O Clã Jaguar 03

/O Clã Jaguar 03
Capítulo Anterior
Índice
Próximo Capítulo

Autor: Kaio Silva da Guarda

Capítulo 03 – A Força de Oriam

Na velha casa onde Kassius Magma e Toni Oravla deram o flagrante em Marcus Magma e Cristian Valdívia, o clima continuava tenso, até que o jovem Cristian resolveu se explicar. Ele disse que o acordo entre ele e Marcus era dele infiltrar-se no Clã inimigo para ter acesso mais fácil, e quem sabe poder facilitar o contato com o Místico Fógus, pois tanto Cristian quanto Marcus queriam matar aquela criatura, o jovem Místico pela honra de seu pai e o forte Ark para se livrar da história que o acompanhava. Kassius acreditou no que foi dito, mas se irritou por eles terem feito isso às escuras, e disse que toda essa ideia era muito perigosa e que Cristian voltaria com ele. Cristian Valdivia se negou a desistir do plano, e pela primeira vez o garoto, que sempre agiu friamente, esboçou algum tipo de emoção, ao chorar e falar para Kassius que se arriscaria sim, e que tudo daria certo, pois ele iria vingar-se. O experiente Místico, muito contrariado, acabou concordando com aquilo tudo, e antes de sair apresentou Toni para Cristian, disse que voltaria para o IEGMA com Marcus e que se o garoto precisasse de alguma coisa era só procurar o Guerreiro. Eles se retiraram da velha casa, e antes de sair, quando ninguém mais prestava atenção, Marcus olhou para Cristian e sinalizou com a cabeça, como se tivesse dito que o jovem fez a coisa certa. Kassius e Marcus foram para Abitirum e Toni voltou pra casa. Chegando em casa Toni contou para Kzoi e Dudu tudo que aconteceu, e Kzoi contou para Dudu e Toni que utilizou a diamante mágico, informando também que em 2 dias acordariam ainda mais cedo para buscar seus amigos no Centro de Relacionamento e Negociações de Osnopha. E, um pouco antes de deitar, ele foi e perguntou a Toni, já em seu quarto, se seus amigos poderiam ficar em sua casa e treinar com eles. Toni disse que sim, que ele teria muito prazer.

Dois dias depois, cedinho, o Ark Kzoi de Jaguar, o Guerreiro Toni Oravla e o Místico Dudu Futukas foram para o CRNO encontrar os amigos do jovem arqueiro. No caminho Kzoi falou para os dois sobre seus três amigos que estavam chegando. Especificou as características físicas de cada um. Falou que Trom era um jovem loiro, narigudo, divertido, e meio destraído. Disse que Quiara era muito simpática, um pouco calada, parecia uma índia, e inteligentíssima. E se divertiu muito ao falar de Oriam, disse que ele era muito engraçado, só queria saber de brincadeira, o que era ao mesmo tempo sua maior qualidade e seu maior defeito, retratou o amigo fisicamente também, falou que ele era muito forte, alto, negro e muito sorridente. Quando chegaram no Centro, após alguns minutos procurando os amigos, eles avistaram uma roda de pessoas observando alguém. Ao se aproximarem viram que era o Guerreiro Oriam Nores, contando histórias e mais histórias, representando cada uma delas, subindo nas mesas e cadeiras, todos que observavam estavam as gargalhadas, assim como a Mística Quiara de Jaguar e o Guerreiro Trom de Jaguar. Mas ao ver Kzoi Oriam parou a história pela metade, correu em direção ao amigo e deu um abraço muito forte, tirando o jovem do chão, Quiara e Trom, logo após, ao também verem o amigo fizeram a mesma coisa, foi uma alegria. Depois de muito alvoroço, Kzoi apresentou seus antigos amigos aos novos, e seguiram de volta para casa. No caminho Kzoi explicava aos três tudo que tinha aprendido com Toni e Dudu sobre Osnopha, dando vários conselhos aos amigos, e falando também sobre os treinamentos. O jovem Ark aproveitou o papo e retirou da bolsa o Diamante das Buscas possíveis, que após ter sido usado não passava de uma pedra normal, contou como o conseguiu e relatou o dia do uso da magia do diamante. Quiara pediu a pedra para Kzoi, ao recebê-la colocou em seu cajado, incrivelmente o diamante se encaixava perfeitamente na extremidade do cajado da Mística. Ela pediu pra deixá-lo lá, como ficou tão legal e a pedra não tinha mais utilidade, Kzoi deixou sem problemas. Quiara estava linda, num vestido vermelho mágico que transbordava Shun, com um amuleto dado pela professora Kat Mágica, que lhe dava mais proteção e com um cajado aparentemente de vidro, agora com o diamante na ponta. Trom estava com uma armadura de prata muito forte, um escudo circular da mesma cor, e uma espada que a lâmina chegar brilhava. Já Oriam estava com uma armadura de ouro, seu escudo era mais comprido, com a parte superior reta e a inferior em formato de um semi-circulo, sua arma era um machado de ouro, muito grande, e muito forte – o que nem ele mesmo sabia. Ao chegarem em casa, todos se acomodaram, Trom e Oriam no mesmo quarto de Kzoi e Quiara em um quarto só pra ela. Depois todos sentaram na varanda, e Toni e Dudu começaram a contar várias histórias.

Não muito longe dali, a Gang de Klaus Mort estava aterrorizando, roubando jovens caçadores, pegando seus itens e muitas vezes roubando suas armaduras, isso quando não os feria. A Gang contava com 7 membros: Klaus Mort, Ark e líder da Gang, jovem careca, branco e muito mal encarado; Melissa Hunam, Mística e namorada de Klaus, loira linda, cabelo encaracolado, mas com a cara da maldade; Nei Fúria, Guerreiro e completamente louco, não tinha medo de nada, seu vício era lutar e lutar, tinha o cabelo muito comprido e aparentava não ser nada normal; Ema Hunam, Guerreira extremamente forte e irmã mais nova de Melissa, muito parecida fisicamente com a irmã, mas com o cabelo mais escuro e com o coração mais puro; Billy John, mais conhecido como “Tiro Certo”, Ark, famoso por sua ótima pontaria, era o mais velho do grupo, aproximadamente seus 30 anos (noção de idade na Terra), negro, gordo e possuía um moicano muito estiloso; Ken Mort, Místico e irmão mais novo de Klaus, a cara do irmão mais velho, só que menor e com cabelo, ele ciumava muito de Cristian, que estava cada vez mais próximo de seu irmão; e, Cristian Valdívia, Místico. Cristian demonstrava uma maldade natural em todas suas ações, conquistando cada vez mais a confiança de Klaus, “braço direito” do Místico Fógus. O jovem parecia gostar muito de toda aquela maldade. Não se sabia se era o que ele realmente queria, ou se realmente era “teatro”, para conseguir atingir futuramente o Fógus.

No outro dia cedo, o “treina treina” pegava fogo, Quiara treinava o dia inteiro com Dudu, Trom e Oriam treinavam todo o dia com Toni, e Kzoi de Jaguar treinava pela manhã com Dudu e Quiara e á tarde com os outros três. Kzoi já estava sabendo muito, e muitas vezes servia mais como monitor do que como aluno, ele já tinha capacidade de ensinar algumas coisas a seus colegas. A rotina se repetia todos os dias, por dias e mais dias. Na mesma proporção que esses treinos se repetiam, a Gang de Klaus aprontava mais das suas, com Cristian cada vez mais em destaque. Todos os jovens recém chegados de Abitirum estavam ficando mais fortes. Algum tempo depois, em um dos raros dias de descanso, Kzoi, Trom e Quiara estavam conversando sobre tudo que estava acontecendo, um perguntando ao outro como aquilo tudo era possível, se era um sonho, se era um pesadelo, questionando a possibilidade de estarem num instante em um mundo e aparecer depois em um outro completamente diferente. Toni, ao ouvir a conversa dos jovens, chamou todos até sua sala, inclusive Dudu e Oriam, que estavam dormindo nas redes. Chegando na sala, Toni foi até a estante, pegou alguma coisa, mas apesar dele estar visivelmente segurando essa coisa, ninguém conseguia identificar. Sentou-se a mesa e abriu o que estava segurando. Era um mapa, só que só podia ser visto de dentro pra fora, nunca de fora para dentro, por isso, por está enrolado se tornava invisível. Nesse mapa, quando aberto, apareciam globos flutuantes, os planetas da via láctea alinhados com mais dois planetas de mesmo formato, tentando representar três dimensões, como se tudo que os jovens conheciam fosse multiplicado por 3. Os planetas tinham o mesmo tamanho, mas olhando de perto dava para perceber que dentro, esses planetas eram diferentes. Toni explicou que todos aqueles planetas eram o mesmo, só que em seus diferentes momentos. Ninguém entedia nada! Era tudo muito confuso. Mas o Guerreiro continuou explicando, falou para todos que seria como universos paralelos, como se em um mesmo lugar existissem várias histórias acontecendo ao mesmo tempo, só que em momentos diferentes que nunca iriam se encontrar diretamente. Aos poucos os jovens iam entendendo, e Dudu, que já sabia daquilo, ia ajudando o amigo nas explicações. Toni mostrou para os garotos onde Raugaj Arauq se encontrava, era exatamente no centro do mapa, entre dois planetas semelhantes. Ele explicou que aquilo não era por acaso. Raugaj era o centro de equilíbrio dos mundos (Terra e Lunar, por exemplo), se o mal dominasse Raugaj Arauq, nos outros mundos ele também dominaria, assim como o bem. Por isso algumas vezes pessoas de outros mundos eram recrutadas para Raugaj, para lutar pelo equilíbrio nos mundos, pois o mal sempre vai existir, mas o bem deve prevalecer, e o bem prevalecendo no mundo central, significaria o domínio do bem na Terra e em Lunar. Quiara, muito intrigada com todas aquelas informações, perguntou então o porque de tantas semelhanças entre o mundo Raugaj Arauq e o jogo de RPG Caos em Raugaj. Dudu fez questão de responder por Toni, ele explicou que em todos os mundos existiam algum tipo de mensagem para o conhecimento sobre Raugaj Arauq. Em alguns mundos isso acontecia através de livros de ficção, em outros através da cultura popular – com histórias contadas a cada geração – e em outros, como o mundo dos garotos, por exemplo, através de jogos, que começaram como jogos de tabuleiro e foram evoluindo de acordo com as evoluções de cada sociedade, chegando, no caso da Terra, até os computadores. Trom então perguntou porque logo eles foram os escolhidos, Toni disse que não sabia responder, mas deu a certeza aos jovens que eles mesmos descobririam um dia. Os garotos, depois dessa conversa, não sabiam se tinham passado a entender melhor tudo ou se estavam ainda mais confusos e, entre eles depois, contaram que eram da Terra e descobriram que Oriam era de Lunar.

Depois de muitos treinamentos já era a hora de uma caçada em grupo, ou como eles mesmos falavam: “É a hora do Clã Jaguar entrar em ação”. Inserindo Toni, Dudu e Oriam, como membros do Clã dos jovens, que até a presente data só existia no computador, era o nome do grupo deles no Caos em Raugaj: Clã Jaguar. Não bastava treinar apenas com seres sumonados, era necessário um combate real, com criaturas perigosas de verdade. Toni resolveu levá-los, acompanhado por Dudu, para caçarem Felinários, uma espécie de Leão negro sem juba, muito forte, couro bem grosso, com o rabo imenso de 3 pontas que funcionava como chicote para atacar as vítimas. Enquanto caminhavam para onde encontrariam os Felinários, Toni explicava como seria a caçada, falou que ele, Trom e Oriam bloqueariam as criaturas, Kzoi e Quiara atacariam um pouco mais distante, mas os Guerreiros também poderiam atacar as feras, mas mandou todos terem muito cuidado com o rabo da criatura. Dudu ficaria um pouco mais distante, apenas observando, vindo a intervir apenas se necessário. Ele explicou pra Quiara de Jaguar que ela deveria auxiliar os bloqueadores – como ele chamava os guerreiros que iriam bloquear as criaturas – ajudando-os, defendendo-os de alguns ataques, usando a Defender Pró, magia que Dudu Futukas a ensinou muito bem como usar. Essa magia cria uma espécie de escudo invisível, por um tempo curto, que defende a pessoa atacada de sofrer algum golpe, é uma magia eficiente, que exige pouco Shun, mas que – devido seu pouco tempo de duração – deve ser utilizada com muita atenção, no momento exato. Também disse para garota usar a Ventanis, magia que ela dominava, que nada mais era do que uma forte rajada de vento, capaz de deslocar criaturas muito pesadas. Pra Kzoi de Jaguar, ele explicou que o garoto deveria acertar no rabo das feras, pois arrancar a cauda da criatura era a única maneira de vencê-la. O couro da criatura era muito forte, golpes com quaisquer armas cortantes não são capazes de ferir os Felinários, mas ao perder o rabo, as criaturas morreriam no exato momento. Enquanto explicava o que fazer aos garotos, Toni avistou 4 Felinários bebendo água em um lago próximo a eles. O Guerreiro sacou sua espada, alertou a todos e partiu em direção as criaturas ao lado de Trom de Jaguar e Oriam Nores, acompanhado (alguns metros atrás) por Kzoi, Quiara e Dudu. As criaturas, muito agressivas, ao avistarem os guerreiros, partiram na direção deles. Eram ataques muito fortes, mas Toni e seus discípulos estavam conseguindo defender-se de todos os ataques das mordidas e patadas das feras, mas conseguindo se defender das chicotadas dos rabos dos animais apenas com a ajuda de Quiara e da Defender Pró, pois eram vários ataques muito rápidos. Kzoi estava errando todas as flechadas, os Felinários se movimentavam muito, e seus rabos eram ligeiríssimos. Foi aí que ele ouviu uma voz em sua mente, voz que ele não conseguia identificar, mas que mandava o garoto acalmar-se, respirar fundo e tentar prever o movimento do rabo da fera, antecipando seu ataque, pois essa era a única maneira de acertar. Depois de várias flechadas, o garoto ouviu o conselho da tal voz misteriosa, respirou fundo e com um ataque certeiro arrancou o rabo e uma das feras. Ao mesmo tempo Quiara reclamava muito com Oriam, pois ela estava usando muitas Defenderes Pró com ele:

– Oriam! Atenção! Você está falhando muito em sua defesa!

Gritou a jovem Mística, ofegante e com medo de “secar” o seu Shun. Toni completou:

– Vamos lá Oriam! Esqueça o mundo, foque tudo nessa batalha.

Disse o experiente Guerreiro em meio aos ataques dos Felinários, mas confiante na capacidade do jovem. Trom acabou afastando-se de Oriam Nores e Toni Oravla. Dudu gritou para todos que ajudaria Trom, para que eles continuassem com as duas feras que restavam. De repente, Kzoi recebeu um forte golpe pelas costas e caiu desacordado, Quiara correu para socorrê-lo, enquanto Oriam, no ápice de sua concentração aliado à preocupação com o amigo atingido, partiu para cima das criaturas, com uma expressão muito séria no rosto (algo raro), esquivando de seus ataques e com dois golpes certeiros de seu machado dourado arrancou o rabo das duas criaturas. Toni ficou impressionado com a agilidade e força do garoto. Dudu Futukas usou a Ventanis e arremessou a fera que atacava Trom de Jaguar dezenas de metros de distância, pois tinha sentido o enfraquecimento do Shun de Kzoi de Jaguar. Todos, inclusive Trom e Dudu que chegaram rapidamente graças a Velox Max, foram em direção a Kzoi, que já estava, desacordado, nos braços de Quiara. Foi aí que ouviram uma risada sinistra:

– Hahahaha!

Era a risada do Ark Klaus Mort, que estava acompanhado por Cristian Valdívia e o resto de sua Gang. Melissa Hunam, a namorada de Klaus, estava com uma pedra de magia descarregada em mãos, provavelmente uma pedra mágica de ataque, criada por ela, que foi descarregada no golpe que acertou Kzoi de Jaguar pelas costas. Oriam partiu enfurecido em direção a gang. Raras vezes Shun tão forte foi visto e sentido. Com uma enorme força e golpes certeiros, ele derrubou os guerreiros Nei Fúria e Ema Hunam como se fossem combatentes inexperientes (o que não era a verdade), defendeu-se e esquivou-se das excelentes flechadas de Billy “Tiro Certo” e das fortes magias de Melissa e de Ken Mort, como se fossem ataques de amadores, e quando estava muito perto de atacar Klaus, recebeu uma rajada de vento fortíssima, resultado da Ventanis aplicada por Cristian, tão forte quanto a aplicada por Dudu Futuka em um Felinário a segundos atrás. O golpe arremessou Oriam Nores metros de distância, parando-o numa colisão fortíssima com uma árvore. Trom foi em direção a Oriam ajudá-lo. Toni e Dudu foram para frente da gang, preparados para atacar, eles olhavam pra Cristian com um explícito olhar de reprovação. O jovem Místico comportava-se como se nada estivesse acontecido, sem falar uma palavra, com uma frieza de dar medo. Klaus, que até então estava preparado para atacar, desconversou, tentando evitar o conflito:

– Toni Oravla e Dudu Futukas. Vocês não estão velhos demais para essas caçadas? Vamos deixá-los ir, pensávamos que vocês teriam alguns itens da caçada que nos interessasse, mas pelo jeito … (Toni cortou o papo do maligno Ark).

– Melhor nos deixar ir mesmo, pois não quero ter que acabar com vocês agora.

Na verdade, tanto Toni Oravla quanto Klaus Mort estavam com medo. Toni com medo dos garotos não estarem preparados para uma batalha do tipo e acabarem bem machucados e Klaus com medo de perderem a batalha, pois ele sabia da capacidade de Toni e Dudu, mas não tinha noção da força demonstrada por Oriam Nores, o que lhe fez repensar o ataque desejado. Cada grupo seguiu para um lado diferente. Oriam estava bem, mas Kzoi estava sendo levado desacordado para casa.

Todos estavam preocupados com Kzoi. Chegando em casa, Dudu Futukas preparou uma porção, baseado no princípio da magia Rápida Cura, e derramou nas costas do garoto, que estava deitado em sua cama, ainda desacordado. A porção ajudou a cicatrizar a enorme ferida que estava nas costas do jovem, mas mesmo assim ele continuava dormindo. Todos, visivelmente abatidos, e Oriam, indignado como nunca ninguém viu, foram tentar dormir após um dia imensamente cansativo. Mas antes de dormirem, Toni e Dudu, conversaram sobre a força do Shun de Oriam na batalha, algo extraordinário.

No outro dia, bem cedo, Toni Oravla acordou com um barulho que vinha da cozinha. Era Kzoi, faminto, procurando algo para comer, ainda fraco. O Guerreiro perguntou como o jovem Ark estava, o garoto respondeu que estava bem, mas com uma tremenda dor nas costas, além de muita fome, e fez uma pergunta para Toni, querendo saber o que foi que aconteceu, pois ele não lembrava de muita coisa. Toni o chamou para varanda da casa, enquanto os dois comiam, e explicou tudo que tinha acontecido. Kzoi ficou com muita raiva ao saber de tudo, pois queria ter enfrentado a gang de Klaus Mort, em especial para enfrentar Cristian Valdívia, mesmo sabendo o teor da última conversa que envolveu Marcus Magma, Kassiu Magma, Cristian Valdívia e Toni Oravla, contada por Toni ao garoto. Kzoi falava inconformado que não confiava em Cristian, e que não acreditava que ele era alguém do bem infiltrado por um motivo especial no Clã do Fógus. Após muito falarem sobre o acontecido, desde que Kzoi de Jaguar foi atacado pelas costas, passando pela intervenção de Oriam Nores, até a porção que Dudu Futukas fez e usou nas costas do jovem Ark, Kzoi contou para Toni sobre a voz que ouviu em sua cabeça, o orientando. Toni falou que não sabia que voz era essa, mas que mais cedo ou mais tarde o garoto iria descobrir, pois em Raugaj Arauq nada acontecia sem um motivo, sem uma forte ligação. Dudu acordou e foi até a varanda, perguntou como o jovem estava e começou a fazer parte do bate papo. Foi quando Toni falou, impressionado, pelas duas demonstrações incríveis de força e habilidade mostradas por Oriam Nores, quando destruiu as duas feras e quando atacou a gang de Klaus Mort. Dudu também comentou impressionado. Kzoi disse que sempre acreditou no potencial do amigo, mas que o mal dele é que quase sempre ele está distraído, brincando. Aos poucos todos foram acordando. A rotina de treinos continuaria, mas agora com um foco muito maior na especificidades de cada um. Kzoi, por estar ferido, ganhou um descanso especial de alguns dias, mas logo também voltou a treinar.

Quiara começou a fazer suas próprias pedras mágicas, com a orientação de Dudu, sem deixar de continuar treinando as outras magias. Trom passou a treinar mais seus ataques, pois na batalha contra os Felinários ele foi ótimo na defesa, mas provou ser “tímido” em suas ofensivas. Oriam treinava juntamente com Trom de Jaguar sob os ensinamentos de Toni Oravla, mas sempre depois dos treinos, Toni levava o jovem até uma alta montanha perto de sua casa e conversava com o garoto sobre o potencial que ele tinha e sobre a necessidade dele saber controlar sua concentração. A montanha era um local bem tranquilo, onde eles também meditavam juntos. Kzoi continuou sua antiga rotina de treinos, mas começou a trabalhar com alvos em movimento, alvos que se movimentavam muito rapidamente. E, ás vezes, o jovem ouvia a tal voz lhe dando um ou outro conselho. Os dias passavam, e todos ficavam cada vez mais forte. Foi em um dia desses que Teco Pequenino apareceu na casa e comunicou que Kassius Magma e Josef Ensinius contava com a presença de todos no IEGMA no outro dia, cedo, logo pela manhã. Kzoi ficou confuso e tenso, assim com Quiara e Trom, pois no jogo nunca foi possível voltar de Osnopha para Abitirum, temiam algo grave. Oriam também se preocupou, pois nas histórias (lendas) que ele ouvia em Lunar, nunca foi mencionado um retorno para Abitirum. A hora da verdadeira batalha estava chegando e até o Shun Maior estará em perigo.

Capítulo Anterior
Índice
Próximo Capítulo
Contribua com o novo site da Saikai Scan
By | 2017-03-13T19:12:50+00:00 25/12/2016 as 5:14|O Clã Jaguar|11 Comments

About the Author:

Bossun

Apenas mais um ser tentando descobrir seu propósito nesse mundo…

  • BloodKnight

    Obrigado Kaio Silva da Guarda pelo capítulo 3…………..=D

    • Kzoi

      =)

      • Kzoi

        Iai BK, tá achando o que?

  • Sabin

    Obrigado pelo capítulo ^^

    • Kzoi

      =)

      • Kzoi

        Tá curtindo Sabin? Achando o que?

  • Clara

    Show!!!!!!

    • Kzoi

      =*

  • Marcus vinicius

    Obrigado pelo capítulo!

    • Kzoi

      Valeu MV! Iai tá gostando?

      • Marcus vinicius

        Sim mano, está muito bom!