CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 4.2 - 『A Leprechaum do Céu Azul』-orgulho de garota-

Shuumatsu Nani Shitemasu ka? Isogashii desu ka? Sukutte Moratte Ii desu ka? (SukaSuka)

Capítulo 4.2 - 『A Leprechaum do Céu Azul』-orgulho de garota-

Tradução: Itsuki Lonely Driver | Revisão: Dudu-Sama

Parte 2: 500 anos

Para se adequar ao seu número, a 68ª ilha estava localizada perto da borda externa de Règles Ailés.

Ao contrário do que se poderia pensar, sua distância não era a razão pela qual faltavam grandes cidades que pudessem ser nomeadas. Em vez de edifícios, a superfície da ilha estava quase completamente coberta por vastas florestas. Havia trechos limpos aqui e ali, assim como vários pântanos escondidos entre as árvores. As pessoas feras que chamavam esta ilha de lar construíram pequenas cidades e cidades, agarrando-se às bordas da floresta maciça.

Uma dessas cidades ficava a uma curta distância a pé do armazém das fadas situado na ponta da ilha flutuante. Normalmente proibidas de circular livremente pelos militares, as Leprechauns podiam viajar para qualquer lugar que quisessem dentro da área da 68ª ilha.

E se ocasionalmente a Nygglatho lhes dava algum dinheiro para comprar lanches dos restaurantes da cidade... bem, isso também poderia ser ignorado

「De que diabos ele é feito?」

Ithea curvou-se, deixando sua testa bater na mesa enquanto ela gemia.

「Não me pergunte...」 Chtholly murmurou com a cabeça baixa, exausta além da conta.

Nephren simplesmente sentou-se flacidamente, quase como uma boneca sem vida. Com o pescoço apoiado na cadeira, ela olhou sem rumo para o teto. 「...Ai...」

As três fadas reunidas à mesa ficaram assim, a conversa parou por um momento.

Ithea levantou lentamente a cabeça. 「Ele nem parecia sério enquanto ele estava se esquivando de nós três.」

「É...」

Essa foi a verdade. Os ataques das três Leprechauns que defendiam Règles Ailés - Chtholly Nota Seniorious, Ithea Myse Valgulious e Nephren Ruq Insania - foram desviados sem esforço por aquele homem. Elas haviam tentado atacar uma de cada vez, todas ao mesmo tempo, ou se coordenando para lançar ataques alternados.

Nada disso funcionou em Willem.

「Ele não encontrou apenas nossos pontos fracos, ele nos atacou implacavelmente. Além disso, ele afinou todos os ataques que fez para perfurar o caminho certo para se esquivar de nós, não foi?」

「É...」

Isso também era verdade. Se a menor fraqueza aparecesse em seus movimentos, a arma de Willem atacaria imediatamente e as golpearia como uma cobra. Era bastante fácil evitar os ataques quando eles vinham um a um, mas se elas perdessem um pouco de equilíbrio ou o foco em se esquivar, elas seriam atacadas pelo próximo ataque. Durante toda a sessão de treinamento, Willem manteve, infalivelmente, esse estilo frustrante e o ritmo dos ataques. Como tal, elas foram forçadas a responder a cada ataque de uma maneira que não afetaria sua capacidade de evitar futuros ataques, até que os movimentos fossem queimados na memória muscular de cada fada.

‘Essas habilidades serão úteis contra inimigos que se movem rapidamente’, Willem havia dito a elas.

「Esse cara disse no outro dia que ele está quase morto, não é? Que ele está ridiculamente ferido e usando até mesmo um pouco de Venenum poderia mandá-lo direto para a cova?」

「Sim...」

Isso, claro, também era verdade. Para falar a verdade, essa mesma situação tinha de fato acontecido ontem de manhã e Willem acabou oscilando entre a vida e a morte.

Naturalmente, ele conseguiu se recuperar completamente depois de pouco mais de 24 horas... embora “recuperar” talvez seja o termo errado. O corpo de Willem permaneceu o mesmo de sempre: ossos repletos de fraturas, músculos degenerados destruídos pela atrofia e órgãos internos que mal funcionavam. Para todos os efeitos, ele deveria estar morto há muito tempo agora.

「Sério, de que diabos ele é feito?」

「É...」

Depois de sua quarta resposta carregada de fadiga, Chtholly levantou ligeiramente a cabeça. 「Eu ouvi que os ferimentos dele não têm nada a ver com o uso de Venenum, e o que aconteceu foi tão sério que ele não deveria poder se mover. É só porque o corpo dele se lembra de todo o treinamento de artes marciais que ele teve que foi capaz de evitar que seus músculos ou ossos fiquem ainda mais tensos. Ele disse que por saber como se movimentar da maneira mais eficiente possível que ele é capaz de ficar de pé ou andar.」

「Mesmo que ele esteja tão acabado, ele ainda é capaz de nos treinar como ontem?」

「Infelizmente, sim.」 Chtholly ficou deprimida por admitir isso.

「As coisas mais importantes ao lutar contra outras pessoas são habilidade e experiência. Vocês, garotas, são especializadas em matar Bestas, então não é grande coisa para vocês terem isso como uma fraqueza」, Willem disse uma vez. Por mais verdade que isso seja, a realidade de sua situação fez com que as três se sentissem como se sua capacidade de se chamar de armas tivesse subitamente se tornado muito tênue.

Ithea resmungou. 「Eu tenho que dizer, deve ser impossível matar o Sr. Técnico.」

「...Não, isso está errado.」 Nephren de repente voltou à vida, virando o rosto para Ithea. 「Ele provavelmente já está quebrado, há muito tempo.」

As outras duas fadas piscaram, surpreendidas por sua declaração ultrajante. 「Ele entende o que aconteceu com ele, pelo menos」, continuou Nephren, 「para que ele não desmorone mais rapidamente. Mas até ele deve ter algum limite. Por agora, é provavelmente por causa de nós que ele-」

「Oho, vocês três? E já cansadas também? Essa é uma visão rara!」

O Lycanthropos vestindo um avental, provavelmente não tinha a intenção de interromper a conversa quando ele colocou a cabeça para fora de trás do balcão naquele exato momento, mas mesmo assim foi exatamente o que ele fez.

「Oh, um instrutor excessivamente empolgado e de sangue quente veio ao armazém, só isso」, respondeu Ithea, sorrindo sobre a madeira de mesa.

「Huh? Eu realmente não entendo, mas parece que vocês tiveram uma vida difícil」, o Lycanthropos disse, caminhando por trás do balcão. Copos cheios de suco fizeram um baque quando pousaram um após o outro, na mesa das Leprechauns.

「Eh?」 Chtholly olhou para os três copos. 「Mas ainda não pedimos nada.」

「Parece que vocês estavam trabalhando duro, então eu peguei essas bbebidas secretamente para vocês」, ele respondeu alegremente. 「Não contem ao meu chefe, ok?」

「Oh?!」 Ithea sacudiu a cabeça quando os ombros de Chtholly saltaram e o rosto branco de Nephren brilhou brilhantemente. 「Obrigada pela cortesia! Obrigada, grandão! Você é um homem de verdade!」

A porta da loja se abriu quando o Lycanthropos soltou um riso abafado, suas presas ficaram à mostra com o largo sorriso. 「Então, eu vou deixar vocês três desfrutarem.」 Ele se virou para receber os novos clientes.

A propósito, essa loja em particular poderia pendurar um cartaz do lado de fora, sugerindo que fosse um “restaurante”, mas como muitas outras lojas não estavam em atividade por perto, ela oferecia mais do que apenas comida. Durante o dia, alguns clientes a tratavam como um café; quando a noite chegava, álcool era servido. Agora mesmo, pouco depois do meio-dia, várias mesas já foram preenchidas pelos clientes. Alguns vieram comer, outros para beber chá e conversar. Não estava lotado, mas também não estava vazio. Em outras palavras, neste momento específico do dia, os negócios estavam (sutilmente) crescendo.

「Oh?」 Ithea, que tinha se mexido em seu assento para olhar para a porta, fez uma exclamação de surpresa. Chtholly, com o interesse despertado, esticou o pescoço cansado para seguir o olhar da amiga.

「...Eh?」

Willem estava lá.

「Eeeeeei, Tecn-」

「E-espera!」 Chtholly rapidamente parou Ithea quando ela começou a gritar e acenar para Willem. 「Ele não pode nos ver! Estamos todas cansadas e ainda estamos aqui comendo coisas - e se ele ficar com a impressão errada?!」

「O que você está falando?」 Ithea levantou uma sobrancelha. 「É por causa dele que estamos desse jeito para começo de conversa, não é?」

「O que você está dizendo pode estar certo! Na verdade, está! Mas, mas...!」 Chtholly protestou, encolhendo-se na cadeira e tentando ficar discreta.

「Nossa, que chato. É importante para ele ver o seu verdadeiro eu, entende? Não fique tão preocupada. Ele é como o pai bobo que todos os pais tolos querem ser algum dia, então você não vai desapontá-lo tão facilmente.」

「V-você pode estar certa, mas você não tina que dizer pai bobo duas vezes... e por que ele deveria agir como um pai? Eu não sou uma criança!」

「Ahhh, tudo bem, ok, tudo bem, entendi agora.」 Ithea sorriu, um olho fechou. 「Você é muito madura, uma fada soldado modelo, certo? Você não come alimentos doces, nem coloca açúcar em seu café, nem lê livros infantis, não é?」

「Eu-」 Chtholly não conseguiu encontrar as palavras. 「...É isso mesmo, eu sou! Você tem algum problema com isso?」

「Não. Mesmo se você quiser começar a agir como se isso fosse verdade, eu não vou te atrapalhar, certo?」

「Não é o que você pensa que é-」

Assim quando Chtholly estava prestes a fazer mais objeções, sua boca estava coberta pela pequena mão de Nephren. 「Ren?」

「Quieta.」 A outra fada levou um dedo aos lábios, apontando para Chtholly olhar na direção da porta da loja. Ela se virou bem a tempo de ver Willem caminhar até uma mesa vazia, acompanhado por um Ayrantropos.

「Quem é aquele?」

O Ayrantropos estava vestido elegantemente uma camisa branca com um colete carmin. Apesar de seu pêlo, ele não era mais jovem, mas em vez disso tinha mais de 30 anos de idade - falando em termos de idade relativa de raças, ele tinha passado do auge e entrara na velhice.

「Ele...」 Chtholly procurou em sua memória. 「Ele não se parece com alguém que eu já vi antes.」 Isso em si não era tão incomum. A cidade poderia não ser grande, mas independentemente disso, não era tão pequena que estivessem nela fossem familiares. Mas...

「Ele não parece com alguém destas redondezas」, Ren murmurou.

Chtholly não pôde deixar de concordar. A 68ª ilha poderia ser considerada rural, e nenhuma das pessoas que viviam lá normalmente estaria vestida de maneira tão refinada... Ou pelo menos, Chtholly não tinha conhecimento de quem era. Alguns faziam ocasionalmente, mas quase todos eram visitantes de outras ilhas, tipicamente mercadores de alguma corporação ou outra ali para comercializar mercadorias ou renovar contratos.

‘Um comerciante... de outra ilha?’ A insegurança sacudiu Chtholly. ‘Se alguém assim estivesse procurando por Willem, o que eles queriam dele?’

「Sobre o que eles estão falando?」

「Er...」 Ithea deu de ombros impotente. 「Não sei?」

Chtholly esforçou-se para ouvir a conversa, mas a loja era suficientemente barulhenta e a distância era tão longe que ela mal conseguia escutar algo. Se havia alguma coisa que ela aprendeu, que foi que pelas mesmas razões que Willem não pareceu ter notado elas também.

「É inútil」, ela suspirou. 「Não consigo ouvir nada.」

「E você, Ren?」

「Dê-me um minuto.」 Nephren fechou os olhos, aproximando seu corpo o mais próximo da direção em que Willem estava, como sua cadeira permitiria. 「... Só um pouco」, disse ela, piscando.

「Tudo bem, vamos ter que nos contentar com o que temos.」 Ithea levou Nephren a continuar. 「Vá em frente, o que eles estão dizendo?」

「Hmm... Entendido.」 Seus olhos se fecharam novamente, Nephren se esforçou bastante para se concentrar na conversa distante. Chtholly imitou-a, forçando os ouvidos o máximo que pôde. Tentar localizar Willem e os Ayrantrobos no meio de todas as outras vozes era como procurar por moedas espalhadas no fundo de um pântano escuro.

Uma explosão de riso explodiu em uma mesa próxima que abrigava um bando de pessoas fera bêbados. A enxurrada de som atacou Chtholly, deixando-a atordoada com os ouvidos zumbindo. Seu coração fervia de raiva, e ela sentiu o impulso quase irresistível de gritar no alto de seus pulmões para todos na sala “calarem a boca”. Ela relutantemente suprimiu o impulso quando Nephren começou a falar.

「...Ouvi... a 48ª ilha... tecnologia rara... aprecio...?」

Ela manteve a voz baixa, apenas dizendo as poucas frases que ouvia. A crescente sensação de ansiedade de Chtholly continuou a crescer.

「Antiga... facilmente... sua...」

「Eugh, eu não consigo tirar um sentido disso」, Ithea suspirou, coçando a cabeça.

No final, elas não conseguiram ouvir toda a conversa. No entanto, juntando o que Nephren tinha ouvido e preenchendo os espaços em branco, elas podiam imaginar o que tinha sido.

「Como eu pensei... ele estava fazendo uma proposta profissional, huh?」 Ithea murmurou.

「Não é de admirar.」 Chtholly chegara à mesma conclusão. Era lógico: Willem Kmetsch, o último sobrevivente vivo dos Emnetwyte que havia sido extinto junto com a superfície 500 anos atrás. Ele era o praticante de inúmeras artes antigas perdidas, familiarizado com a cultura daquela época - e, para os Trolls, a melhor iguaria na dieta de seus ancestrais. Para alguém que conhecia seus bens, Willem seria o bem mais valioso da existência.

「Bem, eu não sei de onde o Sr. Ayrantrobos obteve suas informações, mas não é como se ele devesse estar cuidando das crianças nesse lugar, de qualquer maneira」, comentou Ithea.

「Ele mencionou tecnologia rara, certo?」, perguntou Chtholly. 「Isso significa que ele é de um centro de pesquisa em outra ilha?」

「Grandes chances que ele é sim.」

「M-mas...」

Ela não podia aceitar. Se Willem fosse levado para outro lugar, isso naturalmente significaria que ele não estaria mais com elas. Se esse fosse o caso, ela não aceitaria nem acreditaria.

「Ele definitivamente rejeitará a oferta!」 Exclamou Chtholly. 「Afinal, ele é o 2º Oficial Técnico de Armas Encantadas do exército e o zelador do armazém!」

「Eh, isso pode não ser verdade. Sr. Técnico é um cara sentimental, mas se você pensar sobre o preço que suas habilidades poderiam conseguir, não seria estranho se ele mudasse de ideia, seria? Talvez o outro cara tire uma pilha de dinheiro tão alto quanto uma montanha e a derrube na frente dele e “boom”-」 Ithea fez um gesto explodindo com as mãos, 「- e não se fala mais nisso.」

「Isso não vai acontecer! Ele não vai me - nos - deixar para trás!」

「Quem sabe? Mesmo que você não consiga comprar o coração de um cara com dinheiro, você ainda pode mudar de idéia com isso, sabe?」

「Isso não vai... acontecer.」

Ela queria dizer que era impossível, queria acreditar nisso. Afinal, eles apenas fizeram uma promessa um ao outro. Se ele fosse embora assim como eles se conectariam... Ela não queria pensar que o tempo que passaram juntos na outra noite, os pensamentos que eles conversavam sobre o outro, eram todas as coisas que ele podia abandonar por dinheiro.

‘Está certo’. É por isso que ela não negou a teoria de que o Ayrantrobos estava aqui para contratar Willem. Verdade seja dita, ele “era” incrível. Não importava quão alto o preço que eles lhe oferecessem, valeria a pena.

‘Mesmo assim, ele não aceitaria isso. Ele definitivamente vai rejeitar isso!’

「Afinal, eu já fiz uma promessa com ele - Mmf-」

「Shh」, Nephren respirava suavemente, suas pequenas mãos cobriam a boca de Chtholly.

Houve movimento na mesa perto da porta, Willem e o Ayrantrobos estavam de pé e sorrindo, apertando as mãos um do outro.

「Isso significa que... o negócio deu certo?」, perguntou Chtholly.

“Como ele pôde fazer isso?”

「Não...」 Ela parou de respirar. 「De jeito nenhum...」

Ela não conseguia respirar. Ela não conseguia falar. Bem na frente delas, os dois homens saíram da loja. A silhueta alta de Willem diminuiu e desapareceu do outro lado da porta, a distância entre ele e as meninas ficando cada vez maior.

「Hum...」 Ithea tossiu. 「Você poderia chamar isso de acidente, mas... você também pode dizer que é o que esperávamos, hein?」

Ela soou como se estivesse tentando tirar sarro da situação, ou talvez sua voz incrédula significasse que ela estava simplesmente perplexa. Nephren apenas franziu a testa ligeiramente, sem dizer nada. E Chtholly...

「Isso... Não é verdade... É...?」

Chtholly caiu em um transe sozinha.

Naquela noite, Tiat, uma das jovens Leprechauns do armazém, viu algo incrível na cozinha.

A pessoa que ela reverenciava e a soldado adulto ideal em seus olhos, Chtholly Nota Seniorious, estava fazendo algo estranho com seu chá preto.

「...Chtholly?」

Chtholly era uma adulta, e ser uma adulta significava ser capaz de engolir bebidas amargas com indiferença. Pelo menos, era nisso que Tiat acreditava e, na verdade, nunca antes havia visto Chtholly acrescentar açúcar ou leite quando estava tomando café ou chá preto.

Mas agora, ela tinha acabado de colocar algo em seu chá preto.

‘O que está acontecendo?’ Tiat se perguntou, pretendendo dar uma olhada mais de perto. Só então, ela percebeu que Chtholly não estava segurando um pote de açúcar. Em vez disso, o rótulo colado no frasco tinha uma palavra escrita com a caligrafia de uma criança alegre: “Mostarda”.

「C-Chtholly!」

Na frente de uma Tiat surpresa, Chtholly levantou a xícara para os lábios, mas de repente parou e lançou um rápido olhar ao redor. Quando ela notou Tiat no canto do olho, suas mãos tremiam. Pela expressão em seu rosto, podia-se ver uma realização indescritivelmente trágica.

Então ela bebeu a xícara inteira de chá em um único gole.

「U... Uau...」

Os olhos de Tiat brilharam quando sua exclamação saiu de seus lábios. Seus punhos, que ela sem saber apertavam com força, suavam. ‘Então, isso é uma outra maneira de beber chá preto!’

Ela era apenas uma criança, então ela não sabia que os adultos também bebiam assim. Mas desde que Chtholly fez isso, então deve ser assim - essa foi a conclusão que Tiat teve, baseada no que ela acabou de ver.

Chtholly não gritou, nem rolou no chão. Ela simplesmente, graciosamente - pelo menos, aos olhos de Tiat - se levantou, levando a xícara de chá e a chaleira para a pia.

「Isso é tão maduro...」

Tiat a viu com admiração e respeito.

Realmente, Chtholly não desconfiava de Willem.

Ela o entendia como pessoa. Ao menos, era o que ela achava.

Ele pode ter pensamentos estranhos ou planejar algo estranho, mas no final, ele era uma pessoa honesta. Ele não iria quebrar uma promessa facilmente, e era difícil imaginar que ele poderia trair ou abandoná-las.

Mesmo com suas preocupações, Chtholly sabia disso. ‘Eu só tenho que confiar nele e não me preocupar com nada. Eu entendo isso’.

Era tarde da noite. As pequenas fadas tinham ido dormir há muito tempo. Chtholly estava debruçada sobre uma mesa, emoções negativas correndo por ela. Auto-aversão, impotência, vergonha, arrependimento-

「Tem alguma coisa incomodando você?」

Ela levantou a cabeça.

「Chá preto. O tipo que não vai mantê-la acordada, mesmo que você beba um pouco antes de dormir. Você quer um pouco?」

Nygglatho estava de pé ao lado dela, com uma bandeja nas mãos. Chtholly olhou para o rosto dela atordoado quando a troll piscou para ela.

「...Sim...」

Sua garganta ainda estava formigando por causa da mostarda de antes. Certificando-se de que sua voz não soaria estranha, Chtholly assentiu levemente. Enquanto observava Nygglatho derramar um líquido âmbar claro na xícara de chá, ela pensou que parecia muito com algo que estava acontecendo em um mundo muito distante.

「Tem bolo também. Eu assei ele mais cedo durante o dia. Eu guardei alguns pedaços para você, é claro.」

「...Eu não quero isso.」

「Mesmo? Pode não ser apropriado elogiar a mim mesma, mas os bolos que eu asso são muito bons, sabia! Eu ainda não vou entregar os estômagos das pequeninas ao Willem.」Nygglatho pôs pratos na mesa enquanto falava, e colocava as fatias do bolo supracitado em cima deles. Uma doce fragrância flutuou, espalhando-se devagar e levemente fazendo cócegas no nariz de Chtholly.

‘Parece delicioso’. Seu estômago roncou, o que deve ter sido devido ao chá preto apimentado que ela bebeu mais cedo. 「Eu não sou uma criança」, ela protestou debilmente.

「Dizer coisas assim significa que você ainda é uma criança, sabia?」

「...De jeito nenhum. Então quando começo a me tornar adulta?」

「Mm, deixe-me pensar. Talvez seja quando você diz “eu quero ser criança de novo” pra valer?」

‘Que tipo de raciocínio é esse?’ Quando ela quer ser adulta, ainda é uma criança. Quando ela quer sua infância de volta, então ela seria um adulta. Isso não significa que não importa quanto tempo passasse, ela nunca poderia se tornar a pessoa que ela queria ser?

「O que há de errado? Vá em frente, coma enquanto você tem a chance e ninguém está por perto para ver. Você ainda é jovem, então deve agir de acordo com a sua idade de vez em quando, ou então será tarde demais, sabia?」

「...Eu acho.」 Chtholly baixou o rosto nos braços cruzados, sem saber como se sentir.

「Chtholly」, disse Nygglatho depois de um momento, sentada à mesa. 「Você se lembra da Tuca?」

「Huh?」 ‘O que é isso de repente?’ 「Claro... sim, eu ainda me lembro dela.」

Tuca Cog Rosaurem. Uma fada soldado que viveu no armazém. Como o nome dela mostrava, ela estava designada para a Dug Weapon Rosaurem.

Ela era três anos mais velha que Chtholly, seu cabelo era da mesma cor verde-escura que suas íris, e seus lábios eram largos. Suas risadas transbordavam de vigor. Ela era alta, e naquela época Chtholly sentia que ela sempre tinha que começar a olhar das pernas até chegar no rosto.

Há dois anos, enquanto lutava contra o Timere na 96ª ilha flutuante, Tuca abriu o portão das fadas. Ela deixou seu Venenum ficar berserk de propósito e morreu em batalha.

「E a Orko?」 Nygglatho perguntou.

「Sim.」

Orko Ross Ignareo. Uma fada soldado que era um ano mais velha que Tuca. Ela estava designada com a Dug Weapon Ignareo. Apenas cerca de um mês antes de Tuca, em outro campo de batalha, ela perdeu a vida em uma batalha com as Bestas.

「Claquia, Ahor e Catariela?」

「...Sim.」

Três nomes, mencionados um após o outro. Elas eram todas iguais. Fadas soldado que moraram no armazém e o deixaram um dia para nunca mais voltar.

「Elas eram todas boas crianças.」 Nygglatho colocou chá preto em sua xícara. 「Para dizer a verdade, eu nunca quis enviar nenhuma delas. É o meu trabalho, eu sei, e nada virá da minha vontade. O destino de Règles Ailés e a vida de algumas garotas não podem ser comparadas...」

Ela tomou um longo gole. 「...É o que tento dizer a mim mesma. Mas nunca foi muito convincente.」

「Nygglatho...」

「Eu não sei se é por causa de tanto tempo eu venho fazendo isso, mas eu comecei a aceitar ter que mandar crianças para longe, mesmo que eu não tenha me convencido de que está certo.」

Nygglatho encolheu os ombros, mostrou a língua e lançou um sorriso envergonhado. ‘Sorrindo para mim’, Chtholly percebeu. 「Eu entendo o jeito que você se sente, sabe. Porque vocês estão todas lutando contra as Bestas, eu queria agir como uma mulher adulta que entendia o que é certo e o que é errado, que poderia sorrir quando manda vocês embora. Meus sentimentos de querer gritar e proteger você têm que ser escondidos das crianças mais novas. Quando eu não aguento mais, eu vou encontrar um urso para comer e tentar superar isso.」

「...Um urso?」 Chtholly sentiu como se tivesse ouvido algo estranho naquele momento.

「Sim. Eu tentei muitas coisas, mas os ursos são os melhores. Eu posso esquecer as coisas que eu odeio enquanto estou caçando, temperar é bem desafiador e acima de tudo alimenta.」

「O que você quer dizer?」

「Nutrição para o corpo e a alma pode ser encontrada em comida deliciosa, sabia?」

「Ei, espera um minuto...」

Chtholly sentiu como se a conversa tivesse acabado de mudar de assunto.

「Na verdade, o que eu realmente queria comer eram vocês, mas isso meio que estaria perdendo o sentido, certo? E o que eu “realmente” quero comer são humanos, mas ainda não consegui a permissão “dele”...」

Chtholly estava começando a ter a nítida impressão de que o que elas estavam falando não estava relacionado a isso. 「S-sério, espere um minuto.」

「...Agora que falo sobre isso, estou com fome.」

「Vamos deixar isso de lado...」 Com um certo grau de força, Chtholly retornou ao tópico original. 「Do que você estava falando antes, Nygglatho? Quer dizer que você não quer mais que nós lutemos?」

「Hmm...」 Nygglatho habilmente adicionou leite a sua xícara de chá preto. Ela girou a colher de chá dando voltas e mais voltas, misturando branco e âmbar em uma espiral de cores. 「Isso estaria correto, mas não é toda a história. Para dizer a verdade, ainda não me decidi. Espero que Willem tenha lhe dado algo que eu possa acreditar? Você ainda pode precisar abrir o portão, ou talvez você possa vencer a batalha sem precisar abrir o portão. Eu ainda não sei o que pode acontecer no final...」

Ela pegou a colher de chá. 「Se eu esperasse tão facilmente por um final feliz, seria devastador se eu fosse decepcionada. Nesse caso, perder a esperança e caçar um urso significa que eu ficaria menos chateada com isso, você não acha?」

‘A maneira como você coloca, parece um bom ponto’. A parte sobre ursos à parte, Chtholly podia concordar com tudo o que Nygglatho dissera.

「Quer um pouco?」 A troll perguntou abruptamente.

「Hã?」

「Leite e açúcar.」

「...Não, eu não quero.」 Chtholly desviou o olhar.

Nygglatho suspirou desapontada, depois voltou ao assunto em questão. 「Esse tipo de coisa é o que tem estado em minha mente ultimamente. Eu não estou acostumada a receber tal esperança, então não posso deixar de sentir medo.」

「Mm-hmm.」

「E então eu percebi algo - o medo que você está sentindo, como alguém que está diretamente envolvida em tudo isso, deve ser muito mais forte que o meu. Certo?」

Chtholly ficou em silêncio. "Isso é porque não é fácil abrir seu coração", continuou Nygglatho. 「Mesmo que você tenha decidido acreditar nele, qualquer coisinha que possa acontecer sacudiria você. A coisa mais insignificante pode ficar na sua cabeça e você não conseguiria esquecer, não importa o que aconteça.」

Ela permaneceu em silêncio, incapaz de encontrar qualquer palavra para responder.

「Aconteceu alguma coisa?」

E havia o tópico principal que elas estavam abordando. 「...Não é nada」, respondeu Chtholly, ainda incapaz de olhar nos olhos de Nygglatho. 「Não há nada... nada que valha a pena pensar.」

「Oh, então algo que não vale a pena pensar aconteceu, não é?」

‘Na mosca’. 「... Não foi isso que eu disse.」

「Você se importa com isso, não é?」

「Eu não.」

「Você não precisa ficar brava com isso, sabe.」

「Eu não estou brava.」

「Alguém disse uma vez que querer acreditar em algo e não acreditar em algo do fundo do seu coração são dois lados da mesma moeda」, disse Nygglatho. 「Mas você deveria saber, isso não é algo para se envergonhar. Porque você está preocupada com alguma coisa, você quer entender mais sobre isso, e é por isso que seu coração continua batendo. Enfim, pelo menos é o que dizem.」

「Eu nunca ouvi falar disso.」

「Você quer saber mais sobre o Willem?」

「Eu não-」 Chtholly se forçou a parar. 「... Nygglatho, você sabe de alguma coisa que eu não sei?」

「Hmm, quem sabe?」 Ela quase podia ver o sorriso da troll. 「Se eu não sei o que aconteceu, eu não acho que eu possaa dizer qualquer coisa de uma forma ou de outra.」

‘Ah, caramba’.

Não funcionaria. Não importa o que Chtholly disse, ela não seria capaz de deixar de escuta Nygglatho. Uma criança fingindo ser madura, versus uma adulta de verdade. A vencedora nesta batalha foi decidida desde o início.

「Bem, por exemplo」, ela começou como um prefácio. 「Isso é apenas uma analogia, ok? Por exemplo, hipoteticamente, digamos que alguém de outra ilha flutuante ofereceu a Willem um emprego.」

「Ah, entendi.」

「Você acha que... Willem aceitaria? O emprego?」

「Hmm...」 Nygglatho pensou. 「Você quer dizer abandonar este armazém e ir para outro lugar?」

「Sim.」

「Eu acho que isso não aconteceria mesmo se Ballman’s começassem a cair do céu.」

Ela não estava errada. Chtholly, que fez a pergunta para começar, pensava da mesma maneira. Mas mesmo que isso fosse verdade... 「Se eles lhe oferecessem boas condições, poderia haver uma chance de ele aceitar, certo?」

「Ohh? Tal como?」

Chtholly pensou. 「Um bônus de contrato!」

「Como isso seria possível?」 Nygglatho riu. 「Você sabe disso tão bem quanto eu, não é? Ele não é alguém que seria seduzido pelo dinheiro.」

「Bem...」 Chtholly suspirou. Ela não podia negar isso.

「Não é como se ele “não” tivesse necessidades materialistas, mas parece que ele simplesmente não as vê como importantes. Ouvi dizer que ele fez Grick passar por maus bocados por causa disso.」

Ela não sabia quem era, mas Chtholly ainda tinha que concordar com ela. 「Bem, bem... então que tal garotas lindas?!」

「Ah? Isso não significa que é impossível para o nosso armazém perder?」

Chtholly não se sentia como se pudesse julgar isso. 「Amigos do passado, então! Ou uma amante do passado!」

「Eu não acho que ele possa estar mais sozinho neste mundo, sabe? E mesmo que ele tivesse alguém assim, digamos, na 28ª ilha, ele decidiria abandonar suas amadas filhas para vê-las?」

Chtholly também achava difícil imaginar, e ela começou a ficar sem ideias.

「Eu me pergunto, por que você não pergunta a ele?」, Perguntou Nygglatho. 「Como você acabou de fazer. Tenho certeza de que ele contaria tudo a você, sabe?」

「Eu...」

‘Talvez seja o que devo fazer’. Parecia o curso certo de ação. Mas, mesmo assim, ela não achava que seria capaz de falar com Willem tão diretamente.

O que ela temia não era seus sentimentos de insegurança, mas sim que esses sentimentos se tornassem realidade. Por causa disso, ela não foi capaz de resolver o problema diretamente, nem foi capaz de seguir em frente.

Depois de um tempo, Nygglatho falou novamente. 「Você quer leite com seu chá?」

「Sim.」

「E açúcar?」

「Sim.」

「Bolo também?」

「Sim.」

A nova xícara de chá de Chtholly era extremamente doce e um pouco quente.

「...Ei, eu posso perguntar algo a você?」

「O que foi?」

「Nygglatho, você já pensou em se tornar uma criança de novo?」

「Ha ha」, Nygglatho riu sem jeito. 「Isso não é algo que você apenas pergunta, sabe」, disse ela, esquivando-se de sua pergunta com uma resposta vaga.

‘Os adultos são tão espertos’, Chtholly resmungou interiormente. Seu pensamento foi acompanhado por uma percepção significativamente deprimente. ‘Se estou pensando assim, provavelmente significa que ainda sou criança, afinal’.

Ela deu um longo suspiro, enfiou o garfo em uma fatia de bolo e colocou-o na boca. Era um cheesecake com um sabor forte e doce. Uma sensação de alegria se espalhou por sua língua.

Por Itsuki Lonely Driver | 21/06/19 às 19:19 | Aventura, Fantasia, Sobrenatural, Romance, Drama, Protagonismo Feminino, Guerra, Tragédia, Mistério, Sci-fi, Japonesa