O Herdeiro do Mundo 03

/O Herdeiro do Mundo 03

Autor: Edson Fernandes da Costa | Revisor: Yan Fonseca

Capítulo 03 – Violeta

Rael foi posto cuidadosamente para fora do caixão pela Violeta que logo depois saiu. Seimon ficou vendo a cena com um leve sorriso enquanto estudava a mulher. Rael por outro lado estava preocupado se ela iria começar a passar mal ou algo assim, em relação ao beijo. Mesmo ela tendo uma expressão séria e meio rígida não fez qualquer mal trato com Rael e não parecia estar irritada com o beijo.

― Seimon, que surpresa interessante, o que há de errado em seu corpo? É o que estou pensando que seja? ― perguntou Violeta ignorando Rael e olhando para o velho.

― Não tenho tempo pra explicar sobre isso, como prometi, vim libertar você. ― Apressou-se Seimon. Violeta ficou um pouco irritada, ela não sabia a quanto tempo estava dormindo e como o mundo estaria agora.

― Seu imbecil! Você não tem mais corpo físico e ainda por cima me trouxe uma criança pra me acordar, onde está seu juízo? ― perguntou ela queimando de raiva, chegava a apertar os dentes. Rael ficou olhando os dois com uma expressão confusa, mas não continha medo. Pelo visto ter a beijado não seria o foco da raiva, e portanto ele se sentiu aliviado, mesmo que não estivesse exatamente com medo.

― Oh, não se preocupe, tenho certeza que seus sentimentos já estão diferentes. A partir de agora, o garoto vai crescer e virar um belo homem também, então você não tem que se preocupar. ― explicou Seimon.

― Ele sabe? ― perguntou ela olhando Rael de lado rapidamente e voltando a olhar o velho.

― Com apenas dez anos, mesmo se soubesse não iria fazer diferença. ― disse o velho sem ânimo. Violeta ficou aliviada em saber que pelo menos Seimon não tinha explicado esse pequeno detalhe inconveniente.

― Então você se tornou um Deus? ― perguntou ela.

― Não era meu plano, mas quando o destruímos, a balança do tempo foi ativada e todos nós que estávamos perto fomos pegos ― disse Seimon com um pouco de desânimo no tom, parecia meio arrependido.

― Pegos indiretamente pelas regras do mundo, essa é a fabulosa desculpa que recebo depois de dormir… por quantos anos? ― perguntou Violeta.

― por dez mil anos. ― disse Seimon. Deixando Violeta de pelos arrepiados.

― Dez mil anos? Você está brincando comigo? Isso é uma piada? ― Violeta tinha ficado realmente furiosa. Seu tom era quase tão alto que poderia ser considerado como um grito.

― Opa, meu tempo acabou Violeta, sinto muito, mas preciso voltar. Bem nem preciso dizer pra cuidar do garoto, ele tem alguns sonhos e uma certa herança que logo você vai perceber. ― Seimon sumiu antes que Rael ou Violeta pudessem dizer qualquer coisa a mais. Violeta suspirou lentamente, ainda olhando para frente onde Seimon estava a pouco.

Ela levantou e esticou os braços, como quem acaba de acordar, e depois olhou Rael de lado. Rael estava parado, curioso sobre o que aconteceria em seguida. “Herança?” ele se perguntou sozinho enquanto pensava, porém não disse nada a Violeta, certamente Seimon estava enganado, a não ser que estivesse falando do poder que ele acabou de receber a pouco, deveria ser isso, ele não tinha mais nada além disso mesmo.

― Qual é o seu nome? ― perguntou Violeta normalmente.

― Rael, irmãzona ― respondeu ele educadamente. Diferente do velho, Violeta estava bem viva para ele, adicionando o fato que a pouco ele havia a beijado, isso já tornava as coisas meio estranhas. Mesmo sendo uma criança, ele não sabia exatamente como reagir sobre ela.

― E sua família? Amigos? ― perguntou ela casualmente.

Rael abaixou o rosto olhando pro chão e apertou o pulso antes de falar.

― Não tenho ninguém assim em minha vida. ― respondeu ele.

Violeta pôde sentir o tom frio de suas palavras e se admirou, uma criança com aquela idade já conseguia ser tão fria? Ela podia sentir até um estranho sentimento perverso fluir através dele, o que deixava-a admirada. Adultos com esse sentimento não seria uma surpresa, porém uma criança?

― Então você ficará comigo. Não me chame de irmãzona, eu não gosto, me trate pelo meu nome, Violeta. Lembre-se, eu não serei sua mãe e nem vou substitui qualquer parte de sua família que falte, eu serei apenas Violeta para você, assim como você será Rael para mim, fui clara? ― perguntou ela.

― Sim. ― disse Rael a olhando nos olhos dela de volta. Violeta teve que admitir que pra uma criança de dez anos, ele era bem ousado.

― Porque você não se senta e descansa um pouco? Está machucado e com fome, eu posso sentir. ― disse ela olhando Rael cuidadosamente.

― Eu estou bem, não precisa se preocupar. ― Mesmo Rael naquele estado miserável, ele recusava em admitir sua cruel situação e continuava expressando um ar de força.

Violeta ficou olhando sua forte expressão ainda admirada, mas ela podia ver as pernas de Rael tremendo, mesmo que ainda fosse pouco visível. Ele claramente tentava disfarçar sua fraqueza. Somente essa mínima ação já fez com que o coração de Violeta batesse mais forte enquanto se perguntava como Rael seria quando se tornasse um homem? Na verdade, até quando ele já fosse um adolescente já iria se tornar um jovem incrível.

― Belas palavras, porém seu corpo não correspondem com elas. ― Violeta suspirou. ― Por enquanto descanse, você está quase desmaiando. ― completou ela, se afastando. E parecendo que as palavras dela eram um prenúncio de um futuro. Rael sentiu uma tontura e passou a mão no rosto, em seguida acabou se sentando porque não conseguiu ficar em pé, até que ele finalmente caiu para trás pouco a pouco e apagou completamente.

            Quando Rael foi recobrando a consciência, ele se sentiu estranhamente confortável, seu corpo não estava dolorido, seus pés não estavam latejando, ele estava apenas com fome. Ele sentiu que estava deitado em algo macio, e seu rosto estava coberto por uma sombra, e sentiu algo macio sendo pressionado contra seus lábios.

Conforme sua visão foi se recobrando ele percebeu que estava sendo beijado por Violeta, não apenas isso, ele estava deitado no colo dela, como uma criança que dorme no colo de sua mãe. Rael podia sentir todo o toque do corpo quente de Violeta e até seus seios, embora não houvesse qualquer pensamento pervertido. Mas ela não estava beijando-o, ela estava depositando um líquido através dos lábios e quando percebeu que ele estava acordado, ela sorriu e docemente se afastou de sua boca.

― Você finalmente acordou. ― disse ela. Rael estava um pouco ansioso, mesmo assim fez um sim com a cabeça.

― Então você já pode tomar o resto sem minha ajuda. ― disse Violeta o ajudando a ficar em pé, depois o entregou uma pequena xícara com algum tipo de chá doce dentro, o chá ainda estava quente, saia uma tímida fumaça que se espalhava acima da xícara e desaparecia em seguida.

― Você é bem forte Rael, estou impressionada, não faço ideia de que vida você teve até agora, mas daqui pra frente tudo será diferente. ― disse ela se levantando.

Rael deu um gole no chá enquanto observava Violeta.

― O que você tem em mente? Quais são seus sonhos? ― perguntou Violeta analisando Rael.

― Quero crescer e me tornar o homem mais forte que puder, quero acabar com toda a escravidão do mundo! ― disse Rael juntando os olhos e apertando a xícara de mármore na mão, o chá dentro chegava a tremer.

― Muito bem, gosto dessa sua firmeza, pensando bem, prefiro você nessa idade, pelo menos vou poder moldar seu treino desde pequeno. ― disse Violeta abrindo um lindo sorriso encarando Rael. Mas ela não pôde deixar de se perguntar de que escravidão ele falava. Ela dormiu por dez mil anos, então não estava familiarizada com os atuais acontecimentos pelo mundo. Mesmo o pequeno passeio que ela havia dado enquanto Rael estava desacordado, não a ajudou a obter nenhum entendimento sobre o mundo atual.

            Rael não estava mais na antiga câmera de metal, estavam no que parecia ser uma imensa sala com cozinha. Tinha o fogão de pedra no canto da parede, a mesa no centro, as cadeiras, estantes com livros, outra estante com utensílios de cozinhas como vasilhas e panelas, etc. Basicamente era uma cozinha grande, quase de gente rica, o que deixou Rael um pouco bobo, na antiga família, ele nem podia sonhar em ficar parado em um lugar como esse.

― Violeta, onde estamos? ― perguntou Rael curioso.

― É uma sala do local em que estávamos antes. ― Violeta apontou o dedo para a porta de metal do fundo. ― Viemos dali ― ela explicou normalmente.

― Por que não se senta na cadeira e espera? Enquanto você dormia fui até a cidade para comprar suprimentos, farei uma sopa agora, o chá que te dei já deve ter feito o efeito que precisava. ― observou ela.

― Obrigado por isso ― agradeceu Rael, que de fato se sentia muito melhor, então puxou a cadeira e se sentou enquanto continuava observando Violeta, ele tentava entender porque ela parecia tão boa com ele e porque gostava tanto de beijá-lo. Outras mulheres certamente vomitariam só em pensar. Era isso que ele achava. É claro que Rael estava com fome, e sentido o cheiro da sopa sendo preparada, abriu ainda mais seu apetite..

            Os dois tomaram sopas juntos na mesa em pratos de mármore e Rael repetiu três vezes. A sopa era extremamente deliciosa, e pra ele que estava com fome, era ainda melhor. Violeta estava sorrindo por não ter perdido o jeito. Ver Rael comendo tão animado sua sopa causava-a bastante conforto, uma sensação que somente sua linhagem teria depois de ser despertada por um humano.

― Satisfeito? ― perguntou ela vendo Rael com uma expressão aliviada sentado na cadeira em sua frente.

― Sim, obrigado. ― respondeu ele educadamente.

― Agora que tal darmos um jeito nessa sua falta de braço? Recuperado como está agora, eu posso fazer minha parte. ― disse Violeta se levantando de seu lugar. Rael sentiu a seriedade daquelas palavras e se levantou pra ficar de frente a Violeta que estava dando a volta na mesa.

― O que vamos fazer? ― perguntou Rael ansioso quando Violeta parou em sua frente.

― Você terá que ser bem forte agora, o crescimento de um braço é algo realmente doloroso, mas será necessário, se quiser ser forte como deseja ser um dia. ― disse ela bem séria.

― Eu aguentarei! Por favor não pegue leve comigo! ― se adiantou Rael rapidamente com firmeza. Mesmo com dez anos, ele não parava de surpreender Violeta, ela se sentiu quente por dentro e em várias partes, mas ela não poderia perder o foco, nem tão pouco deixar ele ver a forma que seu rosto ficaria. Violadoras eram extremamente lindas, elas eram praticamente mulheres perfeitas e obviamente eram bem vaidosas, apesar de tudo, havia uma outra aparência totalmente reversa de sua exposta, que elas não precisavam ficar expondo a não ser em raras ocasiões, e essa era uma delas.

― Escute, ― Violeta se agachou para ficar com o rosto na altura do de Rael. ― Você fechará os olhos e só abrirá quando eu mandar, se abrir os olhos antes, tudo pode dar errado, pode acabar até morrendo, fui clara? ― perguntou ela.

― Sim. ― disse Rael firme e já fechou os olhos.

― Por favor morda isso. ― Violeta estendeu um pequeno pano dobrado e Rael mesmo sem ver abriu a boca pra aceitar o estranho pedido.

― Ótimo, agora estamos prontos, não importa a dor que sinta, não abra seus olhos de forma alguma a partir de agora. ― Violeta disse enquanto encarava o peito nu de Rael, ela tinha retirado sua camiseta suja e lavado seu peito apenas por uma razão.

Violeta deixou seus instintos demoníacos entrarem em ação e sua boca ficou deformada e até aumentou de tamanho, uma parte era maior que a outra e vários dentes escuros e afiados surgiram. Ela era uma mulher linda, mas aquela aparência demoníaca tirava toda sua beleza, no entanto era necessário usar isso para ajudar Rael naquele momento. Então ela. cuidadosamente. aproximou sua perigosa boca na região do ombro sem braço de Rael e aplicou a mordida cravando boa parte dos dentes.

            Rael sentiu a mordida e cada dente entrando em seu ombro, era como facas rasgando sua pele e atingindo seus ossos, mesmo contra a vontade tentou fugir de olhos fechados, mas os braços de Violeta o seguravam firmemente, evitando qualquer fuga. Ele queria ver o que estava acontecendo, mas se lembrava do aviso recente e por isso não abria os olhos de forma nenhuma, mesmo enquanto sentia essa dor alucinante. Era como se ácido estivesse sendo injetado dentro de seu corpo. Rael tremia, e mesmo sem abrir a boca pra chorar, lágrimas desciam de seus olhos, ele mordia o pano com força enquanto aguentava toda aquela insana dor. Violeta continuava apertando a pele do menino e depositando uma parte de sua linhagem nele. ― “Só mais um pouco.” ― pensou ela, enquanto fechava os olhos se concentrando. Ela sabia o quanto ele estava sofrendo, e isso partia o coração dela, mas era preciso e não podia ser feito de outro jeito, nem ser evitado.

Contribua com o novo site da Saikai Scan
By | 2017-08-09T20:10:34+00:00 09/08/2017 as 8:02|Herdeiro do Mundo|19 Comments

About the Author:

Scryzz

Gamer, Otaku e Trophy Hunter. Fã absoluto de One Piece, Dragon Age, CSR, TDG, PS3, PS4, PSV, Cinema, Música e, é claro, Linkin Park!

  • Me pergunto o que ela vai comer dele quando o Real crescer. ░░░░░░▄▄▄▄░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░▄▄▄▄▄
    ░░░█░░░░▄▀█▀▀▄░░▀▀▀▄░░░░▐█░░░░░░░░░▄▀█▀▀▄░░░▀█▄
    ░░█░░░░▀░▐▌ ▐▌░░░▀░░░▐█░░░░░░░░▀░ ▐ ▐▌░░█▀
    ░▐▌░░░░░░░▀▄▄▀░░░░░░░░░░▐█▄▄░░░░░░░░░▀▄▄▀░░░░░▐▌
    ░█░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░▀█░░░░░░░░░░░░░░░░░░█
    ▐█░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░█▌░░░░░░░░░░░░░░░░░█
    ▐█░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░█▌░░░░░░░░░░░░░░░░░█
    ░█░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░█▄░░░▄█░░░░░░░░░░░░░░░░░░█
    ░▐▌░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░▀███▀░░░░░░░░░░░░░░░░░░▐▌
    ░░█░░░░░░░░░░░░░░░░░▀▄░░░░░░░░░░▄▀░░░░░░░░░░░░█
    ░░░█░░░░░░░░░░░░░░░░░░▀▄▄▄▄▄▄▄▀▀░░░░░░░░░░░░░█

    • Tyrone Costa

      o q sera? kkkkkkkkkkkkkkkk

    • Daniel Huggo

      Vejo uma referência. Bem, na minha frente. rsrsrsr

  • Maycon

    Dps de 10 mil anos, nada que um petisco resolva kkkk

    • IkkI

      kkkkkkkk

  • Janailson Barbosa Granja

    Obrigado pelo capítulo

  • Henrique Neiva

    Rael vai ter o poder do deus do tempo e demoníaco é isso?

    Vlw pelo cap

    • Igor Ribeiro

      ta parecendo kk

  • Tyrone Costa

    Tô gostando bastante da história, continue assim!

  • Higorcrazy silva

    E por isso q eu digo q esse rael vai pegar todas

  • rafael1295

    Que jeito ótimo de recuperar um braço mordendo o ombro e colocando linhagem na veia

  • Shirosaki

    Eita que só melhora, olha isso!
    Mas esta muito bom, estou gostando de como nosso MC é, e parece que vai ficar melhor. Estou ansioso ‘-‘
    Do jeito que vai indo, não me surpreenderia se ela fosse uma Succubus *–*
    O que sera mais dessas coisas que eles terão de fazer (͡° ͜ʖ ͡°)

  • Ranger

    isso foi cruel com o garoto, coitadinho eu tive dó :/

  • Fullero.com

    ( ͡☉ ͜ʖ ͡☉)( ͡☉ ͜ʖ ͡☉)( ͡☉ ͜ʖ ͡☉)( ͡☉ ͜ʖ ͡☉)

  • Kyoua Eduardo

    Finalmente lendo essa maravilha <3
    Pra ganhar um braço vc precisa ganhar uma mordida.

  • Yuri Ferreira

    “ela se sentiu quente por dentro e em várias parte” eu notei esse duplo sentido

  • IkkI

    ”Violeta ficou olhando sua forte expressão ainda admirada, mas ela podia ver as pernas de Rael tremendo, mesmo que ainda fosse pouco visível. Ele claramente tentava disfarçar sua fraqueza. Somente essa mínima ação já fez com que o coração de Violeta batesse mais forte enquanto se perguntava como Rael seria quando se tornasse um homem? Na verdade, até quando ele já fosse um adolescente já iria se tornar um jovem incrível.” CAIU NA REDE E PEIXE KKK

  • IkkI
  • Yun Zynnnn

    eu estou prevendo muitas coisas kkkkkkkkkk