CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 25.3 - 『TODOS, EM NOME DA ESPERANÇA』- dias brilhantes, labirinto destruído -

Shuumatsu Nani Shitemasu ka? Isogashii desu ka? Sukutte Moratte Ii desu ka? (SukaSuka)

Capítulo 25.3 - 『TODOS, EM NOME DA ESPERANÇA』- dias brilhantes, labirinto destruído -

Tradução: Itsuki Lonely Driver

Parte 03 - O Homem sem um Passado

Ele sentiu como se levantasse de uma poça de lama pegajosa e pesada. Quando ele ergueu o corpo, uma substância negra cobrindo a pele lentamente caiu. No entanto, não saiu completamente. Estava acumulado em seus pés, recusando-se a ir embora.

- Foi o que ele sentiu no momento em que ele acordou.

[Ung...].

Gradualmente, ele abriu os olhos. Uma única fenda horizontal de luz perfurou seu campo de visão preto. Polegada por polegada, alargou-se, até que eventualmente se transformou no rosto de uma pequena menina olhando para ele de uma distância extremamente próxima.

[... Eh].

[Ah].

Seus olhares se encontraram diretamente. Os olhos escarlates da menina piscaram uma vez. Sua expressão séria se transformou lentamente em um amplo sorriso.

[Wi...].

Wi?

[Willem, você está acordado!].

[… Hã?].

Sua cabeça não parecia estar funcionando bem. Pensamentos aleatórios de origem desconhecida rodopiavam por dentro do crânio, tornando-o incapaz de tentar lembrar de qualquer coisa. O que é 'Willem'? A palavra parecia muito familiar, mas, ao mesmo tempo, era um pouco desconfortável.

[Nils venha aqui! Willem está acordado!].

A menina se virou e, enquanto caminhava para cima e para baixo no lugar, gritou para alguém com uma voz alta. Seu cabelo vermelho, de aparência suave, estremeceu.

[Ah, eu posso ouvir. Não grite, você vai incomodar os vizinhos].

Um homem exausto entrou no quarto, coçando a cabeça lentamente.

Quarto. Ele olhou em volta uma mais vez: um quarto bem limpo e conservado, provavelmente parte de uma pousada. Os móveis, incluindo a cama em que ele tinha adormecido, não eram nem luxuosos nem de má qualidade. Ele adivinhou a taxa noturna para ser cerca de 30 bradals, ou talvez um pouco mais alto, já que ele poderia dizer o quão bem o lugar foi limpo com um breve olhar.

Bem, isso não importa agora. Uma dor maçante atormentava a área em torno de sua testa. Seus pensamentos se recusavam a entrar em ordem. Reflexões inúteis vieram à frente, enquanto as coisas importantes permaneciam ignoradas.

[Ei, Willem].

O homem, agora de pé ao lado do travesseiro, saudou-o com um sorriso que escondia quaisquer sentimentos verdadeiros que estivessem debaixo dele.

[... Willem?], ele perguntou.

[Está certo. É o seu nome. Você esqueceu?].

Willem. Willem. Entendo. Este é meu nome. Certamente, seus ouvidos pareciam sentir algum tipo de proximidade com ele. No entanto, se ele tivesse que dizer seu próprio nome...

[Eu perdi minha memória?], ele perguntou.

Assim que as palavras saíram de sua boca, ele percebeu o quão estranho sua questão deve ter soado. Só ele saberia se as suas memórias se perderam ou não. Pelo menos, não era algo para perguntar aos outros.

[Sim].

Ao contrário de suas expectativas, o homem deu uma resposta afirmativa.

[Para explicar as coisas de forma simples, algo muito ruim está assombrando sua memória e personalidade agora. Se ele for à tona e o restante não for contido, seu corpo será tomado. É por isso que eu usei minhas ótimas habilidades para colocar diretamente uma tampa na maioria das suas lembranças e selá-las. Foi um tratamento de emergência improvisado, mas, sendo meu trabalho e tudo mais, não vai quebrar facilmente. Agradeça-me depois de terminar de chorar].

[Que parte disso era simples?].

[Cale-se. Quem foi aquele que apareceu na minha frente sofrendo em uma condição tão difícil?].

Ele não teve uma resposta para isso.

[... Eu suponho que você quer dizer eu? Ainda não me lembro].

[Você e esta aqui. Vocês dois me causaram uma verdadeira dor de cabeça].

A grande palma do homem deu à menina uma tapinha ligeiramente áspero na cabeça.

[Ei! Ei!].

[Não se preocupe com isso, você não vai morrer novamente de algo assim]. Ele bagunçou o cabelo da menina.

[Não! Ei! Pare!].

[Hahaha, tudo bem].

Willem, ainda na cama, levantou a metade superior do corpo. Seu braço se moveu a uma velocidade impossível de se acompanhar com os olhos. Derrubou a mão do homem e puxou a menina para perto dele. O corpo leve e pequeno da menina pousou em cima do peito de Willem.

[Ah!].

Um pequeno grito.

Ela está com frio, pensou Willem. Normalmente, crianças desse tamanho tinham temperaturas corporais bastante elevadas.

[Eu não sei o que está acontecendo aqui, mas você deve parar. Ela não parece gostar disso].

[... Ok], o homem respondeu, um pouco desconcertado. Por algum motivo, seus olhos mostravam um olhar gentil, quase como se estivesse sentindo algum tipo de nostalgia na conversa entre eles.

Enquanto isso, a menina dentro dos braços de Willem ficou sem palavras, parou de respirar e começou a corar e a piscar rapidamente. Ela não parecia estar particularmente contraria a isso, então ele achou que ficaria nessa posição um pouco mais.

[Bem? Pelo que você disse anteriormente, acho que você fez algo com essa criança também?].

[Não faça esse rosto assustador. Pelo menos, eu não fiz nada que ela não gostaria].

[Do que você está falando? Você estava batendo nela agora].

[Isso foi apenas um tapinha amigável na cabeça. Não precisa suspeitar tanto sobre isso].

[Dado que você era o único a sorrir, não tenho certeza se acredito nisso]. Willem olhou para o homem.

[Você realmente não muda...], o homem disse por algum motivo.

[Bem, tanto faz. Ela é um cadáver em movimento. Que é chamado fantasma de classe baixa, acredite ou não]. Ele apontou para a garota.

[Hã?].

[Originalmente, seu corpo deveria ser perpétuo, mas por causa de uma maldição irritante, é praticamente um cadáver normal agora. Eu usei meus poderes super especiais para retirar diretamente um pequeno pedaço daquela maldição, permitindo que ela quebrasse no meio da alma e escorregasse por essa rachadura. Então, basicamente, um leve renascimento, com cerca de 1% de seu corpo e 50% de sua alma].

[Não faço ideia do que você está dizendo....].

Cadáver? Fantasma? Corpo perpétuo? Alma? Essas não são palavras que você ouve todos os dias... Provavelmente (Ele não poderia dizer com certeza devido à falta de memórias). Pelo menos, nenhuma dessas palavras parecia ser muito apropriada para a pequena garota dentro de seus braços.

[Se você não acredita em mim, dê uma olhada. O corte em seu coração ainda não se curou].

[Huh?].

Do que diabos este homem está falando? Willem pensou, mas ele decidiu fazer o que o homem disse de qualquer maneira. Seus dedos puxaram suavemente o colarinho da menina para a frente, ele espiou o espaço. Uma ferida profunda causada por uma grande espada no peito da menina encontrou seus olhos. Era, sem dúvida, fatal. Nenhum organismo vivo normal seria capaz de se movimentar enquanto sofria com isso.

[O que…].

[Viu? Eu te disse. Às vezes eu digo a coisa errada, mas nunca digo uma mentira].

Willem não pensou que era algo para se declarar com orgulho, mas ele colocou essa questão de lado por enquanto. O que está diabos está acontecendo aqui? Ele olhou para o peito da menina. Hm? Ele olhou de volta para o rosto dela, que de alguma forma ficou vermelho brilhante, apesar da falta de coração que atuaria para bombear o sangue. As lágrimas preencheram seus olhos, prontas para cair a qualquer momento. Quando Willem descobriu o motivo, já era tarde demais.

[Pervertido!!].

As mãos da menina desceram sobre ambas faces de Willem ao mesmo tempo.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Ao lado, o homem ria sem parar.

[O que é tão engraçado], disse Willem.

[Seu rosto, óbvio. Está vermelho. Você deveria olhar no espelho].

Willem poderia imaginar, então ele não sentiu a necessidade de verificar. Em vez disso, ele olhou para a porta da qual a menina fugiu. Pensando na situação com uma mente calma, ele reconheceu seu fracasso. Mesmo com uma criança tão pequena, ou talvez especialmente com uma criança tão pequena, as meninas ainda são meninas. Ele deveria ter a tratado com mais cuidado.

Não espera, é porque ela ainda é um cadáver, mesmo que ela seja menina? Ou é porque ela ainda é uma menina apesar de ser cadáver? Por que um cadáver está se movendo em primeiro lugar? O que diabos é um corpo perpétuo? Porra, eu não faço ideia do que está acontecendo.

[... Bem, colocando isso de lado por enquanto, hora de uma conversa séria].

O homem largou o tom de sua voz.

[Quanto você se lembra de você e de qualquer outra coisa?].

[Sobre mim…].

Willem pensou um pouco. Com base no fato de que eles estavam conversando atualmente, aparentemente ele não esqueceu a linguagem comum de Règles Ailés. Olhando ao redor, ele confirmou que não tinha problemas em se lembrar dos nomes dos vários objetos na sala.

No entanto, quando se tratava de informações sobre si mesmo, sua mente ficava em branco. Onde ele morou? Com quem? Fazendo o que? O que ele gostava e não gostava? Nada desse tipo de informação surgiu na cabeça dele. Quando ele tentou se forçar a lembrar, sentiu como se estivesse caminhando por um pântano sem fundo. Ainda assim, ele forçou a mão para dentro das profundezas daquele pântano - Alguém olhou para ele com um sorriso solitário.

[Ah?!].

Ele pressionou sua mão contra a testa, suprimindo a dor de cabeça súbita.

[Pare com isso. Eu selei isso de propósito. Melhor não tentar e forçar isso], disse o homem com um suspiro.

[Agora você está na linha entre ser capaz de permanecer como você e não ser capaz disso. Se você der um passo adiante, você vai tropeçar e cair. O que uma vez foi você vai desaparecer. Se isso acontecer, nem mesmo eu poderei fazer qualquer coisa. Você ouviu? Se você quer viver, não se lembre de nada].

[... Há algo que eu tenho que fazer].

Enquanto Willem continuava a suprimir a testa com os dois olhos bem fechados, sua dor de cabeça gradualmente enfraquecia.

[Desista].

O homem encolheu os ombros.

[Eu não estou apenas tentando irritá-lo, sabe? Eu não sei o que você está tentando lembrar, mas no instante em que você fizer isso, você deixará de ser você. E você não será capaz de realizar tudo o que você lembrou. Em outras palavras, de qualquer forma, você não poderá realizar isso].

O raciocínio do homem fazia sentido. Com exceção de uma explosão emocional, Willem não viu nenhuma maneira de contra argumentar. No entanto, essas emoções não vieram. Ele não podia fazer nada.

[... Ahh].

Por algum motivo, Willem sentiu um pouco de alívio. Talvez ser dito que ele não precisava se lembrar do passado, que ele não precisava assumir esses fardos esquecidos, concedendo a ele uma parte de sua salvação.

A dor de cabeça agora desapareceu, mas sua cabeça e seu estômago ainda eram pesados. Ele jogou a cabeça de volta no travesseiro.

[Eu seguirei sua palavra. Não lembro o que aconteceu, mas parece que você realmente cuida de mim].

[Por enquanto, basta descansar um pouco mais. Na próxima vez que você acordar, eu aposto que o sua cabeça estará se sentindo um pouco melhor].

Uma sonolência de repente tomou Willem.

[... Ok], ele respondeu fracamente.

[Ah sim, há algo que eu me esqueci de te perguntar].

[O que seria?].

[Seus nomes. O seu e o da garota].

[Hm... Sim, certo. Esqueci completamente], disse o homem enquanto coçava a cabeça.

[Eu sou Nils. A pequena é Elq. E você é Willem].

Nils e Elq.

[Ambos os nomes são familiares. Nós nos conhecemos antes?].

[Correto. Você uma vez me adorou e me chamou de mestre], disse o homem com o peito exageradamente inchado.

[Não, não pense que eu acredite nisso].

[Por que não!? Eu não estou mentindo!].

[Não, não, é simplesmente inacreditável. Quero dizer, você realmente não se parece com o tipo de pessoa que ensina qualquer coisa].

[É a verdade! Por que é a única coisa que você não acredita?].

[Virtude humana].

[Como você conhece esse seu velho ditado?! Sua memória está realmente selada!?].

O próprio Willem achou isso estranho. Ele reconheceu que sua atitude não era apropriada para uma primeira reunião, mas mesmo assim ele se sentia estranhamente confortável, como se ele tivesse retornado à sua terra distante depois de uma longa ausência.

[Ao invés de um mestre, você parece um velho pai podre].

[... Nossa, você realmente...]. Nils suspirou profundamente.

[Deixa pra lá. Eu vou sair para que descanse bem].

[Obrigado, por tudo].

[Se você quer se desculpar, faça isso primeiro, nossa...].

Mesmo que ele só pudesse ver suas costas, Willem sabia que o homem estava sorrindo amargamente. A julgar pelo fato de que ele não se virou, talvez ele estivesse até mesmo envergonhado.

[- Ah, está certo].

Em pé ao lado da porta, Nils acrescentou:

[Não use o seu olho direito demais. O meu selo só funciona nas partes da sua mente que se transformaram, não as partes do seu corpo. Se você deixar que ele se apodere de você, o selo irá se soltar].

[Olho direito?].

[Veja por si mesmo. Há um espelho ali].

A porta se fechou, e os passos de Nil desapareceram na distância. Onde ele gesticulou por último com o queixo antes de sair, Willem encontrou um pequeno espelho, do tamanho de sua palma da mão, de pé sobre uma mesa. Do que ele está falando? Willem resmungou para si mesmo, mas não podia ignorar algo assim. Ele arrastou o seu corpo ansioso para dormir para fora da cama, pegou o espelho e virou-o para o rosto.

[...].

O rosto de um jovem de cabelos negros que parecia não ter qualquer tipo de ambição refletiu-se nele.

Primeiro ponto: inchaços vermelhos em cada bochecha.

Segundo ponto: seu olho direito e apenas seu olho direito brilhava com uma cor dourada feroz, como a de uma besta selvagem. Como seu olho esquerdo compartilhava o mesmo preto que o cabelo dele, Willem percebeu que seu olho direito nem sempre foi assim. Provavelmente, serviu de prova de qualquer coisa que Nils tivesse falando.

[… Entendo].

Apenas olhando para aquela cor dourada, a ansiedade o superou. Definitivamente, não significava nada de bom. Tendo-se convencido disso, ele fechou o olho direito, escorregou de volta para baixo dos cobertores, depois fechou o outro olho também suavemente.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

[Se você está procurando pelo Nils, ele saiu cedo esta manhã], o dono da pousada - Um homem ‘sem marca’, disse a Willem na manhã seguinte.

[Huh?].

[Ele saiu para uma pequena caminhada, aparentemente. Ele disse que não sabia se ele iria voltar. Também disse para se manter saudável].

[Espere um segundo. Eu não ouvi nada sobre isso].

[Ele é do tipo que sai assim que tem uma ideia. A julgar pelas suas palavras, ele pode voltar por um capricho, mas quem sabe quando].

[Espera, espera, espera, o que?].

Que tipo de vagabundo é esse cara? Talvez Willem, como aquele que foi salvo, não tinha o direito de dizer nada, mas ele realmente desejava que Nils pensasse um pouco mais sobre quem ele deixava para trás. Willem não se lembrava de seu próprio passado, nem tinha nenhum tipo de ativos. Normalmente, não se deixaria um cara que não sabia o que era a esquerda da direita, cima ou de baixo, completamente sozinho. Ou pelo menos, Willem ficaria com muito medo de fazer isso. Aparentemente ele já havia chamado esse homem mestre, mas Willem ainda não acreditava nisso. Ele não podia imaginar-se olhando para um homem tão irresponsável.

[Ah, parece que sua companheira também está acordada].

Quem? Willem pensou e se virou. Ele viu a menina de cabelo vermelho, Elq, olhando para fora de um canto no corredor.

[Companheira?].

[Foi o que me disseram].

Entendo. Foi assim que explicou Nils. Sem me avisar. A irritação sobre seu suposto salvador só aumentava, Willem gesticulou casualmente para a garota. Após uma pequena hesitação, Elq saiu do canto do corredor e correu até ele.

[B-Bom dia...], ela disse.

[Desculpe por ontem].

Willem inclinou a cabeça em desculpas.

[Ah... O-okay. Enquanto você entender... Quero dizer, eu não estou mais brava...], ela murmurou, claramente nervosa.

[Entendo. Você é uma garota gentil].

Willem levantou a cabeça e sorriu. Por algum motivo, Elq gemeu suavemente e deu um passo para trás.

[Algo errado?].

[N-Nada]

Willem raramente viu um ‘nada’ tão pouco convincente. Ele pensou em prosseguir o assunto ainda mais, mas decidiu parar, achando que tais atitudes grosseiras eram muito imaturas. Aparentemente, os dois foram encontrados perto um do outro. Então, ambos foram salvos da mesma maneira por Nils, depois deixados para trás da mesma maneira por Nils. Ele não tinha ideia de quanto tempo eles estariam juntos, mas achava que seria melhor se dar bem. Provavelmente.

Primeiro vieram os preparativos para viver uma nova vida. Willem precisava descobrir do que era e não era capaz. Então, ele precisava procurar por trabalho. Elq ainda sendo jovem, ele precisava fazer o suficiente para sustentá-la também. Além disso, Willem decidiu que, se Nils retornasse, ele lançaria uma ou duas queixas sobre ele.

[Por sinal, ainda não recebi a tarifa do quarto da noite passada. Como você vai pagar?].

Willem revisou um pouco o pensamento anterior. Se Nils retornasse para casa, em cima de uma queixa ou duas, ele colocaria um soco também.

[... Tem alguma ideia de um lugar por aqui que contrataria um ‘sem marca’ que não sabe quem ele é?].

[Vamos ver... Há um lugar que me vem à mente].

Existe? Willem na verdade não esperava uma resposta.

[Por sinal, o trabalho oferece três refeições por dia, e a pequena senhorita também pode vir].

[O que...?].

[Eu sou Astaltus, o dono desta pousada. Somos um lugar pequeno, mas há muito trabalho a ser feito, então se prepare].

O homem estendeu a mão direita, pedindo um aperto de mão.

Aquele bastardo. Ele nos deixou enquanto deixou tudo isso planejado, não foi. Willem lamentou que não tivesse escolha senão aceitar a amável oferta do homem.

[… Bem. Eu farei o meu melhor].

Lutando no desejo de derrubar profundamente os ombros, Willem agarrou a mão do homem em troca.

Por ScryzZ | 03/08/18 às 14:54 | Aventura, Fantasia, Sobrenatural, Romance, Drama, Protagonismo Feminino, Guerra, Tragédia, Mistério, Sci-fi, Japonesa