CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
01º Tempo: 『ORIGEM』Capítulo 1

Tempo;Rompido (T;R)

01º Tempo: 『ORIGEM』Capítulo 1

Autor: Sora

Terça-feira, dia 09 de junho de 1998.

O dia amanheceu bonito e com Sol radiante em Shirakawa-go, uma aldeia que fica localizada na fronteira dos Alpes, a uma hora da média cidade interior de Hida Takayama, na província de Gifu, Japão. As pequenas e antigas casas, feitas de madeira e palha que contam com quase trezentos anos, são os principais cartões-postais da aldeia conhecida por ser pacífica, um lugar tranquilo para se relaxar.

É como se fosse um cenário de conto de fadas que parou no tempo. Há apenas uma avenida principal, onde vielas e ruas pequenas cruzam diversas casas e também pequenas lojinhas de conveniência e um pequeno mercadinho. Além disso, há uma escola, que funciona do jardim de infância até o ensino médio.

Recheada de templos, grandes e pequenos, e um pequeno museu inaugurado a não tanto tempo, a vilazinha é a residência de uma população menor que 1500 pessoas. E uma dessas 1500 pessoas, acabou de acordar em seu pequeno quarto rosa-bege, se levantou da cama e foi tomar banho.

Passados cinco minutos, a garota que tinha em torno de 170cm de altura, cabelo loiro-claro que caía até um pouco após seus ombros e olhos de cor violeta, retornou ao seu quarto para se aprontar. Afinal, era hora de ir para a escola.

— Akizinha! O café está pronto!! – Chamou uma mulher, em sua cozinha no andar de baixo da casinha.

— Já voooou...! – A garota respondeu, prendendo seu cabelo em um rabo de cavalo volumoso um pouco acima da nuca e ajeitando uma pequena trança na parte superior do cabelo.

Escolheu seu uniforme, um normal escolar de cor branco, um laço de cor azul e uma média saia de cor azul-escuro. A garota se olhou em seu pequeno espelho, acenou positivamente e pegou sua mochila, fechando a porta do quarto e descendo as escadas.

— Bom dia, mamãe!

— Bom dia. Você demorou mais do que o habitual, aconteceu alguma coisa? – Sua mãe perguntou; ela tinha cabelo loiro, um pouco mais escuro que o de sua filha, também preso com um rabo de cavalo volumoso, que caía até o começo de suas costas.

Essas eram Mizuno Aki e Mizuno Chie, respectivamente.

— Não, não! Eu só demorei um pouco para acordar mesmo. – Aki respondeu, juntando as mãos já sentada à mesa, que tinha arroz cozido no vapor, sopa de missô, dois peixes grelhados e omeletes, ainda com uma pequena jarra de suco de laranja e uma outra, de vidro, com chá verde.

Chie terminou na pia da cozinha e se dirigiu também para a mesa, tirando seu avental de cozinheira e sentando-se a frente de sua filha. Logo, as duas juntaram as mãos, como uma prece e fecharam os olhos, proclamando ao mesmo tempo.

— Obrigada pela comida!!

 

Δ Δ Δ

 

Cinco minutos após tomar seu café com sua mãe e sair de casa, Aki caminhou em uma velocidade considerável pela pequena aldeia, falando com diversos moradores de lá, que a mesma conhecia.

A distância entre sua casa e a escola de Shirakawa era de quinze minutos de caminhada normal, sem nenhum problema. A cidade era realmente pacífica, sem muito barulho, parecia até que a modernização recorrente no japão não chegava lá, era totalmente bloqueada.

Mais três minutos depois, uma garota que tinha o mesmo uniforme escolar de Aki estava parada em frente a uma árvore, junto de um garoto que carregava sua mochila com a mão direita, no ombro. Os dois viram que a garota de cabelo loiro-claro corria em direção a eles, e a outra acenou para ela.

— Desculpem pela demora...! – Aki parou, à frente dos dois, um pouco ofegante com a pequena corrida que deu – Eu demorei um pouco para despertar, hehe...

— Hmm, você demorando para despertar? Tem certeza que é a minha Aki?! – A garota, que tinha cabelo com duas tranças pequenas de cor castanho-claro e olhos verdes, dois centímetros maior que Aki, perguntou cruzando os braços e piscando o olho direito.

— Isso é realmente raro de acontecer contigo. – O garoto, maior que as duas com cabelo liso de cor preto e olhos castanhos comentou em sequência, dando um leve sorriso.

— Nhaaa, isso não importa! Vamos logo, senão podemos chegar atrasados, Suzuzinha, Yoshizinho! – Aki respondeu os dois, com uma expressão um pouco nervosa para seus dois amigos; Kudo Suzuha e Asano Yoshiaki.

Dito e feito, os três andaram a passos largos, chegando perto da entrada da escola que não era lá tão grande, mas conseguia administrar turmas do ensino infantil até o médio sem nenhum problema; com a baixa população da aldeia, principalmente de crianças e adolescentes, não se fazia necessário uma ampliação no colégio. Era o suficiente.

— Oh, eles chegaram! – Uma outra garota, de cabelo ruivo e olhos castanhos, do tamanho de Yoshiaki olhou para trás, acompanhada de mais uma garotinha menor que Aki e Suzuha, e um garoto também do tamanho de Yoshiaki e da garota ruiva.

— Yo, pessoal. – O garoto de cabelo preto respondeu, acenando com a mão direita enquanto a esquerda estava no bolso de sua calça.

— Olá, Natsuzinha, Mizinha e Korozinho... – Aki, completamente cabisbaixa e cansada, também respondeu de forma lenta e baixa, tirando uma leve risada de Suzuha ao seu lado.

Assim que os três chegaram, o sinal da escola tocou, para que eles entrassem.

— Bem, não vai ter tanto tempo de falarmos hoje, então vamos lá!

Como já era aparente, nem todos ali eram das mesmas turmas; por exemplo, Aki tinha quatorze anos, portanto, cursava a sétima série, junto com a ‘Mizinha’ ou Takagi Misaki, que tinha treze anos, também estava na mesma turma que ela.

Yoshiaki, junto do ‘Korozinho’, de nome Endo Kotarou, cursavam juntos o segundo ano já do ensino médio; o primeiro tinha dezessete e o segundo tinha dezesseis anos. Já a ‘Natsuzinha’, nome Kawaguchi Natsumi, era do primeiro ano, com dezesseis anos também. Suzuha tinha quinze e era da oitava série.

— Então, vamos nessa! Boa aula para vocês! – Suzuha exclamou para todos, que entraram na escola e foram para suas respectivas salas de aula...

 

Δ Δ Δ

 

Dia seguinte, quarta-feira, 10 de junho de 1998. Mais precisamente às 15h30 da tarde, horário em que as aulas de todas as turmas terminavam, praticamente; apenas as do ensino infantil até a quinta série do fundamental funcionavam até esse horário mais tarde.

Aki e Misaka foram as primeiras a sair, esperando os demais no portão. Conforme demais alunos de diversas turmas iam andando para saírem do colégio, Natsumi, Yoshiaki e Kotarou, seguidos de Suzuha apareceram.

— Iahooo! – A primeira e mais velha acenou para as duas – Nossa, hoje foi cansativo! Podemos passar em algum lugar antes de ir para casa!

— Mas o dia de ficarmos até mais tarde não é na sexta?! – Perguntou Kotarou, olhando para Natsumi de forma cansada.

— Eu sei, mas é que estou afim de dar uma visitinha na lojinha de bolos!! Estou juntando dinheiro que meu pai me dá todo o dia para o lanche aqui na escola, literalmente estou lutando contra minha fome para esse momento!!! – Fazendo várias poses engraçadas e dramáticas, Natsumi falou e todos tiveram a mesma reação. Aki e Misaka deram um sorriso desconcertado, até que a primeira respondeu.

— Desculpe, Natsuzinha. Eu preciso ir para casa mais cedo hoje. Tenho que ajudar minha mãe com algumas tarefas, então, podemos deixar para amanhã! – A garotinha bateu as mãos com as palmas abertas, como se se desculpasse.

— Oh, então podemos deixar para amanhã mesmo... e não, eu não estou triste... – Natsumi era uma péssima mentirosa e demonstrava até demais suas emoções, mesmo que não pretendesse fazer isso.

— Você é dramática demais... – Yoshiaki murmurou, de forma cômica.

— Desculpa mesmo, Natsuzinha! Vamos lá, Mizinha? – Aki novamente se desculpou e olhou piscando o esquerdo para Misaka, que acenou com um largo sorriso.

— Sim! Até mais, amigos! – Misaka se despediu e Aki fez o mesmo, quando as duas começaram a retornar dali para casa. As duas moravam praticamente uma ao lado da outra, porém no dia anterior Misaka não foi à escola com ela pois tinha ido resolver uns assuntos com sua mãe mais cedo, nada que seja relevante para ser detalhado.

Passados cinco minutos, as duas garotas de mesma turma seguiam andando de volta para suas casas, quase que vizinhas.

— A aula de hoje foi realmente cansativa...

— Verdade, verdade...! – Aki deu um leve sorriso com o cansaço, também demonstrado por sua amiga e colega de classe – Mas temos que ser firmes e fortes para passarmos no fim do ano!

— Ah, hoje começa a Copa do Mundo!! – Misaka se lembrou, abrindo um sorriso e olhando para Aki, que fez uma expressão acuada.

— Você gosta de futebol, né...?

— Nem é por isso, mas a seleção japonesa vai jogar sua primeira Copa! Acho que pelo menos podemos torcer por eles, não?! – Misaka sorriu, mostrando os dentes e Aki apenas assentiu positivamente – Por mais que não acho que eles cheguem longe...

— Você conhece bem mesmo...

— Pode se dizer que sim, hihi! – Após algum tempo, as duas seguiram conversando, até que Aki chegou a sua casa.

— Até amanhã então, Mizinha! Boa sorte com a Copa do Mundo lá, haha! – Aki se despediu de sua amiga, que respondeu e seguiu correndo de forma infantil até sua casa, que ficava bem próxima dali mesmo – Estou de volta, mãe!! – Porém, o chamado da garota não teve resposta – Ué, ela ainda não chegou...? Logo quando eu me apressei para chegar a tempo...

A garota fechou a porta e a trancou novamente, com sua chave. Ela tirou seus sapatos e entrou definitivamente na casa, subindo as escadas e confirmando que sua mãe ainda não havia chegado.

Ela deixou a mochila em sua cama e deu um suspiro, olhando para seu espelho e abrindo em seguida o guarda-roupas, pegando uma camisola e uma saia para se trocar. O tempo foi passando e nada de sua mãe chegar...

Até que exatamente às 19h, quando já estava escuro lá fora e a garota olhava para as estrelas no céu totalmente aberto e sem nuvens, ela escutou o som da porta se abrindo e levantou do banquinho, indo às escadas e vendo sua mãe com algumas sacolas em mãos.

— Mamãe!

— Ah, Akizinha! Desculpe sua mãe, acabei me enrolando com algumas coisas. – Chie, sua mãe, se desculpou enquanto a garota a ajudava a colocar as compras na cozinha – Talvez não consigamos fazer tudo hoje...

— Não tem problema, mamãe! Hã...? – Aki olhou para o lado de fora e viu que três estrelas, formando um triângulo no céu, brilhavam intensamente. Isso a deixou hipnotizada, já que ela era uma garota apaixonada por observar as estrelas. E com isso, andou lentamente até o lado de fora – Não dava para ver essas do quarto...

— Ah, esse é o Triangulo de Verão. – Chie respondeu, indo até o lado de fora com a sua filha.

— Você conhece?

— Você puxou sua mãe, Akizinha. Eu também adoro olhar para as estrelas... – Chie respondeu, olhando para cima – Aquela estrela de cima se chama Deneb. Ela é da Constelação do Cisne. A da esquerda, a mais branca, se chama Altair, da Constelação de Águia. E a outra, azul, é Vega, da Constelação de Lira.

— Que nomes lindos... só Deneb é um pouquinho estranho, hehe... – Aki deu um sorriso forçado, e Chie apenas deu uma risada. A garotinha seguiu observando aquele triângulo formado pelas estrelas, ficando cada vez mais boquiaberta enquanto o tempo avançava, completamente hipnotizada.

Por algum motivo, alguns flashes vieram em sua mente, mas a garotinha não pôde decifrar sobre o que se tratava aquilo. “Ué...?”, ela se perguntou, olhando para baixo de forma um pouco cabisbaixa.

— Você conhece o Festival de Tanabata? – Chie se aproximou e perguntou, mas Aki a olhou como se não fizesse ideia do que estava falando – Bem, de certa forma tem a ver com essas estrelas. Mas, depois eu te conto! – A mulher se virou e entrou em casa novamente.

— Mas mamãe, por que não conta agora?! Eu fiquei curiosa!! – A garotinha a seguiu, fechando a porta em seguida e Chie deu uma nova risada. Como se esquecesse completamente aquilo que passou como um míssil na velocidade da luz em sua cabeça, Mizuno Aki clamou para sua mãe lhe contar sobre o tal festival, sem sucesso.

 

『Constelada Noite Exordial』

Por Sora | 25/08/18 às 13:01 | Suspense, Ficção Cientifica, Sobrenatural, Slice of Life, Mistério, Drama, Comédia