CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 4 - O Mago Retraído Escolhe o Fim『(Nunca)Sempre Diga Adeus』

To Aru Majutsu no Index (Index)

Capítulo 4 - O Mago Retraído Escolhe o Fim『(Nunca)Sempre Diga Adeus』

Tradução: Sora | Revisão: yLoosT

Com o luar às suas costas, os dois magos atravessaram a porta ainda com seus sapatos de fora.

Stiyl e Kanzaki podem ter retornado, mas  Index não ficou no caminho dessa vez. Ela não gritou para eles saírem. Ela estava coberta de suor como se estivesse com febre e sua respiração era tão rasa que soava como se fosse a chama de uma vela.

Ela estava com dor de cabeça.

Uma dor de cabeça tão grande que parecia que até mesmo o leve som de neve acumulada iria rachar sua cabeça.

— …

Kamijou e os magos não proferiram uma palavra.

Sem nem mesmo tirar seus sapatos, Stiyl entrou e empurrou Kamijou para o lado enquanto o menino estava pasmo. O empurrão não teve muita força, mas Kamijou não conseguiu se manter firme. Ele caiu de bunda no topo dos velhos tatames como se toda a força tivesse deixado seu corpo.

Stiyl nem olhou na direção de Kamijou.

Ele se ajoelhou ao lado de Index, cujos membros estavam esparramados fracamente. O mago então murmurou algo em voz baixa.

Seus ombros estavam tremendo.

Ele era uma representação perfeita da raiva humana que você sentia quando alguém precioso para você era ferido diante de seus olhos.

— Com base no Moonchild de Crowley, usaremos o método de capturar um anjo para criar uma cadeia de eventos que convocará, capturará e terá uma fada funcionando para nossos fins.

Tendo reunido sua resolução, Stiyl levantou-se.

Sua expressão quando ele se virou era vazia, com o menor indício de humanidade.

Seu rosto era o rosto de um mago que havia desistido de sua humanidade para salvar uma certa garota.

— Kanzaki, me dê sua ajuda. Precisamos destruir suas memórias.

Kamijou se sentiu como se aquelas palavras fossem apunhaladas na parte mais frágil de seu coração.

— Ah…

Ele sabia que roubar Index de suas memórias era apenas para salvá-la.

E Kamijou disse uma vez a Kanzaki que eles não deveriam hesitar em destruir suas memórias se estivessem realmente agindo apenas pelo amor de Index. Não importa quantas vezes ela perdeu suas memórias, eles só tiveram que dar a ela memórias ainda melhores da próxima vez. Dessa forma, ela poderia esperar ansiosamente pelo próximo ano, mesmo que tivesse que perder suas memórias.

Mas...

Não seria esse apenas um compromisso a ser feito depois de esgotar todas as outras opções?

— …

Sem perceber, Kamijou começou a apertar o punho com força suficiente para quebrar as unhas.

Ele poderia fazer isso? Ele poderia simplesmente desistir? Qualquer número de instalações de pesquisa que tratam das memórias e mentes das pessoas existia na Cidade Acadêmica. Ele poderia realmente desistir daqui enquanto houvesse uma maneira mais feliz de salvar a Index em uma dessas instalações? Usar magia antiquada destruiria as lembranças que ela mais se importava. Foi realmente bom continuar contando com o método mais fácil do mundo e o método mais cruel do mundo?

Não, não era isso que importava.

Todo esse raciocínio enfadonho e racionalização não importavam mais.

Poderia ele… Poderia Kamijou Touma suportar a semana que passou com Index revertida para uma lista em branco como se alguém estivesse apagando os dados salvos de um videogame?

— Espere…

Kamijou Touma ergueu sua cabeça.

Ele diretamente e honestamente levantou a cabeça com a intenção de se opor aos magos que estavam agindo para salvar a Index.

— Espere, por favor espere! Só um pouquinho mais! Só um pouco! Há 2,3 milhões de Espers na Cidade Acadêmica e há mais de 1000 instituições de pesquisa administrando tudo isso. Há Psicometria, Marionete, Telecinesia e Materialização! Temos toneladas de Espers que podem manipular mentes e laboratórios que desenvolvem a mente! Se conseguirmos a ajuda deles, talvez não precisemos confiar nesse método horrível!

— …

Stiyl Magnus nada disse.

Ainda assim, Kamijou continuou a gritar para o mago de fogo.

— Você também não quer esse método, certo? No fundo do seu coração, você está rezando para que haja outro jeito, certo? Então espere um pouco mais. Vou me certificar de encontrar um final em que todos estejam sorrindo e todos estejam felizes! Então…!!

— …

Stiyl Magnus nada disse.

Kamijou não tinha ideia do por que de estar indo tão longe. Ele só conheceu a Index uma semana atrás. Ele tinha vivido por 16 anos antes disso sem conhecê-la e não havia razão para que ele não fosse capaz de viver uma vida normal sem ela a partir de então.

Não havia motivo para isso, mas ele sabia que não podia.

Ele não sabia por quê. Ele não tinha certeza se precisava de um motivo.

Ele só sabia que doía.

Doeu pensar que suas palavras, seu sorriso e seus maneirismos nunca seriam dirigidos a ele novamente.

Doeu pensar que as lembranças daquela semana seriam facilmente apagadas por outra pessoa como se um botão de reset estivesse sendo pressionado.

Só de pensar na possibilidade, uma grande dor na parte mais preciosa e gentil de seu coração foi causada.

— …

O silêncio percorreu a sala.

Era como o silêncio em um elevador. Em vez de um silêncio onde não havia absolutamente nada para fazer barulho, aquele estranho silêncio era preenchido apenas pelo leve som da respiração, onde as pessoas ali permaneciam quietas.

Kamijou levantou a cabeça.

Com grande cautela, ele olhou para o mago.

— É tudo o que você quer dizer, seu fracassado hipócrita?

E...

Isso foi tudo que o mago rúnico Stiyl Magnus disse.

Não foi que ele não tivesse escutado o que Kamijou disse.

Seus ouvidos captaram cada uma das palavras de Kamijou, ele as processou, e ele compreendeu seu significado, bem como os sentimentos escondidos abaixo da superfície.

E, no entanto, Stiyl Magnus não se mexeu tanto quanto apenas uma sobrancelha.

As palavras de Kamijou não tinham o alcançado nem um pouco.

— Fora do caminho. - disse Stiyl.

Kamijou não tinha ideia de como os músculos de seu rosto estavam se movendo.

Sem sequer um suspiro, Stiyl disse para Kamijou.

— Olhe.

Ele apontou.

Antes que Kamijou pudesse olhar na direção que Stiyl estava apontando, ele agarrou o cabelo do garoto.

— Olhe!!

— Ah… - A voz de Kamijou congelou novamente.

Diante de seus olhos, viu a Index, parecendo que a sua respiração poderia parar a qualquer momento.

— Você pode dizer a mesma coisa na frente dela? - A voz de Stiyl estava tremendo - Você pode dizer a mesma coisa enquanto ela está a meros segundos da morte? Você pode dizer a mesma coisa enquanto ela está com muita dor até mesmo para abrir os olhos? Você pode dizer a ela para esperar porque você tem algumas coisas que gostaria de experimentar!!?

— …

Os dedos de Index se mexeram. Não estava claro se ela estava apenas consciente ou se estava se movendo inconscientemente, mas ela moveu desesperadamente a mão que parecia tão pesada quanto o chumbo e tentou tocar o rosto de Kamijou.

Era como se ela estivesse tentando desesperadamente proteger Kamijou quando o mago agarrou seu cabelo.

Era como se ela não sentisse que sua dor intensa importava.

— Se você puder, então você não é humano! Qualquer um que pudesse vê-la assim e ainda injetá-la com alguma droga não testada, deixar algum médico estranho mexer com seu corpo e encher seu corpo com drogas não pode ser humano! - O grito de Stiyl atingiu os tímpanos de Kamijou e entrou em seu cérebro - Responda-me, Esper. Você ainda é humano ou é um monstro que abandonou sua humanidade!?

— …

Kamijou não pôde responder.

Stiyl deu um último golpe como uma espada no coração de alguém que já estava morto.

Ele puxou um colar com uma pequena cruz do bolso.

— Esta ferramenta é necessária para destruir suas memórias. - Stiyl acenou a cruz na frente do rosto de Kamijou - Como você pode imaginar, é um item mágico. Se você tocá-lo com a mão direita, ele deve perder todo o poder, assim como o meu Innocentius.

A cruz balançava para frente e para trás na frente de Kamijou como uma moeda de 5 ienes sendo usada para um pouco de hipnotismo.

Mas, você pode destruir isso, Esper?

Como se ele tivesse congelado no local, Kamijou olhou para Stiyl.

— Enquanto aquela garota está sofrendo diante dos seus olhos, você pode tirar isso dela? Se você acredita tanto em seu próprio poder, então destrua, mutante que pensa que é um herói!

Kamijou olhou.

Ele olhou para a cruz balançando diante de seus olhos. Ele olhou para aquela cruz abominável que poderia roubar as pessoas de suas memórias.

Como Stiyl dissera, ele poderia impedir a exclusão das memórias de Index se ele tirasse isso dele.

Não era nada difícil. Ele só precisava estender a mão e tocá-la levemente com as pontas dos dedos.

Isso foi tudo. Deveria ter sido tão fácil.

Kamijou apertou a mão direita trêmula até ficar tão dura quanto rocha.

Mas, ele não podia fazer isso.

No momento, a magia era a única maneira segura e certeira de salvar a Index.

Como ele poderia tirar isso da garota que estava sofrendo e suportando tudo isso?

Ele simplesmente não podia.

— Nossos preparativos estarão completos às 0:15, no mínimo. Vamos destruir suas memórias usando o poder de Leão. - disse Stiyl a Kamijou em desinteresse.

0:15… ele provavelmente tinha uns 10 minutos restando.

— …!!

Ele queria gritar e dizer-lhes para parar. Ele queria gritar e pedir que esperassem. No entanto, Kamijou não seria o único que sofreria como resultado. O custo do egoísmo de Kamijou voltaria a Index.

“Apenas aceite”.

–Meu nome é Index.

“Apenas aceite de uma vez”.

–De qualquer forma, seria ótimo se você me alimentasse até me encher.

“Apenas aceite que você, Kamijou Touma, não possui poder e nem direito algum de salvar Index”.

Kamijou estava sem capacidade para gritar ou chorar.

Ele só podia olhar para o teto, cerrar os dentes de trás e deixar que as lágrimas que ele não conseguia segurar caíssem.

— Ei, mago… - murmurou Kamijou, enquanto continuava a olhar para o teto e encostar-se à estante - Como você acha que eu deveria me despedir dela no final?

— Nós não temos tempo para esse absurdo.

— Entendo… - Kamijou repetiu inexpressivamente.

Kamijou teria permanecido congelado no local, mas Stiyl não desistiu.

— Saia daqui, monstro. - O mago olhou para Kamijou - Sua mão direita negou minhas chamas. Eu ainda não entendo como isso funciona, mas não podemos interferir no feitiço que vamos usar.

— Entendo… - Kamijou repetiu inexpressivamente.

Kamijou deu um pequeno sorriso como se tivesse se tornado um cadáver.

— Foi o mesmo com aquela ferida nas costas. Por que nunca há algo que eu possa fazer?

— Como eu deveria saber? - Os olhos de Stiyl pareciam dizer.

— Eu posso destruir até mesmo os sistemas de Deus com esta mão direita. - Kamijou parecia desmoronar - Então, por que não posso salvar apenas uma menina que está sofrendo?

Ele sorriu.

Ele não amaldiçoou o destino e não culpou o infortúnio. Ele apenas refletiu sobre sua própria impotência.

Kanzaki olhou para ele com uma expressão de dor e disse.

— Ainda temos 10 minutos até realizarmos a cerimônia às 0:15.

Stiyl olhou para Kanzaki como se não acreditasse no que estava vendo.

Mas, Kanzaki apenas sorriu quando olhou para Stiyl.

— Na noite em que primeiro juramos apagar suas memórias, passamos a noite inteira chorando ao lado dela. Não é verdade, Stiyl?

— … - Stiyl ficou em silêncio por um momento, como se sua respiração estivesse presa na garganta - M-Mas não temos ideia do que ele fará. E se ele tentar um suicídio duplo enquanto não estamos observando?

— Se ele estivesse disposto a fazer isso, você não acha que ele teria tocado a cruz imediatamente? Você só usou a cruz real em vez de uma farsa porque já tinha certeza de que ele era humano, certo?

— Mas…

— O que quer que façamos, não podemos realizar a cerimônia até a hora certa. Se ele tiver algum arrependimento, ele pode tentar nos impedir no meio da cerimônia, Stiyl.

Stiyl rangeu seus dentes.

Ele se segurou como se estivesse prestes a explodir e arrancando a garganta de Kamijou como uma fera.

— Você tem dez minutos. Okay!?

Ele então se virou e saiu do apartamento.

Kanzaki silenciosamente seguiu Stiyl da sala, mas um sorriso comovente pôde ser visto em seus olhos.

A porta se fechou.

Apenas Kamijou e Index permaneceram no quarto. Aqueles 10 minutos foram ganhos com o risco de vida, não de Kamijou, mas a de Index. E ainda Kamijou não tinha ideia do que ele deveria fazer.

— Ah… kh. Fh…

Alguns barulhos estranhos escaparam dos lábios de Index enquanto ela jazia fracamente esparramada. Kamijou pulou em choque.

Index abriu os olhos ligeiramente. Ela parecia estar se perguntando por que ela estava no futon e se preocupando sobre onde Kamijou estava quando ele deveria ser o único no futon.

Ela havia completamente esquecido de si mesma.

— …

Kamijou rangeu os dentes. Ele estava com mais medo de estar diante dela naquele momento do que de lutar contra aqueles magos.

Mas, ele não podia fugir também.

— Touma?

Kamijou se aproximou do futon e Index deu um suspiro de alívio. O olhar em seu rosto coberto de suor era de alívio do fundo do coração.

— Me desculpe… - disse Kamijou enquanto abaixava a cabeça para encontrar o olhar de Index.

— …? Touma, há algum tipo de círculo mágico nesta sala.

Index estava inconsciente, então ela não sabia que aquilo havia sido desenhado por aqueles dois magos. Ela inclinou a cabeça para o lado em um sinal afeminado de perplexidade enquanto olhava para os símbolos desenhados na parede perto do futon.

— …

Por um instante Kamijou cerrou os dentes de trás.

Foi por apenas um instante. Antes que alguém pudesse notar, sua expressão estava de volta ao normal.

— É para magia de recuperação… Não podemos deixar suas dores de cabeça piorarem agora, podemos?

— ? Magia… quem está lançando isso?

Nesse ponto, uma certa possibilidade entrou na mente do Index.

— !?

Ela forçou seu corpo imóvel a se mover e tentou se erguer. Quando seu rosto torceu de dor, Kamijou segurou seus ombros e empurrou-a de volta para o futon.

— Touma! Aqueles magos voltaram!? Touma, você precisa sair daqui!!

Index olhou para Kamijou com uma expressão de descrença. Ela sabia o quão perigosos os magos eram, então ela estava preocupada por Kamijou do fundo do seu coração.

— Está tudo bem, Index.

— Touma!

— Acabou. Já terminou…

— Touma - disse Index calmamente e então toda a força deixou seu corpo.

Kamijou não tinha ideia de qual expressão estava em seu rosto.

— Me desculpe… - disse Kamijou - Vou ficar mais forte. Eu nunca mais vou perder de novo. Vou ficar forte o suficiente para chutar as bundas de todas as pessoas que te tratarem assim…

Até o choro teria sido covarde.

Convidar sua simpatia era impensável.

— Apenas espere. Da próxima vez, vou me certificar de que realmente vou te salvar…

Como ele olhou nos olhos de Index?

Como ele soou aos ouvidos de Index?

— Eu entendo. Eu vou esperar.

Como ela não conhecia a situação, pareceu a Index que Kamijou perdeu para o inimigo e vendeu a garota para sua própria segurança.

E ainda assim ela sorriu.

Seu sorriso foi maltratado. Seu sorriso era perfeito. Seu sorriso parecia desmoronar a qualquer momento. E ainda assim ela sorriu.

Kamijou não conseguia entender.

Ele não podia mais entender como ela poderia ser tão confiante nas pessoas.

Mas isso foi quando ele se decidiu.

— Uma vez que suas dores de cabeça melhorem, vamos acabar com esses magos e ganhar sua liberdade. - disse ele - Eu gostaria de ir à praia depois disso, mas teremos que esperar até que minhas aulas complementares acabem. - disse ele.

— Você gostaria de se transferir para a minha escola depois que as férias de verão terminarem? - Ele perguntou.

— Eu gostaria de fazer todos os tipos de memórias. - disse Index.

— Você vai. - prometeu Kamijou.

Ele continuou com a mentira.

Não importava o que era verdade e o que era falso. Ele não precisava mais do tipo de justiça fria, cruel e adequada que não podia confortar nem mesmo uma simples garota.

O menino com o nome de Kamijou Touma não precisava de justiça ou maldade.

As palavras da raposa eram mais do que suficientes para ele.

E foi por isso que Kamijou Touma não derramou uma única lágrima.

Nem mesmo uma.

— …

Com um leve ruído, toda a força deixou a mão da Index e caiu sobre o futon.

Tendo desmaiado mais uma vez, Index parecia um cadáver.

— Mas… - Kamijou suavemente mordeu o lábio enquanto olhava para o rosto febril de Index. - …que tipo de final horrível é esse?

Ele provou o sangue de onde ele estava mordendo o lábio.

Ele odiava como ele sabia que o que estava acontecendo era errado e, ainda assim, ser impotente para interromper aquilo. Sim. Kamijou não pôde fazer nada. Ele não podia fazer nada sobre os 103.000 grimórios ocupando 85% do cérebro da Index ou para proteger as memórias preenchendo os 15% restantes.

— …Huh?

Enquanto pensamentos sem esperança corriam por sua mente, Kamijou de repente sentiu que algo estava errado.

85%?

Kamijou olhou para o rosto febril de Index.

85%. Sim, foi o que Kanzaki disse. 85% do cérebro de Index estava preenchido com os 103.000 grimórios que ela havia memorizado. A pressão que colocou em seu cérebro significava que nele só poderia caber um ano de memórias nos 15% restantes. Se ela acrescentasse mais memórias do que isso, seu cérebro explodiria.

“Mas, espere um segundo”.

Como 15% poderia abranger apenas um ano de memórias?

Kamijou não tinha ideia de quão rara era a condição de uma memorização perfeita. No entanto, ele tinha certeza de que não era tão raro a ponto de que Index fosse a única pessoa no mundo com essa condição.

E os outros com uma memorização perfeita não usaram algum método ridículo como magia para apagar suas memórias.

Se fosse verdade que 15% do cérebro só poderia guardar um ano de memórias…

— Isso significa que eles morreriam por volta dos 6 ou 7 anos de idade…

Se a condição fosse semelhante a algum tipo de doença incurável, não seria mais conhecida?

Além disso…

Onde Kanzaki conseguiu esses números de 85% e 15%?

Quem disse isso a ela?

As informações sobre 85% do cérebro foram precisas?

— Eles foram enganados…

E se Kanzaki realmente não soubesse nada sobre neurociência? E se ela tivesse simplesmente aceitado o que seus superiores na Igreja lhe haviam dito?

Kamijou teve um sentimento muito ruim.

Ele correu para o telefone preto no canto da sala. A professora Komoe estava em algum lugar. Ele procurou em todo o quarto e encontrou o número do celular dela não muito antes, então isso não era um problema.

O som de toque mecânico que tinha um jeito de realmente agravar as pessoas continuou por um tempo.

Kamijou tinha a sensação de que algo estava errado na descrição de Kanzaki de uma memorização perfeita. E se esse erro fosse intencionalmente colocado lá pela igreja? Eles podem estar escondendo algum tipo de segredo lá.

Com um ruído estático, o telefone finalmente foi atendido.

— Professora!! - Kamijou gritou quase inteiramente reflexivamente.

— Ohh, é você, Kamijouzinho ~? Você não deveria estar usando meu telefone ~.

— Você parece feliz…

— Sim ~… estou em um banho público agora mesmo ~. Eu tenho um café com leite em uma mão enquanto testo uma nova cadeira de massagem ~. Sim ~.

— …

Kamijou pensou que ele estava prestes a esmagar o receptor, mas a situação de Index era mais importante no momento.

— Professora, por favor, apenas ouça em voz baixa o que eu tenho a dizer. A verdade é…

Kamijou perguntou sobre memórias perfeitas.

O que eram elas? Um ano inteiro de memórias realmente consumiu 15% do cérebro? Em outras palavras, foi uma condição que definiu o tempo de vida de apenas 6 ou 7 anos?

— Claro que não ~. - Komoe cortou tudo em uma frase curta - É verdade que uma memória perfeita faz com que você não consiga esquecer lembranças inúteis como o panfleto de uma venda do ano passado em um supermercado. Mas não é como se o cérebro pudesse explodir com isso ~. Eles simplesmente trazem seus cem anos de memórias com eles para o túmulo deles ~. O cérebro humano pode armazenar até 140 anos de memórias, apesar de tudo ~.

O coração de Kamijou pulou uma batida.

— M-Mas, e se eles estavam aprendendo as coisas a um ritmo tremendo? Como se eles usassem sua capacidade de memorizar todos os livros de uma biblioteca? Seu cérebro estouraria, então?

Suspiro… Kamijouzinho, eu posso ver porque você falha todas as suas lições de desenvolvimento ~. - disse a professora Komoe alegremente. - Ouça, Kamijouzinho ~. As pessoas não têm apenas um tipo de memória. Coisas como linguagem e conhecimento caem sob memórias semânticas, coisas como se acostumar com certas ações se enquadram em memórias procedimentais, e o que mais frequentemente pensamos como memórias caem sob memórias episódicas. Existem todos os tipos e classificações ~. Todos os tipos ~.

— Hum, professora… eu realmente não entendo o que você quer dizer.

— Basicamente ~. - Komoe adorava explicar as coisas, então ela ficou encantada - Cada tipo de memória entra em contêineres diferentes ~. Pense nisso como lixo incinerável e lixo não queimado ~. Se você for atingido na cabeça e tiver amnésia, não comece a falar todo rabugento e a rastejar no chão, certo ~?

— Então…

— Sim ~. Não importa quantos livros de uma biblioteca a pessoa memorizasse, isso só aumentaria a quantidade de memória semântica ~. De acordo com a neurociência, é absolutamente impossível que isso sobrecarregue a memória episódica da pessoa ~.

Kamijou sentiu como se tivesse recebido aquele suposto golpe na cabeça.

O receptor escorregou de sua mão. O receptor caído bateu no gancho, terminando a chamada, mas Kamijou não tinha mais tempo para se importar.

A Igreja mentiu para Kanzaki.

A memorização perfeita de Index não era um perigo para sua vida.

— Mas… por quê? - Kamijou murmurou em choque.

Sim, porque? Por que a Igreja mentiria e diria que Index morreria em um ano quando isso não era verdade?

Além disso, o sofrimento de Index estava passando ante os olhos de Kamijou, para que certamente não parecesse mentira. Se não estava sendo causado por sua memória perfeita, então por que ela estava sofrendo?

— …Ha.

Depois de pensar tão longe, Kamijou de repente riu alto.

Sim. A Igreja colocou uma coleira em Index.

Uma coleira que a fazia necessitar de manutenção da igreja todos os anos para sobreviver. Uma coleira que assegurava que a Index não usaria os 103.000 grimórios que ela obtinha para traí-los.

Nesse caso, a Igreja nunca seria capaz de deixar a Index. Se ela pudesse sair e desaparecer com os 103.000 grimórios, eles sentiriam a necessidade de colocar uma coleira nela.

Repetindo, a Igreja colocou uma coleira na Index.

Isso simplificou as coisas.

Originalmente, não havia nada de errado com a cabeça da Index, mas a Igreja havia feito algo para isso.

— …Ha, ha.

Por exemplo, e se eles tivessem feito algo semelhante para encher o fundo de um balde de dez litros com cimento, então apenas um litro de água poderia servir?

Eles haviam feito algo com a cabeça de Index, de modo que seu cérebro explodisse depois de apenas um ano de recordações.

Dessa forma, Index teve que confiar nas técnicas e feitiços da Igreja.

Dessa forma, os companheiros da Index teriam que reprimir suas lágrimas e fazer o que a Igreja queria.

Eles montaram um programa diabólico que levou a gentileza e a simpatia humanas em consideração.

— Mas, isso não importa…

Sim, isso realmente não importava.

O que importava e com o que ele tinha que se preocupar era apenas uma coisa. Essa era a identidade da segurança da Igreja que estava fazendo a Index sofrer. A Cidade Acadêmica que controlava os Espers, como Kamijou, era a ponta da ciência. O que era a ponta do Necessarius, que controlava esses magos da mesma maneira?

Sim, o poder sobrenatural conhecido como magia.

E a mão direita de Kamijou Touma poderia negar isso com um toque, mesmo que fossem os sistemas de Deus.

Naquele quarto sem relógio, Kamijou se perguntou que horas eram.

Ele provavelmente não teria muito tempo até a cerimônia começar. Ele olhou para a porta do apartamento. Se ele contasse a verdade para os magos do outro lado daquela porta, eles acreditariam nele? A resposta seria não. Kamijou era apenas um estudante do ensino médio. Ele não possuía uma licença médica em neurociência, e seu relacionamento com os magos também poderia ser chamado de "inimigos". Ele duvidava que eles acreditassem nele.

Kamijou baixou o olhar.

Ele olhou para Index, que estava esparramada no futon. Ela estava toda encharcada com um suor desagradável e parecia que um balde de água tinha sido despejado em seu cabelo prateado. Seu rosto estava febrilmente vermelho e suas sobrancelhas ocasionalmente moviam-se de dor.

–Quanto aquela garota está sofrendo diante dos seus olhos, você pode tirar isso dela? Se você acredita muito em seu próprio poder, então negue, você é um mutante que apenas pensa que é um herói!

Kamijou deu um leve sorriso com as palavras que Stiyl havia lhe dado antes.

O mundo mudou o suficiente para que ele pudesse sorrir.

— Eu não apenas acho que sou um herói.

Ainda sorrindo, ele removeu as bandagens brancas completamente enroladas em torno de sua mão direita.

Era como se ele estivesse removendo um selo da mão.

— Eu serei um herói.

Ele falou, ele sorriu, e ele pressionou sua mão direita machucada contra a testa de Index.

Enquanto ele disse que poderia negar até mesmo os sistemas de Deus, ele pensou que era uma mão direita inútil que não o deixaria derrotar nem mesmo um único delinquente, não aumentaria sua pontuação nas provas e não o tornaria popular entre as garotas.

Mas, havia uma coisa que poderia fazer.

Se pudesse salvar a garota que estava sofrendo diante de seus olhos, ela possuía um poder maravilhoso.

…?

— ……………...Huh?

Nada aconteceu. Nada aconteceu, afinal de contas.

Não houve luz, nem barulho, mas a magia que a igreja havia colocado na Index foi negada? Não, Index ainda estava fazendo uma careta como se estivesse com dor. Certamente parecia que nada havia acontecido.

Kamijou olhou intrigado e tocou-a na bochecha e na parte de trás da cabeça, mas nada aconteceu. Nada mudou. Nada mudou, mas ele se lembrou de algo.

Kamijou já havia tocado na Index algumas vezes.

Por exemplo, ele a tocou quando a carregou do prédio do dormitório depois de socar Stiyl. Quando Index revelou sua identidade dentro do futon, Kamijou a atingiu levemente na testa. Mas, é claro que nada havia acontecido.

Kamijou pareceu intrigado. Ele não achava que estivesse errado. Além disso, ele duvidava que houvesse algum poder sobrenatural que sua mão direita não pudesse negar. Nesse caso…

Nesse caso, havia alguma parte de Index que ele não havia tocado?

— ………………….Ah.

Sua mente imediatamente saltou para um lugar muito inadequado, mas ele forçou a voltar aos trilhos.

No entanto, ele não conseguia pensar em nenhum outro lugar além daquele. Se era magia que estava afligindo Index e não havia magia que a mão direita de Kamijou não pudesse negar, então ele só podia pensar que sua mão direita ainda tinha que tocá-la.

Mas, então, onde seria isso?

Kamijou olhou para o rosto febril do Index. Já que a magia tinha a ver com memórias, a magia estaria localizada em sua cabeça ou em algum lugar perto de sua cabeça? Se houvesse um círculo mágico esculpido no interior de seu crânio, até mesmo Kamijou teria que simplesmente desistir. Se estivesse dentro de seu corpo, ele não poderia tocá-lo exatamente com o dedo que estava coberto de germes, mas…

— Oh…

Kamijou olhou para o rosto de Index mais uma vez.

Suas sobrancelhas se moviam de dor, seus olhos estavam bem fechados e seu nariz estava coberto de suor parecido com lama. Ignorando tudo isso, Kamijou baixou o olhar para seus lábios fofos tomando respirações rasas.

Kamijou enfiou o polegar e o indicador direito entre os lábios e forçou a boca a se abrir.

A parte de trás da garganta dela.

Devido à proteção do crânio, isso estava mais perto de seu cérebro do que da parte de trás de sua cabeça. Além disso, as pessoas quase nunca a veriam e ninguém queria tocá-la. Na parte de trás de sua garganta vermelha escura, havia uma marca misteriosa como algo dos horóscopos na TV. A marca foi esculpida em preto puro.

— …

Kamijou estreitou os olhos uma vez, reuniu sua determinação e, em seguida, enfiou a mão na boca da garota.

Sua boca se contorceu como se fosse uma criatura completamente diferente quando seus dedos deslizaram para dentro. A saliva estranhamente quente envolveu seus dedos. A sensação inquietante de sua língua fez Kamijou hesitar por um instante, mas ele então pressionou os dedos no resto do caminho para espetar a parte de trás da garganta do Index.

Para Kamijou, pareceu que a Index estremeceu violentamente com um forte desejo de vomitar.

Kamijou sentiu um leve choque em seu dedo indicador direito como se fosse eletricidade estática.

No mesmo momento, sua mão direita foi levada para trás com força.

— Gah…!?

Um grande número de gotas de sangue pingou no futon e nos tatames.

Parecia que seu pulso havia sido disparado por uma arma, então Kamijou instintivamente olhou para a mão direita. As feridas que Kanzaki lhe dera haviam reaberto e sangue fresco escorria sobre os tatames.

Quando ele levantou a mão a frente de seu rosto, ele notou algo além disso.

Enquanto Index estava no futon, os olhos dela abriram-se silenciosamente e eles brilharam em vermelho.

Não era a cor dos globos oculares dela.

Círculos mágicos vermelho sangue flutuando dentro de seus olhos estavam brilhando.

“Nada bom…!!”.

Um arrepio instintivamente correu pela espinha de Kamijou. Ele nem sequer teve tempo de segurar a mão direita destruída.

Os olhos do Index brilharam com um vermelho assustador e algo explodiu.

Com um tremendo choque, o corpo de Kamijou atingiu a estante de livros. As tábuas de madeira que compunham a estante de livros foram esmagadas e todos os livros trovejaram até o chão. Uma dor intensa correu sobre o corpo de Kamijou como se todas as juntas tivessem sido esmagadas junto com a estante de livros.

Tremendo, Kamijou mal conseguiu se levantar enquanto suas pernas estavam prestes a desmoronar abaixo dele. O gosto metálico do sangue foi misturado com a saliva em sua boca.

Aviso: Capítulo 3, Verso 2. Todas as barreiras para o colar do Index Librorum Prohibitorum do primeiro para o terceiro foram violadas. Preparando-se para regenerar… falha. O colar não se auto-regenera. Mudar de prioridade para eliminar o intruso, a fim de proteger os 103.000 grimórios arquivados.

Kamijou olhou para o que estava diante dele.

Index levantou-se lentamente de uma maneira inquietante que fazia parecer que ela não tinha ossos ou articulações e era simplesmente um saco cheio de gelatina. Os círculos mágicos vermelhos nos olhos dela perfuraram Kamijou.

Enquanto eles eram tecnicamente olhos, Kamijou achou difícil pensar neles como tal.

Eles não tinham luz humana nem calor feminino.




Kamijou já tinha visto esses olhos antes. Quando as costas da garota foram cortadas por Kanzaki e ela desmaiou em frente ao dormitório dos estudantes, ela havia falado como uma máquina. Estes eram os olhos que ela tinha naquele momento.

–Eu não tenho poder mágico, então não posso usá-lo.

— Pensando nisso, houve uma coisa que eu esqueci de perguntar a você. - Kamijou murmurou sob sua respiração quando ele apertou o punho direito abatido - Se você não é uma Esper, por que você não tem poder mágico?

A resposta a essa pergunta era provavelmente o que estava diante dele. A Igreja havia preparado várias camadas de segurança. Se alguém descobrisse o segredo de sua memória perfeita e tentasse remover a coleira, ou melhor, o colar, Index usaria automaticamente seus 103.000 grimórios para usar a poderosa magia contida para, literalmente, impedir que a pessoa que sabia a verdade dissesse algo de novo. Todo o poder mágico de Index foi colocado em funcionamento naquele sistema de defesa automática.

Usar os 103.000 grimórios arquivados para determinar a magia usada para danificar a barreira… falhou. A magia especificada não pode ser determinada. Reunindo uma arma local anti-intruso para expor a composição do feitiço. - Index inclinou a cabeça como se ela fosse um cadáver sendo controlado através de cordas - A magia esperada para ser mais eficaz no intruso específico foi montada. Prosseguindo para ativar a magia especial conhecida como Santuário de São Jorge para destruir o intruso.

Com um tremendo barulho, os dois círculos mágicos nos olhos de Index cresceram de uma só vez. Dois círculos mágicos com mais de dois metros foram posicionados em frente ao rosto da Index. Cada um foi fixado no lugar com o centro sobre um dos olhos, para que os círculos mágicos se movessem pelo ar, mesmo quando ela movesse um pouco a cabeça.

— …

Index cantou algo que estava além da compreensão humana.

Por um instante, os dois círculos mágicos centrados nos olhos dela brilharam antes de explodirem. Mais especificamente, parecia que uma explosão de eletricidade de alta voltagem ocorria em um ponto no espaço entre os olhos da Index, e raios espalhavam-se em todas as direções.

No entanto, em vez de eletricidade branca azulada, o raio parecia escuro.

É uma descrição muito pouco científica, mas parecia que o próprio espaço havia se aberto. Centrado no ponto em que os dois círculos mágicos se cruzavam, as rachaduras no espaço espalharam-se em todas as direções e nas bordas da sala.

Era como uma janela que havia sido acertada por uma bala. Quase parecia um tipo de barreira que impedia que alguém se aproximasse da Index.

Algo que parecia estar pulsando cresceu de dentro das rachaduras.

Um cheiro de besta surgiu da pequena abertura criada pelas rachaduras de breu.

— Ah.

Kamijou de repente soube.

Isso não foi baseado em teoria ou lógica. Nem foi baseado na razão ou no sentido. Algo como seus instintos básicos gritavam para ele. Ele não sabia o que exatamente a coisa dentro das rachaduras era. No entanto, ele sabia que vê-lo - vendo-o direta e honestamente - seria o suficiente para destruir o ser que era Kamijou Touma.

— Ah.

Kamijou tremeu.

As rachaduras se espalharam, e se espalharam, e se espalharam, e se espalharam. Mesmo sabendo que o que estava dentro se aproximava, ele não conseguia se mexer. Ele tremeu, e tremeu um pouco mais, e ele realmente tremeu. Apesar de tudo…

Ele só tinha que derrotar o que quer que fosse.

Ele e somente ele tinham a mão e a capacidade de salvar Index.

— Ah, hahahahahahahahaha!!

E foi por isso que ele tremeu de prazer.

Ele estava com medo? Claro que não. Afinal, ele estava esperando por esse momento por tanto tempo.

Enquanto ele disse que poderia negar até mesmo os sistemas de Deus, sua mão era tão inútil que não o deixaria derrotar nem mesmo um único delinquente, não aumentaria sua pontuação nas provas e não o tornaria popular entre as garotas.

Quando as costas de uma garota foi aberta devido a ele, quando ele foi forçado a deixar o apartamento para não interferir com a magia de recuperação, e quando a garota samurai que usava fios o havia espancado em uma polegada de sua vida, ele tinha amaldiçoado sua própria impotência enquanto desejava o tempo todo que ele pudesse salvar aquela garota!

Não era que ele particularmente quisesse se tornar o herói dessa história.

Foi só que ele segurou o poder em sua mão direita para negar e rasgar esta história cruel demais em pedaços!

Ele estava a apenas quatro metros de distância.

Se ele tocasse aquela garota só mais uma vez, ele poderia acabar com tudo!

Foi por isso que Kamijou correu em direção às fendas e na direção de Index, que estava além delas.

Ele cerrou o punho direito.

Ele apertou-o para poder negar o final interminável e terrivelmente chato daquela história cruel.

Ao mesmo tempo, as rachaduras se espalharam de uma só vez e “abriram”.

Parecia tão doloroso quanto o hímen de uma virgem sendo forçosamente rasgado. As rachaduras gigantescas abriram largas o suficiente para alcançar as bordas da sala e a "coisa" por dentro espreitou.

Um pilar de luz disparou de dentro das rachaduras.

Parecia algo como um raio laser de cerca de um metro de diâmetro. A luz era tão branca que parecia ter sido derretida pelo sol. No instante em que disparou contra ele, Kamijou empurrou sua mão direita agredida na frente de seu rosto.

O som do impacto era como um pedaço de carne sendo pressionado contra uma chapa de metal quente.

No entanto, não houve dor. E nem calor. Como se fosse um pilar de água vindo de uma mangueira de incêndio que estava sendo repelida por uma parede transparente, o pilar de luz se espalhou em todas as direções quando atingiu a mão direita de Kamijou.

Mesmo assim, o próprio pilar de luz não foi completamente negado.

Assim como com o Innocentius de Stiyl, parecia não ter fim, não importa quantas vezes ele negasse. Seus pés plantados no tatame foram empurrados lentamente para trás e sua mão direita parecia que seria levada pela grande pressão.

“Não… isso não é… o que é isso…!!”

Kamijou agarrou seu pulso direito com a mão esquerda vazia. Ele sentiu uma dor aguda na palma da mão direita. A magia estava a engolindo. Sua mão direita não conseguia lidar com isso rápido o suficiente, de modo que o pilar de luz se aproximava milímetro por milímetro.

“Esta não é apenas uma grande massa! Cada pedaço individual de luz é algo diferente!”.

Era possível que Index estivesse usando seus 103.000 grimórios para usar 103.000 tipos diferentes de magia ao mesmo tempo. Cada grimório individual tinha morte instantânea e ela estava usando todos de uma vez.

De repente, Kamijou ouviu algum barulho do outro lado do apartamento.

“Eles só agora perceberam que algo está errado?”.

A porta se abriu e os dois magos atacaram.

— Droga, o que você está fazendo? Você ainda está lutando e-…!?

Stiyl começou a gritar, mas sua respiração ficou presa na garganta como se tivesse levado um soco nas costas. A visão do pilar de luz e de Index, que o havia disparado, fez com que parecesse que seu coração havia parado.

Kanzaki, que parecia tão superior e poderosa antes, pareceu completamente surpresa com a cena exibida diante dela.

S-Sopro do Dragão? Não pode ser. E como ela está usando magia!?

Kamijou não se virou.

Embora fosse verdade que ele dificilmente estava em uma situação em que ele pudesse se virar, tinha mais a ver com ele, não querendo tirar os olhos de Index.

— Ei, você sabe o que é esse pilar de luz? - E então ele gritou para eles sem se virar - Como é chamado!? O que é isso!? Qual é a sua fraqueza!? O que devo fazer!? Explique cada passo do começo ao fim!!

— Mas… mas… o que…?

— Deus, você me irrita! Não é óbvio!? Se Index está usando magia, isso significa que a Igreja estava mentindo quando disseram que Index não podia usar magia! - Kamijou gritou enquanto desfazia o pilar de luz - Ah, e essa coisa toda sobre Index ter suas memórias apagadas todo ano!? Isso foi outra mentira! A Igreja foi quem a limitou, então se eu negar essa coisa, você não terá mais que apagar suas memórias!!

Os pés de Kamijou lentamente, mas com certeza, deslizaram para trás.

O poder por trás do pilar de luz se transformou em pesadelo, como se quisesse arrancar os dedos dos pés que estavam cavando no tatame

— Acalme-se! Acalme-se e pense sobre isso racionalmente! Você realmente acha que as pessoas que criaram o sistema cruel por trás da Index gentilmente diriam a seus subordinados toda a verdade da situação!? Olhe a realidade diante dos seus olhos! Pergunte a própria Index se quiser!!

Os dois magos olharam fixamente para Index, que estava além das rachaduras.

O Santuário de São Jorge não está mostrando nenhum efeito contra o intruso. Mudar para outro feitiço e continuar destruindo o intruso para proteger o colar.

Isso claramente não era a Index que os dois magos conheciam.

Aquilo era claramente uma Index sobre o qual a Igreja não lhes havia falado.

— …

Por um instante - apenas um instante - Stiyl cerrou os dentes com tanta força que parecia que iriam quebrar.

Fortis931

Dezenas de milhares de cartas voaram de dentro de suas roupas pretas.

Cartas esculpidas com runas de chamas rodopiavam como um tufão e em pouco tempo cobriam as paredes, o teto e o chão sem lacunas. Foi exatamente como Hoichi, o sem Orelhas.

No entanto, ele não estava agindo para salvar Kamijou.

Em um esforço para salvar a garota chamada Index, Stiyl pressionou a mão contra as costas de Kamijou.

— Eu não preciso de nenhuma possibilidade vaga. Contanto que eu possa apagar suas memórias, eu posso salvar sua vida por enquanto. Eu vou matar qualquer um para conseguir isso. Eu vou destruir tudo! Isso é o que eu decidi há muito tempo.

Os pés de Kamijou que estavam deslizando mais e mais para trás de repente pararam.

Um poder inacreditável fez com que os tatames que seus dedos estavam pressionados rangerem horrivelmente.

Por enquanto? - Kamijou não se virou - Para o inferno com isso. Eu não me importo com nada disso! Eu não preciso de razões ou lógica! Apenas me responda uma coisa, magos!!

Kamijou respirou fundo antes de continuar.

— Você quer salvar a Index ou não?

Os magos pararam de respirar.

— Vocês estavam esperando por isso o tempo todo, não é? Vocês estavam esperando por uma solução na qual a Index não precisa perder suas memórias e você não precisa se tornar uma inimiga dela, certo? Este é o tipo de final feliz e maravilhoso que qualquer um iria querer e onde todos são felizes!

Um ruído desagradável veio de seu pulso direito enquanto ele continuava a forçá-lo contra o pilar de luz.

Mesmo assim, Kamijou não desistiu.

— Vocês sempre desejaram essa virada de eventos, não é mesmo!? Você não está preenchendo até que o herói apareça! Você não está ganhando tempo até que o personagem principal apareça! Não há mais ninguém! Não há mais nada! Você não jurou salvar aquela garota com suas próprias mãos!?

Uma rachadura correu pela unha do dedo indicador direito e o sangue vermelho fluiu para fora.

Mesmo assim, Kamijou não desistiu.

— Vocês sempre quiseram ser heróis, certo!? Vocês queriam se tornar o tipo de magos que você encontra em livros ilustrados e filmes que arriscam suas vidas para salvar a garota, certo!? Então isso não está nem perto!! Ainda não começou!! Não caia no desespero só porque o prólogo se arrastou um pouco demais!! Sora: Resumiu exatamente o prólogo desse volume :o

As vozes dos magos foram silenciadas.

Kamijou não desistiria. Como ele parecia nos olhos dos magos?

Se você esticar a mão, pode alcançá-la! Apenas façam isso, magos!

Um barulho estranho veio do mindinho direito de Kamijou.

Quando ele percebeu que o dedo estava dobrado - quebrado - em um ângulo não natural, o pilar de luz atacou com uma força tremenda e finalmente derrubou a mão direita de Kamijou.

Sua mão foi golpeada bem para trás.

O rosto de Kamijou estava completamente indefeso e o pilar de luz correu em direção a ele a uma velocidade terrível.

Salvare000…!!

No instante em que o pilar de luz atingiu seu rosto, ele ouviu Kanzaki gritar isso.

Não era japonês. Ele nunca ouvira a palavra antes. No entanto, ele tinha ouvido uma palavra parecida… não, um nome semelhante uma vez antes. Foi durante seu confronto com Stiyl no dormitório. Ele havia dito que era o nome que ele deveria dar quando usasse magia. Seu nome por magia.

A espada japonesa de Kanzaki, com cerca de dois metros de comprimento, cortou o ar. Seu ataque Nanasen, usando sete fios, voou em direção a Index a uma velocidade que parecia cortar o próprio som.

Porém, ela não estava mirando em Index.

Os fios rasgaram o frágil tapete de tatami aos pés de Index. Tendo perdido o equilíbrio, Index caiu para trás. Os círculos mágicos ligados aos olhos dela se moveram e o pilar de luz que deveria estar mirando em Kamijou errou o alvo..

Como se fosse uma espada gigante girando, a coluna de luz cortou a parede e o teto do apartamento. Ele até cortou as nuvens negras flutuando no céu noturno. Na verdade, poderia até ter cortado um satélite fora da atmosfera.

Nem mesmo uma lasca permaneceu onde as paredes e o teto haviam sido cortados.

Em vez disso, as porções que haviam sido destruídas haviam se transformado em penas de luz que eram tão brancas quanto o pilar de luz. Elas vieram flutuando abaixo. Kamijou não tinha ideia dos efeitos que poderiam ter, mas algumas dúzias daquelas penas de luz flutuaram como neve de inverno naquela noite de verão.

— Essas são o mesmo que o Sopro do Dragão, o ataque do lendário Dragão de São Jorge! Qualquer poder que eles possam ter, duvido muito que o corpo humano reagiria bem a eles!

Tendo ouvido o aviso de Kanzaki e tendo sido libertado das amarras do pilar de luz, Kamijou correu em direção a Index enquanto ela caía no chão.

Mas antes que ele pudesse, Index virou a cabeça…

Como uma espada gigante sendo balançada, o pilar de luz foi lançado de volta para baixo, cortando o céu noturno.

Kamijou seria pego de novo!

Innocentius!

Quando Kamijou se preparou, uma espiral de chamas apareceu na frente dele.

A chama gigante assumiu a forma de uma pessoa e depois abriu os braços para agir como um escudo contra o pilar de luz.

Foi verdadeiramente como uma cruz protegendo o homem do pecado.

— Vá, Esper! - Gritou Stiyl - Seu limite de tempo já passou! Se você quiser fazer isso, não perca nem um segundo!!

Kamijou não respondeu em palavras nem se virou.

Antes que ele pudesse, ele correu ao redor da chama colidindo e ascendeu, então, em direção a Index. Ele fez isso porque Stiyl queria que ele fizesse isso. Ele fez isso porque ouviu as palavras de Stiyl e entendeu o significado delas e os sentimentos ocultos por trás delas.

Kamijou correu.

Ele correu!!

Aviso: Capítulo 6, Verso 13. Novo inimigo confirmado. Mudando as considerações de combate. Começando a varredura do campo de batalha… concluído. Concentrando-se na destruição do inimigo mais perigoso, Kamijou Touma.

Index balançou a cabeça, pilar de luz e tudo.

Entretanto, Innocentius se moveu para proteger Kamijou ao mesmo tempo. A luz e as chamas continuaram a engolir umas às outras em um extenso conflito de destruição e regeneração.

Kamijou correu direto para a agora indefesa Index.

Mais quatro metros.

Mais três metros.

Mais dois metros!

Mais um metro!!

— Não!! Acima de você!! - Kanzaki gritou com uma voz que parecia romper tudo.

Kamijou tinha acabado de chegar ao ponto em que ele poderia alcançar os círculos mágicos na frente do rosto de Index se ele esticasse a mão. Sem parar os pés, ele olhou para o teto.

As penas de luz.

As poucas dúzias de penas brilhantes que haviam sido criadas, quando o pilar de luz de Index destruiu a parede e o teto, estavam flutuando lentamente como flocos de neve. Eles tinham acabado de descer o suficiente para estar prestes a alcançar a cabeça de Kamijou.

Apesar de não saber nada sobre magia, Kamijou ainda poderia dizer que ter até uma daquelas penas o tocando seria muito, muito ruim.

Ele também sabia que poderia facilmente negá-los usando a mão direita.

Mas...

Aviso: Capítulo 22, Verso 1. A análise do feitiço de chamas teve sucesso. É confirmado que há um motivo cristão distorcido descrito com runas. Adicionando feitiços anticristãos… Feitiço 1, Feitiço 2, Feitiço 3. Doze segundos até a ativação completa do feitiço chamado Eli Eli Lema Sabachthani.

O pilar de luz mudou de branco puro para carmesim.

A velocidade de regeneração de Innocentius diminuiu visivelmente e o pilar de luz avançou.

Usar a mão direita para tirar todas e cada uma das dezenas de penas de luz provavelmente levaria muito tempo. Havia o perigo de o gerenciador de Index se afastar e, mais importante, o Innocentius claramente não duraria tanto tempo.

As dezenas de penas de luz flutuando acima da simples garota que estava sendo controlada e cujos sentimentos estavam sendo usados, caíam até seus pés.

Era uma questão simples de quem salvar e quem deixar cair.

A resposta foi óbvia.

Kamijou Touma não estava balançando a mão direita para o seu próprio bem.

Ele estava lutando contra os magos para salvar uma certa garota.

“Deus, se este mundo, esta história, está progredindo de acordo com o sistema que você criou…”.

Kamijou abriu os cinco dedos do punho cerrado quase como se fosse lavar a palma da mão.

“…então, eu preciso primeiro destruir essa ilusão!!”

Kamijou balançou a mão direita para baixo.

Ele balançou as rachaduras negras e os círculos mágicos que haviam produzido aquelas rachaduras.

A mão direita de Kamijou os rasgou facilmente.

Foi tão fácil que o fez querer rir de quanto sofrimento eles causaram.

Ele as atravessou tão facilmente quanto o papel de uma colher de peixe dourado quando estava molhado.




Aviso: Capítulo… Final, Verso Zero… O colar recebeu dano… fatal… Regeneração… impossível… se foi.

A voz vinda da boca do Index se desfez completamente.

A coluna de luz desapareceu, os círculos mágicos se foram, e era quase como se as rachaduras que estavam correndo por toda a sala tivessem sido apagadas com uma borracha.

Naquele momento, uma das penas de luz caiu na cabeça de Kamijou Touma.

Ele pensou ter ouvido alguém gritar.

Não sabia se tinha sido Stiyl, Kanzaki, ele próprio ou até mesmo Index, que poderia ter acordado.

Como se ele tivesse sido atingido na cabeça com um martelo, toda a força deixou todo o seu corpo até o último dedo.

Kamijou caiu encobrindo o Index que ainda estava desmoronado no chão.

Era quase como se estivesse protegendo seu corpo das penas de luz que caíam.

As dezenas de penas de luz flutuavam como flocos de neve em direção a cada parte do corpo de Kamijou.

Mesmo assim, Kamijou Touma sorriu.

Ele sorriu e não moveu as pontas dos dedos novamente.

Naquela noite, Kamijou Touma “morreu”.

Por Sora | 27/01/19 às 14:30 | Ficção Cientifica, Ação, Sobrenatural, Seinen, Japonesa, Comédia