CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 13 - Uma maneira muito real

Three Days of Happiness (TDH)

Capítulo 13 - Uma maneira muito real

Tradução: Itsuki Lonely Driver

A história está chegando ao fim agora. Eu tenho menos tempo para me dedicar a escrever isso, então não tenho certeza se será interrompido antes do final ou algo parecido. É uma pena, mas acho que a escrita terá que ser um pouco menos detalhada do que antes.

Embora eu tivesse decidido pagar a dívida de Miyagi, minha extrema estupidez não era algo fácil de se curar. Mas pelo menos quando se trata do que está a seguir, talvez meu erro de julgamento não seja demais para se culpar.

Afinal, parecia impossível desde o começo. A dívida dela era uma soma muito maior do que os gastos de um assalariado que a Himeno falou uma vez. Não havia uma maneira infalível de um estudante universitário monótono conseguir tudo isso em 2 meses.

Mas, por enquanto, procurei por uma maneira. Fazer um trabalho admirável era algo que parecia irreal nesse caso. Não importa o quanto trabalhasse, tendo apenas 2 meses para fazer isso, seria como tirar leite de pedra.

Eu poderia ser capaz de recuperar os 300 mil ienes que Miyagi me deu, mas eu não achei que ela iria querer que eu trabalhasse nos últimos meses desse jeito. Da mesma forma, ela não iria querer que eu recorresse a qualquer coisa criminosa como estelionato, roubo, fraude ou sequestro.

E porque eu estava tentando ganhar dinheiro para ela, é claro que eu não gostaria de fazer isso de qualquer maneira que ela não aprovasse.

Eu considerei jogos de azar, mas nem eu era estúpido o suficiente para passar por isso. E eu sabia muito bem que não iria ganhar qualquer aposta enquanto estivesse encurralado. Somente quem tem dinheiro de sobra para gastar pode ganhar apostas.

Se você alcançar a deusa da fortuna, ela foge. Você tem que resistir e esperar que ela se aproxime, então a pegar no momento certo. Mas eu não tinha tempo para isso e não tinha o menor sentido para o momento certo.

Foi como tentar pegar uma nuvem. Se houvesse alguma maneira incrível de ganhar dinheiro para uma vida inteira em 2 meses, todos estariam fazendo isso. Basicamente tudo o que eu estava fazendo era tentar checar mais uma vez, algo que todos os outros disseram que era impossível.

Minha única “arma”, por assim dizer, foi o fato de que com tão pouca vida restante eu poderia correr qualquer risco, mas eu não seria a primeira pessoa que jogaria sua vida fora por dinheiro. E eu poderia dizer como isso não deu certo para eles.

Mas eu continuei pensando. Imprudente, eu sei. Mas mesmo que ninguém mais tivesse conseguido antes, eu tinha que ser o primeiro.

Fiquei dizendo a mim mesmo: pense, pense, pense. Como posso pagar a dívida nos 2 meses restantes? Como posso garantir que a Miyagi durma tranquilamente? Como posso garantir que a Miyagi não ficará sozinha depois que eu morrer?

Eu ponderei enquanto caminhava pela cidade. Nos meus vinte anos de experiência percebi que é melhor andar por aí quando você está pensando em algo sem uma resposta clara. 

Continuei andando no dia seguinte e no dia seguinte após aquele. Eu esperava que a resposta viesse rolando aos meus pés.

Eu não comi muita coisa durante esse tempo.

Mais uma vez falando por experiência própria, eu sabia que, em certo nível de fome, minha cabeça se esclarecerá. Então eu estava contando com isso.

Não demorou muito para eu chegar ao pensamento de ir à loja novamente.

Minha última esperança era a loja naquele antigo prédio mofado, que uma vez me jogou nas profundezas do desespero, e ainda me permitia mais duas transações.

Um dia eu perguntei a Miyagi.

「Graças a você, Miyagi, sou muito mais feliz do que costumava ser. Se eu fosse hipoteticamente vender meu tempo de vida naquela loja agora, quanto custaria?」

「...Como você previu, os valores são fluidos até certo ponto.」, confirmou Miyagi. 「Mas, infelizmente, uma sensação subjetiva de felicidade terá pouco efeito sobre o valor de um tempo de vida. Seu foco é em felicidades objetivamente mensuráveis com uma base... Embora eu questione essa abordagem.」

「Então, o que acrescentaria mais valor?」

「Contribuições sociais, popularidade... Eu acredito que eles favorecem coisas que são facilmente reconhecíveis através de formas objetivas.」

「Facilmente reconhecível, huh.」

「Hum, Sr. Kusunoki?」

「O que foi?」

「Por favor, não pense em fazer algo estranho.」, disse Miyagi, preocupada.

「Eu não estou pensando em nada estranho. Estou pensando em pensamentos perfeitamente naturais para essa situação.」

「...Eu acredito que sei mais ou menos o que você está considerando.」, disse Miyagi. 「A maioria são formas de pagar minha dívida, não é? Se sim, então eu estou feliz. Mas, enquanto estou feliz, devo dizer que não quero que você perca seu tempo restante. Se você está tentando cuidar da minha felicidade… Eu sinto muito, mas essa decisão é obviamente errada.」

「Apenas para referência, Miyagi, o que é a felicidade para você?」

「...Preste atenção em mim.」, Miyagi fez beicinho. 「Você não tem falado muito comigo ultimamente, tem?」

Miyagi estava definitivamente certa. O que eu estava fazendo foi um total erro de julgamento da minha parte.

Mas isso não significava que eu desistiria disso facilmente. Eu tinha determinação. Eu irei adquirir coisas facilmente reconhecíveis como contribuições para a sociedade e popularidade.

Uma vez eu que eu fizer isso, eu poderia obter mais valor da minha vida. Parecia que seria assim. Atrevo-me a dizer, eu esperava ser famoso o suficiente para que meu nome fosse conhecido por todos.

Eu sinceramente não sabia o que era mais realista - simplesmente ganhar dinheiro, ou tornar-se alguém que só tinha valor em seu tempo de vida que poderia ser vendido por um preço alto.

Cheguei a pensar que eles eram igualmente irrealistas. Mas eu não tinha mais nada, então eu tinha que pelo menos tentar.


Eu estava me aproximando dos limites do que eu poderia imaginar. Eu precisaria da imaginação dos outros.

Primeiro eu visitei a antiga livraria. Eu costumava ir lá quando estava com problemas, afinal de contas. Casualmente, folhear livros que não tinham nada a ver com a situação parecia fazer com que a maioria dos problemas evaporasse. Eu imaginei que provavelmente não funcionaria tão bem dessa vez, mas naquele dia, eu não estaria confiando apenas nos livros.

Chamei o velho que era o dono da livraria, que estava no fundo ouvindo uma transmissão de beisebol no rádio, cercado por pilhas de livros por todos os lados. Ele levantou a cabeça e deu um “Ah” desanimado.

Eu decidi não tocar no assunto da loja que negociava tempo de vida. Embora eu tivesse algum desejo de descobrir o quanto ele sabia sobre a loja, e acima de tudo, queria contar a ele tudo o que aconteceu no último mês.

Mas se eu fosse falar sobre isso, naturalmente meus dois meses restantes de vida seriam revelados, e ele poderia se sentir culpado por isso.

Então eu não mencionei nada sobre o tempo de vida, e tive uma conversa ociosa com ele, só que dessa vez agindo como se eu não sentisse a presença da Miyagi.

Sobre o clima. Sobre livros. Sobre beisebol. Sobre festivais. Não havia muito assunto para conversar, mas surpreendentemente, a conversa me deu uma sensação única de facilidade. Talvez eu tenha gostado desta loja e desse velho.

Enquanto Miyagi estava ocupada olhando para as prateleiras, eu sussurrei uma pergunta para o velho.

「Como você acha que poderia melhorar seu próprio valor?」

O dono - por fim - diminuiu o volume no rádio.

「Hmm. Acho que você só precisa ser confiável para fazer as coisas. Isso não é algo que eu possa fazer, no entanto. Eu acho que você vê apenas as coisas que você “quer” na sua frente, e você fica melhor ao aproveitá-las ao máximo. Isso é o que eu penso na minha idade.」

「Entendo.」, eu assenti.

「Mas...」, ele disse como se negasse o que acabou de dizer, 「Há algo mais importante do que isso. E isso não é confiar no conselho de alguém como eu. Alguém que nunca conseguiu nada falando sobre o sucesso é apenas alguém que é apenas cego para suas próprias falhas. Então não siga meu exemplo. Eu não consigo entender porque exatamente eu falhei. Não precisa mostrar nenhum respeito ao que um cara assim diz.」

「...As pessoas que tiveram muitos fracassos falam sobre esses fracassos como se quisessem sugerir que, se tivessem outra vida, serão um grande sucesso. Depois de enfrentar todas as dificuldades, eles acham que não vão bagunçar novamente. Mas todos eles - incluindo eu, é claro - cometeram um erro fundamental. Fracassados sabem muito sobre fracasso, claro. Mas conhecer o fracasso é completamente diferente de saber o sucesso. Corrigir seus erros não significa que o sucesso tomar o seu lugar - você só tem um ponto para começar, só isso. Isso é algo que as falhas não entendem.」

Eu achei um pouco engraçado lembrar como Miyagi havia dito algo muito similar.

「Eles acabaram de chegar à linha de partida. Eles apenas recuperaram a compostura depois de uma longa série de derrotas. Confundir isso como uma chance de mudar as coisas não lhes fará bem.」

Por fim, ele disse:

「Ei, você está pensando em vender seu tempo de vida novamente?」

「O que você quer dizer com isso?」, sorri inocentemente, fingindo ignorância.

Depois de sair da livraria, exatamente como antes, entrei na loja de CDs. O costumeiro empregado loiro me cumprimentou gentilmente.

Aqui também eu não falei sobre o tempo de vida, mas apenas conversei sobre coisas como CDs que eu tinha ouvido ultimamente.

Por fim, novamente encontrando um momento em que a Miyagi não me ouviria, eu perguntei:

「Como você acha que pode realizar algo em pouco tempo?」

Sua resposta veio rápida.

「Acho que você tem que depender dos outros, cara. Porque um único cara não consegue fazer isso sozinho, não é? O que significa que você precisa da ajuda de outra pessoa. Eu não tenho muita fé na minha própria capacidade, pra ser sincero. Se é um problema que eu não consigo resolver com 80% das minhas habilidades, eu vou direto pedir ajuda para outra pessoa.」

Foi um conselho que eu não tinha certeza se deveria levar a sério ou não.

No lado de fora, de repente começou a chover forte, uma coisa típica do verão.

Eu estava saindo da loja preparado para ficar encharcado, mas o balconista me emprestou um guarda-chuva de vinil.

「Eu não sei o que está acontecendo, mas se você quer realizar alguma coisa, não se esqueça da sua saúde.」, disse ele.

Agradeci, levantei o guarda-chuva e fui para casa com a Miyagi. Era um pequeno guarda-chuva, então nossos ombros ficaram encharcados.

As pessoas que me olhavam, olhavam para mim com curiosidade - viam um idiota segurando um guarda-chuva na posição errada.

「Eu gosto disso.」, Miyagi riu.

「Do que você gosta?」, eu perguntei.

「Bem, essencialmente... Apesar de quão cômico isso parece para os outros, você deixar o seu ombro se molhar é um gesto muito gentil. Eu gosto desse tipo de coisa.」

「Oh.」, eu disse, e minhas bochechas ficaram um pouco vermelhas.

「Você é um homem tímido e sem vergonha.」, disse Miyagi, cutucando meu ombro.

A essa altura, eu não apenas não me importava com o que as pessoas pensavam de mim, eu gostava de ser tratado como um esquisito.

Porque isso faria a Miyagi feliz também. Porque quanto mais cômico eu parecia, mais a Miyagi sorria.


Eu me abriguei da chuva com a Miyagi embaixo da marquise de uma loja. Ouvi um trovão ao longe, a chuva abundante vazava da sarjeta e espirrava água, molhando meus sapatos por dentro.

Lá, vi um rosto familiar. Um homem andando rapidamente com um guarda-chuva azul escuro, ele olhou para mim e parou.

Ele era um cara que estudava no mesmo departamento que eu na faculdade, eu o conhecia bem o suficiente para trocar cumprimentos.

「Já faz um tempo.」, disse ele com os olhos frios. 「Onde diabos você estava? Não te vi no campus ultimamente.」

Eu coloquei minha mão no ombro da Miyagi e disse:

「Eu ando por aí com essa garota. O nome dela é Miyagi.」.

「Não tem graça.」, disse ele, claramente descontente. 「Você é uma aberração.」

「Não posso impedir você de pensar assim.」, respondi. 「Tenho certeza que diria a mesma coisa na sua posição. Mas Miyagi está aqui, beleza. E ela é muito fofa. Eu vou respeitar que você não acredita, então eu quero que você respeite o que eu faço.」

「...Eu sempre soube disso, mas cara, você realmente é perturbado, Kusunoki. Você está sempre se escondendo em sua casca em vez de interagir com as pessoas, não é? Que tal uma olhada no mundo exterior?」 Então ele saiu, farto de mim e atordoado.

Sentei-me no banco e observei os pingos de chuva. Logo começou a limpar o tempo, aparentemente era apenas uma chuva passageira. Nossos olhos foram ofuscados pela luz refletida no chão molhado.

「Hum... Obrigada por isso.」, disse Miyagi, apoiando-se no meu ombro.

Eu coloquei minha mão em sua cabeça e passei meus dedos pelo seu cabelo liso.

Seja “confiável”, hein?

Eu murmurei o conselho do velho da livraria. Embora ele tivesse me dito que eu não deveria confiar nele, as palavras pareciam ter significado para mim agora.

Talvez a ideia de pagar a dívida dela fosse demais. Pensando nisso, havia algo que eu poderia fazer para deixar Miyagi feliz de uma maneira muito real.

Era como se ela mesma tivesse dito - para “preste atenção nela”. Simplesmente ser tratado como um esquisitão por aqueles que me cercavam dava-lhe prazer considerável.

Estava bem na minha frente todo esse tempo - então por que eu não fiz isso?

Miyagi falou em tal momento que ela parecia ver a mudança em meus pensamentos.

「Sr. Kusunoki? Estou realmente feliz por você usar o pouco que resta de sua vida para me ajudar... Mas não é necessário. Porque você me salvou há muito tempo. Mesmo que tenham passado décadas sem você, acredito que poderei lembrar dos dias que passei com você rindo e chorando. Eu acredito que apenas ter memórias como essas tornará a vida um pouco mais fácil. Então você fez o suficiente. Por favor, esqueça a dívida.」

「Em vez disso.」, disse Miyagi, deslocando seu peso para mim.

「Em vez disso, me dê lembranças. Pois depois que você se for, quando eu me sentir sozinha, para me aquecer de novo e de novo - o máximo que você puder.」


E foi assim que eu decidi que iria terminar minha vida como a pessoa mais tola que você já conheceu.

Mas você verá, você deve ler isso até o final, como foi ironicamente a decisão mais sábia que tomei em toda a minha vida.

Miyagi e eu entramos em um ônibus para um parque com uma lagoa grande.

A maioria levantava as sobrancelhas ou começava a rir quando ouviam o que eu fazia lá.

Eu aluguei um pedalinho no lago. Embora houvesse barcos a remos simples, atrevi-me a alugar um daqueles ridículos pedalinhos em forma de cisne.

Já que eu parecia estar sozinho, o balconista da doca me deu um olhar perplexo como se dissesse “Sozinho?” - normalmente apenas amantes ou pares de garotas passeavam neles.

Eu me virei para Miyagi e sorri, e disse:

「Ok, vamos!」, e o rosto do funcionário endureceu. Havia uma certa quantidade de terror em seus olhos.

Miyagi não pôde deixar de rir de como foi engraçado o tempo todo que estivemos no pedalinho.

「Quero dizer, para eles parece um homem adulto andando sozinho em um desses, não é?」

「Não pode ser tão estúpido. Quero dizer, quão divertido é isso?」, eu ri.

Nós visitamos lentamente o lago. Em meio aos sons da água, Miyagi assobiou “Stand By Me”. Foi uma tranquila tarde de verão.

Havia cerejeiras Yoshino plantadas ao redor do perímetro do lago. Na primavera, certamente o lago estaria coberto de pétalas de cerejeira.

Por outro lado, no inverno, o lago estaria quase todo congelado e os pedalinhos em forma de cisne seriam recolhidos, e os cisnes de verdade tomariam seu lugar.

Era um pensamento um pouco solitário, como uma pessoa que nunca mais veria primavera nem inverno. Mas olhando para a Miyagi sorrindo ao meu lado, isso rapidamente parou de me importar.

Não acabou no pedalinho. Eu fiz um ato ridículo após o outro ao longo dos próximos dias. Para simplificar, fiz tudo que você não deveria fazer sozinho. Claro, eu estava fazendo isso com a Miyagi, mas ninguém mais viu dessa maneira.

O cara andando na roda-gigante sozinho. O cara andando sozinho no carrossel. O cara fazendo piquenique sozinho. O cara que visitava o aquário sozinho. O cara que visitava o zoológico sozinho. O cara sozinho brincando na gangorra. O cara que olhava para o mar sozinho. O cara que brincava sozinho na piscina. O cara que brindava sozinho em um bar. O cara na churrascaria sozinho.

Quase tudo o que seria embaraçoso para se fazer sozinho, eu fiz.

E o que quer que eu estivesse fazendo, eu sempre ativamente diria o nome da Miyagi, andaria de mãos dadas com ela, faria contato visual com ela, e geralmente tentaria insistir em sua existência.

Sempre que eu ficava sem dinheiro, eu passava alguns dias fazendo trabalhos de meio período e depois me divertia de novo.

Eu não percebi na época, mas eu estava gradualmente me tornando uma celebridade infame na pequena cidade.

Naturalmente, havia pessoas que zombavam, desviavam o olhar e franziam as sobrancelhas, mas, por outro lado, alguns me consideravam um pantomimaPantomima é uma espécie de teatro gestual que faz o menor uso de palavras; tentando mostrar suas habilidades ou interpretavam minhas ações como um exercício de pensamento.

Não, não só isso - aparentemente o coração de algumas pessoas se tranquilizou quando me viram, e eu realmente deixei as pessoas felizes. A resposta foi realmente variada.

Surpreendentemente, a proporção daqueles que tiveram uma má impressão e aqueles que tiveram uma boa impressão foram bastante iguais.

Por que quase metade das pessoas se sentiu melhor vendo minhas ações idiotas?

Talvez o motivo tenha sido surpreendentemente simples.

Porque parecia que eu estava tendo o melhor momento da minha vida.

E pode ter sido isso.


「Sr. Kusunoki, há alguma coisa que você gostaria que eu fizesse?」, perguntou Miyagi certa manhã.

「O que é isso de repente?」

「Eu senti que você tem me dado tudo. Eu gostaria de ocasionalmente dar algo para você.」

「Eu não me lembro de fazer nada tão grande, mas vou me lembrar disso.」, eu disse. 「Mas Miyagi, há algo que você quer que eu faça por você?」

「Não há nada. Meu desejo é saber qual é o seu desejo.」

「Então meu desejo é conhecer o seu desejo.」

「Portanto é o meu desejo conhecer o seu desejo, Sr. Kusunoki.」

Depois que nós repetimos inutilmente isso 4 vezes, Miyagi falou com resignação.

「Anteriormente, você me perguntou o que eu faria se tivesse alguns meses de vida, e eu lhe dei 3 respostas, sim?」

「Lago estrelado, seu túmulo e o seu amigo de infância.」

「Sim.」

「Você quer encontrar seu amigo de infância, então?」

Miyagi assentiu, desculpando-se.

「Pensando nisso, não sei quando vou morrer. Assim, achei que talvez seja melhor visitá-lo em breve, enquanto eu ainda saiba onde ele está. Embora não nos encontremos, se eu apenas ver ele... Você me acompanharia?」

「Sim, claro.」

「Por favor, me diga seu desejo em breve, Sr. Kusunoki.」

「Uma hora eu pensarei em um.」

Nós rapidamente verificamos o transporte que precisávamos usar até o destino dela e nos organizamos para visitar a cidade natal da Miyagi.

Enquanto andava de ônibus pelas estradas montanhosas, ela olhou pela janela de forma nostálgica.

「Tenho certeza de que ficarei desapontada. Meu desejo é muito irrealista, egoísta e infantil. Um desejo de “eu não quero que algo mude” nunca será ouvido... Mas até minhas memórias podem se deteriorar, sinto que posso aguentar isso agora. Porque você está aqui, Sr. Kusunoki.」

「Porque a miséria adora companhia.」

「Não é isso que eu quis dizer. Você é estúpido?」

「Eu sei, me desculpe.」, eu disse, depois acariciei a cabeça de Miyagi. 「Desse jeito, certo?」

「Desse jeito.」, Miyagi assentiu.


Era uma cidade pequena. O distrito comercial era composto por todas as lojas de eletrodomésticos, havia longas filas nos supermercados de pequenas redes, estudantes sem nenhum lugar para ir reunidos no centro comunitário - esse tipo de cidade.

Faltava personalidade, não importava a pedaço que você tirasse dela, mas agora era tudo lindo para mim. Eu não precisava mais dar uma olhada rápida e eficiente no mundo, nem culpar minha miséria. Eu poderia me dar ao luxo de parar e olhar as coisas como elas eram.

Olhando para o mundo sem qualquer sinal de rancor, era tão vívido como se eu tivesse tirado uma membrana transparente que cobria tudo.

Excepcionalmente, Miyagi foi quem me conduziu naquele dia. Ela sabia que seu amigo de infância morava nessa cidade, mas não sabia em que casa ele morava.

「Vou procurar lugares onde parece que ele pode estar.」, disse Miyagi.

Aparentemente, seu nome era Enishi.

Quando finalmente encontramos Enishi, Miyagi não se aproximou dele imediatamente. Naquele momento, ela se escondeu atrás das minhas costas, timidamente colocou a cabeça para fora e gradualmente, aproximou-se até finalmente estar ao lado dele.

Era em uma estação insignificante que faria você se sentir apertado se houvessem 10 pessoas lá dentro. Enishi estava sentado em um banco em um canto, lendo um livro.

Ele era um pouco mais abençoado em sua postura e rosto do que a maioria, mas sua expressão merecia menção especial. Era uma expressão relaxada, como se para cobrir uma espécie de autoconfiança. Eu rapidamente comecei a entender o que foi necessário para criar tal expressão.

Em essência, era uma expressão que só podia ser obtida por aqueles com a confiança de amar alguém e ser amado.

Eu poderia dizer apenas pelo humor que o Enishi não estava esperando por um trem, mas por alguém vindo de um.

Eu imaginei que Miyagi não queria ver quem era esse “alguém”. Eu verifiquei a hora e sussurrei:

「Acho que é melhor irmos.」, mas Miyagi balançou a cabeça.

「Obrigada. Mas eu quero assistir. Eu quero ver que tipo de pessoa ele ama agora.」

Um trem com dois vagões chegou. A maioria dos passageiros que saíram eram estudantes do colegial, mas um desses passageiros era uma mulher simpática em seus vinte e poucos anos.

Eu poderia prever que ela era a pessoa que o Enishi estava esperando antes mesmo de trocarem sorrisos amigáveis.

A mulher tinha um sorriso muito natural. Tão natural que quase não era.

Os sorrisos da maioria das pessoas são pelo menos um pouco forçados, não importa o quão natural eles pareçam, mas os dela não mostram vestígios de serem artificiais. Talvez fosse simplesmente o resultado de sorrir com muita frequência.

Uma vez que eles naturalmente saíram juntos sem dizer uma palavra, parecia que eles estavam namorando há algum tempo. Mas pela felicidade em seus rostos no instante em que se olharam, era como se eles estivessem em seu primeiro encontro.

Isso durou apenas alguns segundos, mas foi o suficiente para saber que eles estavam felizes. Enishi estava se dando bem sem a Miyagi.

Miyagi olhou para eles sem emoção, nem chorando ou rindo.

Talvez eu fosse a pessoa que estava mais perturbada. Eu podia ver eu e a Himeno, no Enishi e sua namorada. Embora apenas por um momento, imaginei um futuro feliz e pacífico que talvez pudesse ter acontecido.

Um futuro em que provavelmente não teria ficado satisfeito simplesmente morrendo.

O casal foi embora e apenas a Miyagi e eu permanecemos lá dentro.

「Eu realmente considerei fazer uma série de coisas, apesar de como eles não podiam me ver.」, disse Miyagi. 「Mas mudei de ideia.」

「Como por exemplo?」, eu perguntei.

「Como abraçá-lo à força. Esse tipo de coisas.」

「Desse jeito, huh. Bem, se eu estivesse nessa posição, faria mais do que isso.」

「Tais como?」

Antes que a Miyagi pudesse terminar de dizer suas palavras, passei meus braços ao redor de seus quadris e mostrei-lhe o “mais do que isso”.

Ficamos assim por cerca de 2 minutos. Embora a Miyagi inicialmente tenha ficado surpresa, ela gradualmente se acalmou e respondeu de forma semelhante.

Quando nossos lábios se separaram, eu disse:

「Se ninguém vai me culpar, então com certeza, eu vou fazer coisas egoístas como essa.」

「...De fato. Ninguém vai culpar você.」, Miyagi finalmente disse, com a cabeça ainda abaixada.

Por ScryzZ | 07/08/18 às 00:53 | Psicológico, Sobrenatural, Slice of Life, Romance, Drama, Maduro, Seinen, Tragédia