CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 4.2 - 『ALMEJANDO AQUELAS COSTAS, PERSEGUINDO E PERSEGUINDO』 - beco sem saída dela -

Shuumatsu Nani Shitemasuka? Mou Ichido Dake, Aemasuka? (SukaMoka)

Capítulo 4.2 - 『ALMEJANDO AQUELAS COSTAS, PERSEGUINDO E PERSEGUINDO』 - beco sem saída dela -

Tradução: Jcarvalho | Revisão: Kaoby | QC: Itsuki Lonely Driver

Parte 2: Os Herdeiros

Após uma noite inteira de sono, Feodor acordou e descobriu que seu resfriado havia desaparecido. Ele podia mover seus membros sem dor alguma, e até mesmo se sentiu mais animado que o normal.

Infelizmente, seus movimentos continuavam muito rígidos para que o médico militar pudesse dar alta. Sendo assim, Feodor foi forçado a tirar um dia de folga e lhe foi dito para descansar um pouco mais, "apenas por precaução". Foi irritante – ele não tinha tanto tempo para que pudesse desperdiçar dormindo preguiçosamente em seu quarto. Mas é claro que não seria uma boa ideia para uma pessoa doente ser encontrada vagando por aí na base militar durante seu dia de folga.

De alguma maneira, ele sentiu como se ele tivesse se esquecido de algo importante, alguma coisa que ele queria conversar com outra pessoa, mas nenhuma memoria definitiva sobre o assunto decidiu se manifestar. Era uma sensação semelhante a tentar cavar através da areia movediça; o que foi escavado do buraco foi derramando novamente, obscurecendo os poucos pedaços de memória que ele podia quase ver.

[... Bem, Provavelmente não é algo importante.]

Normalmente ele iria se sentir irritado por não ser capaz de se lembrar, mas ao invés disso Feodor se sentiu estranhamente calmo. Na pior das hipóteses, provavelmente significava que ele não tinha nenhum tipo de emergência que ele tivesse que controlar imediatamente. Mesmo se fosse algo que ele precisasse fazer, ele poderia tentar lembrar de novo em outro momento.

Também havia essa estranha sensação em sua testa, quase calorosamente. Ele estava um tanto quanto curioso sobre o que havia sido colocado lá e por que.

As ideias de Feodor foram interrompidas por um enorme bocejo que escapou de sua garganta. ‘Já faz um tempo. Talvez eu devesse ir até a cidade.

Ele não precisava de nenhuma permissão explicita para sair da base. Havia um grande buraco na cerca de arame do outro lado do terreno que permanecia sem consertos até agora - e de fato, talvez nunca fosse reparado até o dia em que o dever desta base fosse concluído.

Feodor forçou seus olhos, apertando-os e encarando o cartaz. Não importava por quanto tempo ou quantas vezes ele o fizesse, a realidade do que estava escrito no cartaz não mudava. Não era algo como uma carta com um conteúdo que muda a cada 30 segundos se for olhado por 30 segundos sem piscar; não havia nenhuma surpresa ou truques escondidos no cartaz.

[Adeus e até logo! Muito obrigado pelo seu patrocínio!]

Um trabalho de cola apressado e inexperiente o ligava à parede; o canto direito superior já estava descolando. Enquanto batia na brisa, os letras formando ‘Adeus e até logo’ estavam distorcidas e agitadas.

Se este papel estivesse em outro lugar, então talvez a loja precisaria abrir de novo... não, eu acho que não. De jeito nenhum.

Os ombros de Feodor caíram decepcionados quando ele se obrigou a aceitar a realidade.

 [... E então, é por isso que eu não tenho donuts hoje.] Feodor disse mansamente, fechando a porta para o telhado do teatro atrás dele. Tiat, que chegou antes dele como de costume, olhou para ele brevemente. Ela fez um pequeno barulho de agradecimento, depois olhou de volta para a cidade. [O que, isso é tudo? Você não está surpresa?]

[Eu já sabia disso. Eu vi que estava fechado quando eu fui fazer compras anteontem.]

[Ah, entendo...] ‘Que chato.’

Sempre que eles sentavam e compartilhavam seu entusiasmo sobre comer coisas deliciosas, Feodor pensou que de certa forma isso era bom. Ele pensou que ela compartilharia seus sentimentos, seria tão desanimador quanto antes depois de ouvir a resposta a sua pergunta. ‘Onde estão aqueles donuts indispensáveis?’

[... Essa cidade está ficando menor a cada dia, não está?] Tiat resmungou silenciosamente. [Ei, você se lembra? Da primeira vez que nos encontramos aqui?]

[Você quer dizer o dia que você me pediu para eu me esquecer sobre você?]

[Agora que você comentou, isto realmente aconteceu.] Ela riu. [Aquele dia, eu estava gritando ‘Eu vou proteger essa cidade!’ enquanto olhava por toda parte. Havia alguns lugares interessantes, como uma estranha loja de porcelana e uma livraria de segunda mão onde você poderia pesquisar livremente. E aquela loja chique de cristais também, o qual Pannibal teria gostado...]

Feodor achou estranho mencionar o nome de Pannibal, mas pode ser porque ela perguntou sobre o lugar em algum momento e percebeu que ele não existia mais.

[Eu fiquei tão chocada quando aquela livraria foi embora,] Tiat disse. [Eles tinham todos os livros de arte de pessoas como Wilhornakia Tenace.] 

[Sério. Eu nunca ouvi o nome dela antes, quem é ela?]

[Uma pintora ayrantrobos. Ela é velha, mas muito bonita.]

[Oh.]

[Suas pinturas eram tão vivas, e os livros tinham aquelas capas de pele incrivelmente encantadores e brilhantes. Eu pensei que poderia compra-los a granel e levá-los para o quartel. Eu meio que me arrependo de não ter feito isso.]

É estranho’. A conversa que eles estavam tendo agora deveria ser aquela em que eles compartilhavam os seus sentimentos de perda, falavam sobre como era doloroso ver a cidade que eles conheciam se tornar devastada. Um momento emotivo de conexão e comunicação entre um superior e seu subordinado.

Ao invés disso, estava mais claro que a distância entre ele e Tiat crescia, mesmo quando ela se tornou menos crítica quanto mais eles se falavam.

[Estas pinturas são realmente tão boas?] Ele tentou.

[Sim, elas são.]

Droga, a distância apenas continua crescendo

As luzes nos pés de Tiat piscaram e iluminaram. Até agora ela se acostumara com os sinais de alerta, e assim ficou imediatamente de pé, movendo-se para o lado. Uma enorme quantidade de vapor jorrou de onde ela estava há apenas um segundo atrás, tarde demais para causar qualquer dano.

[Você sabe, essas coisas não são tão ruins uma vez que você se acostuma.] disse Tiat.

[É como se toda a cidade estivesse respirando.]

[Eu nunca pensei sobre isso antes.]

[Esse lugar, ou melhor, essa cidade.] Tiat se sentou de novo, abrindo a cesta ao lado dela, tirando um donut e mordendo um pedaço. [É como um brinquedo bem feito, certo? É como se todos os prédios fossem casas de bonecas, exceto que alguns caras criaram mecanismos que fazem com que as pessoas que moram lá comecem a dançar um determinado horário todos os dias. Esse tipo de coisa, sabe?]

[Ei, espera um pouco.]

[Ah, mas... se as pessoas que moram aqui estão indo embora, então começam a sentir como se as partes estivessem quebrando também, então é duas vezes mais solitário.]

[Não, não, apenas espere!] Ele cortou sua divagação. [Essa coisa em suas mãos. O que é?]

Tiat olhou para ele, com um sorriso malévolo em seu rosto. [Quer um?]

[Mas é claro! O que, tem alguma outra loja que eu não sabia que permanece aberta?]

[Mas que pena, não está a venda.] Ela pegou outro donut e ofereceu para Feodor. Ele se aproximou, pegando-o e sentou-se ao lado dela. [Eu pedi para Lakhesh por alguns ontem, e ela os fritou para mim] disse Tiat. [Desde que aquela menina se dá bem com as senhoras da cozinha, elas ficaram quietas sobre ela usar a fritadeira um pouco.]

[... Isso era para ser contra as regras militares.]

[Se você vai nos prender, vá em frente e faça. Ou você está dizendo que nós apenas estamos em apuros porque é você quem descobriu sobre nós?]

Feodor abaixou seus olhos para o donut em sua mão. Ele foi frito até um castanho dourado e levemente polvilhado com pó açúcar, provavelmente feito fritando algum tipo de semente de planta. Pelos padrões dos donuts, esse parecia absurdamente delicioso.

[Eu não vi e nem escutei nada.]

[Isso é o que eu pensei que você diria.] disse Tiat alegremente. O que restava de seu meio donut sumiu como mágica em sua boca. Embora isso fosse contrário a tudo o que ele deveria fazer como soldado, ele mordeu o que estava em suas mãos também.

[... Uau.]

[Ela é a melhor, não é mesmo? Desde que ela era jovem, aquela garota trabalhou numa padaria das redondezas sempre que ela tinha tempo. Se é qualquer tipo de cozimento que usa farinha, ela é a melhor na 68ª Ilha Flutuante!]

Entre as ilhas de Règles Aliés, aquelas que excedem um certo tamanho foram numeradas. Os menores números estão perto do centro, e ficam maiores quando chegaram à borda externa. Uma ilha numerada com o número 68 seria considerada extremamente rural.

[Que tipo de lugar é esse?]

[Hmm?]

[Você acabou de mencionar – a 68ª Ilha Flutuante,] Disse Feodor impaciente. [É a sua cidade natal?]

[Minha cidade natal? Bem...] Tiat hesitou. [Sim, eu acho que é algo parecido com isso. Você quer saber sobre ela?]

[Naturalmente. Eu estou interessado no ambiente que pode criar uma personalidade ‘tão única como a sua’]

[O que isso deveria significar?] Tiat abriu um sorriso e então começou a falar.

Profundamente dentro da floresta, havia um prédio de madeira em ruínas. Foi apelidado de armazém das fadas. Ninguém sabia a quanto tempo atrás foi construído. Normalmente, cerca de 30 jovens fadas estavam reunidas ali. O zelador que as vigiava era atualmente uma mulher troll. Cujos braços magros (porém fortes) sustentavam suas vidas. Ela era gentil e às vezes assustadora. Suas habilidades que envolviam hobbies femininos levaram muitas delas a se perguntar a quão velha ela realmente era. Dado o orçamento limitado do armazém, as roupas do dia-a-dia eram principalmente feitas de malha e costuradas pela troll. Devido ao seu gosto, suas roupas na verdade tendiam a parecer fofas a maior parte do tempo. [Mesmo que algumas garotas sejam mais adequadas a elas do que outras.] Tiat acrescentou com algum aborrecimento.

[Não, se elas são roupas fofas, elas provavelmente combinam com todas as fadas,] disse Feodor

[... Embora seja impressionante você conseguir dizer isso com tanta facilidade, de alguma, você não parece muito honesto.]

[Não pareço? Não importa o quanto eu seja maléfico, você realmente acha que isso significa que eu estou sempre bajulando as pessoas ou contando mentiras?]

[Bem, olha, sua raça não tem nada a ver com isso. Eu apenas não consigo acreditar nessas respostas preparadas.]

[Você pode dizer algumas coisas realmente cruéis às vezes, você sabia disso, Tiat?]

Ela balançou sua cabeça, e então voltou a dizer para ele sobre sua casa. Embora algumas fadas fossem mais velhas que ela, a maioria delas eram jovens. Desde que elas não se tornaram adultas ainda, elas não poderiam ir para a batalha. Todas as crianças eram atrevidas e tinham futuros promissores pela frente. Ela contou a ele sobre Eudea, sempre cheia de energia, e sobre Masha, que era esperta, mas odiava ler. Almita, que tomava conta das suas irmãs ainda jovem, e Kanna, que gostava de causar danos e estava sempre sendo agredida por Nygglatho (aparentemente o nome da troll zeladora) na bunda.

Ela não parou por aí. Feodor ouviu em seguida sobre o seu teatro favorito na zona residencial das pessoas fera que se podia percorrer a partir do armazém e o quanto ela admirava as várias cidades exteriores de lá. Ele também ouviu sobre os muitos lugares que ela pensou que gostaria de visitar. Entre eles, apenas Collinadiluche destacou-se como uma cidade que ela gostava muito.

[Foi incrivelmente divertido,] ela disse. [Eu quero ir lá de novo, tem pessoas que eu quero encontrar lá, e... e...]

Tiat repentinamente parou de falar. Seus enormes olhos vermelhos tremeram, lágrimas aparecem em seus cantos.

[Haha....] ela riu fracamente, esfregando o rosto. [A-Apenas espere um segundo, elas devem parar em breve.... ah não.... estou lembrando todos os tipos de coisas agora...]

Caindo uma atrás da outra, mais e mais lágrimas derramaram. [O livro que eu emprestei para Almita... ela não me devolveu ainda... e eu prometi a Eudea que nos iriamos observar as estrelas juntas... minha luta com Kanna... ainda não resolvemos isso...]

Com cada lembrança recente que ela se lembrou, outra lágrima caiu sobre os telhados de cobre.

Ah. Então é isso. Feodor percebeu sobre o que era toda essa conversa. ‘Essa garota que havia decidido morrer, finalmente desistiu da vida.

Mas isso é errado, não é? Você apenas não quer lembrar de todas suas razões para viver.

Uma lágrima uma memória. Lágrimas sem fim por memórias infinitas.

[... Desculpe] Ele pegou um lenço e o estendeu para ela em pedido de desculpas.

[Por-por que você está se desculpando?]

[Eu perguntei algo estranho e fiz você se lembrar de algo doloroso.]

[O que é tão estranho? É apenas uma história sobre minha família]

[Mas sua família não é estranha?]

[Mas que diabos quer dizer com isso?] Rindo francamente, Tiat pegou o lenço e enxugou os olhos. Feodor observou seu tecido branco puro mudar de cor.

[... Ei.] Tiat espiou por cima do pano antes limpo. [Eu posso fazer outra pergunta estranha?]

[Claro, sou todos ouvidos]

[Obrigada.] Ela não falou novamente por um tempo. [Eu acho... eu estou com medo... de morrer, depois de tudo.]

Agora o que eu deveria dizer sobre isso?’ Eles passaram alguns segundos em silêncio enquanto Feodor pensava sobre isso.

[Aceitando que você está com medo e encarar ele de qualquer maneira é o que as pessoas chamam de coragem, eu ouvi dizer.] Ele já tinha ouvido essas palavras saírem de outra boca antes, do seu sempre-certo irmão mais velho. [É... natural sentir que sua própria vida é importante acima de tudo. Mas é exatamente por isso que quando você acha algo mais precioso do que sua própria vida, você será mais feliz que qualquer outra pessoa.] concluiu Feodor, tentando reformular como algo que ele mesmo poderia dizer.

[Então eu deveria manter a coragem, hein? Sim... acho que algo parecido com o que estou fazendo é importante.] Com o lenço ainda pressionado contra seus olhos, Tiat sorriu. Era um sorriso oco e sem emoção só conseguindo expor os dentes.

[Bem-]

[Oh, certo!] Sua forte interjeição anulou sua voz quase melancólica. [Por que não mudamos de assunto? O que você pensa sobre a Lakhesh?!]

[H-hum?]  Seus pensamentos gritaram até parar, atingindo uma lombada antes de começarem a se mover novamente. [O que?]

[Bem, veja bem, Lakhesh parece que ela está muito interessada em você. Pode ser um pouco de mau gosto para mim estar fazendo isso, mas como sua irmã mais velha, acho que é apropriado que eu faça o esforço para atender aos desejos da minha irmãzinha!] disse Tiat apressadamente. [Veja, aquela garota não é como as más, estranhas, que de repente se machucam sem motivo. Ela é alguém que faz as pessoas se sentirem bem e seguras, e outras coisas! Então, e aí, o que acha?]

Não só o nariz entupido dela tornava sua voz nasalada, como ela falava tão depressa que suas palavras embaçavam juntas. Feodor sentiu a sua sobrancelha se contorcer. [Sobre o que é isso, exatamente?]

[Aquela garota realmente faz você se sentir bem! Ela não é uma boa menina? Pode te surpreender, mas isso é natural da Lakhesh! Além disso, como você pode ver, ela é boa em cozinhar! Como homem, você não daria a uma garota como ela pontos altos?]

Ele certamente não negaria isso. [Então, em outras palavras, você quer que eu me torne amante dela?]

[Uou, bom palpite! Todos os meus aplausos funcionaram?]

[Isso é...] Feodor sentiu algo começando a se contorcer dentro dele. [Não é como a fada mais velha que você mencionou anteriormente? Aquela que descobriu o homem dela antes de morrer?]

[O-o cara dela… isso é um pouco direto, você não acha? Mas em termos de estrutura geral, isso meio que combina!] Tiat riu amargamente. [… Ei, espere. Como você sabe sobre Chtholly?]

[É porque eu sou seu superior], ele disse suavemente. [Eu sei o que eu preciso saber sobre você.] 'Uma grande mentira. Eu ouvi diretamente da boca de Lakhesh.’ [Mas você não foi quem quis ser como… Chtholly , foi? Então, por que você está tentando arranjar um homem para a Lakhesh?]

[A-arranjar? Isso é ainda mais direto...]

[É a verdade. Na verdade, se esse é o tipo de história que você quer, não deveria ser você a fazer isso?]

[Hein? Eu?] O rosto de Tiat ficou em branco enquanto ela processava o que ele dissera.

Então ela corou vermelha como um tomate prestes a explodir. [Não, não, não!] Ela gritou, agitando as mãos e contorcendo-se como se alguém estivesse tentando acenar para uma aeronave que chegava. [E-eu, veja bem, bem, não importa! Eu não sou como - não como aquela garota, não sou honesta ou atenciosa! Sou descuidada, nada fofa e minha vida útil é de apenas três meses!]

Essa autoavaliação tem muitas coisas que eu poderia ser contra. Feodor engoliu seus comentários sarcásticos. [Bem, se você diz. Mas você está realmente bem com isso?]

[S-Sim... nossa, isso é ruim para o meu coração.] Respirando profundamente, ela esfregou o peito. ‘Foi uma ideia tão incômoda?’

[Então por que a Lakhesh?]

[Oh, bem, não é como se eu tentasse esconder ou qualquer coisa, mas... você sabe sobre a Seniorious?]

[Mais ou menos.] O nome completo da garota em questão era Lakhesh Nyx Seniorious. De acordo com os documentos que ele leu, não era um nome comum. [A Dug Weapon com a qual Lakhesh é compatível, certo?]

[Sim. É também a espada que foi ajustada com a mais forte Leprechaun, que morreu há cinco anos. Chtholly Nota Seniorious.]

‘Espada? As Dug Weapons são espadas?’

[Entre nós quatro, vamos ver... se é a punhos nus, então Collon é facilmente a mais forte de nós.]

Estou bem ciente disso. Em nosso treinamento diário, ela constantemente mostra suas habilidades físicas. Às vezes ela esculpe no meu corpo. Aquele estrangulamento na semana passada doeu seriamente.

[Se você quer saber quem é o melhor em usar armas convencionais, a Pannibal estaria no topo.]

Eu também sei disso. Apesar de ser totalmente autodidata, ela mostrou habilidades inacreditáveis em combate armado.’

[Mas quando se trata de Venenum ou Dug Weapons, Lakhesh é absolutamente a única campeã. Nós três poderíamos desafiá-la de uma vez e ainda perder.]

‘... Disso, eu não sabia. Eu nunca esperaria algo assim dela.’

[Por causa disso, os superiores veem Lakhesh como um trunfo. Desde que ela é tão valiosa, ela provavelmente vai acabar vivendo muito tempo em comparação a nós.]

Seu sorriso desta vez foi impotente e insubstancial. A expressão cinza que ele tinha visto no rosto dela quando ele a conheceu neste local pela primeira vez.

[Eu não sou boa. Eu não posso ser como Chtholly , não importa o quanto eu tente. Mas se é Lakhesh, ela pode ser capaz - de viver a vida de uma maravilhosa fada soldado. É por isso que quero confiar tudo o que me é impossível para ela.]

[E o que você vai fazer depois disso?]

[Você já deveria saber disso.] Seu sorriso típico e educado havia retornado. [Eu apenas farei o meu melhor. Seja o que for que eu possa fazer por elas. Desde que eu não posso ser como Chtholly, a única coisa que posso fazer é ficar com uma cara de valente e mostrar-lhes minha coragem.]

[Mas então... em seus momentos finais, ela foi lutar novamente sozinha pelas pessoas importantes para ela. Ela sabia que nunca mais voltaria, e apesar disso, saiu sorrindo…!]’

Feodor assentiu para si mesmo, pensando nas palavras de Lakhesh do outro dia.

[Já entendeu, certo? Então...] talvez como prova de sua promessa, Tiat empurrou a cesta de donuts para ele.

Os quatro remanescentes emitiram um brilho encantador, todos os seus recheios diferentes. Ela havia prometido que todos os seus sabores eram de primeira qualidade. Do que ele comeu, ele acreditou. Ele iria comer todos os donuts, mesmo que ele tivesse que vender sua alma para fazê-lo. Mas...

[Me desculpe.] Feodor enfiou a mão no bolso do uniforme, tirando os óculos e colocando-os. Deixando sua alma de lado, havia algo que ele se recusou a vender.

Tiat olhou para ele. [Porquê? Você quer algo melhor?]

[Esse não é o problema.] ‘É o mesmo de quando Lakhesh me pediu um favor sobre Tiat. Eu não posso aceitar isso.’ [Você disse que confiaria seu sonho a Lakhesh.]

[Sim.]

[Então ouça. Se você se tornar um sacrifício, acredita realmente que Lakhesh será capaz de seguir em frente?]

[Isso é...] Tiat suspirou. [Olha, ela vai ficar bem, ok? ‘Perfeitamente bem’.] Parecia que ela queria muito acreditar no que estava dizendo. [Somos fadas, certo? Você não considera cada cápsula de morteiro disparada como sua companheira desde que eles estão amontoados na mesma fornalha, não é? É o mesmo que isso. Ter seus companheiros morrendo e desaparecendo é normal para nós.]

[Arrã.]

[É!] Tiat assentiu com a cabeça ferozmente.

[Então o mesmo é verdade daquela fada mais velha de que você fala tanto?]

[Mas-é] sua rebeldia vacilou. [Claro que é]

Ah. ‘Então era isto, o tempo todo.’ Lembrando-se de todas as expressões em seu rosto que ele veio a conhecer, uma delas se destacou por manter a convicção. E com isso, a verdadeira forma da irritação que ele sentia sempre que olhava para ela.

Fada soldado adulta, Tiat Shiba Ignareo. Quando tudo estiver dito e feito, você...

[Você só quer uma razão para morrer.]

Ele estava falando principalmente para si mesmo. Ele não sabia se ela normalmente ouvia, mas esse era o tipo pequeno de sussurro que ele queria que fosse

Por alguma força da possibilidade, o vento mudou naquele momento, vindo de trás dele, e carregando sua voz a suas orelhas. O rosto dela instantaneamente ficou com uma sombra carmesim feia. [O que… nnaargh…]

[Não importa o quanto você persiga as grandes realizações da sua amada Chtholly , você entende que é impossível alcançá-la, não é?] Feodor pressionou. [Você, você mesma deve saber que não pode viver sua vida tão dramaticamente ou da mesma maneira que ela. Admita. Você está cansada de correr atrás dela, cansada de viver para perseguir seus sonhos]

[Não...]

[Então, agora, mesmo que seja apenas a única vez que você pode, você encontrou uma falsa realização e se agarrou a ela com tudo o que podia. Vou enfrentar batalhas inacreditáveis pelo bem das minhas camaradas, é isso que você queria? Fazer isso significa apenas que você vai acabar mostrando suas costas - assim como Chtholly  - para seus aliados remanescentes.]

[Isso... não é verdade...]

[Você está apenas usando o nome da fada mais velha que você respeita para encenar seu próprio suicídio dramático.]

Tiat abriu e fechou a boca sem palavras.

Ele não sentiu vontade de mostrar sua misericórdia. [Você sabe disso, certo? Mas Lakhesh não estará perfeitamente bem depois que você e as outras duas morrerem. Ela pode ser capaz de manter as aparências por um tempo, mas eventualmente - inevitavelmente - sua máscara vai começar a rachar]

[Por que... por que você está dizendo essas coisas?]

[Porque eu tive uma experiência parecida antes.] Feodor ajeitou os óculos. [Alguém importante para mim morreu, dizendo que era para o futuro. A pessoa em questão provavelmente morreu satisfeita, e minha mente pode compreender a lógica que entrou nessa decisão. Mas ainda assim, meu coração - cada fibra do meu ser - se recusa a acreditar que era necessário.]

[Isso é... realmente doloroso-]

[Você é extraordinária] - interrompeu Feodor. [Você se esquivou até o ponto em que está ativamente procurando uma maneira de morrer. Eu acho que pode ser um resultado do ambiente em que você foi criada... mas eu não consigo entender!]

[O que você quer dizer com isso?]

Feodor zombou. [Você sabe, para sair desse jeito em um mundo onde nem os idiotas são criados assim. Certamente, ser morto pode parecer tão deslumbrante para todas vocês. Mas se é assim, por que suas companheiras são tão importantes para você, mesmo que todas tenham tido as mesmas experiências terríveis?]

Ele recuperou o fôlego. [Isso é outra coisa sobre que estou enojado. Você amava pessoas que foram tiradas de você, mas você não pode odiá-las. Você experimentou a dor de perder os outros, então por que você está tão inflexível em repetir esse ciclo?]

[I-isso é...] Tiat, cuja cabeça estava cabisbaixa, de repente olhou para cima e ficou tensa como se tivesse decidido algo. [Porque é isso que Chtholly teria feito!]

[Isso novamente?] Feodor revirou os olhos. [Como eu disse, você está apenas usando isso como desculpa -]

[Você não sabe nada sobre Willem ou Chtholly ! Apenas não diga ‘o que quiser!’]

Feodor ficou surpreso com a raiva fervente em sua voz. A fada soldado na frente dele, que tinha caído de ombros e permitiu que ele deitasse nela de novo e de novo, agora olhou para ele com os olhos cheios de espírito ardente e força de vontade.

Ela parece um guerreiro prestes a adentrar o campo de batalha.

[Eu posso ser imatura e muitas vezes errada… eu posso não saber muitas coisas, e eu posso ser ruim em entender outras pessoas… Eu posso não ser uma mulher bonita, ou ser capaz de cozinhar… mas Chtholly não era como eu. Se eu estiver errada sobre perseguir Chtholly, então a pessoa má aqui sou eu. É impossível para Chtholly ser uma pessoa má! Então...] Tiat respirou fundo, como fizera há alguns instantes. [Então não fique insultando eles!]

Algo rastejou ao longo da espinha de Feodor, um líquido gelado que fazia seu corpo inteiro tremer.

Ele não conseguia entender o que era. Mas ele mal podia sentir que definitivamente não era nenhum tipo de sentimento bom. Se esta conversa continuasse como estava, então aquela emoção provavelmente viria explodindo para fora dele, e ele não seria capaz de contê-la imediatamente.

[Ótimo.] Feodor levantou-se e virou-se. [Você pode ficar com o lenço. Jogue fora se você não precisar mais.]

[O quê? Ei, espere! Esta conversa ainda não acabou-]

Deixando Tiat gaguejando, ele abriu a pesada porta de ferro e desceu as escadas. Quando ele saiu do teatro, ele ouviu a porta bater atrás dele.

Ele estava com inveja. Com ciúmes.

Tiat podia perseguir as costas da pessoa que ela admirava, seus parceiros ao seu lado e seu coração inchado na crença de que seu caminho escolhido era inequivocamente justo. Mesmo que ela tenha enfrentado um inferno do qual que ela não poderia retornar, mesmo sabendo desde o início, sua resolução era tal ela continuou se movendo para frente sem parar.

Feodor, também, tinha alguém que admirava uma vez. Mas aquelas costas estavam muito longe agora para-se alcançar.

Depois do dia em que ele foi executado, Feodor nunca pensou que queria ser como seu cunhado. Na verdade, foi o contrário. ‘O caminho para provar a justiça do meu irmão mais velho não está em fazer as coisas como ele teria feito.

A partir do momento em que Feodor percebeu isso, ele se afastou das costas que admirava para seguir seu próprio caminho,

[Porque é isso que Chtholly teria feito!]

A lembrança fez seu coração estremecer de irritação novamente.

Feodor estava na barraca de frango frito perto da velha mina quando ouviu as explosões.

Ruídos crescentes ecoaram através de Lyell, quatro explosões grandes e pequenas cada vez vindas de direções e distâncias diferentes.

Suas emoções tempestuosas, que ele esteve tão perto de permitir que escapassem, se acalmaram depois de algum tempo. Por causa de sua persistente obstinação, ele perdera a chance de comer mais donuts da Lakhesh. Quando Feodor passou por Lyell, pensando nos donuts, ele ficou com fome. Com a fome, lamentou o que ele havia feito e dito. Ele não deveria ter ido tão longe, mas ele não pôde deixar de abrir sua boca grande, estúpida e crítica.

Ainda assim, se ele decidisse comer algo doce depois de ir embora assim, Feodor teria sentido como se tivesse perdido de alguma forma.

A solução encontrada no final de suas preocupações: frango frito oleoso. Ele teve que sair do seu caminho para chegar a barraca, mas as especiarias dolorosamente fortes e ardentes do frango definitivamente destruiriam suas papilas gustativas a ponto de ele ser incapaz de provar qualquer coisa doce nos próximos dias. Era o método perfeito para cortar seu apego prolongado a donuts.

[O que...] Feodor balbuciou, girando quando as explosões chegaram aos seus ouvidos. Ele nem sequer teve a chance de terminar de comprar seu frango frito.

O dono da barraca, sem parecer terrivelmente preocupado. [Talvez outro mecanismo de controle tenha quebrado em algum lugar?]

Não. Ele poderia facilmente dizer a diferença. Não é esse tipo de som. É uma explosão que usava pólvora.’

Ele entreteve brevemente a possibilidade de exercícios de bombardeio, mas rapidamente desconsiderou isso. Embora o número de residentes já tivesse diminuído em grande quantidade, Lyell permanecia como uma cidade civilizada. A Guarda Alada não teria permissão para começar a lançar projéteis de artilharia diretamente no centro da cidade.

Isso deixou duas possibilidades. Assumindo que eles não estavam mais em tempo de paz, ou a Guarda Alado era responsável, ou alguém fora da Guarda Alada era. De qualquer maneira, levou Feodor à mesma conclusão.

Neste momento, em algum lugar desta cidade, um inimigo da Guarda Alada está aqui.’

Por Itsuki Lonely Driver | 05/10/19 às 22:15 | Aventura, Fantasia, Sobrenatural, Romance, Drama, Protagonismo Feminino, Guerra, Tragédia, Mistério, Sci-fi, Japonesa