CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 7.2 - 『AQUELES QUE NÃO VIERAM PARA CASA E AQUELES QUE CONTINUAM A ESPERAR』- dado no pote -

Shuumatsu Nani Shitemasu ka? Isogashii desu ka? Sukutte Moratte Ii desu ka? (SukaSuka)

Capítulo 7.2 - 『AQUELES QUE NÃO VIERAM PARA CASA E AQUELES QUE CONTINUAM A ESPERAR』- dado no pote -

Tradução: Itsuki Lonely Driver

Parte 02 - Neste Lado da Tela Prata

Dois lagartos, ou melhor, duas pessoas lagartos, estavam de frente uma para a outra com um olhar romântico nos olhos. Um deles tinha um físico musculoso e usava um uniforme do exército com colarinho levantado. Com base em tudo isso, este era provavelmente o homem. E o outro, que usava um vestido elegante, provavelmente era a mulher.

Eles simplesmente se olhavam, sem trocar palavras.

Uma história com uma cidade de pedra preenchia o plano de fundo. O par estava em cima de um grande aqueduto arqueado que trazia a água para a cidade.

O sol havia se posto há muito tempo; apenas a luz instável de uma única lâmpada de gás os cortou da escuridão ao redor. Dentro de seu mundo, nenhum outro humano poderia ser encontrado - Isso é óbvio. Em vez disso, nenhum outro ser vivo poderia ser visto. Era como se o mundo tivesse se levantado e desaparecido em algum lugar, deixando apenas esses dois para trás.

O homem lagarto fez algo com a língua dentro da boca, criando um som estranho.

A mulher lagarto abriu os olhos e continuou olhando fixamente.

A partir dessas ações sem palavras, um tipo de entendimento mútuo deve ter passado entre eles. Eles gentilmente desenharam seus corpos juntos e confirmaram o calor um do outro - Então os animais de sangue frio também têm esse costume, hein.

E então, como se estivesse tentando proteger a reunião secreta dos amantes, a lâmpada de gás cintilou uma vez antes de apagar completamente. A escuridão da noite estendeu a mão, envolvendo suavemente o casal, e a história chegou a um fim quieto.

Num piscar de olhos, a luz das lâmpadas de cristal encheu o cinema quando a exibição do dia acabou.

[Hm]. Pannibal assentiu com um olhar de sabichona em seu rosto.

[Oooh...]. Collon estava com um olhar de admiração.

[Ahh...]. Os olhos de Tiat pareciam estar brilhando.

[...]. Lakhesh olhando fixamente com a boca bem aberta.

Um espetáculo raro, as 4 pequenas, que geralmente poderiam ser encontradas correndo sem parar no armazém de fadas, todas sentadas silenciosamente, fixadas na tela agora em branco com expressões profundamente comovidas. Ao lado, Willem sentou-se sozinho, pressionado a mão contra a testa, lutando contra uma leve dor de cabeça.

... Não entendi...

Bem, para começar, ele entendeu que o filme deveria ser algum tipo de história de amor. Qualquer coisa, além disso, ele não fazia ideia.

Em 1º lugar, qualquer tipo de romance deve fazer você ter empatia com um dos personagens, ou pelo menos ter alguns atores e atrizes bonitas para admirar. Mas se todos os personagens de um filme são Reptrace, fica um pouco difícil de se conseguir.

O muro das raças, ainda era muito grosso.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Os cristais de gravação, como o próprio nome indica, são um tipo especial de quartzo capaz de capturar e armazenar a paisagem circundante. A precisão e a capacidade de cada pedra mudam com base na precisão e tipo de corte e também no tamanho e qualidade da gema original. Ao iluminar a luz com uma direção uniforme e comprimento de onda sobre a pedra, as cenas gravadas podem ser projetadas para fora e, ajustando ligeiramente o ângulo da luz, é possível escolher as imagens a serem projetadas. Através deste processo, uma série de cenas podem ser reproduzidas em sequência, criando imagens em movimento que quase se parecem com a vida real. O equipamento necessário que não é muito caro, cristais de tamanho médio ou menor, geralmente pode ser encontrado em cinemas de cristal de imagens em qualquer cidade.

Bem, chega de conversa técnica. O ponto importante é que essa tecnologia existe em Règles Ailés, e que toda uma subcultura que gira em torno desses filmes gravados está se desenvolvendo rapidamente.

Mesmo sem ir até um cinema da cidade grande, você pode ver qualquer performance  em qualquer local antigo, decorado com esses cristais de gravação. Os cinemas podem não ter som, e a qualidade da imagem pode não ser a melhor, mas é um grande passo do nada. Esse tipo de lugares tem desempenhado um papel importante na divulgação da ficção em Règles Ailés, mas...

Com as quatro pequenas atrás, Willem saiu do cinema.

[Foi muito lindo!]. Gritou Tiat, o brilho de seus olhos começou a se espalhar no ar ao redor dela.

[Adulto!!]. Collon continuou gritando com algumas bobagens.

[Hmmph!]. Pannibal orgulhosamente ergueu os ombros e fez uma pose intimidante.

[Um dia, eu também...]. A encantada Lakhesh olhou para longe.

[... Uh...]. Willem encolheu os ombros com um suspiro.

Não passou muito tempo desde que essas 4 ‘nasceram’. Fisicamente e emocionalmente, eram crianças de mais de 10 anos de idade. Então, ao entrar em um cinema, elas precisam ser acompanhadas por um guardião, e assim Willem acabou nessa situação.

[Estou exausto…].

As aparências das meninas, sem chifres, presas, escamas ou orelhas de animais, se enquadravam na categoria ‘sem marca’, que se assemelham bastante ao Emnetwyte que uma vez floresceu na terra abaixo. A única diferença é a cor vívida frequentemente presente em seus cabelos e olhos.

Tendo dito tudo isso, como no mundo elas poderiam ficar tão emocionadas assistindo uma história de amor de lagartos? Poderia ser a diferença de gênero? Idade? Ou a época em que elas nasceram? Talvez todos os outros em Règles Ailés também gostassem da história, e ele era o único estranho?

Não há esperança para esta geração...

[Hum, algo errado?]. Ele ouviu uma voz preocupada de baixo. Pannibal estava olhando para o rosto dele, provavelmente pensando que ele parecia um pouco engraçado.

[Willem, anime-se!].

Ele pensou que sentiu algo saltar sobre suas costas, e, na próxima coisa ele percebeu, Collon tinha os braços e as pernas presos ao redor do ombro direito e das articulações do cotovelo. Ela realmente era bastante ágil com aqueles membros minúsculos dela.

[Sim! Coloque algum espírito nisso, espírito!].

[Hm, agora, se você apenas pegar sua artéria carótida também, será perfeito].

[N-N-Não!! Collon apresse-se e saia! Pannibal pare de encorajá-la!].

Ahh, Lakhesh é uma boa garota. Collon e Pannibal são crianças más. Bem, para as crianças, ser enérgico é o mais importante, então a esse respeito são todas boas crianças. Por sinal, isso realmente machuca... Como faço para sair? Tais pensamentos vagamente correram pela cabeça de Willem, que ainda não se recuperara completamente. Naquele momento, ele sentiu um par de olhos pequenos olhando para ele e virou-se para encarar a última das quatro garotas.

[Algo errado, Tiat?].

[Eh?].

[Pensando em algo?].

Sendo inesperadamente chamada, Tiat ficou com o rosto confuso por um momento. [Oh... É só... Você não está muito feliz ultimamente, então eu estava pensando talvez seja por causa das nossas sêniores... Ou algo assim...].

[Sêniores? Ah, Chtholly e as outras?].

[S-Sim...].

Entendo. Sêniores, hein? Ele sentiu que era uma maneira pouco natural de se referir a pessoas que eram basicamente da família, mas, no final, essas fadas eram soldadas no exército - Ou melhor, equipamentos do exército. Usar uma expressão respeitosa como essa para se referir as garotas mais velhas não era tão estranho.

[Sim, eu imagino]. Ele respondeu honestamente, sem deixar de esconder nada.

[Eh...]. Por algum motivo, Tiat parecia surpresa.

[Para dizer a verdade, não posso evitar minha mente. Eu até tive um sonho estranho esta manhã por causa delas ainda não voltarem].

[Um sonho?].

[Ahh...].

Tiat e até mesmo Lakhesh também por algum motivo, tiveram suas expressões iluminadas. Aqueles eram os mesmos rostos que ele tinha visto olhando maravilhadas a história de amor dos lagartos, não muito tempo atrás.

[… Espera um segundo. O que vocês estão imaginando agora?].

[Esperando o retorno de um ente querido, tentando esconder a dor. Certo?].

[Uau... Um romance adulto...].

Ele não tinha ideia do que aquelas duas diziam.

[Ohh, um adulto cheio de vida!].

[Uma confissão aberta no meio da rua? Um corajoso gerente, de fato].

Ele tinha ainda menos ideia do que as outras duas diziam. Além disso, seu braço direito travado estava realmente doendo.

[É natural se preocupar com a família... Não precisa ser um grande caso de amor. Vocês nem sequer estão preocupadas com elas?].

[Por que estaríamos?].

[Por quê? Quero dizer…].

[Elas vão voltar para casa em segurança sem que nos preocupemos com elas. E se algo acontecer para que elas não consigam voltar para casa, então, estarmos preocupadas não irá ajudar em nada], explicou Tiat, calmamente.

Ah - Está certo. Elas são fadas. Elas existem apenas para serem usadas na batalha. Por isso, seu apego à vida tende a ser pequeno e, aparentemente, essa atitude indiferente se aplica não só à sua própria vida, mas também aos outros da sua própria raça.

Chtholly deve ter sido uma exceção bastante rara. Ela disse que não queria morrer. E, apesar de nunca falar as palavras diretamente, sua atitude mostrou que ela não queria expor suas lindas júniores ao perigo.

Willem viu o medo dela como uma coisa boa. Comparado com Willem, que não conseguia ver nenhum valor em continuar a existir, Chtholly tinha um modo de vida muito mais humano. Ele não percebeu na época, mas essa pode ter sido uma das razões pelas quais ele a apoiou tanto.

[Esse não é o ponto da preocupação]. Ainda incapaz de mover o braço direito, Willem torceu seu corpo e conseguiu colocar a mão esquerda sobre a cabeça de Tiat. [Cedo ou tarde, vocês vão entender também].

[H-Hey! Não nos trate como criancinhas!].

[Chtholly se preocupa com vocês, vocês sabiam?].

[... Chtholly? Por quê?].

[Porque ela é uma adulta? Ou, pelo menos, mais adulta do que vocês].

Tiat inchou as bochechas e, com uma voz irritada, declarou ao céu azul: [Tudo bem! Eu vou me preocupar com elas então!].

[Ohh!]. Collon, obviamente, não entendendo o que estava acontecendo, deu um pouco de animação.

[Boa sorte], respondeu Pannibal casualmente, sem parecer se importar.

[Adulta... Chtholly é uma adulta mesmo aos olhos de Willem também, hein...]. Lakhesh murmurou algo com um olhar extremamente confuso em seu rosto. Ele fingiu não ouvir.

[De qualquer forma, Collon – Em breve, meus ligamentos vão quebrar ou algo assim então saia].

[Ainda não ouvi uma rendição!].

[Ahh, desisto, eu desisto].

[Oh!]. Com isso, Collon pulou.

Um vento frio soprava pela cidade, fazendo com que Willem tremesse.

O céu alto acima abrigava apenas algumas nuvens.

Devagar, mas com certeza, as estações começaram a mudar.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

A instalação situava-se no fundo das florestas da 68ª ilha flutuante. Apenas por sua aparência, você poderia imaginar que era algum tipo de dormitório, capaz de abrigar cerca de 50 pessoas. Um prédio de dois pisos, a estrutura de madeira emitia uma sensação um pouco antiquada. Ao lado, havia uma horta e um canteiro de flores, ambos bem cuidados, e um pouco mais distante, uma pequena clareira servia de para vários propósitos.

De acordo com documentos oficiais, a instalação servia como um armazém para o armazenamento das armas secretas do exército. Além de um número mínimo de pessoas necessárias para gerenciar o equipamento, supostamente ninguém morava lá.

Claro, esse último ponto não era verdadeiro. Mais de 30 fadas atualmente chamam essa instalação de casa. As jovens, meramente ‘objetos’ de acordo com os documentos, vivem seus dias com entusiasmo e energia não característicos de armas inanimadas.

No telhado deste ‘armazém’, numerosas roupas lavadas se agitavam com o vento.

[Ah, o tempo parece que está prestes a ficar ruim]. Abraçando uma pilha de lençóis em seus braços, uma mulher olhou para o céu. [Ei, pessoa deliciosa. Se não estiver ocupado, poderia me dar uma mão?].

[Eu vou ajudar, então não me chame dessa forma novamente].

[Ehh? Na minha cultura, é o melhor elogio, você sabia?].

[Bem, então toda a sua raça precisa reaprender o idioma comum do zero agora]. Apenas fazendo algumas provocações entre eles, Willem pegou uma cesta de vime próxima e começou a enchê-la com roupas parcialmente secas.

O vento que soprava trazia apenas uma pitada de umidade. A chuva realmente parecia iminente.

[Hmm, eu sinto que você ficou um pouco frio com os Trolls recentemente, Willem], disse a mulher, inchando suas bochechas como uma criança pequena.

Willem fez uma careta rápida em seu gesto, percebendo que parecia estranhamente atraente. Nygglatho está incluída no ‘número mínimo de pessoas necessárias para gerir o equipamento’. Ela parecia ter cerca de 20 anos de idade e ela era bastante alta para aquela idade, seus olhos ficavam basicamente na mesma altura que o de Willem. Ainda conservando alguns dos gostos de uma pequena menina, gostava de usar aventais bonitos ou vestidos com babados. E, claro, ela não era uma fada, mas sim uma Troll, uma sub-raça de Ogros que vivia ao lado de pessoas, trocava sorrisos com pessoas e comia pessoas.

[Não seja estúpida. Fui frio com você desde a primeira vez que nos encontramos].

[Tão malvado... Eu acho que um cara que pode dizer esse tipo de coisa seriamente para meninas, vai ter algum problema...].

No céu acima, nuvens cinzentas fracas começaram a se espalhar. Parecia que eles precisavam se apressar mais. Em cima da montanha de lençóis e roupas que já estavam a ponto de transbordar para fora da cesta, ele começou a empilhar ainda mais.

[Você não precisa se preocupar. A única pessoa no mundo em que posso tomar essa atitude é só você agora].

[Hmph. Uma cantada bastante estranha, você não acha? Talvez meu coração tenha palpitado um pouco].

[Como eu disse, toda a sua raça precisa reaprender o idioma comum].

[Você foi tão legal com Chtholly e com as outras, mas é isso que eu-].

Com um golpe, uma gota de chuva caiu aos pés de Willem, criando uma mancha cinza no chão.

[Mova suas mãos, não sua boca. Vamos].

[Eu sei, eu sei!].

Os dois continuaram apressadamente seu trabalho de recolher as roupas.

Uma chuva violenta se iniciou, como se alguém lá em cima, de repente, decidisse virar um balde gigante de água. Em questão de segundos, nuvens tão profundamente cinzentas que pareciam pretas cobriram todo o céu. Apesar de ainda ser o início do dia, a vista fora da janela estava escura como a noite.

[Mal conseguimos, hein? Se demorássemos um pouco mais, teríamos que lavar tudo de novo]. Depois de terem recolhido todas as roupas os dois foram para o quarto de Nygglatho para tomar um pouco de chá e relaxar. [Bem? O que você precisa?]. Nygglatho perguntou de repente enquanto acendia uma chama na lareira.

[Hã?].

[Você veio até o telhado porque você queria falar comigo, não é?].

[Ah...]. Agora que Nygglatho mencionou, Willem lembrou. [Bem... Vejamos... Eu só estava pensando que deveria ser a hora para algum tipo de contato, pelo menos se elas estão seguras ou não].

[Ah. Chtholly e as outras?].

Claro. Silenciosamente, Willem assentiu.

[Eu acho que eu lhe disse antes, mas esta batalha vai ser especialmente longa].

[Bem, sim eu ouvi isso, mas já se passou meio mês, sabia? Você não ouviu nada, sobre se elas ainda estão seguras ou por quanto isto continuará?].

[Não].

[Rejeição instantânea! Por quê?].

[Por quê? É assim que é... Quer saber os detalhes?].

Sem responder, Willem sentou-se na cadeira que Nygglatho lhe ofereceu. Como se estivesse magicamente puxado para fora de algum lugar, um conjunto de chá colocou-se em cima da pequena mesa.

[Você conhece o inimigo, o Timere, certo?].

[Aprendi um pouco nos documentos. É difícil, seu tamanho e força são diretamente proporcionais, mas a maioria das outras propriedades são desconhecidas].

[Está correto. A principal causa dessa resistência é a sua capacidade de crescer rapidamente e de se dividir. Mesmo se você continuar matando e matando, as partes sobreviventes usarão os mortos como escudos enquanto criam mais de si mesmos. Não só isso, mas eles ficam cada vez mais fortes. Contra a média dos menores, se você matar pacientemente cada parte em torno de 10 vezes, eles alcançarão seu limite e deixarão de dividir. Este, no entanto, pode ter ainda mais de 200 camadas, então demorará um pouco].

[Claro, as meninas não estão lutando 24/7. Elas sabiam que seria uma longa batalha, então os preparativos estão no lugar. Um formidável esquadrão de artilharia de Reptrace as acompanhou para ganhar um pouco de tempo de descanso para as meninas. Eu queria dizer para apenas lutarem com aqueles lagartos musculosos, mas apenas as fadas que empunham os antigos Carillons podem causar danos significativos ao Timere. E, claro, essa é a razão da existência das meninas, então não pode ser de outra forma].

[Uma vez que eles decidiram fazer Chtholly não abrir o portão para a terra natal das fadas, esta batalha é simplesmente uma questão de continuar a matar até a última casca cair. No entanto, não há como saber exatamente quantas camadas o monstro tem, ou quantas destruíram até agora, então, naturalmente, eles não conseguem prever quanto tempo durará a batalha].

[Bem, mesmo assim, acabará eventualmente. Elas têm a vantagem na força militar essencial, então há uma boa chance de ganhar]. Nygglatho terminou sua explicação.

[Mas ainda assim, você não acha que eles poderiam pelo menos nos dizer se as meninas ainda estão bem ou não].

[Eles têm uma espécie de barreira restritiva espalhada em todo o campo de batalha, então os cristais de comunicação não passarão. Além disso, as correntes de ar ao redor da ilha estão agindo estranhamente, então eles não vão pedir a alguém com asas para tentar voar para fora. Olhando de longe, tudo o que você pode dizer é que a batalha ainda está acontecendo], Nygglatho continuou enquanto girava o cabelo vermelho com os dedos. [Bem, também há outros fatores, mas essa é a essência básica do porque não termos nenhuma notícia sobre as meninas. Perguntei a mesma coisa quando eu cheguei pela primeira vez, e a resposta que recebi foi basicamente exatamente a que acabei de te dizer. Mais alguma coisa que você queira saber?].

[Não...]. Decepcionado, Willem deixou cair os ombros. [Você parece bem calma agora mesmo. Já se acostumou?].

Nygglatho soltou um grande suspiro. [Não. Mesmo agora estou doente de preocupações. Eu não tive nenhum apetite recentemente]. Willem se alegrou silenciosamente ao ouvir esta última parte. [De qualquer forma, as pequenas continuam a seguir suas rotinas diárias. Como a mais velha, não posso ficar espalhando o pânico, certo?].

[Bem, acho que você está certa]. O vapor começou a sair da chaleira que estava na lareira. Assistindo Nygglatho correndo para preparar o chá no canto do olho, Willem continuou. [Eu não tinha ideia de que isso era tão doloroso... Não sendo capaz de fazer nada além de esperar], ele resmungou com uma voz mal-humorada.

Ao ouvir sua queixa, Nygglatho colocou um sorriso em cima de sua expressão ansiosa e respondeu: [Sabe, eu ouvi de Grick que você disse algo muito interessante antes. Que você acredita nelas, que está pronto para aceitar qualquer resultado que elas trouxerem, ou algo assim].

[Não apenas antes. Ainda estou determinado a fazer exatamente isso. É só... Eu não esperava que durasse tanto tempo. Não é realmente ansiedade ou que não consigo me acalmar ou nada assim, só estou começando a me perguntar sobre isso].

[Apenas se perguntando sobre isso?].

[Apenas me perguntando sobre isso. Alguma coisa ruim sobre isso?].

[Não é bom ou ruim, mas o personagem calmo e legal que você está tentando representar está começando a desabar]. Ela pensou por um momento. [Ah, entendo. Você é do tipo que não consegue manter sua pose de durão fora da sua zona de conforto, não é?].

[...].

[Então, quando você está em uma situação desconhecida você não sabe o que fazer e simplesmente vagueia confuso. Típico de um cara com pouca autoconfiança].

[...].

Ela poderia ter formulado isso de uma maneira melhor, mas, infelizmente, Willem não podia se opor. Nygglatho cruzou os braços sobre a mesa e descansou o queixo em cima, olhando para ele brincando.

[Correndo por aí afobado e perdido, às vezes cedendo e sendo sobrecarregado... Apenas observá-lo recentemente tem sido interessante].

Novamente, suas palavras pareciam arrancar seu coração. [Você realmente é um Ogro...].

[Claro. Você me provocou alguns minutos atrás, então estou apenas retaliando]. Ela colocou a para fora sua língua de Troll o provocando. [Mesmo que você me trate como um demônio, ainda vou te dar um conselho. Nestas horas, se você não tem nada para fazer, isso só irá piorar. Tente mudar o seu ambiente ou encontrar uma maneira de se forçar a estar ocupado].

[Ah, entendo o que você quer dizer. Agora você vai me pedir para fazer algum tipo de trabalho, não é?].

[Correto], disse o demônio com um sorriso.

Willem pensou nisso. Sua conversa foi de cerca de 60% de brincadeiras e provocações, mas o que aquele demônio disse fazia algum sentido. Continuar a preocupar-se com Chtholly e as outras, por si só, não era nada ruim. Mas, ele queria continuar a viver o seu cotidiano, tanto quanto possível enquanto aguardava o seu regresso, assim como a família já havia esperado seu retorno no orfanato.

Nesse caso, houve algum mérito em acompanhar a sugestão de Nygglatho. Para poder esperar constantemente aquelas meninas e acolhê-las em casa com seu eu habitual, ele precisava dar esse passo.

[Bem. O que você vai querer que eu faça?].

Ao ouvir sua resposta, o rosto de Nygglatho se iluminou. [Está um pouco longe, mas há um lugar que eu quero que você vá].

Por ScryzZ | 03/08/18 às 08:43 | Aventura, Fantasia, Sobrenatural, Romance, Drama, Protagonismo Feminino, Guerra, Tragédia, Mistério, Sci-fi, Japonesa