O Herdeiro do Mundo 07

/O Herdeiro do Mundo 07
Capítulo Anterior
Índice
Próximo Capítulo

Autor: Edson Fernandes da Costa | Revisor: Yan Fonseca

Capítulo 07 – Uma Conversa Entre Dois

No restante do dia Rita preferiu levar Rael para casa afim de evitar qualquer outro problema, com receio de que o clã Asura pudesse retaliar.

Com medo, ela acabou não contando isso ao seu pai, Adam, que não estava nem sonhando o tipo de coisa que teria acontecido. Apesar do clã Asura não ser muito forte, eles eram bem conhecidos na cidade e um dos poucos clãs com vários cultivadores, basicamente eram os mais fortes dessa cidade de porte médio, por isso dificilmente alguém de dentro ousaria mexer com eles. Porém Rael ousou, e Rita depois de pensar um pouco começou a se sentir extremamente preocupada. Ela estava no quarto dela pensativa, enquanto Rael estava acompanhando Adam fazendo suas vendas na grande barraca em frente de casa.

Rael e Adam estavam despreocupados conversando tranquilamente. Adam aproveitando a atenção de Rael começava a falar de seus artigos, selos mágicos, armaduras e armas com as quais trabalhava, ele falava do lucro e de como conseguia preços mais baixos. Era uma simples explicação por cima, uma forma de puxar assunto com o despreocupado Rael que ficou do lado dele observando e escutando tudo educadamente.

A tarde seguia e vários clientes iam surgindo de tempo em tempo. Adam chegou a perguntar se Rael tinha interesse em alguma arma ou armadura, até brincou dizendo que faria um desconto a ele, é claro, depois disse que se ele quisesse poderia pegar qualquer coisa. Rael recusou, ele não precisava de armaduras ou armas, se esse fosse o caso, Violeta teria comprado pra ele.

Em um momento, um dos clientes puxou assunto perguntando se Rael era alguma coisa de Adam, e então Adam respondeu rindo que era seu filho. Rolou algumas conversas casuais sobre família e Adam não se incomodou de falar mais um pouco. Sendo um comerciante ele realmente gostava de conversar, ainda mais quando encontrava pessoas tão educadas e respeitosas.

Ele acabou contando, que Rael tinha chegado a pouco tempo depois de treinar com sua mestra por alguns anos, e que antes disso, havia perdido a mãe. Nem Adam nem Rael jamais suspeitaram que aquele suposto bom homem na verdade estava colhendo informações para sua mestra. Claro para disfarça no final ele fez algumas compras e se despediu. Como ele não usava nada do clã Torres ninguém jamais poderia imaginar, afinal, escravos não usam símbolos nem vestimentas de seus mestres, os nomes ficam apenas registrados nas correntes tatuadas em seus pescoços. Na realidade, o homem estava usando uma túnica, que impediu até mesmo dele parecer um escravo.

A noite chegou sem maiores problemas e Rael depois de jantar ficou em seu quarto cultivando. Hoje ele tinha ficado bastante tempo dando atenção a essa família e tentando entender seus costumes, que nem mesmo tivera tempo de aprimorar suas forças.

― Samuel. ― perguntou Rita do lado de fora do corredor.

Depois de todos os acontecimentos de hoje, ela estava ansiosa em seu coração. Ela, uma garota que jamais se interessou por ninguém, estava finalmente interessada em Rael, ela sabia disso melhor que qualquer um. Tudo ocorreu tão rápido que era quase inexplicável. Na hora do jantar ela mal teve coragem de olhar o rosto de Rael enquanto comia, morria de vergonha de fazer isso em frente de seus pais. Até mesmo agora, ela o chamava baixinho como se não quisesse que ninguém percebesse.

Barbara havia notado o nervosismo da filha durante o jantar e não pôde deixar de sorrir de canto, aparentemente, os dois tinham se aproximado um pouco mais. Até mesmo Barbara, uma mulher bem casada e com uma filha, via Rael como um homem realmente bom e charmoso, o que dirá sua filha com toda a juventude pela frente? Adam por outro lado nem sonhava com isso, e talvez se sonhasse, ele com certeza não ligaria mesmo que os dois tivessem algo embaixo do próprio teto, induzido pela hipnose, ele apoiaria Rael em qualquer assunto dando a ele até mesmo sua filha, mesmo sendo supostamente uma irmã.

― Samuel? ― Rita chamou mais uma vez e olhou para os dois lados do corredor. Como ele não respondia, ela girou a maçaneta e empurrou a porta liberando a entrada para o quarto, então o encontrou.

Rael estava no centro do quarto de pernas cruzadas e mãos unidas próximas ao peito, apesar de nenhuma energia visível cercar seu corpo, seus longos cabelos se moviam como ondas, mesmo não tendo nenhum vento no quarto. Ela entrou silênciosamente, e escorou a porta atrás dela sem fazer barulho, enquanto fitava Rael.

Ele estava concentrado de olhos fechados mantendo sua cultivação, embora tivesse notado a chegada dela. Por ter já decorado a essência de sua aura, Rael poderia dizer de longe quem era ela, coisas que poucos cultivadores seriam capazes de dizer.

Rita chegou mais perto e ficou espantada, porque não importa como ela o olhasse, não conseguia sentir nem ver a aura de Rael.

Todos os cultivadores liberavam aura enquanto cultivavam, Rael não, tudo que ocorria nele era somente a ondulação agradável e calma dos cabelos, o que lhe dava um ar de harmonia e perfeição inigualável.

Rita sentiu até mesmo seu coração entrar em um estado de leveza enquanto via Rael cultivando. Como poderia tal pessoa ser tão diferente dos normais? Rael, para ela, era quase como um príncipe misterioso que havia pulado em sua vida. Suas ações calmas, seu jeito, sua maneira de falar, suas ações decididas e claras, sua coragem, sua sabedoria… Todas as coisas que ela viu em apenas um dia a chocaram completamente, como mulher ou como uma jovem adolescente ela estava mesmo admirada e interessada profundamente em Rael. Isso fez ela se sentar na frente dele enquanto o assistia em silêncio.

― Rita? ― Rael perguntou gentilmente abrindo os olhos e baixando as mãos. Seus cabelos atrás logo pararam com as ondulações.

― Desculpe! ― Rita baixou a cabeça preocupada fechando os olhos por um momento e depois reabriu reerguendo a cabeça. ― Eu não queria atrapalhar seu cultivo.

― Não atrapalhou. Há algo que eu possa fazer por você? ― perguntou Rael normalmente, e apenas essas palavras fizeram o coração dela pulsar um pouco mais forte.

― Eu só… só queria passar um tempo com o meu irmão. ― disse ela olhando sem jeito para o lado. Sua expressão era realmente fofa e Rael teve que admitir, mesmo não tendo qualquer interesse, afinal ele ainda era desconhecido nas artes desse outro mundo. O que era inesperado vindo de alguém que conhecia coisas que nunca se quer tinha visto antes.

― Sem problema, também gosto de sua presença. ― concordou Rael despreocupado, olhando Rita que voltou a olhar para ele por breves segundos e já revirou o rosto novamente para outro lado.

― Eu queria saber uma coisa Samuel… ― Rita disse com uma pausa, chamá-lo pelo nome diretamente a deixou um pouco nervosa e depois continuou. ― Sei que não gosta de falar do passado, mas você por acaso teria uma noiva? Ou pretendente? ― Rita perguntou parecendo casual, mas ela já tinha treinado aquela pergunta umas cem vezes dentro de seus pensamentos para não gagueja.

― Noiva? ― Rael pensou, se lembrando que antes de casarem, geralmente um homem tinha mesmo uma noiva, pelo menos isso ele sabia, então ele se lembrou de Violeta e entendeu que ela nunca havia mencionado tal coisa. ― Não mesmo, não tenho nenhuma noiva, mas não sei o que é pretendente. ― explicou ele em seguida.

― Como não sabe o que é? ― Rita não pôde deixar de se espantar e perguntar rapidamente sobre aquilo. Rael ficou em silêncio pensando, olhando dentro de sua imensa sabedoria e a resposta definitivamente não surgia.

― Desculpe Rita, eu realmente não sei. ― isso o assustou, porque ele dificilmente não saberia de algo, será que isso era uma coisa importante para a sua vingança? Algo que poderia aumentar seu poder? Seu conhecimento? Seu cultivo?

― Mas você sabe o que é noiva, como não sabe o que é pretendente? ― insistiu ela tentando conter o espanto.

― Não sei mesmo, se quiser você pode me explicar. ― disse Rael com um leve sorriso.

Rita se ajeitou em seu lugar nervosamente, como ela ia dizer e explicar aquilo sem parecer interessada nele? Ela tinha só treze anos, mas tudo que ocorreu em um dia ao lado desse irmão a deixou mesmo de coração pegando fogo. Quanto mais ela pensava a respeito sobre isso, mais vontade ela tinha de colocar aquilo pra fora. Era normal uma menina tão nova ter tal sentimento tão repentinamente? Ela não conseguia deixar de se perguntar.

― Pretendente, é quando uma pessoa acha outra bonita e tem interesses amorosos por ela, as vezes pode até mesmo rolar alguns beijos e abraços entre ambos entende? ― Ela disse tudo parecendo extremamente natural enquanto olhava em volta, depois olhou para Rael. Ele ficou em silêncio e Violeta veio em sua cabeça na mesma hora. Então era isso? Pretendente…

― Ah! Entendi! ― disse ele sorrindo mais animado enquanto juntava as mãos batendo palma uma vez silenciosamente. ― Se esse é o caso eu tenho sim uma pretendente, é minha mestra. ― explicou Rael, sempre calmo.

O queixo de Rita quase caiu. Como assim sua mestra? Que tipo de tratamento ele e a mestra tinham um com o outro? Rita não pôde deixar de se perguntar.

― Então você e sua mestra se dão tão bem assim? ― Rita ficou realmente surpresa.

― Sim, minha mestra é uma mulher muito bonita, ela me abraça com frequência e sempre dormimos juntos. ― disse Rael sem a menor preocupação.

Violeta só o proibiu de falar sobre o esconderijo, sobre o elemento escuridão, sobre os seus tipos de treinos e no que Violeta o ensinava, mas nunca o proibiu de dizer que ele tinha uma mestra. Afinal, ele não podia saber tudo aquilo sem alguém para guiá-lo.

Rita ficou ali, parada olhando Rael como se sua mente flutuasse pelo ar. O fato dele dizer que ela era bonita não a surpreendeu. Na verdade, era normal uma pessoa de grande poder manter sua juventude por um longe tempo e até viver muito mais do que pessoas comuns como os pais dela. Porém, quando ele disse que sempre dormiam juntos, aquilo não seria ir longe demais? Como Rita ficou fazendo, quase uma meia careta sem graça, Rael não conseguiu evitar perguntar.

― Algum problema Rita? Eu disse alguma coisa errada? ― perguntou ele.

― Você disse… disse… que… você e… e sua mestra… dor-dormiam juntos? ― Rita não conseguiu conter o nervosismo e gaguejou. Rael com apenas quinze anos era mesmo tão experiente assim?

― Disse, por quê? Por acaso você quer dormir comigo também? Eu também acho você bonita. ― disse Rael normalmente e sem a menor vergonha. Na verdade, ele não queria dormi com ela, esse tipo de coisa ele só se sentia bem sendo com Violeta, porque já havia se habituado, mas se era necessário para tratar a nova família bem, então ele faria. Essa tinha sido uma ordem de Violeta, ele sempre ouvia os conselhos dela.

― Eu-eu dor-dormi com-com vo-você? ― Rita ficou ali mais uma vez de olhos arregalados e boca aberta. Era comum um homem ter várias mulheres, mas ela jamais imaginou que ele tinha esse tipo de relacionamento com a própria mestra, e muito menos que ia querer ter com ela sem se quer beijá-la. Eles se conheciam a dois dias, dois dias apenas, que tipo de experiência monstruosa Rael tinha sobre esses assuntos? Rita começou a suar mesmo sem ela querer. Seu coração a muito já estava voando em uma viagem sem volta.

― Se você quiser eu não vejo problema. ― concordou Rael fazendo um sim com a cabeça.

― Mas eu só… só… te-te-nho ter-treze anos! ― disse ela nervosamente.

― O que tem isso? Desde que eu tinha dez anos, minha mestra já me abraçava e dormíamos juntos, não vejo isso como um obstáculo. ― explicou Rael despreocupado, e fez um sim firmemente com a cabeça enquanto fechava os olhos se lembrando.

Depois voltou a olhar a chocada Rita em sua frente, a pele dela estava tão vermelha que as veias só faltavam um pouco para explodirem.

― Algum problema? ― perguntou Rael confuso.

― Nã-não. ― disse ela dando um grande suspiro e depois continuou. ― É melhor eu ir para o meu quarto, boa noite. ― Rita se levantou sem dizer mais nada e saiu silenciosamente do quarto parecendo a coisa mais natural do mundo. Rael apenas deu boa noite de volta sem se preocupar e em seguida voltou a cultivar, ajeitando a posição e fechando os seus olhos.

No corredor, depois de fecha a porta, Rita ficou ali encostada na parede do lado. Ela estava tão nervosa que não conseguia conter a respiração. Se tudo que ela ouviu de Rael fosse mesmo verdade, então ele tinha tanta experiência no assunto que deixava até mesmo adultos no chinelo.

Ela suspirou e não parou de pensar na cena que ela achou que seria beijada por ele, em seguida levou uma mão para a própria boca involuntariamente. É claro que sua mãe sempre conversou com ela sobre esses assuntos e tudo parecia tão simples, porém, quando colocados a prova, seu coração fazia tudo parecer um terror.

Qual mulher nesse mundo não tinha curiosidades sobre esse tipo de assunto? O primeiro beijo, o primeiro toque e a primeira vez.

Rita suspirou levando uma mão ao peito lembrando-se de quando Rael passou a mão nela, mesmo sendo por outro motivo ele ainda tinha tocado nela e mesmo assim, ela não achou tão ruim. Pensando agora, será que ela era uma garota oferecida? Não isso não era possível, Rael era sua primeira experiência dentro desse assunto.

Capítulo Anterior
Índice
Próximo Capítulo
Contribua com o novo site da Saikai Scan
By | 2017-08-12T13:36:23+00:00 12/08/2017 as 1:36|Herdeiro do Mundo|36 Comments

About the Author:

Yamasuke
Mais um procrastinador de plantão !
  • Tyrone Costa

    Mó inocente kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Tyrone Costa

    A menina com 13 anos com pensamentos vulgar e o Rael com 15 só pensando em dormir com amor de mãe kkkkkkkkkkkkk Depois culpam nós homens de só pensar naquilo kkkkkkkkkkkkkkk

    • Raiden ►тнε gคмεя◄

      kkkkkkkkk

    • Igor Ribeiro

      kkkkkkkk

    • Brentyu

      kkkkkkkkkkkkkk

    • z_TREVOL_z

      Nós é mó inocente mano, não sei como a gente ganhou essa fama de pevertido…. kkkkkkkk

    • Ericki MIguel Miguel

      po manow somos inocentes asdsoidjsadodja

  • Roab HD

    Que cap foi esse kkkkkkk inocência é uma dádiva. … Kkkk

    • koloke

      Ou não em alguns casos

  • Arthur Queiroz

    “Deixavam os adultos no chinelo” kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk ai meu coração!!kkkkkkkkkkkklll

    • koloke

      Ķkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Dannyel Batista

    Nao sei se rio ou se choro aqui por esses dois kkkkkk

    Obrigado pelo capítulo!

  • Raiden ►тнε gคмεя◄

    kkk meldelz q mente poluida

  • z_TREVOL_z

    Cadê a inocência dessa menina minha gente? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Tyrone Costa

      Irineu, vc não sabe e nem eu.

  • rafael1295

    “― Eu-eu dor-dormi com-com vo-você? ― Rita ficou ali mais uma vez de olhos arregalados e boca aberta. Era comum um homem ter várias mulheres, mas ela jamais imaginou que ele tinha esse tipo de relacionamento com a própria mestra, e muito menos que ia querer ter com ela sem se quer beijá-la. Eles se conheciam a dois dias, dois dias apenas, que tipo de experiência monstruosa Rael tinha sobre esses assuntos? Rita começou a suar mesmo sem ela querer. Seu coração a muito já estava voando em uma viagem sem volta.”Essa Rita ta muito pervertida kkkk

    • koloke

      Mds o cara nasceu maior inocência e Rita só pensandecido naquilo
      Rssssss

  • All

    kkkk 13 anos se tirar a vergonha que ela tem fica parecendo as meninas de 13 normais do nosso mundo

    • Igor Ribeiro

      realmente

  • Igor Ribeiro

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  • Janailson Barbosa Granja

    Obrigado pelo capítulo

  • Brentyu

    kkkkkkkkkk que inocência desse Rael KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK ri mt

  • Henrique Neiva

    Vlw pelo cap

  • Lucas Vinícius Moreira

    KKKKKKKKK muito boa historia, que continue.. rael.. sabe de nada inocente.

  • Andre dragneel

    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk morri nao cara como vc e virgem mais virjura assahhashashashashhsa
    Obrigado pelo capitulo 😀

  • KaoriMiyazono

    MDS kkkk
    A menina com 13 anos é uma tarada kkkk

  • Pedro Molina

    vlw pelo cap… essa novel promete

  • Maycon

    Relação mestre discípulo é um tabu, agora irmão e irmão e outras concubinas ta super dr boa, né? Kkkk kkkkkkk kkkkk
    Bom cap, obg…🙇👊✋

  • Ciel Martins

    Não sei se é o Rael muito inocente ou a menina com treze anos com uma mente poluida kkkkk

    • lorde shadow subliminal

      Os dois cara, os dois.

  • Micael D. Valerio

    Kkkkkkkk muito bom

  • MS. Vírus

    asuhasuahusahas essa inocencia vai acabar deixando o MC todo fudido na frente

  • Fullero.com

    kkkkkkkkkkkkkkkkk muito bom.

  • Kyoua Eduardo

    “Deixa até os adultos no chinelo”
    O coitado é moh inocente mano. Heueheueheueheueehue

  • eduardo arnhold

    Hmmmm no minimo intrigante….estou realmente interessado em descobrir no q isso vai dar….hmmm esse garoto é ..mto intrigante com seu modo de pensar… obr pelo cappitulo

  • Yun Zynnnn

    vlw pelo cap, me matei rindo kkkkkkkk