CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 9.3 - 『RESSSURGIR O PASSADO, DESAPARECER O FUTURO』- sem notícias são boas notícias -

Shuumatsu Nani Shitemasu ka? Isogashii desu ka? Sukutte Moratte Ii desu ka? (SukaSuka)

Capítulo 9.3 - 『RESSSURGIR O PASSADO, DESAPARECER O FUTURO』- sem notícias são boas notícias -

Tradução: Itsuki Lonely Driver

Parte 3 - Um Curto Período de Tempo Depois

Recentemente, rumores se espalharam de que a chuva estava vazando no corredor do segundo andar. Uma visita rápida confirmou que algum trabalho de carpintaria era realmente necessário. Alguém poderia ser chamado da cidade em um dia posterior, mas, por enquanto, poderia ser feitos alguns remendos improvisados. O que significava que ele precisava de tábuas de madeira e o-

[- Ei, você sabe onde o martelo de madeira está?]. Willem virou-se.

Sala de armazenamento no primeiro andar. Você usou antes... Já esqueceu? Chtholly respondeu. Uau, você realmente é ruim em lembrar coisas... Ela tentou parecer um pouco irritada, mas, na verdade, ela estava se divertindo com Willem.

No entanto, antes que ela pudesse terminar sua queixa, ela notou algo errado: Willem não estava olhando para ela. O que você está olhando? Ela se virou, mas ninguém mais estava lá, apenas o corredor vazio.

[Chtholly, onde você foi?]. Willem perguntou e começou examinando a área ao seu redor.

Do que você está falando? Estou bem aqui, ela disse com uma voz mais intensa do que antes.

[Isso é estranho. Eu pensei que você estava bem aqui]. Willem, ainda não encarando Chtholly, parecia ignorar seu chamado.

Ei, corta essa.

Ela estendeu sua mão, ou ela tentou. Ela não podia. A mão que ela pretendia usar não existia em primeiro lugar. Olhando para o corpo dela, Chtholly percebeu que não estava lá.

[Chtholly? Onde você está se escondendo?]. Willem começou a andar.

Ele vagou por todo o armazém de fadas, procurando a garota invisível. Ele não a encontrou. Ele saiu do armazém e procurou por toda a ilha. Ele não a encontrou. Ele pegou qualquer um que via e perguntou sobre Chtholly Nota Seniorious. Ele não recebeu respostas.

Aonde você vai?

O que você está procurando?

Eu estou bem aqui.

Do seu lado.

Ei.

Ei!

Me note.

Não importava quanto Chtholly tentasse falar, ela não conseguia falar. E claro, palavras que não conseguem se tornar som, não alcançam ninguém.

Eventualmente, Willem ficou cansado de andar e parou, perdido e confuso. Alguém colocou uma mão em seu ombro.

[É hora de você aceitar isso], disse Nygglatho suavemente com um sorriso solitário no rosto. [Elas já estão mortas].

- Chtholly sacudiu, jogando suas cobertas por todos os lados.

Seu coração não mostrava sinais de abrandar suas rápidas palpitações. Segurando sua mão sobre seu violento peito pulsante, ela respirou profundamente. Quando ela finalmente se acalmou um pouco, seu corpo estremeceu. A mordida fria da manhã de inverno a atacou impiedosamente através de seu pijama, drenando seu calor. Ela saiu da cama, pegou seus cobertores, enrolou-os como uma bola e os abraçou com força.

[Um sonho...]. Chtholly murmurou. [Um sonho, certo?].

Ela olhou para a janela. O mundo exterior ainda estava envolvido na escuridão da noite, esperando o amanhecer atrasado do inverno.

Seu corpo parecia lento. Ela queria se aconchegar em seus cobertores mais uma vez e voltar a dormir. Mas ela não podia. Seus olhos se recusavam a fechar, sabendo que eles poderiam ver a continuação desse sonho.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

2 dias se passaram desde o final da batalha na 15ª ilha e a chegada das fadas de volta ao armazém.

Willem ainda não retornou para casa.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

A chuva torrencial que começou a derramar com o nascer do sol, rapidamente parou um pouco antes do meio dia. Sob o céu azul milagrosamente claro, pequenas garotas  fadas explodiram de entusiasmo no chão. A limpa bola branca que elas trouxeram rapidamente ficou coberta de lama. Em breve, as garotas que perseguiam com entusiasmo ficaram enlameadas também.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Em um canto da sala de leitura, Nephren estava curtindo uma soneca. Usando os braços dobrados sobre a mesa como travesseiro, ela resmungou pacificamente com uma expressão gentil no rosto.

[Bem, isso é incomum para Ren, ignorar um livro assim], disse Ithea enquanto pegava o livro deitado na escrivaninha de Nephren. [Para ela, o problema principal provavelmente não é o uso excessivo de Venenum, mas apenas a fadiga normal Ela não tinha muita experiência desde que cresceu completamente, então sua resistência ainda tinha um caminho a seguir. Mas ainda assim ela fez isso através dessa longa batalha]. Ithea acariciou suavemente a cabeça de Nephren.

[... E você parece muito melhor, Ithea?].

[Eu? Eu me sinto como nova! Tenho confiança na minha longevidade], respondeu Ithea com orgulho.

Chtholly não estava totalmente convencida. Sua amiga de cabelos dourados sempre dizia coisas importantes de uma maneira que impossibilitava saber se estava falando sério ou brincando. Como resultado, Chtholly nunca soube o que acreditar.

[E como você está, Chtholly?]. Ithea mandou uma pergunta de volta.

[Eu? Eu estou... Uh...]. Muito bem, ela começou a dizer. Ela queria dizer isso. Mas no final, Chtholly não podia. Em contraste com seus tons casuais, Ithea estava olhando para Chtholly com um olhar sério morto. [Eu acho que não estou na melhor forma. Provavelmente não quero lutar por um tempo]. Ela ergueu um sorriso fraco e encolheu os ombros.

[Bem, se começar a parecer realmente ruim, talvez você deva pedir para voltar para a 11ª ilha. Você provavelmente receberá permissão porque você é uma soldada tão importante agora e tudo mais, e tenho certeza de que o médico pode, pelo menos, dar-lhe alguns conselhos].

[Eu lhe disse, estou bem. É um pouco mais desconfortável do que o habitual]. Chtholly sacudiu a cabeça. [Você está me dando conselhos, é tudo que eu preciso. Eu confio em você].

[Bem, estou contente, mas...]. Ithea girou o cabelo bagunçado ao redor.

[Além disso, seria péssimo se eu sair e logo em seguida ele voltasse, certo? Quero vê-lo o mais rápido possível, então eu preciso esperar em casa como ele disse].

[Ah... Você é uma donzela totalmente apaixonada, entendi].

[Mhm, sim].

[Não vai tentar esconder isso?].

[Bem, ele conhece meus sentimentos, mas ainda tenta fugir. Eu definitivamente não serei capaz de fazer se eu continuar fingindo. Neste ponto, penso que ir direto para ele sem esconder nada é minha única opção. Ele pode parecer que ele tem coisas juntas em seu próprio mundo, mas se mesmo algo pequeno der errado, ele pode ser realmente descartado].

[Hmm, isso é verdade].

[Então, assim que ele voltar para casa, eu vou sair com ele. Claro, você terá que me ajudar algumas coisas, então esteja pronta].

[Ookay, deixa comigo]. Ithea levantou o polegar para cima.

Chtholly retornou o gesto. Não havia mentiras em suas palavras agora. Se ele voltasse para casa, ela iria até ele implacavelmente. A palavra-chave era ‘se’.

Originalmente, ele não estava aqui. O que significa que o estado atual do armazém de fadas sem ele, era como as coisas deveriam ser.

 - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

 [Talvez ele não volte para casa]. As palavras persistentes na mente de Chtholly às vezes escapavam de seus lábios em momentos de fraqueza. [Quero dizer, ele é uma pessoa tão valiosa para Règles Ailés. É quase inacreditável que ele tenha estado aqui todo esse tempo. Você pensaria que ele seria nomeado para uma posição super alta e solicitado para compartilhar todo o seu conhecimento arcano. Então talvez seja melhor se ele nunca voltasse para casa].

Ela recebeu respostas variadas quando disse isso na frente das pessoas.

 [Nós não vamos deixá-lo!].

 [Eu não quero ficar sozinha].

 [Eu serei a única a derrotar o técnico!].

 [O que é arcano?]. Era questionável se Tiat e as outras pequenas entendiam ou não o que Chtholly estava falando.

[Você deve ser um pouco mais honesta consigo mesma], disse Nygglatho com uma voz um tanto repreensiva.

Nephren apenas baixou os olhos e não reagiu mais. Bem, Chtholly realmente não esperava muito mais.

 [Bem, se ele não fizer isso, o que você vai fazer?], perguntou Ithea com um sorriso provocador.

O que ela faria se ele realmente não voltasse para casa? Chtholly pensou nisso, mas não conseguiu responder. [Eu acho que eu não faria nada...]. Sua resposta vaga fez com que Ithea suspirasse exageradamente dramática.

Originalmente, ele não estava aqui. O que significa que sua vida cotidiana atual sem ele ao seu lado era a vida que ela deveria viver.- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

[Haaa!].

Ouvindo um afiado, mas fofo, grito de guerra por trás, Chtholly instintivamente esquivou-se delas. Pannibal e Collon caíram no chão, não conseguindo atingir seu alvo.

[... O que vocês estão fazendo?]. Ela ajudou as duas.

[Eu lhe disse!]. Tiat que tinha sido deixada para trás por suas companheiras, entrou e cutucou as duas em seus narizes vermelhos. Um par de pequenos gritos soou por todo o corredor. [Não tem como vocês pegarem a Chtholly. Vocês ainda têm 10 anos pela frente]. Por algum motivo, Tiat encheu o peito com orgulho.

 [Mas sem Willem por perto, não temos ninguém para praticar, e nossas habilidades pioram], disse Collon de olhos lacrimejantes.

[Que habilidades...].

[Habilidades para conquistar o mundo!]. Pannibal fez um punho fechado.

[Que mundo...].

Tiat manteve-se ao lado, indignada, enquanto Lakhesh se juntou à multidão e começou a pedir desculpas abundantemente.

[... Oh sim, a propósito, Tiat], disse Chtholly.

[Ah sim?].

[Você foi confirmada como uma fada completamente crescida, certo? Você já teve sua compatibilidade com Dug Weapons verificada?].

 [Ainda não. Nygglatho disse para esperar até Willem voltar para casa antes de começar a procurar uma espada].

[... Entendo]. Chtholly bagunçou o cabelo da menina um pouco.

[C-Chtholly?].

[Espero que você consiga uma boa], ela disse suavemente antes de tirar a mão dela.

[Alguma coisa errada? Você não parece bem].

[Mesmo? Talvez eu só esteja ainda cansada]. Chtholly riu.

 - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

 Quando Chtholly voltou para seu quarto, ela fechou a porta atrás dela e recostou-se nela, gradualmente deslizando até ela se sentar no chão. Ela se encolheu, envolvendo seus braços firmemente em torno de seus joelhos e deixando cair a cabeça.

[Aquele mentiroso...], ela murmurou o suficiente para que apenas ela pudesse ouvir.

 [Eu mantive o meu lado da promessa. Mas por que... Por que você não pode...].

 Depois de um tempo, Chtholly ergueu a cabeça e levantou-se. A porta fechada e as cortinas tornavam a sala quase tão escura como a noite, mas ela o conhecia bem o suficiente. Ela atravessou a luz fraca em sua mesa e pegou o espelho deitado sobre ela.

[...].

Na escuridão que se espalhava do outro lado do espelho, estava uma menina de olhos vermelhos.

Uma aranha plana.

 [Quem é você?]. Chtholly perguntou com uma voz trêmula à estranha além do espelho.

Ela deveria estar vendo um rosto familiar, aquela que ela vê todas as manhãs quando ela a lava. Ela deveria estar vendo aquele rosto cuja cada expressão ela viu tantas vezes que já estava ficando entediada.

 Ainda por que? Por que a garota do outro lado olhava fixamente para ela? Por que Chtholly deu uma olhada nesse rosto e achou que era estranho? Se fosse alguém que ela não conhecia, então, quem estava de pé nesse lado do espelho?

Um biscoito meio comido. Uma vela desgastada e um envelope queimado. Um pássaro de aço e uma ponta de flecha de arco-íris.

Cale-se. Feche a boca, cala a boca.

Por quê? Por que essas memórias continuaram fluindo?

 A batalha terminou muitos dias atrás. Ela não usou magia nem uma vez depois disso. Não deveria estar melhor? Se ela tivesse moderação, não deveria haver nenhum impacto prejudicial na vida cotidiana? Ithea estava mentindo?

Não.

Foi sua própria culpa.

Durante a batalha, ela jogou algo importante em nome da determinação. Em troca da destruição milagrosa da 15ª ilha, ela vendeu quase todo seu tempo restante.

 Ela não se arrependia. Ou não, ela não podia se arrepender. Règles Ailés estava à beira da aniquilação. Salvar Règles Ailés reduzindo ligeiramente a vida útil de uma soldada descartável era uma pechincha. O que ela deveria se arrepender era fingir seu bem estar na frente de Willem depois da batalha. Ela não queria que ele se preocupasse. Ela queria voltar para casa e para o Willem normal. Então ficou calada sobre a invasão e proibiu que Ithea e Nephren falassem sobre isso. Mas agora, ela já estava nessa condição.

 Ela pelo menos queria dizer 'estou em casa'. E também…

[Eu queria comer aquele bolo de manteiga...], ela murmurou com uma voz estremecida.

A menina do outro lado do espelho moveu seus lábios como se estivesse repetindo depois de Chtholly.

Uma única lágrima escorria pela lateral de sua bochecha.

 - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

 Um mundo quebrado. Um peixe nadando entre as estrelas. Um bicho de pelúcia amarelo. Uma menina desconhecida com olhos azuis. Uma árvore macia. Um gato preto continuamente ronronante. Um cascalho envolto em papel. Um céu nublado brilhante. O mundo além do espelho. E. E.

 - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

 O espelho caiu da mão da menina e quebrou no chão, enviando inúmeros fragmentos pelo ar.

A menina colapsou no chão.

Por ScryzZ | 03/08/18 às 09:12 | Aventura, Fantasia, Sobrenatural, Romance, Drama, Tragédia, Protagonismo Feminino, Guerra, Mistério, Sci-fi, Japonesa