CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 16 - Posfácio

Three Days of Happiness (TDH)

Capítulo 16 - Posfácio

Tradução: Itsuki Lonely Driver

Dizem que um tolo nunca pode ser curado até a morte.

Mas gosto de ter uma visão um pouco mais otimista disso. Algo mais parecido com “Um tolo será curado quando estiver morto”.

Embora chamemos todos de tolos (ou seus sinônimos), na verdade existem muitos tipos diferentes de tolos. O tolo de que falo aqui é o tolo que cria seu próprio inferno.

O que é característico deste tolo, em primeiro lugar, é que ele está fortemente convencido de que nunca poderá ser feliz. Tornando-se mais grave, essa convicção pode ser expandida para se tornar “Eu não deveria ser feliz” e, finalmente, chegar a “Eu não quero ser feliz”, um mal-entendido mais destrutivo ainda.

Uma vez que esse ponto é alcançado, não há mais nada a temer. Esses tolos se tornam intensamente familiarizados com a insatisfação e por mais abençoado que seja seu ambiente, encontram alguma brecha para evitar a felicidade.

Como tudo isso é feito inconscientemente, eles acreditam que este mundo é o inferno - quando, na realidade, eles estão apenas criando o inferno a cada passo que dão.

Eu mesmo sou um desses criadores do inferno, e é por isso que acredito que sim, mas esses tolos não podem ser curados rapidamente. Para alguém que tenha feito parte de sua identidade ser infeliz, não ser infeliz é perder a si mesmo. A auto piedade que eles usavam para suportar a infelicidade acaba se tornando o único prazer deles, e ativamente buscam o desprazer com esse propósito.

No entanto, como afirmei no início, acredito que tais tolos serão curados no momento em que morrerem. Para ser mais exato, meu pensamento é: "Pouco antes da morte, tenho certeza de que eles seriam curados”.

Os sortudos podem ter a oportunidade de serem curados antes que isso realmente aconteça, mas mesmo os azarados, quando percebem a inevitabilidade de sua morte e se libertam das correntes de “ter que continuar vivendo neste mundo” - finalmente, eles não estão também livres de sua tolice?

Eu chamei esse ponto de vista otimista, mas olhando para ele mais de perto, ele poderia ser considerado bastante pessimista também. A primeira vez que ele vem amar o mundo é quando sua morte é garantida.

No entanto, considero que através dos olhos desse “Tolo que foi curado, mas tarde demais”, tudo é irremediavelmente belo.

Quanto mais profundos os arrependimentos e queixas como “Pensar que vivi em um mundo tão belo como este”, ou “Agora eu seria capaz de aceitar tudo isso e viver”, mais o mundo parece ser cruelmente bonito em troca.

Eu estou sempre pensando em como eu quero escrever sobre esse tipo de beleza.

Pelo menos aqui em “Three Days of Happiness”, embora pareça que usei a história para falar sobre o valor da vida, o poder do amor e tudo mais… Para ser honesto, essa não era minha intenção, no mínimo. 


- Sugaru Miaki

Por ScryzZ | 07/08/18 às 00:56 | Sobrenatural, Romance, Drama, Maduro, Seinen, Tragédia, Psicológico, Slice of Life