CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 6.1 -『COSTAS DISTANTES』 - perdida na escuridão -

Shuumatsu Nani Shitemasuka? Mou Ichido Dake, Aemasuka? (SukaMoka)

Capítulo 6.1 -『COSTAS DISTANTES』 - perdida na escuridão -

Tradução: Jcarvalho | Revisão: Kaoby | QC: Itsuki Lonely Driver

Uma cidade queimada.

Tudo que era reconhecível havia sido devorado, engolido pelas chamas.

Até recentemente, este local era conhecido como a área residencial superior de Elpis, habitada apenas por aqueles que eram especialmentes ricos até entre aqueles da Federação Mercantil. 

Enquanto eles assistiam, os muitos jardins dos ricos viravam fumaça, um após o outro. As suas mansões se juntaram aos seus jardins, cores de branco, vermelho, ou azul, todos desbotando para o mesmo preto acinzentado assim que os edifícios perdiam suas forma e se desintegravam em cinzas. O que uma vez foi uma avenida cheia de árvores, agora havia se transformado em um caminho de luz iluminado por uma série de gigantes tochas.

「... Não é possível.」

Em um canto da praça, longe de quaisquer faíscas que dançam errantes longe do fogo, uma delicada figura usando um capuz impotentemente caiu de joelhos.

「Isso não é possível... isso não pode ser real, não é?」

A pessoa olhou diretamente no centro do fogo, ignorando como a luz cegante queimava seus olhos. Atordoados, sem um único brilho em seus olhos opacos, eles olhavam para o que estava sendo perdido. Enquanto eles assistiam, as chamas começaram a invadir a praça com uma força tremenda.

Uma besta foi solta nesta ilha flutuante. 

Era a 5ª Besta, Materno, a envolvente e sufocante. Um líquido de alta viscosidade que deveria ser incapaz de se locomover através de seu próprio poder, independemente - lentamente - se movia ao redor. Toda e qualquer coisa viva tocada havia sido derretida, como se estivessem imersos em ácido forte.

Entretanto, estava em outro lugar, consideravelmente longe dali, e nunca se moveria tão rapidamente. Provavelmente a besta iria devorar a cidade eventualmente, mas esse cenário não iria ocorrer por agora. Portanto, ainda restava tempo.

「Ei, saia da frente!」

Um homem fera deu um empurrão na figura encapuzada, enormes pacotes de bagagem pendurados nas costas. A figura chorou quando ela bateu no pavimento de pedra, seu manto finalmente tornou-se sujo de fuligem e lama.

Uma grande porção de pessoas estavam correndo. Com quase nenhuma exceção, os seus olhos estavam avermelhados de medo. Incompreensíveis palavras de preces, nomes variados e gritos saiam de suas bocas. Alguns carregavam bagagens, outros não. Eles empurravam e abriam caminho através das outras pessoas, sempre tentando dar um passo a mais do que outra pessoa, para que talvez eles conseguissem chegar ao porto, aos dirigíveis, e finalmente sair da ilha flutuante.

Era de conhecimento geral dentre todos que vivem no céu que as 17 bestas não podiam voar. Contanto que eles pudessem entrar nos dirigíveis, Materno não os alcançariam.

A multidão, tornou-se debandada pelo caos e agitação, não se preocupando em notar o que estava sobre seus pés. De novo e de novo, aquela pequena figura foi chutada ao redor como uma bola, seus choros engolidos pelos sons de pisadas e vozes nervosas.

Finalmente, o número de pessoas encolhia, afugentados pelas chamas que se aproximavam, até que finalmente foram embora da praça.

Em seu rastro estava a pequena figura, que agora se tornara algo parecido com trapos sujos. Com as mãos e os pés plantados na calçada, a figura tremia com o esforço exercido para levantar seu corpo. O capuz de seu manto havia sido arrancado, expondo seu verdadeiro rosto.

Era um rosto de uma criança.

Na sua cabeça, orelhas triangulares pretas. Nas suas bochechas, três pares de longos e finos bigodes. Nas famílias que carregam sangue misto de pessoas-fera, uma raridade em si, havia casos em que a criança nascia com pequenas características como essas em seus corpos.

A criança olhou para cima novamente, seus oculos se fixaram em um ponto além das chamas,  em direção ao lugar onde sua vida diária existiu até um outro dia.

「...Ei! Você está bem?!」

Um Borgle vestindo roupas à prova de fogo veio correndo até a garota, pegando como se ela realmente fosse um monte de trapos com os quais ela parecia.

「Desculpe-me, mas eu vou ter que tocar você um pouco.」 Ele desajeitadamente afagou o corpo da criança do topo do que tinha sido o seu manto quando ela fez uma careta e soltou um pequeno e doloroso grito. O rosto do Borgle ficou sombrio, foi quando percebeu o quão grave era sua condição. Sentindo seu corpo macio e mole, ele julgou que ela tinha ossos quebrados por toda parte. A garota estava em estado crítico, e sem sombras de dúvidas iria morrer se ela não recebesse tratamento imediatamente.

「Por favor... Deixe-me ir…」 A garota golpeou o braço do Borgle sem parar, tentando afastá-lo.

「E-ei!」

「Preciso ir... eu sei, é impossível... mas ainda assim...」

「Ei, não se force ainda mais! Essa área já está fechada! Você não deve chegar muito perto!」

「É impossível... mas deve.... estar lá…」

Ela se levantou. Apesar de fraquejar, ela começou andar em direção ao fogo crescente. 「Porque... hoje é o dia que... eu deveria encontrar... ele」

A garota rapidamente atingiu seu limite. Seus joelhos se dobraram abaixo dela, e ela desabou sobre o joelho esquerdo. 「Tenho que... encontrar.... e pedir desculpas…」

「Caramba, eu disse para você não se forçar!」 O Borgle pegou a garota novamente. Ele não sabia se era dor, fadiga, alguma outra coisa, ou tudo combinado, mas ela desmaiou. Ele estalou sua língua, enrolando ela em suas roupas à prova de fogo.

Mas é claro, ele já tinha notado. A Besta ainda estava bem longe daquela cidade. Naturalmente, aquilo significava que o fogo queimando agora não tinha nenhuma relação direta com o ataque da besta. Dito isto, julgando por quão rápido as chamas cresceram e cercaram a cidade, não seria considerado um mero acidente.

Sem Dúvidas, o fogo foi iniciado por uma pessoa. Alguém causou aquilo, com apenas intenções malignas em sua mente.

A área residencial superior foi uma cidade dos mais abastados. Uma quantidade não insignificante de pessoas não teria olhado com muita gentileza para aqueles que moravam lá. Alguém em um grupo desse tipo provavelmente jogou uma tocha em algum lugar com uma lógica errônea como ‘tudo irá desaparecer e será devorado pelas bestas de qualquer maneira, é apenas uma diferença entre antes ou depois!’, era lamentável, mas a cidade também era algo que podia atrair esse tipo de sentimentos.

O Borgle soltou um gemido áspero ao colocar a criança gravemente ferida nas costas. 「Ainda assim, só de pensar no tipo de pessoa que colocou tudo isso em chamas me faz querer vomitar.」

「Feo... dor…」 Ainda inconsciente, a garota moveu-se e murmurou o nome de alguém em seu delírio. 「... me desculpe... dizendo... tantas coisas egoístas... irei me desculpar, então... então, por favor…」

O Borgle abaixou sua cabeça, tentando o seu melhor para não ouvir as palavras que eram dirigidas para alguém que não estava mais aqui.

Ele arrumou a posição da garota em suas costas, então começou a ir em direção ao porto.

Por Itsuki Lonely Driver | 24/10/19 às 23:00 | Aventura, Fantasia, Sobrenatural, Romance, Drama, Protagonismo Feminino, Guerra, Tragédia, Mistério, Sci-fi, Japonesa