando no apartamento, Marcos se jogou no sofá e ligou a televisão. A notícia era justamente sobre a resposta da China as palavras da Índia e do Japão.

Basicamente os chineses diziam que os interesses do povo chinês estavam além da vontade de países estrangeiros e que os dois não deveriam interferir ou terão que suportar as consequências.

“A China está agindo de forma tão desenfreada, por que será? Será que eles conseguiram mais um Arcanjo?” Marcos colocou a mão no queixo e pensou.

Vitor que estava indo para a cozinha beber água parou ao ouvir o que Marcos disse. 'De fato, essa é uma possibilidade, ou então por que diabos a China está agindo de forma tão louca? Será que eles conseguiram um terceiro Arcanjo?’

Vitor pensou que se a China tivesse um terceiro Arcanjo seria um grande salto em poder militar.

O Brasil tinha dois arcanjos divulgados, mas vai saber quantos estão ocultos pelo governo?

Estimasse que existam cerca de 75 arcanjos no mundo. Mas somente alguns foram revelados, com algumas amostras e informações sobre suas habilidades. Tudo para servir como dissuasão para os outros. Mas ainda assim, eles seguem uma determinada ordem, que reflete o poder dos países em outras esferas. Afinal, qual país quer revelar todas as suas cartas escondidas para os outros?

Se dirigindo para o quarto para dormir, Vitor encontrou Letícia trocando de roupa para suas roupas de dormir.

Vitor também começou a se trocar, ele colocou uma roupa casual e se deitou na cama.

“O que está pensando?” Letícia perguntou.

“Eu estou pensando no futuro, as agitações que estão acontecendo e tudo mais.” Vitor abraçou Letícia.

“Vitor, eu não sou burra, eu consigo entender algumas coisas. Você acredita que essas agitações são eles?”

“Sendo sincero, sim... Nosso mundo atual, tem um equilíbrio muito fraco, qualquer perturbação pode derrubar tudo como um castelo de cartas e é isso que me preocupa!” Vitor suspirou.

“O que vier virá. Se for uma benção, não é um desastre, e se for um desastre, não poderá ser evitado. Deixe que as coisas do futuro cheguem para que você possa se preocupar.”

“Tem razão!” Vitor concordou.

Por Matheus Freitas (Leia SZPS) | 02/08/20 às 19:08 | Ação, Romance, Ficção Cientifica, Super-Poderes