CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 1.6 - A Maga Chega na Cidade『Garota, ocasionalmente, Justa』

To Aru Majutsu no Index (Index)

Capítulo 1.6 - A Maga Chega na Cidade『Garota, ocasionalmente, Justa』

Tradução: Sora | Revisão: Ni Yezen

PARTE 6

Naqueles dias, não se podia comprar nem um grande gyudon com apenas 320 ienes.

— ……………………………….regular, hm?

As garotas que comiam alegremente um bento do tamanho de uma light novel provavelmente não entenderiam, mas o menino que transpirava bastante via o tamanho normal como nada além de uma merendinha.Ni Yezen: Verdade em que falaram aqui kukukuku …. apesar que tem umas garotas que conheço como mais do que qualquer pedreiro kkkkk

Depois de despistar a menina Biri-Biri, Kamijou tinha ido a um restaurante gyudon para comer sua “merendinha”. Com apenas 30 ienes restantes (impostos incluídos), ele se aproximou de seu prédio com o Sol já tendo se posto.

O local aparentava estar deserto.

Era o primeiro dia de férias de verão, então, provavelmente todo mundo estava se divertindo.

O prédio parecia um prédio de apartamentos estereotipado de um cômodo. Caminhos ao longo de uma parede do prédio retangular tinham portas alinhadas sobre eles. O parapeito de metal não tinha folhas de plástico para evitar que as saias das meninas fossem espiadas porque era o dormitório de um homem.

As portas da frente e varandas do lado oposto foram construídas nos lados do edifício retornando como visto da estrada. Em outras palavras, eles estavam nas lacunas entre os prédios.

A entrada do prédio era auto-travante, mas a distância entre os edifícios era de apenas dois metros. Podia-se facilmente se esgueirar saltando de telhado a telhado, como Index fizera naquela manhã.

Kamijou passou pela entrada de auto-travamento, passou pelo depósito conhecido como o quarto do gerente do dormitório e entrou no elevador. Foi apenas por diversão que o elevador estava mais apertado e sujo do que o elevador por trazer itens para uma fábrica, mas o botão "R", indicando a cobertura, foi selado com uma pequena placa de metal para impedir Romeus e Julietas de se dirigirem até o telhado noite após noite.

Com um ding de forno de microondas, o elevador parou no sétimo andar.

Kamijou empurrou a porta que fez clanked quando abriu e saiu para a passagem. Ele estava no sétimo andar, mas não havia vento e parecia ainda mais quente e abafado do que antes, devido ao fato de o prédio vizinho estar tão perto.

— Hm?

Kamijou finalmente percebeu algo. Pela passagem reta e bem na frente de sua porta, três robôs de limpeza estavam reunidos. Ver três deles era raro. Por outro lado, ele tinha certeza de que apenas cinco foram implantados naquele dormitório.

Do jeito que eles estavam tremendo e se movendo para frente e para trás, eles pareciam estar se preparando para limpar uma bagunça horrível…

Por alguma razão, Kamijou teve um intenso sentimento de infortúnio iminente.

Aqueles robôs de bateria tinham poder suficiente para rasgar a goma de mascar que estava presa ao chão, então o que dava a três deles um problema desses? Kamijou estremeceu ao pensar que seu vizinho Tsuchimikado Motoharu poderia ter ficado bêbado enquanto agia como um delinquente a fim de perder sua virgindade, e acabou vomitando em enorme proporção enquanto usava a porta de Kamijou no lugar de um poste de telefone.

— O que aconteceu…?

As pessoas tinham uma tendência infeliz de querer ver coisas horríveis.

Depois de dar mais alguns passos subconscientes, ele finalmente fitou.

A garota misteriosa chamada Index havia desmaiado de fome.

— ……………………………………………..ahh.

Ele não podia ver tudo dela devido aos robôs estarem no caminho, mas alguém usando o hábito de uma freira branca coberta por alfinetes de segurança estava claramente desmaiada.

Mesmo que os três tambores não estivessem fazendo nada além de bater nela, Index não estava se mexendo. Isso a fazia parecer ainda mais lamentável, como se estivesse sendo agredida por corvos da cidade. Por um lado, os robôs de limpeza foram feitos para evitar pessoas e outros obstáculos, então por que ela estava sendo tratada como não humana mesmo por essas máquinas?

— Eu acho que isso é infortúnio, também…

Kamijou Touma ficaria surpreso ao ver seu rosto no espelho naquele momento. Ele tinha um sorriso claro no rosto.

Ele, no fundo, estava preocupado. Ele pode não ter acreditado nela sobre os magos, mas era possível que algum culto estivesse perseguindo a garota por perto.

Ele estava feliz em vê-la em seu estado habitual(?).

E mesmo ignorando essas preocupações, ele estava simplesmente feliz em vê-la novamente.

Kamijou então se lembrou da única coisa que ela havia esquecido: o capuz branco puro que ele não havia devolvido a ela. Ele achou estranho quando ele viu aquele capuz como algum tipo de amuleto.

— Ei! O que você está fazendo aqui?

Ele gritou para ela e correu.

“Por que apenas correr dela me colocou no humor de uma criança da escola primária que não consegue dormir na noite anterior a uma viagem? Por que cada passo que dou para a frente me faz sentir como se eu estivesse indo para a loja na data de lançamento de um grande RPG?”.

Index ainda não o notara.

Kamijou Touma forçou um sorriso com o “jeito Index de ser”, ao menos era o que parecia.

E então ele finalmente percebeu que Index estava deitada em uma poça de sangue.

— …………..Hã……………?

A primeira coisa que ele sentiu foi confusão, não choque.

Ele não foi capaz de ver isso antes porque o grupo de robôs de limpeza estava no caminho. Quando ela deitou de bruços, ele pôde ver um único golpe horizontal perto da parte inferior de suas costas. A ferida era de uma lâmina, mas era tão reta que parecia que alguém usara uma régua e um estilete. A ponta do cabelo prateado na altura da cintura tinha sido claramente cortado e o mesmo estava tingido de vermelho pela substância escarlate que fluía da ferida.

Por um instante, Kamijou foi incapaz de compreender que era sangue humano.

A diferença de realidade entre o instante anterior e o instante seguinte enviou seus pensamentos ao caos. Vermelho... vermelho... ketchup? Teria Index usado suas últimas forças para sugar o ketchup antes que ela desmaiasse de fome? Com aquela imagem agradável em sua mente, Kamijou quase sorriu.Ni Yezen: Sério que vc acredita nisso mesmo...sério... que decepcionante ‘-’)

Ele quase sorriu, mas não o fez.

Não havia como ele conseguir.

Os três robôs de limpeza continuaram a se mover para frente e para trás enquanto faziam um ruído estridente. Eles estavam limpando a mancha no chão. Eles estavam limpando a substância vermelha que se espalhava pelo chão, limpando a substância vermelha que fluía do corpo da Index. Como cavar uma ferida com um pano sujo, eles estavam sugando tudo dentro do corpo da Index.

— Pa...rem. Parem! Merda!!

Os olhos de Kamijou finalmente entraram em foco com a realidade. Ele agarrou freneticamente os robôs de limpeza reunidos em torno da Index gravemente ferida. Os robôs ficaram desnecessariamente pesados para evitar o roubo e eles tinham um bocado de potência, de modo que ele não conseguia separá-los dela.

É claro que os robôs de limpeza estavam apenas limpando a mancha continuamente espalhada no chão, de modo que nunca tocaram na ferida de Index. Mesmo assim, Kamijou os viu como um enxame de insetos sobre uma ferida infeccionada.

E, no entanto, ele estava tendo problemas para deixar de lado um daqueles robôs pesados e poderosos, muito menos três. Enquanto seu foco estava em um deles, os outros dois se dirigiam para a mancha.

Ele deveria ter o poder de matar até Deus.

E ainda assim ele foi incapaz de tirar esses brinquedos do caminho.

Index não disse nada.

Seus pálidos lábios roxos estavam tão imóveis que ele nem tinha certeza se ela estava respirando.

— Merda, merda !! - Kamijou gritou em confusão - O que aconteceu? O que diabos aconteceu!? Droga! Quem diabos fez isso com você!?

— Hm? Isso seria nós, magos.

E foi exatamente por isso que a voz vinda de trás dele não era da Index.




Kamijou girou seu corpo inteiro como se fosse acelerar para socar a pessoa. Um homem estava lá que havia vindo do... não, não do elevador. Parecia que ele tinha vindo da escada de emergência ao lado do elevador.

O homem branco tinha mais de dois metros de altura, mas seu rosto parecia mais jovem que o de Kamijou.

Sua idade era... provavelmente quatorze ou quinze, assim como a Index. Sua grande altura era característica de estrangeiros. Suas roupas eram... uma pura versão negra dos hábitos usados pelos sacerdotes na igreja. No entanto, era improvável que você encontrasse alguém que chamasse esse homem de padre, mesmo que você procurasse em todo o mundo.

Pode ter sido porque ele estava de pé contra o vento, mas Kamijou sentiria o perfume terrivelmente doce nele mesmo que ele estivesse a mais de quinze metros de distância. Seus cabelos loiros na altura dos ombros tinham sido tingidos de vermelho como o pôr do sol, anéis prateados brilhavam em todos os dez dedos como juntas de latão, possuía brincos venenosos nas orelhas, uma cinta de celular podia ser vista do bolso, um cigarro aceso se movia na beira da boca e, como se para terminar tudo, tinha um código de barras como uma tatuagem sob o olho direito.

Você não podia chamá-lo de padre e não podia chamá-lo tampouco de delinquente.

O ar ao redor de onde o homem estava na passagem era claramente estranho.

Era como se a área estivesse sendo governada por regras completamente diferentes daquelas que Kamijou havia usado até aquele ponto. Esse sentimento estranho espalhou-se por toda a área como tentáculos gelados.

O que Kamijou sentiu primeiro não foi nem medo e nem raiva.

Foi confusão e desconforto. Era uma solidão desesperada como se sua carteira tivesse sido roubada em um país estrangeiro onde ele não conhecia a língua falante. A sensação de tentáculos gelados se espalhou por seu corpo e congelou seu coração, mas então Kamijou percebeu algo.

Isso é um mago.

Isso se tornou um mundo diferente, onde coisas estranhas como magos existem.

Ele poderia dizer à primeira vista.

Ele ainda não acreditava em magos…

Mas ele poderia dizer que este era definitivamente um residente de algum lugar além do mundo em que ele vivia.

— Hm? Hm, hm, hm. Ela a pegou muito bem - O mago olhou em volta e o cigarro no canto da boca balançou enquanto ele falava - Eu ouvi Kanzaki a cortando, mas isso é... eu pensei que não havia nada para se preocupar porque não havia rastro de sangue…

O mago olhou para os robôs de limpeza reunidos atrás de Kamijou Touma.

Muito provavelmente, Index havia sido "cortada" em outro lugar e mal conseguiu escapar para cá com sua vida antes de desmaiar. Ela deve ter deixado sangue fresco enquanto ia, mas os robôs de limpeza varreram tudo.

— Mas… por quê?

— Hm? Você quer dizer por que ela voltou aqui? Quem sabe. Talvez ela tenha esquecido alguma coisa. Parando para pensar nisso, ela estava com seu capuz quando eu atirei nela ontem. Ela perdeu em algum lugar?

O mago em pé na frente de Kamijou disse "voltou".

Em outras palavras, ele acompanhava as ações da Index durante todo o dia. E ele sabia que ela havia perdido o capuz para o hábito da freira, Igreja Ambulante.

Index havia dito algo sobre os magos que procuravam pelo poder mágico de sua Igreja Ambulante.

Isso significava que os magos vinham seguindo a Index detectando o poder sobrenatural em sua Igreja Ambulante. Eles saberiam que a Igreja Ambulante foi destruída quando o "sinal" foi cortado... a Index mencionou isso também.

Mas, então, Index deveria saber.

Ela deveria saber, mas ainda parecia ter confiado demais nos poderes defensivos da Igreja Ambulante.

Mas então por que ela retornou? Por que ela precisou recuperar uma parte da Igreja Ambulante destruída e, portanto, inútil? A mão direita de Kamijou tinha inutilizado toda a Igreja Ambulante, então não havia sentido em recuperar o capuz.

Então você me seguiria até as profundezas do inferno?

De repente, tudo estalou.

Kamijou lembrou de algo. Ele nunca havia tocado o capuz da Igreja Ambulante que havia sido deixado em seu quarto. Em outras palavras, o capuz ainda tinha poder mágico. Ela deve ter pensado que os magos poderiam detectá-lo e ir para lá.

E assim Index havia enfrentado o perigo de "voltar".

— Sua idiota...

Não havia necessidade de fazer isso. Tinha sido a falta de jeito de Kamijou que destruiu sua Igreja Ambulante, e ele percebeu que ela havia deixado o capuz cair em seu quarto e ainda o havia deixado lá. E mais importante, a Index não tinha nenhuma obrigação, dever ou direito de proteger Kamijou.

Mesmo assim, ela não foi capaz de evitar em retornar.

Kamijou Touma era um completo estranho que ela conhecera menos de meia hora antes.

E ainda assim ela não tinha sido capaz de ajudar, mas arriscar sua vida e voltar para impedi-lo de se envolver naquela luta com os magos.

— Sua idiota!!

As costas imóveis de Index ficaram nervosas por algum motivo estranho.

Index havia dito antes a Kamijou que seu infortúnio era devido à sua mão direita.

Aparentemente, sua mão direita estava subconscientemente negando até mesmo os fracos poderes sobrenaturais que eram coisas como a proteção divina de Deus e a corda vermelha do destino.

E se Kamijou não a tivesse tocado descuidadamente e destruísse o hábito da freira, Igreja Ambulante, ela pelo menos não teria retornado.

“Não. Esses tipos de desculpas não importam”.

Sua mão direita e a destruição de sua Igreja Ambulante não eram a razão pela qual ela sentirá a necessidade de retornar.

Se Kamijou não tivesse desejado essa conexão…

Se ele tivesse devolvido o seu capuz caído para ela naquele instante…

— Hm? Hm, hm, hm? É, eu não posso com você me olhando desse jeito - O cigarro no canto da boca do mago balançou enquanto ele falava - Não fui eu que a fatiei e duvido que Kanzaki quisesse transformar isso em algo sangrento. A Igreja Ambulante é supostamente uma defesa absoluta, afinal. Realmente, ela não deveria ter sido ferida por isso. Honestamente, que reviravolta do destino levou a ser destruída...? A menos que o Dragão de São Jorge tenha voltado, não vejo como uma barreira da Classe do Papa poderia ter sido destruída.

Aquela última parte tinha sido falada para ele e seu sorriso desapareceu quando ele disse isto.

No entanto, isso também foi apenas por um instante. O cigarro no canto da boca se contraiu como se de repente ele se lembrasse de sorrir.

— Por quê? - Kamijou disse, apesar de não esperar uma resposta - Por quê? Eu não acredito na magia dos contos de fadas e eu realmente não entendo magos ou o que você é. Mas, não existem tipos bons e maus de vocês? Não há magos que protejam as coisas e as pessoas?

Ele sabia muito bem que não tinha o direito de usar palavras de raposa ali.

Quando Index saiu, Kamijou Touma a liberou e retornou à sua vida normal.

E, no entanto, ele não pôde deixar de dizer isso.

— Você se envolveu com essa garotinha, a perseguiu por todo o lugar e depois a feriu gravemente. Você pode realmente dizer que você está apenas com essa realidade encarando você de frente!?

— Como eu disse, foi Kanzaki que fez isso, não eu. - O mago parou por um segundo. As palavras de Kamijou não tinham chegado em casa com ele nem um pouco - E se ela está ferida ou não, nós temos que recuperá-la.

— Recuperá-la?

Kamijou não entendeu o que o mago queria dizer.

— Hm? Ah, eu vejo. Você conhecia a palavra mago, então eu assumi que você tinha sido totalmente preenchido. Eu acho que ela estava com medo de te envolver - O mago exalou fumaça de cigarro - Sim, precisamos recuperá-la. Tecnicamente, não é ela que precisamos recuperar; são os 103.000 grimórios que ela tem.

Eram aqueles 103.000 grimórios novamente…

— Entendo, entendo. Este país não é muito religioso, então eu acho que você não entende - disse o mago com uma voz entediada, apesar do fato de que ele estava sorrindo - O Index Librorum Prohibitorum é uma lista criada pelas Igrejas de todos os livros malignos que irão manchar a sua alma apenas lendo-os. Mesmo se você anunciar que esses livros perigosos estão por aí, as pessoas ainda podem, sem saber, adquirir uma se não souberem seus títulos. Assim, ela se tornou uma espécie de biblioteca de livros venenosos com 103.000 desses livros. Oh, mas tenha cuidado. Ler apenas um dos livros que ela criaria faria de vegetal alguém de uma nação sem religião como essa.

Apesar do que ele disse, a Index não tinha um único livro. As linhas de seu corpo eram claramente visíveis no hábito da freira, então seria óbvio se ela estivesse escondendo alguma coisa embaixo da roupa. Sem mencionar que ninguém poderia andar carregando 100.000 livros. Isso seria uma biblioteca inteira de livros.

— N-Não seja ridículo! E onde estão exatamente esses livros!?

— Oh, eles estão lá. Eles estão em sua memória. - disse o mago como se fosse óbvio - Você sabe o que é uma memória perfeita? Parece ser a capacidade de memorizar qualquer coisa que você vê em um instante e nunca esquecer uma única frase ou carta. Simplificando, isso faz de você um scanner humano - O mago sorriu desinteressadamente - Não tem nada a ver com nosso ocultismo ou sua ficção científica. É uma condição natural. Ela esteve no Museu Britânico, no Louvre, na Biblioteca do Vaticano, nas Ruínas de Pataliputra, no Château de Compiègne, na Abadia de Mont Saint-Michel e em qualquer outro lugar que tenha grimórios que não possam ser retirados de onde estão selados. Ela os roubou com os olhos e os armazenou como uma biblioteca de grimórios.

Kamijou simplesmente não pôde acreditar.

Ele não podia acreditar no fato de esses grimórios existirem e nem de ela possuir uma memorização perfeita.

Mas, o que importava não era se isso estava correto. O que importava era que alguém acreditasse que era verdade e abriria as costas de uma menina.

— Bem, ela não tem capacidade de refinar o poder mágico, então ela é inofensiva - O cigarro no canto da boca do mago se moveu alegremente - Mas, desde que a tampa foi preparada, a Igreja deve ter algumas preocupações. Bem, isso não tem nada a ver com um mago como eu. De qualquer forma, esses 103.000 grimórios são muito perigosos, então eu vim para abrigá-la antes que qualquer um que os usasse venha levá-la embora.

— Abrigá-la…?

Kamijou Touma ficou totalmente surpreso. O que aquele homem acabou de dizer diante de uma cena tão sangrenta?

— Sim, está certo. Abrigá-la. Não importa o quão sensível e bom coração ela possa ser, ela não suporta a tortura e as drogas. O simples pensamento de entregar uma garota para os gostos deles machuca meu coração, sabe?

— …

O corpo de Kamijou estava tremendo.

Não era uma raiva pura. Arrepios cobriram o seu braço. O homem diante dele se via como o único a estar certo. Ele viveu sem ver seus próprios erros. Tudo isso juntou um calafrio em todo o corpo de Kamijou como se ele tivesse acabado de mergulhar em uma banheira cheia até a borda com dezenas de milhares de lesmas.

O termo "culto louco" escorria em seu cérebro.

O pensamento de magos que caçavam pessoas com base em crenças sem fundamento fazia com que ele sentisse que os nervos de seu cérebro iriam explodir.

— O que diabos você pensa que é!?

Sua mão direita sentiu-se envolta em calor como se em resposta a sua raiva.

Seus dois pés que haviam sido plantados no chão se moveram antes mesmo que ele pensasse em movê-los. Seu corpo espesso, cheio de carne e sangue, foi em direção ao mago como uma bala. Ele cerrou o punho direito com tanta força que sentiu como se estivesse esmagando seus dedos em pedaços.

Sua mão direita não tinha uso. Não o deixaria derrotar nem mesmo um único delinquente, não aumentaria sua pontuação nas provas e não o tornaria popular entre as garotas.

Mas a sua mão direita também podia ser bastante útil. Afinal, ele poderia usá-la para perfurar o bastardo em pé diante dele.

— Eu preferiria me nomear como Stiyl Magnus, mas acho que vou ter que ir com Fortis931.

No entanto, o mago estava completamente imóvel para o abanar do cigarro no canto da boca.

Depois de resmungar algo em voz baixa, ele falou com Kamijou como se estivesse introduzindo o gato preto de estimação que ele estava orgulhoso.

— Esse é o meu nome por magia. Não está familiarizado com isso? Parece que nós, magos, não podemos dar nosso verdadeiro nome quando usamos magia. É uma tradição antiga, então eu realmente não entendo o porquê.

Eles estavam a quinze metros de distância.

Kamijou Touma preencheu metade dessa lacuna em apenas três passos.

Fortis… eu acho que em japonês, isso seria "o forte". Bem, a etimologia não importa realmente. O importante é que eu lhe dei esse nome. Para nós, magos, é menos um nome por magia para quando usamos magia, e mais como…

Kamijou Touma deu mais dois passos pela passagem.

Mesmo assim, o sorriso do mago não desmoronou. Ele parecia estar dizendo que Kamijou sequer era um oponente que valesse a pena se livrar de seu sorriso.

— …um nome assassino. Eu suponho.

O mago chamado Stiyl Magnus pegou o cigarro da boca e o jogou para o lado.

O cigarro aceso voou horizontalmente sobre a grade de metal e atingiu a parede do prédio vizinho.

Uma linha laranja traçou o caminho do cigarro como uma imagem posterior e faíscas voaram quando bateu na parede.

Kenaz (Chamas). Devido às peculiaridades do idioma japonês, muitos dos feitiços de Stiyl contêm palavras que têm pronúncias diferentes daquelas que normalmente seriam pronunciadas. Na passagem seguinte, o que Stiyl diz é Kenaz, e o que normalmente teria sido dito está entre parênteses

No instante em que Stiyl murmurou, a linha laranja explodiu.

Uma espada de chamas apareceu em linha reta como se alguém tivesse ligado uma mangueira de incêndio carregada de gasolina.

A tinta gradualmente mudou de cor como uma imagem sendo queimada por um isqueiro.

Ele não estava tocando as chamas, mas ainda parecia que seus olhos estavam queimando apenas olhando para ele, então Kamijou instintivamente parou de correr e levou as mãos para cobrir o rosto.

Kamijou parou tão de repente que parecia que seus pés estavam no chão.

Uma pergunta repentina entrou em sua mente.

Imagine Breaker poderia negar qualquer tipo de poder sobrenatural de uma só vez. Nem mesmo o Railgun da garota Biri-Biri de Nível 5 que poderia destruir um abrigo nuclear de uma só vez era uma exceção a isso.

Mas a verdade era…

Kamijou ainda não tinha visto qualquer poder sobrenatural que não fosse Esper por natureza.

Em outras palavras, ele nunca havia testado isso.

Ele nunca havia testado isso em magia.

Sua mão direita realmente funcionaria no estranho poder conhecido como magia?

Purisaz Naupiz Gebo (Um presente de dor para o gigante).

Passando as mãos cobrindo seu rosto, Kamijou podia ver o mago sorrindo.

Enquanto sorria, Stiyl Magnus balançou a espada flamejante horizontalmente na direção de Kamijou Touma.

No instante em que o tocou, perdeu a forma e explodiu em todas as direções como um vulcão em erupção.

Ondas de calor, flashes de luz, ruídos explosivos e fumaça preta explodiram em todas as direções.

— Talvez eu tenha exagerado.

Stiyl coçou a cabeça diante do que parecia ser o resultado de um bombardeio. Só para ter certeza, ele olhou em volta para averiguar se alguém estava saindo para ver o que estava acontecendo. Era o primeiro dia de férias de verão, então a maioria dos residentes do dormitório daquele menino estariam fora. No entanto, seria ruim se algum amigo estivesse em um dos quartos.

Ele não podia ver diretamente à frente devido a uma tela de chamas e fumaça.

No entanto, ele não precisa verificar. Essa colisão criou chamas infernais de 3000 graus Celsius. Em temperaturas superiores a 2000 graus Celsius, o corpo humano se derreteria antes de queimar, então o garoto provavelmente se parecia com o corrimão de metal que havia derretido como uma escultura de açúcar. Ele provavelmente estava esparramado na parede do dormitório como um pedaço de chiclete usado.

Stiyl soltou um suspiro enquanto refletia sobre como estava certo em tirar o menino de perto da Index. As coisas teriam sido um pouco mais difíceis se o garoto tivesse usado o corpo machucado de Index como escudo.

Mas ele não pôde recuperar a Index como da forma em que estava.

Stiyl suspirou novamente. A parede de chamas o impediu de ir para a outra extremidade da passagem onde Index estava. Se houvesse outra escadaria de emergência do outro lado da passagem, ele conseguiria, mas dificilmente seria engraçado se Index fosse pega nas chamas enquanto ele fazia aquele desvio.

Stiyl balançou a cabeça, aborrecido, e falou enquanto espiava a fumaça pela última vez, como se pudesse ver através dela.

— Obrigado, excelente trabalho, e que pena. Bem, nesse nível, você não poderia ganhar mesmo se tivesse 1000 tentativas.

— Você realmente tem tanta certeza de que eu não posso vencer, não importa quantas vezes eu tente?

Por um instante, o mago congelou no lugar que voz percorreu por meio daquelas chamas infernais.Ni Yeze: Kukukuku…..a pessoa mais forte que vc e que anula tudo

Com um rugido, a parede de chamas e fumaça girou e foi levada embora.

Era como se um tornado tivesse aparecido no centro das chamas e fumaça e soprado todos para longe. Somente notável devido às imagens do dragão comumente associadas ao Imagine Breaker, mas a palavra japonesa para ‘tornado’ significa literalmente "dragão sinuoso"

Kamijou Touma ficou lá.

O corrimão de metal tinha sido derretido como uma escultura de açúcar, a pintura no chão e as paredes tinham descascado, e as luzes fluorescentes tinham derretido e escorrido no calor intenso, mas aquele menino permaneceu ileso no meio daquelas chamas infernais e abrasadoras.

— Honestamente, do que eu estava com tanto medo? - Disse Kamijou com os lados da boca torcidos em desinteresse - Esta é a mesma mão direita que destruiu a Igerja Ambulante da Index.

Kamijou realmente não entendia nada sobre o que era conhecido como magia.

Ele não sabia como isso funcionava ou o que estava acontecendo onde ele não podia enxergar. Muito provavelmente, ele só entenderia metade disso se fosse explicado a ele do começo ao fim.

Mas, havia uma coisa que até um idiota como ele sabia.

No final, foi apenas um poder sobrenatural.

As chamas carmesim que ele havia desfeito não haviam sido completamente extintas.

Em um círculo perfeito em torno de Kamijou, as chamas escaldantes continuaram a queimar. Mas…

— Saia do caminho.

Com essa afirmação, Kamijou tocou as chamas mágicas de 3000 graus com a mão direita e o resto das chamas desapareceu.

Era como se as velas de um bolo de aniversário tivessem sido apagadas de uma só vez.

Kamijou Touma olhou para o mago parado diante dele.

O mago estava tão aturdido quanto qualquer ser humano normal no inesperado rumo dos acontecimentos.

Na verdade, ele era um ser humano normal.

Se você socasse ele, ele sentiria dor, e se você o cortasse com uma faca barata, ele sangraria o mesmo líquido vermelho.

Ele era um mero ser humano.

As pernas de Kamijou não estavam mais cheias de medo e seu corpo não estava mais congelado com os nervos.

Seus braços e pernas se moviam normalmente.

Ele mudou!

— Qu-?

Enquanto isso, Stiyl quase deu um passo para trás, chocado com o fenômeno incompreensível diante dele.Ni Yezen: O jogo virou não é mesmo?? Isso chama protagonism!!!

Pelo que se tornara do ambiente, esse ataque não poderia ter sido um fracasso. Mas isso significa que o menino era forte o suficiente para suportar 3000 graus? Não, então ele não seria mais humano.

Kamijou Touma não deu atenção à confusão de Stiyl.

Apertou o punho direito com a força de uma pedra e deu um passo em direção a Stiyl, que se balançava de pé.

— Tch!!

Stiyl balançou a mão direita horizontalmente. A espada de fogo que apareceu seguiu o exemplo e voou com força para Kamijou.

E explodiu. Chamas e fumaça voavam.

Mas depois que as chamas e a fumaça foram sopradas para longe, Kamijou Touma ficou ali como antes.

— Poderia ele estar usando magia…? - Stiyl murmurou baixinho, mas ele imediatamente rejeitou a ideia.

Não poderia haver nenhum mago naquele país que soubesse mais sobre o Natal do que magia , só conhecesse o Natal como um dia de namoro e sexo.

Além disso, se Index, que não tinha poder mágico, tivesse juntado forças com um mago, ela não precisaria fugir. Isso provava o quanto as memórias da Index eram perigosas.

Esses 103.000 grimórios estavam em um nível completamente diferente do que simplesmente ter um míssil nuclear.

Todas as criaturas vivas acabariam morrendo, uma maçã salta do alto cairia no chão e um mais um era igual a dois. Você seria capaz de pegar esses tipos de regras naturais e imutáveis do mundo, destruí-las, reescrevê-las e criar novas. Você pode fazer com que um mais um fosse igual a três, que uma maçã caísse de baixo para cima e fazer com que todas as criaturas mortas sejam revividas.

Os magos chamavam tal ser um Deus mago.

Não o deus do mundo demoníaco, mas um mago que dominou completamente a magia a ponto de entrar no domínio de Deus. Deus mago é Majin (魔神), que também pode significar Deus demoníaco

Um Deus mago.

Mas, Stiyl não conseguia sentir nenhum poder mágico no garoto à sua frente.

Ele seria capaz de dizer de relance se ele era um mago. O menino não tinha o “cheiro” de alguém do mesmo mundo que ele.

Mas então, por quê?

— !!

Para esconder o estremecimento que se espalhava por seu corpo, Stiyl criou outra espada flamejante e atacou Kamijou.

Desta vez, nem sequer explodiu.

Kamijou golpeou a espada flamejante com a mão direita como se atingisse em uma mosca e a espada flamejante quebrou como vidro e desapareceu no ar.

Ele quebrou aquela espada de fogo de três mil graus com uma mão direita que não tinha reforços mágicos de qualquer tipo.

— Ah…

De repente, bem de repente, algo flutuou na mente de Stiyl Magnus.

O hábito da freira, Igreja Ambulante, de Index era da Classe do Papa e sua barreira rivalizava com uma catedral de Londres em seu poder. Era absolutamente impossível destruí-lo, a menos que o lendário Dragão de São Jorge aparecesse.

Mas a Igreja Ambulante de Index claramente havia sido totalmente destruída desde que Kanzaki a havia cortado.

Quem tinha feito isso? E como?

— ………………………………………

Nesse ponto, Kamijou Touma andou até Stiyl.

Com mais um passo, ele estaria perto o suficiente para dar um soco no mago.

MTWOTFFTO. (Um dos cinco grandes elementos de que o mundo é construído.) IIGOIIOF. (A grande chama do começo.)

Um suor desagradável começou a fluir do corpo inteiro de Stiyl. Isso porque a criatura em um uniforme de verão antes dele tomou a forma de um humano. A espinha de Stiyl tremeu quando ele teve a sensação de que dentro da pele daquele menino não havia carne e sangue, mas algo estranho escorrendo.Ni Yezen: Sera que ele tem sangue do caos kukukuku esse é dos meus

IIBOLAIIAOE. (É uma luz de bênção que eleva a vida e uma luz de julgamento que pune o mal.) IIMHAIIBOD. (Está transbordando de bênçãos calmas e com infelicidade gelada que destrói as trevas frias.) IINFIIMS. (Seu nome é fogo e seu papel é a espada.) ICRMMBGP! (Se manifeste e se torne o poder que come em meu corpo!)

O peito do hábito do padre Stiyl inchou e o poder de dentro saiu dos botões.

Com o rugido das chamas sugando oxigênio, uma massa gigantesca de chamas saiu de dentro de suas roupas.

Não foi apenas uma massa de chamas.

As chamas ardentes carmesim tinham algo preto e pingando como óleo combustível em seu núcleo. Estava na forma de um humano. A coisa era uma reminiscência das aves marinhas gotejando com óleo combustível preto depois de um acidente de um navio-tanque e estava eternamente queimando.

Seu nome era Innocentius. Significava algo como “eu com certeza irei te matar”.

Aquele deus flamejante gigante que tinha o significado da morte certa abriu os braços e atacou Kamijou Touma como uma bala.

— Saia do caminho.

Kamijou usou um golpe indireto com a atitude aborrecida de alguém deixar ao lado de uma teia de aranha.

Kamijou Touma acabou com o trunfo final de Stiyl Magnus. Como se ele tivesse esfaqueado um balão de água com um alfinete, o óleo combustível em forma humana simbolizando o deus gigante da chama explodiu e espalhou-se pela área.

— …?

Kamijou Touma não tinha nenhum motivo real para não dar o último passo naquele momento.

Era simplesmente porque Stiyl ainda estava sorrindo apesar de ter seu trunfo final destruído. Essa expressão foi o suficiente para fazê-lo hesitar antes de dar o último passo.

O som de um líquido viscoso em movimento podia ser ouvido de todos os lados.

— Qu-...!?

Como Kamijou deu um passo para trás em surpresa, o spray preto voltou de todas as direções, reunidos no ar, e reformou-se em uma forma humana.

Se Kamijou tivesse dado o último passo, ele certamente teria sido envolvido por chamas de todas as direções…

A mente de Kamijou foi jogada em desordem na cena diante de seus olhos. Se sua mão direita pudesse fazer o que ele sempre dizia, isso poderia negar até mesmo os sistemas de Deus vistos nos mitos em um único ataque. Se esse tivesse sido o poder sobrenatural conhecido como magia, ele deveria ter conseguido negá-lo com aquele único toque. E ainda…

O óleo combustível contido nas chamas se contorceu, mudou de forma e agora parecia estar segurando uma espada em ambas as mãos.

Não, não era uma espada. Era uma cruz gigante, de mais de dois metros de comprimento, do tipo usado para crucificar pessoas.

Ele levantou a cruz com as duas mãos e balançou-a para a cabeça de Kamijou como uma picareta.

— …!!

Kamijou imediatamente levantou a mão direita para receber o golpe. Sem contar sua mão direita, Kamijou era um simples estudante do ensino médio. Ele não tinha a habilidade de batalha necessária para ver através do ataque e evitá-lo.

A cruz e sua mão direita colidiram.

Desta vez, nem sequer desapareceu. Como se ele estivesse agarrando uma massa de borracha, Kamijou sentiu que ia ser o único a perder essa luta. Seu oponente estava usando as duas mãos enquanto ele só podia usar a mão direita. A cruz flamejante se aproximou da face de Kamijou, milímetro por milímetro.

Apesar de sua confusão, Kamijou mal conseguia perceber uma coisa. Aquela massa de chamas conhecida como Innocentius estava definitivamente reagindo ao seu Imagine Breaker. No entanto, estava sendo revivido logo após ser aniquilado. Muito provavelmente, a defasagem entre aniquilação e reavivamento foi inferior a um décimo de segundo.

Sua mão direita estava selada.

Se ele soltasse por um instante, ele provavelmente seria transformado em cinzas por Innocentius naquele instante.

Runas.

Kamijou Touma escutou algo.

Devido ao perigo na frente dele, ele não podia se virar, mas certamente ouviu a voz de alguém.

Esses vinte e quatro caracteres usados para indicar mistérios e segredos têm sido usados como uma linguagem mágica por tribos germânicas desde o segundo século e são encontrados nas raízes do inglês antigo.

No entanto, Kamijou não podia acreditar que era a voz da Index, apesar de saber que era.

— O qu-...?

Com o quão espancada e sangrenta ela estava, como ela poderia estar falando tão calmamente?

Atacar Innocentius não terá efeito. A menos que as gravuras rúnicas esculpidas nas paredes, no chão e no teto sejam eliminadas, ela será revivida quantas vezes forem necessárias.

Kamijou Touma agarrou seu pulso direito com a mão esquerda e mal conseguiu impedir a cruz de avançar mais.

Kamijou timidamente se virou.

A garota estava, de fato, desmaiada ali. Mas, Kamijou foi incapaz de dar o nome Index para "aquilo". Como uma máquina, seus olhos estavam totalmente carentes de emoção.

Com cada palavra que falava, mais sangue fluía da ferida nas costas.

Ela não prestou atenção a isso e parecia ser realmente nada mais do que um sistema destinado a explicar a magia.

— Você é a… Index, certo?

Sim. Eu sou a biblioteca de grimórios pertencente a Necessarius, a 0ª Paróquia da Igreja Anglicana. Meu nome próprio é Index Librorum Prohibitorum, mas isso pode ser abreviado para Index.

A maneira que a biblioteca de grimórios chamada Index estava agindo, Kamijou quase se esqueceu do deus flamejante gigante tentando matá-lo. Ele sentiu um calafrio vindo dela.

Com a minha introdução completa, voltarei à minha explicação da magia rúnica. Simplificando, é como um reflexo da lua em um lago à noite. Não importa quantas vezes você atinja a superfície do lago com uma espada, isso não tem sentido. Se você quiser atingir a lua na superfície do lago, você deve primeiro virar sua espada na lua real flutuando no céu noturno.

Depois de ouvir essa explicação, Kamijou finalmente se lembrou do inimigo na frente dele.

Ela quis dizer que o que estava diante dele não era a verdadeira forma do poder sobrenatural? Seria algo como uma fotografia e seu negativo, e ela continuaria a reviver a menos que ele destruísse um poder sobrenatural diferente que estava criando o deus flamejante gigante?

Mesmo assim, Kamijou não acreditava completamente no que o Index estava dizendo.

Não importa o que estava acontecendo ao seu redor, o conhecimento comum de que a magia não existia se recusava a deixá-lo.

Mas com Innocentius selando sua mão direita e impedindo-o de se mover, ele poderia testar qualquer coisa independentemente. E seria difícil pedir a Index para ajudá-lo, dado seu estado sangrento.

Cinzas para cinzas

Kamijou olhou em choque. Do outro lado do deus da chama gigante, uma espada flamejante apareceu na mão direita de Stiyl.

— … pó ao pó

E um outro. Uma espada de fogo branco-azulada se estendia silenciosamente de sua mão esquerda.

— …Melindroso Crucifixo Sangrento!

Com aquela sequência de palavras cheias de poder, ele balançou as duas espadas de chama horizontalmente para que elas cortassem diretamente o gigante deus flamejante da esquerda e da direita como uma tesoura gigante. Com a mão direita selada por Innocentius, Kamijou não conseguiu bloquear mais nada.

“Merda… eu preciso fugir!!”.

Antes que Kamijou Touma pudesse gritar, as duas espadas flamejantes atingiram o deus flamejante gigante e tudo se transformou em uma bomba gigante que explodiu.Ni Yezen: Ta pegando fogo bicho….kukuku….bom foi esse o capítulo comente o que acharam

Por Sora | 25/12/18 às 17:00 | Ficção Cientifica, Ação, Sobrenatural, Seinen, Japonesa, Comédia